Da beleza que nós conseguimos ver

A plateia está em silêncio, exceto alguns comentários sussurrados aqui e ali. A atenção é voltada para o homem de casaca que acaba de subir ao palco, trazendo seu instrumento. O pianista está esperando e se levanta para cumprimentá-lo. O músico retribui seu cumprimento e vai para o centro do palco com seu violino. Silêncio. As notas começam a fluir de seu violino, acompanhado pelo piano bem afinado. As notas fazem parte da música Sad Romance, composta pelo músico vietnamita Thao? Nguyen Xanh.

Uma vez vi uma pichação que dizia "Somente o ser humano é capaz de fazer arte!". Isso é profundamente irônico, se levarmos em questão que era uma pichação feia e com erros de português (Somente o ser umanu é capaz de faser arte). Eu altero um pouquinho a frase e digo "Somente o ser humano é capaz de reconhecer arte". Para qualquer abelha, uma flor é apenas um supermercado e o belíssimo trinado dos pássaros é apenas um modo de eles chamarem outro pra porrada enquanto chamam a fêmea de gostosa (creio que foi o Átila, do Rainha Vermelha, quem falou isso. Não lembro).

A beleza das coisas está apenas nos nossos processos cerebrais; elas não existem enquanto coisas belas. Elas são o que são. Mas como isso acontece?

Continuar lendo “Da beleza que nós conseguimos ver”

“Off That” – o hino dos céticos

baba_brinkman.jpgA música sempre foi uma das melhores expressões artísticas e culturais, desde que nossos antepassados usavam o eco das cavernas para entoar sons, grunhidos e coisas afins. Todo movimento entoa uma música para expressar melhor suas opiniões, e o Chico Buarque é um bom exemplo (ou não).

Baba Brinkman é um ex-plantador de árvores que virou rapper. Ele possui mestrado em História Medieval e Literatura Inglesa Renascentista. Sua tese traçou um paralelo entre os mundos da música hip-hop e poesia literária. Após graduar-se em 2003, Baba começou sua carreira de músico. Ele tem algumas música bem interessantes e uma delas chama-se Off That, a qual ele chama de Hino Racionalista.

Continuar lendo ““Off That” – o hino dos céticos”

A canção de Carl Sagan

Indiscutivelmente, Carl Sagan foi um dos maiores– senão o mais famoso – divulgador científico da Era Contemporânea. Sua inesquecível série Cosmos (disponível na sua rede P2P favorita) foi responsável por muitos jovens quererem seguir a carreira científica, como este que vos escreve. Sua frase mais emblemática talvez tenha sido “Para se fazer uma torta de maçã, é necessário que se crie o Universo”, seguido de “Estamos na praia do Oceano Cósmico(…) e a água parece convidativa”.

Stephen Hawking é uma das maiores mentes em termos de Física Teórica da atualidade. Nem mesmo a doença degenerativa ELA (esclerose lateral amiotrófica) foi capaz de parar sua mente, desvendando mistérios do início do Universo.

Estes dois juntos formam a síntese do moderno cientista, que não se esconde mais em porões de castelos, mas que quer que toda a humanidade descubra as maravilhas da Natureza. Agora, podemos transformar dois dos maiores astros (trocadilho mais que adequado) da Ciência em música? Sim, podemos e foi isso que foi feito. Continuar lendo “A canção de Carl Sagan”

Cientistas descobrem geometria da música

música das esferasA conexão entre música e matemática tem fascinado os estudiosos por séculos. Mais de 2000 anos atrás, Pitágoras descobriu que os agradáveis intervalos musicais podem ser descritos utilizando proporções simples. E a chamada musica universalis, ou música das esferas, emergiu na Idade Média por meio da idéia filosófica de que as proporções nos movimentos dos corpos celestiais – o Sol, a Lua e os planetas – poderiam ser visualizadas na forma de música, inaudível, mas perfeitamente harmoniosa.

Agora, três professores de música – Clifton Callender da Universidade Estadual da Flórida, Ian Quinn da Universidade Yale e Dmitri Tymoczko da Universidade de Princeton – descobriram uma nova forma de analisar e categorizar a música que aproveita a profunda e complexa matemática que eles descobriram imersa na sua estrutura mais interna. Continuar lendo “Cientistas descobrem geometria da música”