Pesquisadora banca voyeur e filma lagarto mergulhando

Répteis formam uma classe muito interessante. Há diversos deles e mostram-se como um verdadeiro sucesso em termos de evolução biológica desde o período Carbonífero, tendo surgido há cerca de 310 e 320 milhões de anos. Depois de centenas de milhões de anos, o que temos é a fina flor e animais muito bem adaptados ao ambiente, capazes de sair correndo atrás de vocês em terra e nadando caso você se julgue espertão o suficiente pra se jogar no rio, pensando que vai escapar.

Entre dragões malvados que babam veneno e tartarugas centenárias, passando por aquela lagartixa gelada que todo mundo foge, temos o caso do lagarto mergulhador da Costa Rica.

Continuar lendo “Pesquisadora banca voyeur e filma lagarto mergulhando”

Lagartos mostram Efeito Baldwin no deserto

Aprendemos que Evolução não se dá em indivíduos apenas, mas em populações. Aprendemos também que é um processo lento, mas de vez em quando ela nos prega peças e acontece mais rápido do que poderíamos supor, já que o mundo não é como queremos que seja, e as “leis científicas” são uma aproximação. Ou, como eu costumo dizer, “É regra que toda regra tem exceção”. Outro exemplo poderia ser o Lamarckismo, cujo princípio é a lei do Uso e Desuso. Você sabe, aquele lance das girafas serem pescoçudas para poderem comer as folhas das árvores mais altas por motivo sei lá, já que poderiam comer as folhas mais baixas.

Só que ainda temos um pequeno detalhinho: o Efeito Baldwin.

Continuar lendo “Lagartos mostram Efeito Baldwin no deserto”

Embrião de lagarto troca de sexo quando está calor

Qualquer criatura minimamente esperta sabe que a Austrália é que nem o Brasil: não é para principiantes. Fora quase toda a sua fauna ser venenosa (principalmente as australianas, notáveis fofoqueiras), qualquer coisa lá é perigosa, mesmo sem precisar de veneno, em que até o Batman entra pelo cano. Lá, o absurdo é corriqueiro, como é o caso desse nosso amigo aí do lado. Ele é o dragão barbudo, um réptil australiano. Como tudo que é australiano, é esquisito, só não é tão esquisito com a comida pseudoaustraliana do Outback.

Uma pesquisa sobre a vida selvagem da Austrália mostrou que dragões barbudos são capazes de trocar de sexo em meio ao calorão.

Continuar lendo “Embrião de lagarto troca de sexo quando está calor”

Cientistas examinam cavidade auditiva de dinossauro e não é por causa de dor de ouvido

Ontogenia é o estudo das origens e desenvolvimento de um ser vivo. Saber como ele apareceu e no que ele resultou. Um dos bichos que mais despertam interesse nesse campo é, claro, dinossauros. A saber, são os únicos monstros que realmente tivemos (os outros estão guardados na Área Pitu, digo, Praianinha, quero dizer, Área 51).

Agora, uma equipe de pesquisadores resolveram estudar não apenas um dinossauro, mas especificamente seu crânio e mais especificamente ainda seu ouvido interno, e como ambos se tornaram o que eram.

Continuar lendo “Cientistas examinam cavidade auditiva de dinossauro e não é por causa de dor de ouvido”

Pesquisadores se inspiram em lagartos na construção de robôs para andar em Marte

Domingão de Sol, céu azul e moças desnudas na praia. Então, como legítimo representante do sexo masculino, o mané resolve sair pra fazer teste de Cooper. Calça tênis, short, camiseta regata e sai correndo na areia para mostrar que ele está em forma (mesmo porque, esferas são formas bem definidas). Correr na areia não é algo mole e dali a alguns minutos, o tiozão ficará com as pernas pesadas e doendo. Pelo menos, ficou com o teste de Cooper feito.

Engenheiros gostam de usar seres vivos como inspiração em suas criações. Infelizmente, o tiozão acima não seria modelo pra nada, a não ser bola de futebol. Como estamos falando da exploração do terreno de Marte e não de gente que não se toca, sai de cena o tiozão e entra como modelo um lagarto.

Continuar lendo “Pesquisadores se inspiram em lagartos na construção de robôs para andar em Marte”