Os segredos das vias emocionais do seu cérebro

Nossa relação emocional com o mundo nos afeta em termos de comportamento. Isso sem falar que nosso estado neurológico também afeta nossas emoções. Se você está deprimido, não adianta. Nada será legal, nada será divertido, mesmo com algo que você tanto adora.

Isso é o efeito. Qual a causa? Que mal se esconde nos cérebros humanos? É o que um recente estudo do MIT procura responder.

Continuar lendo “Os segredos das vias emocionais do seu cérebro”

Química do cérebro faz ratos serem mães melhores

Qual é o segredo do amor parental? Uma dádiva divina, que ilumina e aquece nossos corações, fazendo-nos diferentes dos outros animais? Quando uma de nossas crias está em perigo, clamando por nossa ajuda, se um animal fôssemos, nada faríamos, certo? Pois, é exatamente pelo fato de sermos animais que corremos em seu socorro, mas isso não acontece com todos. Por quê?

Tudo começa no cérebro e aquilo que todos odeiam, mas sempre dependem: Química, essa ciência tão ridicularizada. No caso, uma substância química é quem nos salva, que ajuda a nos manter vivo, estimulando nossas mães a cuidarem de nós.

Continuar lendo “Química do cérebro faz ratos serem mães melhores”

Nas margens do Oceano Cósmico, eu sentei e chorei

Eu vi Cosmos ontem. Não quis ver em streaming, não corri para ver assim que apareceu para baixar (sim, baixei. Chama a Polícia Federal aí, anda!). Cosmos não é como uma série qualquer como CSI. Séries assim são que nem cerveja, pode-se ver a qualquer hora, em qualquer lugar, sem precisar de motivo. Cosmos é um vinho fino, digno de ser saboreado com uma companhia especial, à luz de velas e o crepitar da lareira ao fundo. Cosmos é tudo o que houve, tudo oque existe e tudo o que haverá. É algo que nos esmaga frente à sua grandiosidade do sabor de uvas bem colhidas e a sensibilidade de um delicado copo de cristal.

Cosmos sou eu e você.

Continuar lendo “Nas margens do Oceano Cósmico, eu sentei e chorei”

Você é o que você cheira

Sinais químicos são uma espécie de sinal emitido por reações químicas. Depois do imenso DUHHHH que você fez pra mim, é interessante muitas espécies de animais transmitem informações e interagem com outro indivíduo. Feromônios são um exemplo de sinais químicos.

Até agora, a ação de sinais químicos nos seres humanos não era bem clara e aquele negócio de usar feromônios para arrumar namorado é conversa mole. Entretanto, pesquisadores estudam se somos capazes de comunicar nossos estados emocionais entre si através de sinais químicos.

Continuar lendo “Você é o que você cheira”

Botox pode interferir em respostas emocionais

linha_expressao.jpgO botulismo é uma intoxicação alimentar muito séria, apesar de ser rara, que é potencialmente fatal, pois causa paralisia muscular e morte por parada respiratória, devido a uma toxina produzida pela bactéria Clostridium botulinum, presente no solo e em alimentos contaminados e mal conservados. A toxina produizida por essa bactéria fteve emprego médico pela primeira vez em 1973, por um oftalmologista que queria obter um tratamento não-cirúrgico para estrabismo. Mais tarde, a toxina botulínica tipo A recebeu um nome comercial e é empregado até hoje. Seu nome é Botox e sua função é exatamente o que faz a enzima tão letal: ele paralisa os músculos, fazendo desaparecer linhas de expressão, pois se o músculo não se movimenta, não tem como fazer aquelas “preguinhas” no rosto. O efeito colateral é que a pessoa perde muito de suas expressões faciais, já que os músculos estão paralisados. Normalmente, deve-se refazer o tratamento de 6 em 6 meses.

No mundo da estética sem ética, vale tudo para parecer uma mulher bonita, ou um homem bonito ou metrossexual, mesmo. O mundo que você corre mil e um riscos, muitas vezes pagando um preço alto (ou não, já que muitas vezes pode-se parcelar). O botox, ao lado da lipoaspiração, é o sonho de muitas mulheres, principalmente as que querem disfarçar a idade. Só que, pelo visto, não são apenas as expressões faciais que são paralisadas. David Havas, da Universidade de Wisconsin-Madison, decidiu estudar pessoas que receberam tratamentos de Botox. Os resultados são interessantes, pois parece que o Botox age não só na aparência, mas ele realmente age sobre as respostas emocionais, ou seja, a pessoa diminui a sua resposta emotiva, não comprendendo o sentido de determinadas emoções.

Continuar lendo “Botox pode interferir em respostas emocionais”