LEVANTA-TE E ANDA: Fóssil ganha exoesqueleto para cientistas estudarem seus movimentos

Eu procuro sempre dar uma assuntada nos periódicos científicos, sites de universidades e institutos de pesquisa para saber o que anda rolando e trazer para vocês. Claro, para pesquisas internacionais. Universidade brasileira não faz divulgação científica. Talvez para ninguém saber da Ciência Salame. Eu desisti de pedir a pesquisador para me mandar seus papers para eu ler e divulgar. É a síndrome “é pro Fantástico?”, para depois reclamarem que jornaleiros publicaram tudo errado. Normalmente, eu posto coisas que estão recém-publicadas, na larga maioria das vezes antes dos veículos de informação e de “informação”, com informações certas e detalhes adicionais e alguma observação para elucidar pontos. Então, eu vi um artigo, digo, um vídeo compartilhado pela Reuters do dia 5 de fevereiro, mostrando que cientistas pegaram um fóssil e montaram num robô para saber como ele andava quando era vivo (o fóssil, não o robô). Ao pesquisar a respeito, vi que não era nada disso.

Sim, eu cheguei depois. Vários tinham veiculado, mais notadamente copiando a postagem da Reuters. Mas o que foi descoberto e qual era a pesquisa?

Continuar lendo “LEVANTA-TE E ANDA: Fóssil ganha exoesqueleto para cientistas estudarem seus movimentos”

Pesquisa vem com panspermia de novo com argumento da ignorância

Eu estava lendo o Astro PT, o segundo melhor site de astronomia em português, perdendo pro Space Today. O problema é que ele deu uma derrapada em alguns conceitos de Biologia. Em um artigo, o Astro PT traz sobre uma pesquisa apontando a possibilidade da Explosão do Cambriano ter tido origem extraterrestre. Só que percebi umas coisas ainda consideradas desde a década de 70, que ainda acham ser um mistério, mas é um pensamento atrasado.

Então: a explosão do cambriano teve origem extraterrestre? Não e vou dizer o motivo.

Continuar lendo “Pesquisa vem com panspermia de novo com argumento da ignorância”

Extinção do Triássico-Jurássico não mudou muito o que acontecia no oceano ou “a vida sempre da um jeito”

Na catástrofe que foi a Extinção do Permiano, no período Triássico-Jurássico (aquela que caiu um meteorão do mal, evento também chamado Triássico Tardio), mais de 50% das formas de vida foram para a vala, mas que sobrou foi o suficiente para acarretar em youtubeiros e seus comentaristas hoje (o que eu não sei dizer se foi uma boa, mas Evolução nunca significou melhoria). Entretanto, apesar da mortandade quase total, pesquisas atuais mostram que não houve mudanças drásticas na forma como os ecossistemas marinhos funcionavam. Continuar lendo “Extinção do Triássico-Jurássico não mudou muito o que acontecia no oceano ou “a vida sempre da um jeito””

Curiosity identifica vestígios da existência de oxigênio gasoso em Marte antigamente

Oxigênio, enquanto elemento, não é bem uma raridade no universo. Tê-lo em forma gasosa é. O problema do oxigênio é ser o elemento com a segunda maior eletronegatividade (o maior é o flúor, como você não se lembra das aulas de Química no colégio). Isso faz com que ele seja muito reativo e oxidante; e aliás, o termo oxidação veio dele, até descobrirem que várias substâncias oxidam as outras, isto é, roubam elétrons.

Uma das grandes dúvidas era saber se Marte teve atmosfera com oxigênio. Sempre se imaginou que sim, através de evidências indiretas, como os tons avermelhados das rochas e solo marciano, devido à presença de óxido de ferro. Aquelas rochas vieram de algum lugar, claro. Ação do ferro com o oxigênio gasoso? Ou a formação dessas rochas se deu durante a acreção do planeta? Bem, uma recente pesquisa mostra que, sim, há evidências diretas que o Planeta-Guerreiro já teve oxigênio em sua atmosfera.

Continuar lendo “Curiosity identifica vestígios da existência de oxigênio gasoso em Marte antigamente”

Os mistérios da Primeira Grande Extinção

O algoz pairava sobre as cabeças, ante das cabeças sequer existirem. Todos os que estavam abaixo não sabiam do perigo nos céus. Seus destinos estavam selados; o mundo jamais seria o mesmo depois da grande chacina que ocorreria quase em seguidas. Milhões de seres quase começaram a gritar, mas já eram silenciosas já naquela época, quando o oxigênio, este pérfido assassino, seguiu desapaixonadamente as leis da Química.

Esta é a história da primeira grande extinção em massa, e sem nenhum vulcão ou meteoro. Apenas uma simples molécula diatômica. É o Livro dos Porquês!

Continuar lendo “Os mistérios da Primeira Grande Extinção”

Chuva Ácida pode ter sido o assassino definitivo no período Permiano

O vilão está à espreita. Não precisaram fazer a pergunta tola "o que faremos esta noite?". Um vilão que se preza não gargalha e conta todo o seu plano. Ele age. Silenciosa e cruelmente, ele dá o golpe de misericórdia, fazendo com que futuramente todos falem dele com um medo contido à força, pois sabemos que mais dia, menos dia, ele poderá reaparecer, e isso poderá ser o fim.

Há 250 milhões de anos, 95% de toda a vida na Terra foi pro ralo. Criminosos? Muitos. Quem foi o responsável? Os Detetives da Natureza tentam desvendar isso. São os cientistas e eles acharam mais uma peça do quebra-cabeças.

Continuar lendo “Chuva Ácida pode ter sido o assassino definitivo no período Permiano”

O que foi o Evento de Tunguska?

A ira de Deus desabou sobre um lugar semi-esquecido. Quando o dedo acusador do Poder Supremo apontou para a província de Tunguska, na Sibéria, o destino do local estava selado e todos viram que não se devia sequer pronunciar Seu nome. O poder divino veio de forma abrasadora e explodiu em morte, violência e calor, com um ruído ensurdecedor. Uma bola de fogo veio dos Céus e chocou-se com a Terra e suas marcas são vistas ainda hoje.

O que aconteceu em Tunguska, na primeira década do século XX mostra o quanto estamos vulneráveis no Espaço. Mostra como não estamos aqui por vontade de ninguém e sim por mero acaso. Não que algum poder ultramegapoderoso tenha decidido assim, mas porque o Universo é um lugar perigoso mesmo, e o que aconteceu naquela manhã fria mostra que o Universo está pouco se lixando pras ridículas formas de vida que povoam este planetinha irrisório. Este é um artigo que mescla o Livro dos Porquês com o Grandes Nomes da Ciência.

Continuar lendo “O que foi o Evento de Tunguska?”

Os suspeitos de uma grande matança

As pessoas têm o péssimo hábito de olhar o mundo lá fora e pensar que tudo é perfeitinho. Não é. Desde as Grandes Extinções até aquele monte de camelô impedindo a sua passagem, o mundo sempre foi perigoso. Um exemplo foi a extinção geral, (quase) total e irrestrita ocorrida durante o período Permiano, há cerca de 250 milhões de anos, onde mais de 90% da vida na Terra foi riscada do mapa, por causas diversas.

Houve muitas extinções ao longo do tempo, como a do Pleistoceno, Cretáceo-Triássico (K/T), Triássico Superior, Paermo/Triássica, Frasniano/Fameniano, Ordoviciano Superior e o Vendiano. Muita sorte ter algo vivo hoje em dia, a não ser que alguma força obscura tenha brincado de XBOX Celestial só para saber se algo sobreviveria e demonstrando absoluta falta do que fazer, além de uma incompetência ímpar. Enfim, o que realmente sabemos sobre o período Permiano?

Continuar lendo “Os suspeitos de uma grande matança”