1000 pedradas no céu noturno

Pelo Sistema Solar circulam um monte de pedregulhos. Quando o pedregulho vem tranquilo pelo Espaço, ele se chama “asteroide”. Mas se adentra a atmosfera da Terra, recebe o nome de “meteoro”, e depois que cai, a rocha lá formada recebe o nome de meteorito, a não ser que você seja um descendente de dinossauro, porque aí iria dizer “ANJO SURDO DO CARALHO!”

Continuar lendo “1000 pedradas no céu noturno”

O corpo safado que fez a Terra levar ferro

Estrelas (entre elas o nosso Sol), são basicamente formadas por hidrogênio e hélio. Naquela imensa fornalha termonuclear, núcleos se fundem produzindo elementos cada vez mais pesados. Dependendo do tamanho da estrela, elas podem explodir sob a forma de supernovas, espalhando todo o seu material estelar. Quanto maior a estrela, mais núcleos pesados são formados. Hidrogênio se funde em hélio, que podem se fundir formando lítio, boro e carbono. Estrelas de massa realmente alta (para padrões de estrelas, e nosso Sol nem é tão grande assim) irão iniciar a queima de núcleos de carbono e estender mais a sua existência. As de massa ainda maior irão também fundir neônio depois de usar o carbono e assim por diante. Isso até produzir ferro, então, tudo muda. A síntese de núcleos mais pesados a partir do ferro absorve ao invés de liberar energia, e a estrela começa a esfriar. Com o tempo, este nucleozão de ferro comporá asteroides. Estes asteroides são capturados pela gravidade terrestre e cruzam os céus; então, recebem o nome de meteoros. Quando caem no chão, a rocha formada é chamada de “meteorito”.

Pronto, resumi bem a origem do ferro no planeta. Já posso abrir uma cerveja porque meu trabalho está feito, certo?

Continuar lendo “O corpo safado que fez a Terra levar ferro”

Uma sinfonia impactante da Lua

Aristóteles, grande sábio da Antiguidade, disse que a Lua era maciça, sólida e totalmente perfeita. Ela não tinha nenhum defeito, totalmente lisinha como a bunda de um bebê. Claro, o tosco de Estagira tinha problemas em olhar pra cima e olhar pra Lua, que mesmo a olho nu dá pra ver que ela não é lisinha, mas estamos falando de um sujeito que foi casado duas vezes e achava que mulheres tinham menos dentes que homens. O mundo sopralunar era perfeito, lindo, maravilhoso. Uma pena que Aristóteles fosse tão ignorante ao ponto de escrever um mundaréu de bobagens, enquanto Aristarco de Samos já tinha dito que a Lua tinha crateras e girava ao redor da Terra, assim como a Terra girava ao redor do Sol. Aristarco não tinha o reconhecimento de Aristóteles e seus escritos padeceram ignorados por séculos.

Só com Galileu é que tivemos certeza da imperfeição da Lua, com seus vales, “mares”, montanhas e crateras. Muitas dessas crateras possuem milhões de anos, outras, algumas centenas, mas delas, 111 possuem idade de cerca de 1 bilhão de anos.

Continuar lendo “Uma sinfonia impactante da Lua”

Mude a posição do herói que chega todo ano, fruto de uma chuva de ouro¹

Ó Perseu, filho de Dânae e Zeus, Senhor do Olimpo. Forte e poderoso, valente e destemido. Aquele que enfrentou a górgona chamada Medusa, aquele que brandiu a espada decepando-lhe, sem lhe olhar nos olhos, matando o monstro e cavalgou Pégaso. Ó Perseu, vindo ao mundo graças a uma chuva dourada de Zeus sobre Dânae, que a fecundou e ela condenada foi pelo pai Acrísio. Ó Perseu, guerreiro que as musas cantam, que os poetas declamam, por quem Andrômeda se apaixona. Elevado ao céu foi e de tempos em tempos visita a humanidade!

No último dia 12, veio mais um espetáculo anual. A chuva e meteoros Perseidas. A origem desses meteoros é bem, mas bem longe daqui, na constelação de Perseu, a 1475 anos-luz. Os meteoros que fazem um espetáculo magnífico no céu, formados por pequenos fragmentos de meteoróides expulsos do Cometa Swift-Tuttle e continuam a seguir a órbita deste cometa à medida que se dispersam lentamente.

Continuar lendo “Mude a posição do herói que chega todo ano, fruto de uma chuva de ouro¹”

Uma beleza infinita elevada ao quadrado

Fotografar à noite é legal, mas é uma droga. Sim, eu já tentei. Fica lindo com aqueles zilhões de granulações aparecendo, mesmo com flash (óbvio que não era flash profissional). Fotografar céu noturno? Piorou! Não só fotografar na cidade é perda de tempo, por causa da poluição luminosa, como sempre é melhor usar máquinas mais… caprichadinhas.

Uma dessas gracinhas é a ME20F-SH da Canon. Uma camerazinha safada de apenas 2,2 megapixels. Uma merreca. Pouca coisa. Ela só está custando quase umas 20 mil doletas. Deve ser por causa do seu absurdo ISO 4 milhões (sim, QUATRO MILHÕES!!). Esta bagaça capta a luz de qualquer coisa, e é por isso que Bem Cannales a usou para o seu time lapse. Um absurdo de bonito!

Não vou nem falar muito. Olhem que lindeza!

Continuar lendo “Uma beleza infinita elevada ao quadrado”

Tutancâmon tinha um punhal extraterrestre?

Isto seria tarefa do E-Farsas, mas o tratante anda esnobando pobres coitados e só escolhe matéria topo-de-linha. Aí fica o maldito History Channel divulgando que o grande rei Tut tinha um punhal extraterrestre, provavelmente por goa’ulds. Será verdade? Será Farsa da Web? Seria burrice galopante de jornaleiros malditos? Seriam os reptilianos?

Não, gente. A bosta do rei-menino não tinha um punhal extraterrestre e nem o milagre veio do Espaço. O que ele tinha você saberá no LIVRO DOS PORQUÊS, mas antes, vamos ler sobre…

Continuar lendo “Tutancâmon tinha um punhal extraterrestre?”

Drama Catarinense: Avistado algo voando pelo céu com fogo no rabo (olha o bairrismo, hein!)

Atenção povo de Santa Catarina. Protejam-se, estoquem comida, criem abrigos, cuidado com a careca do Esperidião Amim. Foi avistado um corpo esquisitão voando pelos amistosos céus de Anita Garibaldi. O arauto do Galactus chegou! FIRE IN THE HOOOOOOOOLE!

Continuar lendo “Drama Catarinense: Avistado algo voando pelo céu com fogo no rabo (olha o bairrismo, hein!)”