Hitler era ateu?

Adolf Hitler era ateu?

Adolf Hitler foi batizado em uma Igreja Católica em 1899 e nunca foi excomungado ou condenado oficialmente de qualquer outra forma pela Igreja Católica. Hitler frequentemente se referia a Deus e ao Cristianismo, em suas várias de suas palestras e em seus escritos. Em 1933, em um discurso ele disse que “Para fazer justiça a Deus e à nossa própria consciência, nós temos nos virado cada vez mais para o povo alemão“. Em outro ele disse: “Nós fomos convencidos de que as pessoas precisam e exigem essa fé. Temos, portanto, de empreender a luta contra o movimento ateu, e isso não apenas com algumas declarações teóricas: nós temos carimbado o documento”. (grifo nosso)

Em 1922, ele disse em um discurso:

O meu sentimento como cristão pôs-me diante de meu Senhor e Salvador como um lutador. Recordo-os de que este homem uma vez na solidão, cercado apenas por alguns seguidores, reconheceu estes judeus por aquilo que eram e dos homens convocados para lutar contra ele, e que era um Deus de verdade! E foi maior, não como um doente, mas como um lutador. No seu amor sem limites, eu como um cristão e como um homem, onde eu leio a passagem através do qual o Senhor nos diz como subiu em Suas apreensões e uso do flagelo para fazer sair do Templo aquele bando de víboras. Como foi terrível a sua luta contra o veneno judeu. Hoje, após dois mil anos, com profunda emoção que reconhecemos mais profundamente do que nunca o fato de aquele homem que teve o seu sangue derramado sobre a Cruz. Como um cristão não tenho o direito de permitir-me a ser enganado, mas eu tenho o dever de ser um lutador da verdade e da justiça. E se há algo que poderia demonstrar que estamos a agir corretamente, é que o sofrimento cresce diariamente. Como um cristão, eu tenho também um dever para com o meu próprio povo. E quando eu olho o meu povo e vê-los trabalhar e trabalhar, e no final da semana eles têm apenas para si mesmos um salário miserável e a miséria como companhia. Quando eu saio de manhã e ver estes homens de pé em suas filas e olhar em seus rostos amargurados, então creio que seria eu não cristão, mas um grande demônio se eu não sentir pena deles, como fez o nosso Senhor dois mil anos atrás, por sua vez contra aqueles por quem hoje estas pessoas pobres são pilhadas e exploradas.

E para quem deseja saber mais detalhes sobre as crenças religiosas de Hitler, os leitores podem acessar aqui um artigo em inglês, que discorre de forma um pouco mais extensa.

O que é o Nazismo?

O termo Nazismo (do alemão: National Sozialismus) designa a política da ditadura que governou a Alemanha de 1933 a 1945, o Terceiro Reich. O nazismo é frequentemente associado ao fascismo, embora os nazistas dissessem praticar uma forma nacionalista e totalitária de socialismo (oposta ao socialismo internacional e totalitário marxista). O nazismo também é anticapitalista e antiliberal.

A generalidade da esquerda rejeita que o nazismo tenha sido de fato socialista, apontando para a existência, ainda antes da tomada do poder por Hitler, de uma resistência comunista e socialista ao nazismo, para o caráter internacionalista do socialismo, totalmente oposto à teoria e prática nazista, e a manutenção, pelos nazistas, de toda a estrutura capitalista da economia alemã, limitada apenas pelas condicionantes de uma economia de guerra e pela abordagem àquilo a que os nazistas chamavam o “problema judeu”. Porém esta questão é controversa, com alguns autores a referirem-se ao nazismo como uma forma de socialismo, apontando para a designação do partido, para alguma da retórica nazista e para a estatização da sociedade. Ludwig von Mises argumenta, por exemplo: “O governo diz a estes supostos empreendedores o que e como produzir, a quais preços e de quem comprar, a quais preços e a quem vender (…) A autoridade, não os consumidores, direciona a produção (…) todos os cidadãos não são nada mais que funcionários públicos. Isto é socialismo com a aparência externa de capitalismo.”

Adolf Hitler chegou ao poder enquanto líder de um partido político, o Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães (Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei, ou NSDAP). O termo Nazi é um acrônimo do nome do partido (vem de National Sozialist). A Alemanha deste período é também conhecida como “Alemanha Nazista” (“Alemanha Nazi” PE) e os partidários do nazismo eram (e são) chamados nazistas. O nazismo foi proibido na Alemanha moderna, muito embora pequenos grupos de simpatizantes, chamados neonazistas, continuem a existir na Alemanha e noutros países. Alguns revisionistas históricos disseminam propaganda que nega ou minimiza o Holocausto e outras ações dos nazistas e tenta deitar uma luz positiva sobre as políticas do regime nazista e os acontecimentos que ocorreram sob ele.

Basicamente, é isso ai. Mas para quem quiser saber mais, podemos recomendar a obra “Origens do Totalitarismo” de Hannah Arendt, cujo resumo pode ser encontrado aqui, em formato PDF.

O nazismo era uma ideologia ateísta?

O Programa do Partido Nazista declarou:

“Pedimos a liberdade no seio do Estado para todas as confissões religiosas, na medida em que não ponham em perigo a existência do Estado ou não ofendam o sentimento moral da raça germânica. O Partido, como tal, defende o ponto de vista de um Cristianismo construtivo, sem todavia se ligar a uma confissão precisa. Combate o espírito judaico-materialista no interior e no exterior e está convencido de que a restauração duradoura do nosso povo não pode conseguir-se senão partindo do interior e com base no princípio: o interesse geral sobrepõe-se ao interesse particular.”

O positivismo aderiu ao cristianismo ortodoxo em algumas doutrinas básicas e afirmava que o cristianismo deveria fazer uma diferença positiva na vida das pessoas. É difícil manter a idéia de que a ideologia nazista era ateísta quando se vê que era expressamente apoiado e promovido o cristianismo na plataforma do partido.

O comunismo e o socialismo foram as duas tradicionais ideologias intensamente odiadas pelo partido nazista que alegou que eram ideologias ateístas e judias, ameaçavam o futuro da civilização alemã e a civilização cristã. Naquele tempo, a maioria dos cristãos na Alemanha e em outros países concordaram com essa posição e isso explica muito o apoio popular aos nazistas.

A resposta cristã aos nazistas

A chave para compreender a popularidade do nazismo entre os cristãos é a condenação nazista a tudo que era moderno. A República de Weimar foi considerado como um ente sem Deus, secular e materialista, traindo todos os valores tradicionais da Alemanha e das crenças religiosas. Os cristãos viram o tecido social de sua comunidade se desfazer, e os nazistas prometeram restaurar a ordem, atacando os agnósticos e os ateus, a homossexualidade, aborto, liberalismo, prostituição, pornografia, obscenidade, etc.

No início, muitos líderes católicos criticaram o nazismo. Após 1933, mudaram de lado e passaram a elogiá-lo e evitar as criticas. Os laços em comum entre os católicos e o nazismo eram o anticomunismo, antiateísmo, e antilaicidade. A Igreja Católica ajudou a identificar os judeus para o seu extermínio. Depois da guerra, os líderes católicos ajudaram os antigos nazistas a trazê-los de volta ao poder, e os protestantes foram mais ainda atraídos para nazismo do que católicos. Eles, e não os católicos, produziram um movimento dedicado à mistura da ideologia nazista com a doutrina cristã.

Sacerdotes dando a saudação a Hitler em um comício da juventude católica no estádio de Berlim-Neukölln –agosto, 1933

Sacerdotes dando a saudação a Hitler em um comício da juventude católica no estádio de Berlim-Neukölln –agosto, 1933

A “resistência” cristã foi principalmente contra os esforços nazistas no sentido de exercer maior controle sobre as atividades da Igreja. As igrejas cristãs estavam dispostas a tolerar a violência generalizada contra os judeus, o rearmamento militar, as invasões militares de nações estrangeiras, a proibição dos sindicatos, a prisão de membros do Parlamento, prisão de pessoas que não tinham cometido crimes, etc.. Por quê? Porque Hitler era visto como alguém que iria restaurar os valores cristãos tradicionais e a moralidade da Alemanha.

Cristianismo em privado e público

Não há nenhuma evidência de que Hitler e a elite nazista utilizaram o cristianismo para o consumo do público alemão, ou como um truque político – pelo menos, não mais do que partidos políticos de hoje, que enfatizam o seu apoio aos valores religiosos e tradicionais, do qual dependem fortemente do apoio de cidadãos religiosos (isso não lhes lembra o Partido Republicano dos EUA nas eleições de 2008 ?). Observações particulares sobre a religião e o cristianismo eram as mesmas que as observações públicas, o que indica que eles acreditavam que eles eram destinados a agir de acordo com o que lhes era reivindicado. Os poucos nazistas que professavam o paganismo o fizeram publicamente, e sem o apoio oficial.

Os nazistas cristãos não abandonaram as bases das doutrinas cristãs, como a divindade de Jesus, por exemplo. As ações de Hitler e os nazistas como “cristãos”, eram como os das pessoas durante as Cruzadas ou a Santa Inquisição. A Alemanha, de modo fundamental, viu-se como uma nação crista, e milhões de cristãos apoiaram entusiasticamente Hitler e o Partido Nazista, vendo nelees como as incorporações dos ideiais cristãos e alemães.

Bispos fazendo a saudação nazista em homenagem a Hitler. Notem a href=

Bispos fazendo a saudação nazista em homenagem a Hitler. Notem Joseph Goebbels (extrema-direita) e Wilhelm Frick (segundo à direita).

Se quiserem saber mais sobre o assunto, em profundidade, recomendamos que acessem estes sites abaixo:

Adolf Hitler & Christian Nationalism: Nazis’ Program of Positive C…

Weren’t the Nazis Pagans? The Holy Reich: Nazi Conceptions of Christia…

Adolf Hitler Quotations: Adolf Hitler on Religion, God, and Christianity – …

Pictures of Hitler – Hitler and Goebbels Pose With Local Nazi Party Officia…

Pictures of Hitler – Adolf Hitler Speaks to the Widow of a Nazi Party Membe…

Como mencionamos acima, precisamos antes de tudo, esclarecer sobre o que significa exatamente o Cristianismo Positivista.

O Cristianismo positivo (em alemão Positives Christentum) foi uma expressão adotada pelos líderes nazistas para se referir a um modelo de cristianismo coerente com o nazismo. Adeptos do Cristianismo Positivo argumentavam que o cristianismo tradicional enfatizava os aspectos passivos em vez dos ativos na vida de Jesus Cristo, acentuando seu sacrifício na cruz e a redenção sobrenatural. Eles pretendiam substituir isso por uma ênfase “positiva” do Cristo como um pregador ativo, organizador e combatente que se opôs ao judaísmo institucionalizado de sua época. Em várias ocasiões durante o regime nazista, foram feitas tentativas de substituir o cristianismo ortodoxo por sua alternativa “positiva”.

O Cristianismo Positivo surgiu da Alta Crítica do século XIX, com sua ênfase na distinção entre o Jesus histórico, e o Jesus divino da teologia. De acordo com algumas escolas de pensamento, a figura do salvador do cristianismo ortodoxo era muito diferente do pregador histórico galileu. Enquanto muitos de tais eruditos buscavam colocar Jesus no contexto do antigo judaísmo, alguns escritores reconstruíram um Jesus histórico que correspondia à ideologia antissemita. Nos escritos de antissemitas tais como Emile Burnouf, Houston Stewart Chamberlain e Paul de Lagarde, Jesus foi redefinido como um herói “ariano” que lutou contra o judaísmo. Consistente com suas origens na Alta Crítica, tais escritores frequentemente ou rejeitavam ou minimizavam os aspectos milagrosos das narrativas do Evangelho, reduzindo a crucificação a uma cota trágica da vida de Jesus, em vez de sua culminação prefigurada. Tanto Burnouf quanto Chamberlain argumentaram que a população da Galiléia era racialmente distinta daquela da Judéia. Lagarde insistia que o cristianismo alemão devia tornar-se de caráter “nacional”.

O que a História nos conta

Os problemas políticos e sociais de um país devem ser resolvidos utilizando trabalho árduo e bom planejamento, e não com a fé. Face aos problemas e resolve-los, um governo à base de fé, em vez de enfrentar a raiz do problema com o uso da cabeça com soluções razoáveis, em vez de deixar tudo para a fé irracional. Os dirigentes rezam para o problema para que ele vá embora. Religião para eles, como Karl Marx escreveu uma vez, é ópio. Em vez de resolver o problema no presente, eles querem para escapar à realidade, e criar uma fantasia de vida após a morte. Isso não os leva a pensar profundamente e com conformidade – um país onde o trabalho é punido e a mediocridade uniforme é recompensada.

Um governo à base da fé também leva a cidadãos profundamente egoístas. Encorajados por esse ambiente, a população irá ignorar os problemas do país em completa apatia. Muitos vão deixá-los até com o deus deles que supostamente esta nas nuvens. A nação vira a cabeça quando se defronta com um mendigo. E buscará assistir à distância uma mãe esquálida transportando dois bebês desnutridos para uma barraca miserável. Há apenas o desejo de que o país so irá trabalhar duro o suficiente, para que baste comprar apenas bens comerciais, do que simplesmente impedir o pensamento de seus cidadãos, que este é “não é o meu problema ” que por si só não irá desaparecer. Um governo baseado na fe nubla a consciência social por convencer as pessoas de deixar a simpatia de lado e somente ajudar a si próprios quando é necessário. Esta tendência política e egoísta do uso da fé com base em regras, foi o que ocorreu com a Alemanha de Hitler.

“Um homem de comportamento ético deve ser baseado efetivamente na simpatia, educação, laços sociais e necessidades. Nenhuma base religiosa é necessária para tal. Seria de fato uma péssima maneira de controlar os homens, se forem contidos por medo de uma punição e também, por uma esperança de recompensa após a morte.”

– Albert Einstein, New York Times Magazine, 9 de novembro de 1930

Quando a Alemanha chegou perto de um colapso econômico, Hitler recorreu ao apelo para a conformidade egoísta do país. Para os desempregados e famintos, ele prometeu empregos – e eles se tornaram o seu exército privado. Para a classe média, ele prometeu a proteção de grandes empresas. Para os industriais e políticos, prometeu a prosperidade. A verdade é que ele nunca manteve sua promessa.

Houve uma controvérsia na Alemanha quanto aos motivos pelo qual ele subiu ao poder. Hitler não era por muitos considerado alguém que poderia ser eleito para ser um Führer, por causa de suas raízes políticas que eram da maior parte dos estados do sul. Quando um edifício pegou fogo, ele proclamou-o como um ato terrorista, e também como um sinal de Deus. Ele começou a pregar uma guerra contra o “terror”, culpando os judeus.

“Existe um mal que ameaça cada homem, mulher e criança desta grande nação. Temos de tomar medidas para garantir a nossa segurança interna e de proteger a nossa Pátria.”

– Adolf Hitler

Tal como a ficção do Deus autoritário de punir Adão e Eva por sua inocência (que não sabiam nada sobre o bem do mal quando eles comeram o fruto proibido), Hitler se tornou um ditador absoluto. Ele aboliu o governo, fez as grandes empresas aos seus amigos, baniu a liberdade de imprensa, estabeleceu o julgamento secreto nos tribunais, proibiu todos os partidos políticos, sindicatos dissolvidos, e assassinaram vários comunistas. Os desempregados pobres que se tornaram as suas tropas privadas e oficiais foram massacrados às suas ordens, por causa do seu receio paranóico de insurreição.

Que boa sorte para os detentores do poder, pois as pessoas não pensam!”

– Adolf Hitler

Livros democráticos e pacifistas foram queimados. E a História foi reescrita para caber o nazismo. E nas escolas, os livros de ciência foram revistos e reescritos com o fim de que “a raça ariana superior de pele branca” iria aparecer como um fato científico. E a propaganda de Hitler foi toda controlada em seus meios de comunicação (rádio, jornais, revistas, filmes, livros, artes) para um projeto de uma próspera Alemanha. Não é muito diferente do que os movimentos criacionistas tentam fazer, dando “de presente” livros onde subvertem todo o conhecimento científico, só para que consigam fazer sua doutrinação, baseada numa pseudoaula de ciências, mas que não passa de religião disfarçada.

“As escolas seculares não podem ser toleradas porque essas elas não têm instrução religiosa e moral. E uma instrução geral sem uma fundação religiosa é construída no ar e, por conseguinte, todos os caracteres de formação e de religião devem ser obtido a partir da fé.”

– Adolf Hitler, a partir de um discurso feito durante as negociações que conduziram à concordata entre o Vaticano e o Nazismo.

Hitler, batizado e criado como um católico, cresceu conhecendo o poder da religião como qualquer cidadão médio.Quando ele estava no poder, ele procurou definir uma meta para fazer da Alemanha uma pura nação crista. Ele, como Napoleão que afirmou acreditar que “a religião é excelente para manter as pessoas comuns calmas” procurou unir cada seita cristã no país junto com os católicos e os protestantes também.

Influenciado por Martinho Lutero, um anti-judeu que foi líder da Reforma Protestante, Hitler desejava que a Alemanha fosse uma nação cristã. Mas alguns cristãos protestantes se opuseram a ele em publico, porem, junto com os judeus, homossexuais, ateus, comunistas, ciganos e não-brancos, foram todos presos e enviados para os campos de concentração.

Medalha comemorativa do Dia de Martinho Lutero na Alemanha - 10 de novembro de 1933.

Medalha comemorativa do Dia de Martinho Lutero na Alemanha - 10 de novembro de 1933.

“Até agora, as seitas e as confissões das igrejas protestantes, estão preocupadas com a nossa determinação e nossas formas de organização para por fim às divisões existentes e, com isso criar uma única Igreja Protestante para o Reich.”

– Adolf Hitler, em sua Proclamação ao Parlamento em Nuremberg, em 5 Setembro de1934.

O dinheiro e os bens da classe média dos judeus, homossexuais, comunistas, ateus, ciganos, e de não-brancos eram confiscados, saqueados ou destruídos. Milhares deles foram enviados para lugares imundos, superlotados, e para campos insalubres onde foram forçados a trabalhar duro, com pouca ou nenhuma comida. Malnutridos e com práticas cruéis que se tornaram prevalentes nos campos – muitos morreram de fome e de doenças contagiosas em massa.

“Tratam-se de não-cristãos e ateus internacionais que agora se postam à frente da Alemanha. Eu não vou apenas falar do cristianismo, mas também vou professar que eu nunca me aliarei com partidos que destroem o cristianismo.”

– Adolf Hitler, num discurso emitido em Sttugard, 15 de fevereiro de 1933.

A política da eliminação em massa de pessoas, adotada pelos nazistas durante a 2ª Guerra Mundial, foi um fenômeno até então único na história da humanidade. Esse crime porém foi inspirado em várias doutrinas que passavam então por ciência, como o racismo e a eugenia, que tiveram larga difusão e apoio nos países mais adiantados dos anos vinte e trinta.

“Seu negrume não surgiu no deserto de Gobi ou na floresta tropical da Amazônia. Originou-se no interior e no cerne da civilização europeia. Os gritos dos assassinados ecoaram a pouca distância das universidades; o sadismo aconteceu a uma quadra dos teatros e dos museus (…) Em nossa época, as altas esferas da instrução, da filosofia e da expressão artística converteram-se no cenário para Belsen.”

– George Steiner – Linguagem e Silêncio, 1958

O massacre de grande parte da população judaica da Europa perpetrado pelos nazistas entre 1941-45 ocultou o fato de que a política de extermínio adotada por aquele regime não circunscreveu-se à perseguição antissemita. Foi muito mais ampla de que se supõe. Tratava-se de um vastíssimo plano de eugenia que englobava outros setores sociais, cujas vidas os nazistas consideravam “indignas de serem vividas” (Lebensuntwertes Leben). Mas a política nazista da eugenia tinha as suas ambigüidades. Ao mesmo tempo em que se praticava a esterilização, a eutanásia e o genocídio, por outro estimulava-se a proliferação da “raça superior”, concedendo aos homens selecionados o direito de acasalar-se com várias mulheres, desde que elas fossem de origem ariana.

Quando os soldados alemães ocuparam os países vizinhos, essa prática foi estimulada para que novos seres arianos viessem ao mundo para poder substituir as baixas de guerra que a Alemanha estava sofrendo. As crianças nascidas nessas circunstâncias seriam criadas em orfanatos especiais (Lebensborn), sob orientação e supervisão do Estado nazista. Nenhum regime político até então havia se inspirado tão fortemente no darwinismo social e numa concepção tão radicalmente biológica – quase zoológica – como os nazistas o fizeram entre 1933-1945. Assim, a eugenia era tanto o pretexto para a eliminação dos indesejados como para a seleção dos escolhidos. Mais detalhes podem ser obtidos clicando-se aqui.

Os cristãos da Alemanha abandonaram a sua força política, rezaram para o homem nas nuvens e resolveram seguir a Hitler e fizeram vista grossa às atrocidades. Hitler, com o seu método de pseudociência da eugenia, propõe que qualquer pessoa que não se encaixe em sua perspectiva (ou seja, pessoas de raça branca) e qualquer outra pessoa que não seja cristã deveriam ser mortos.

Crianças foram tomadas de seus pais nos campos de concentração. O que esses pais não sabiam, é que os nazistas cristãos de Hitler jogavam os seus bebes em fornos, onde eram queimados. E aqueles que eram de uma idade avançada, deficientes, e de mães que não queriam ceder os seus bebes, foram mandados a um chuveiro em uma sala que ficava lotada. Posteriormente, foram envenenados com gás. Eles tentavam escapar de todos os jeitos, mas em vão. Depois de muitos minutos, seus corpos foram encontrados, quimicamente envenenados e empilhados uns sobre os outros, com os seus dedos quebrados de tanto que arranhavam a parede, os idosos com as pernas torcidas, os braços rasgados das mães, e os crânios dos bebês esmagados pelo peso dos outros.

Os que foram envenenados, eram jogados ao forno para alimentar as chamas. As áreas próximas à fábrica de fornos, parecia um inverno negro de cinzas vulcânicas, onde flocos negros de neve caiam a partir do céu. Muitos cristãos nazistas, impacientes ao saber que a taxa de mortalidade não era suficientemente rápida para diminuir os milhares de prisioneiros, ordenaram aos prisioneiros desses acampamentos a cavar grandes buracos ao lado das fábricas de morte, e fizeram saltar os recém-chegados para dentro da fossa. Eles então disseram aos prisioneiros a derramar gasolina em seus companheiros. Os corpos de mães, pais, filhos, filhas foram todos queimados vivos – com muitos gritos angustiantes – e tinham os cabelos, a pele, os olhos, e os dentes derretidos pelo calor. O cheiro pungente de carne humana queimada empestava os campos de concentração. E os prisioneiros, para que queimassem melhor e mais rapidamente, tinham os seus órgãos e rostos perfurados pelos guardas nazistas, para que a gordura servisse de combustível.

O judaísmo europeu, rico em cultura e milenar em tradição, fora dizimado e convertido em uma pilha de ossos humanos na mais horrenda máquina de extermínio jamais criada chamada de Holocausto, apesar de nenhuma palavra inventada pelo homem ser adequada. Como descrever tamanha crueldade? O programa cumprido pelo governo alemão contra os judeus foi tão sinistro e horripilante em seus detalhes que palavras são insuficientes para descrevê-lo. Talvez sintamos um pouco das atrocidades nazistas ao lermos o resumo oficial apresentado perante o Tribunal Internacional que julgou os criminosos de guerra na cidade de Nüremberg, em outubro de 1945:

“Os assassinatos em massa e tortura foram efetuados por diversos meios que incluíam fuzilamento, forca, asfixia por gases, inanição, incineração em massa, desnutrição sistemática, imposição de trabalho calculada para superar as forças físicas dos que recebiam ordens para executá-lo, completa insuficiência de serviços médicos e cirúrgicos, pontapés, espancamentos, brutalidades e torturas de toda espécie (…) Os nazistas matavam impiedosamente inclusive crianças junto com adultos, filhos com seus pais, em grupos ou sozinhos. Matavam em asilos e hospitais infantis, enterrando os vivos em túmulos, lançando-os aos montes, usando-os para experiências, extraindo seu sangue para o exército alemão, prendendo-os em prisões e câmaras de tortura da Gestapo e em campos de concentração, onde crianças morriam de fome ou como conseqüência de torturas ou epidemia”.

Seis milhões de homens, mulheres, idosos e crianças. Não eram soldados ou representavam qualquer perigo. Segundo o professor Shalom Rosemberg, “a capacidade humana fica impossibilitada de contá-los um a um. Cada qual com sua família, seu trabalho, sua fé, suas esperanças e seus temores. Como encarar o horror? O horror do indivíduo em sua última caminhada pela estrada sem volta; o horror dos pais impedidos de defender seus filhos; o horror das crianças arrancadas de seus pais; o horror do grupo às portas da morte coletiva; a morte de cada um em separado e de todos juntos no pesadelo comum. Uma só destas experiências é suficiente para perturbar a sanidade mental e quem quiser conhece-las, uma pós outra, uma a uma, individual ou coletivamente, está se condenando a viver por toda sua vida além dos limites do mundo lúcido”.

Na próxima página, saberemos sobre como a Igreja via as ações dos nazistas.

162 comentários em “Hitler era ateu?

  1. André,

    Este trecho do programa do Partido Nazista: “O Partido, como tal, defende o ponto de vista de um Cristianismo construtivo, sem todavia se ligar a uma confissão precisa.” não parece querer um estado “Laico-Cristão”?

    E GW: “O Governo dos Estados Unidos da América não é, em qualquer sentido, fundado sobre a religião cristã.”. Lembra o que está escrito na nota de um dólar?

    Não vou nem falar de um certo país que se afirma laico mas preserva todos os feriados católicos (que todas as seitas adoram e cumprem).

    Abraços e parabéns pelo post.

          1. Sim, como eu estava viajando a trabalho, o Andre se encarregou de revisar o meu artigo que escrevi ha um bom tempo atras, diagramar, revisar, dar up nas fotos e postar, a ajuda dele foi muito valiosa.

          2. @SandroCeara, Eu só organizei e publiquei na página inicial. Como é dito na primeira página dessa série, o Abbadon faz as pesquisas e eu organizo e faço a edição final, aparando algumas arestas que porventura tenham ficado.

            Aqui sempre redigimos textos e compartilhamos idéias e conhecimentosd em conjunto antes de postar. Pode-se dizer que quase todos os artigos são feitos por mais de um redator. ;)

          3. @André, Você tem razão. Lí, em algum texto seu (ou da equipe) sobre isso.

            Na realidade, era um texto de 2007 ou 2008, onde você explicava, nos comentários) que os artigos eram feitos “a 4 mãos”, para (tentar) evitar erros.

            Abraços.

  2. Muito interessante. Não conhecia essa relação de Hitler com a Igreja.
    André, eu vi um documentário afirmando que, em 1915 um médium chamado Eckard havia conduzido uma seção espírita e recebeu uma voz dizendo que um alemão surgiria para liderar a raça ariana na vitória contra os judeus. Disse ainda que Eckard seria o responsável por educar “o messias”. Posteriormente quando Eckard conheceu Hitler ele achou que era a pessoa a ser educada (apesar de não ser alemão) e passou a ser o mentor dele.
    Conhece algo a respeito?

    1. Fernando,

      Infelizmente nao sei sobre este assunto. Ajudaria mais se vc citasse fontes, para dar uma olhada. Mas tambem, nunca ouvi falar disso.

    2. @Fernando Z,

      Diria que isso é o Poder da Indução e da Aceitação.

      Tenho amigas que acreditam nas profecias de Nostradamus e elas dizem que ele previu Hitler, eu penso: Será que ele leu Nostradamus e se inspirou? É bem possível.

  3. O texto linkado
    http://ateus.net/artigos/historia/a_pagina_negra_do_cristianismo.php é muito bom. Porém, nas notas finais, no ítem 5, ao citar Leonardo Boff, ferrou tudo.

    Esse artigo só cita as reduções Jesuíticas do Paraguai, quando elas também ocorreram na Argentina, Uruguai e Rio Grande do Sul.

    Por exemplo: Um dos maiores heróis do Rio Grande do Sul é o índio Sepé Tiaraju, que lutou, ao lado dos espanhóis (Jesuítas), contra os portugueses: http://www.google.com/search?hl=en&ei=XEvOS6DpDpD29ASPo_CqDw&sa=X&oi=spell&resnum=0&ct=result&cd=1&ved=0CBIQBSgA&q=sepe+tiaraju&spell=1

    A história é bonita, digna de um filme.

  4. Excelente o explicativo. Derruba a alegação idiota de que Hitler era ateu.

    Só que encontrei umas falhas no texto que peço que corrijam:

    – A parte “O Julgamento de Nuremberg” ficou truncada, interrompida abruptamente pela descrição das ações nazi-fascistas da ICAR (que não tem um título)
    – Na frase “A influência da Opus Dei crescerá ao longo da ditadura franquista, ao ponto de se chegar a mais de metade dos ministros serem membros dessa venerável instituição católica.”, a palavra “venerável” pegou muito mal. Provavelmente vocês queriam dizer “venerada”
    – Faltou intitular a conclusão (que, ao meu ver, começa de “Avalia-se em 50 ou 60 milhões…”) e separá-la da parte da descrição das ações nazi-fascistas da ICAR
    – Em “Ser ateu não é garantia nenhuma de que uma determinada seja imensamente boa ou cruelmente perversa. É uma filosofia pessoal, onde pessoas boas e más decidem se querem seguir uma divindade ou não.”, “filosofia” ficou sem sentido. Ateísmo não é filosofia, é simplesmente a ausência de crença em divindades. A pessoa pode adotar a filosofia que quiser, seja a budista, seja a de Nietzsche, seja a filosofia grega clássica, seja a antiespecista, e sua descrença não está atrelada a nenhuma corrente filosófica específica.

    E, aliás, quem leu “Deus, Um Delírio” de Dawkins percebeu que ele tenta dar à religião de Hitler um caráter incerto? Segundo Dawkins, Hitler teria falado algumas coisas dizendo que o cristianismo era nojento ou metendo pau na ICAR.

    1. – Na frase “A influência da Opus Dei crescerá ao longo da ditadura franquista, ao ponto de se chegar a mais de metade dos ministros serem membros dessa venerável instituição católica.”, a palavra “venerável” pegou muito mal. Provavelmente vocês queriam dizer “venerada”

      Sarcasmo? Alguém?

      – Faltou intitular a conclusão (que, ao meu ver, começa de “Avalia-se em 50 ou 60 milhões…”) e separá-la da parte da descrição das ações nazi-fascistas da ICAR

      Achei desnecessário e não muda nada no texto.

      – Em “Ser ateu não é garantia nenhuma de que uma determinada seja imensamente boa ou cruelmente perversa. É uma filosofia pessoal, onde pessoas boas e más decidem se querem seguir uma divindade ou não.”, “filosofia” ficou sem sentido. Ateísmo não é filosofia, é simplesmente a ausência de crença em divindades.

      Vc sabe a etimologia da palavra “Filosofia”?

      E, aliás, quem leu “Deus, Um Delírio” de Dawkins percebeu que ele tenta dar à religião de Hitler um caráter incerto?

      É uma opinião.

  5. Adorei o texto!

    Realmente só quem não conhece a história é que diz que Hitler era anti-Cristo, nem se dão conta que se ele fosse o anti-cristo teria sido contra os cristãos e não contra os judeus.

    Jesus é sedento de sangue mesmo, conforme eu li no link indicado, as últimas palavras de Jesus sobre a cruz teria sido “Dai-me de beber.” Cruzes!!!! Será que ele era vampiro?

  6. Eu já havia lido algumas opiniões a respeito (como a opinião do Dawkins, citada acima), mas nunca um texto tão completo (para um texto de três páginas).

    Em relação a isso faço a pergunta: Por acaso existe uma intenção de, sei lá, lançar um livro com todos os textos de “Grandes Mentiras Religiosas”, assim, em papel mesmo? Não sei como funciona esta questão do custo, direitos autorais, etc., mas, mesmo tendo os textos na Web, me sinto mais confortável, embora seja considerado uma pessoa da “era digital”, em ter o material impresso ou outro meio que não a tela de um computador.

    Pelo que vi até agora, existe material suficiente para um bom livro. Eu compraria, sem problema, e sentiria prazer em indicá-lo à outras pessoas. Ainda hoje é mais “seguro” dizer: “Se quiser saber mais, leia este livro”, ao invés de “Entre neste site”.

    Pensem, imagine que vcs finalmente consigam tornar este livro a bíblia dos ateus, substituindo “O Mundo Assombrado pelos Demônios”, de Sagan? hauahuahauahuah

    1. Valeu, mas como os custos de impressao de um livro nao sao baixos, e as pequenas editoras geralmente exigem uma impressao minima de 1000 exemplares, é uma coisa que vai ter que ficar para o futuro. Nao so a serie GMR, mas tambem outras aqui que valem a pena.

      Mas por ora, fica a ideia de lancar em PDF para leitura em e-books nos iPads, Kindle, etc

      E agradeceriamos se houver novas sugestoes de temas para a GMR

    2. Em relação a isso faço a pergunta: Por acaso existe uma intenção de, sei lá, lançar um livro com todos os textos de “Grandes Mentiras Religiosas”, assim, em papel mesmo?

      Não. Se fosse assim, as pessoas comprariam livros ao invés de baixar ebooks. Fazer algo em papel demanda custos para, no final, pouquíssimos (quase ninguém) comprar. Mais fácil disponibilizar online e quem quiser pode imprimir (se em casa, no trabalho ou na impressora do irmão). Direitos autorais? Ah, bem,… num mundo onde se baixa programas, músicas e filmes é até desnecessário tocar nesse assunto.

  7. André:

    1 – Esta matéria para um crente é agradável, pois confirma a tese de que a Igreja Católica é mal, por isto o certo é a protestante, fazem vista grossa sobre a Igreja Católica ser cristã, eles argumentam que a Igreja Católica não soube viver o verdadeiro cristianismo. (um dos adversários dos crentes fanáticos, protestantes, é a Igreja Católica,)

    2 – “mas o próprio Jesus, segundo a Bíblia, diz exatamente o contrário, que ele não veio abolir nada. Problemas à vista!”

    Os Cristãos não devem seguir o Velho Testamento, segundo eles, lógico:

    “Jesus disse que veio cumprir a lei (Mat.5:17,18). Jesus não disse que a lei iria durar para empre; disse que “Nenhum jota ou til e omitirá da lei sem que tudo seja cumprido”.

    O quê está sendo dito aqui não é que a lei judaica iria durar para sempre, mas sim que um dia ela seria cumprida de forma definitiva.
    No entanto, Jesus violou o sábado várias vezes (João 5:18 e refers). Então, a que Jesus se referiu quando disse que veio cumprir a lei?

    Leia:
    “E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: Que convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de Moisés, e nos profetas e nos Salmos.
    Então abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras.
    E disse-lhes: Assim está escrito, e assim convinha que o Cristo padecesse, e ao terceiro dia ressuscitasse dentre os mortos,

    E em seu nome se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações, começando por Jerusalém.
    E destas coisas sois vós testemunhas”.
    Luc.24:44-48

    Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê. Rom.10:4
    Assim, meus irmãos, também vós estais mortos para a lei pelo corpo de Cristo…Rom.7:4.”

    “De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados.
    Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio.
    Gál.3:24,25
    Logo, para que é a lei? Foi ordenada por causa das transgressões, até que viesse a posteridade a quem a promessa tinha sido feita… Gál.3:19.”

    Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê.Rom.10:4

    Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça.
    Rom.6:14

    Assim, meus irmãos, também vós estais mortos para a lei pelo corpo de Cristo, para que sejais de outro, daquele que ressuscitou dentre os mortos, a fim de que demos fruto para Deus.
    (Rom.7:4)

    3 – Nenhum Jota ou til se omitirá até que tudo esteja cumprido, e segundo os crentes já foi tudo cumprido:

    E Jesus cumpriu tudo por nós, conforme está escrito em Luc. 24:44-47; Gálatas 3:16 e refs.

    ¶ Logo, para que é a lei? Foi ordenada por causa das transgressões, ATÉ que viesse a posteridade [Jesus] a quem a promessa tinha sido feita…
    21 Logo, a lei é contra as promessas de Deus? De nenhuma sorte; porque, se fosse dada uma lei que pudesse vivificar, a justiça, na verdade, teria sido pela lei.

    22 Mas a Escritura encerrou tudo debaixo do pecado, para que a promessa pela fé em Jesus Cristo fosse dada aos crentes.
    23 Mas, antes que a fé viesse, estávamos guardados debaixo da lei, e encerrados para aquela fé que se havia de manifestar.
    24 De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados.
    25 Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio.
    26 Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. Gálatas 3:19-26.

    De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade havia logo de que outro sacerdote [Jesus]se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão?

    12 Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei.
    13 Porque aquele de quem estas coisas se dizem pertence a outra tribo, da qual ninguém serviu ao altar,
    14 Visto ser manifesto que nosso Senhor procedeu de Judá, e concernente a essa tribo nunca Moisés falou de sacerdócio.

    15 E muito mais manifesto é ainda, se à semelhança de Melquisedeque se levantar outro sacerdote,
    16 Que não foi feito segundo a lei do mandamento carnal, mas segundo a virtude da vida incorruptível.
    17 Porque dele assim se testifica: Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque.

    18 Porque o precedente mandamento é ab-rogado por causa da sua fraqueza e inutilidade

    19 (Pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou) e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual chegamos a Deus.
    20 E visto como não é sem prestar juramento (porque certamente aqueles, sem juramento, foram feitos sacerdotes,
    21 Mas este com juramento por aquele que lhe disse: Jurou o Senhor, e não se arrependerá; Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque),

    22 De tanto melhor aliança Jesus foi feito fiador.
    23 E, na verdade, aqueles foram feitos sacerdotes em grande número, porque pela morte foram impedidos de permanecer,
    24 Mas este, porque permanece eternamente, tem um sacerdócio perpétuo.

    25 Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.
    26 Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores, e feito mais sublime do que os céus;

    27 Que não necessitasse, como os sumos sacerdotes, de oferecer cada dia sacrifícios, primeiramente por seus próprios pecados, e depois pelos do povo; porque isto fez ele, uma vez, oferecendo-se a si mesmo.
    28 Porque a lei constitui sumos sacerdotes a homens fracos, mas a palavra do juramento, que veio depois da lei, constitui ao Filho, perfeito para sempre…

    1 ¶ Ora, a suma do que temos dito é que temos um sumo sacerdote tal, que está assentado nos céus à destra do trono da majestade,
    2 Ministro do santuário, e do verdadeiro tabernáculo, o qual o Senhor fundou, e não o homem.
    3 Porque todo o sumo sacerdote é constituído para oferecer dons e sacrifícios; por isso era necessário que este também tivesse alguma coisa que oferecer.

    4 Ora, se ele [Jesus]estivesse na terra, nem tampouco sacerdote seria, havendo ainda sacerdotes que oferecem dons segundo a lei,
    5 Os quais servem de exemplo e sombra das coisas celestiais, como Moisés divinamente foi avisado, estando já para acabar o tabernáculo; porque foi dito: Olha, faze tudo conforme o modelo que no monte se te mostrou.

    6 ¶ Mas agora alcançou ele ministério tanto mais excelente, quanto é mediador de uma melhor aliança que está confirmada em melhores promessas.
    7 Porque, se aquela primeira fora irrepreensível, nunca se teria buscado lugar para a segunda.
    8 Porque, repreendendo-os, lhes diz: Eis que virão dias, diz o Senhor, Em que com a casa de Israel e com a casa de Judá estabelecerei uma nova aliança,

    9 Não segundo a aliança que fiz com seus pais No dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra do Egito; Como não permaneceram naquela minha aliança, Eu para eles não atentei, diz o Senhor.

    10 Porque esta é a aliança que depois daqueles dias Farei com a casa de Israel, diz o Senhor; Porei as minhas leis no seu entendimento, E em seu coração as escreverei; E eu lhes serei por Deus, E eles me serão por povo;
    11 E não ensinará cada um a seu próximo, Nem cada um ao seu irmão, dizendo: Conhece o Senhor; Porque todos me conhecerão, Desde o menor deles até ao maior.
    12 Porque serei misericordioso para com suas iniqüidades, E de seus pecados e de suas prevaricações não me lembrarei mais.

    13 Dizendo Nova aliança, envelheceu a primeira. Ora, o que foi tornado velho, e se envelhece, perto está de acabar.

    HEbreus 7:11-28; 8:1-13.
    (Postado por Isaías na Logica do sabino)

    4 – Agora uma especulação:

    A – Hoje se muda a lei por um processo legislativo,

    B – Se antes o governo alegava que a lei vinha de Deus,

    C – Então, quando o governo quisesse mudar a lei, o governo teria que atribuir esta mudança a Deus,

    D – Como o governo pode atribuir esta mudança a Deus? criando uma nova religião ou mudando a antiga (Judaísmo/Velho testamento para o Novo Testamento).

    1. Esta matéria para um crente é agradável, pois confirma a tese de que a Igreja Católica é mal, por isto o certo é a protestante

      E vc vai fingir que não viu as citações de Lutero, não é?

      Os Cristãos não devem seguir o Velho Testamento, segundo eles, lógico (…) O quê está sendo dito aqui não é que a lei judaica iria durar para sempre, mas sim que um dia ela seria cumprida de forma definitiva.

      Esse dia ainda não chegou. ;)

      No entanto, Jesus violou o sábado várias vezes (João 5:18 e refers). Então, a que Jesus se referiu quando disse que veio cumprir a lei?

      Levando em conta que o “dia” ainda não chegou, Jesus deveria obedecer as Leis que Javé (papi) criou. Aliás, pq Deus criaria uma Lei sabendo que depois ela seria revogada? Bem, nunca esperei lógica.

      Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê. Rom.10:4
      Assim, meus irmãos, também vós estais mortos para a lei pelo corpo de Cristo…Rom.7:4.

      Não compreendo. Vcs seguem Jesus ou Paulo?

      A – Hoje se muda a lei por um processo legislativo,

      Cujos representantes NÓS escolhemos. ;)

      B – Se antes o governo alegava que a lei vinha de Deus,

      Cujos sacerdotes o elegeram. ;)

      C – Então, quando o governo quisesse mudar a lei, o governo teria que atribuir esta mudança a Deus,

      O que não faz esse deus ser real, obviamente.

      D – Como o governo pode atribuir esta mudança a Deus? criando uma nova religião ou mudando a antiga (Judaísmo/Velho testamento para o Novo Testamento).

      Exato. Ou seja, fica provado que a Bíblia é um monte de merda estabelecida para dar “validade” aos desmandos de um déspota. O tal déspota resolveu bater de frente com o Egito e olha só no que deu.

      Mas, oque isso tem a ver com o artigo, mesmo?

    2. @Clayton L,
      1 – Esta matéria para um crente é agradável, pois confirma a tese de que a Igreja Católica é mal, por isto o certo é a protestante,
      Ah, tá, e o luteranos são o quê?
      Só lembrando que os luteranos eram 40 milhões, na Alemanha nazista, enquanto só haviam 21 milhões de católicos, por lá.

      2 – “mas o próprio Jesus, segundo a Bíblia, diz exatamente o contrário, que ele não veio abolir nada. Problemas à vista!”
      (Segue-se citação de crente)

      E o que isso tem a ver, com Hitler e o cristianismo?
      Me pareceu uma frase completamente secundária (secundária para ser bonzinho, é menos que isso), dentro do artigo.

      D – Como o governo pode atribuir esta mudança a Deus? criando uma nova religião ou mudando a antiga (Judaísmo/Velho testamento para o Novo Testamento).
      Tá. Óbvio, e daí?
      O que isso tem a ver com Hitler?

  8. Se Hitler fosse ateu de verdade. Qual o problema ?.

    Um exemplo: Hitler é mau, Hitler é ateu, logo todos ateus são maus.

    Ateu e mau são características distintas. Vale somente o relato histórico para

    confirmar se é verdadeiro ou não.

    1. @Antonio Sanches Parra,
      O “problema” é a associação desonesta que os crentes fazem, entre Hitler e ateísmo, como está bem dito no artigo; que trata de desmitificar essa mentira:
      Ao afirmarem que Hitler era ateu, os religiosos querem dizer, de forma desonesta, que o ateísmo é uma coisa má, que torna os homens imorais e que podem cometer qualquer atrocidade e crimes que lhes der na telha, já que não possuem “temor” a um deus qualquer,

  9. A cada informação precisa, como esta, que recebo tomo uma posição mais distante em relação a religiões.

    Obrigado por compartilhar. Um recém-acordado ateu agrace. :smile:

  10. Muito bom artigo.

    Mas fiquei com 2 dúvidas em relação a Hitler. A minha pimeira dúvida, é se o livro “A Origem das Espécies”, de Darwin, entrou na lista da “Bücherverbrennung”( queima de livros) de obras a serem incineradas ou na lista de livros banidos na Alemanha durante o governo nazista.

    Minha outra dúvida, é se Hitler teria sido também um criacionista, pois no Mein Kampf, ele faz várias citações bíblicas, incluindo a gênesis no tocante a criação do homem.

    Abraços

  11. Ceticistas, quanta coerência hein !!!

    Esse seu Hitler era realmente Burro.

    Nasceu na Áustria, mas queria ser alemão.

    Quis ser artista, virou ditador.

    Acreditava do Deus Judaico (ou da bíblia judaica), mas matava os criadores de sua crença.

    Era cristão, mas tava as criancinhas …

    Só faltou falar que a Igreja teve influência “em sua vida e nos assuntos de Estado”

    Bela explanação para defender a sua tese de que Hitler era um homem que acreditava em Deus, ou em Jesus Cristo.

    1. Pois é. Nunca esperamos coerência nos fanáticos religiosos. Haja vista a eterna briga dos católicos com protestantes que, pasme, rezam pro mesmo deus.

      1. É verdade. A propósito, talvez a pior coisa que exista dentro das religiões (ou até mesmo nos meios científicos), são pessoas que acham que são detentoras da verdade absoluta.

        Sob este ângulo, talvez não exista meios de saber como nasceu o universo, ou a vida (claro, exitem teorias, teses, que dão indícios de como aconteceu, todavia, certeza absoluta talvez demore algumas centenas de anos).

        O pior, é que a medida que olhamos ao nosso redor, maior é a sensação de que estamos sozinhos.

        É neste contexto que a vida (qualquer tipo de vida não só a humana) em nosso planeta é um milagre, não me interessa se é um milagre evolutivo ou criacionista, o fato que são seres únicos, e pelo que sabemos só podem ser encontrados aqui, neste pequeno mundo azul.

        1. Milagre? Eu vejo como mero conceito estatístico, já que entre bilhões de galáxias, com bilhões de estrelas, com bilhões de planetas por aí, algum teria que apresentar vida.

        2. @rodrigo aguiar,

          “e pelo que sabemos só podem ser encontrados aqui, neste pequeno mundo azul”


          A probabilidade de haver vida em outro lugar no nosso Universo é alta:
          http://www.observatorio.ufmg.br/pas43.htm

          Por estre motivo a NASA, ESA e outros centros de pesquisa estão gastando bilhões procurando.
          http://kepler.nasa.gov/

          Pode existir vida até mesmo no nosso próprio Sistema Solar, alem da Terra:
          http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL251314-5603,00-CIENTISTAS+RUSSOS+E+EUROPEUS+BUSCARAO+SINAIS+DE+VIDA+EM+LUA+DE+JUPITER.html

          1. As evidências de vidas nos planetas de nosso sistema solar (até o momento), são de organisnos primitivos.

            E se houver “vida inteligente”, pela aparência dos planetas, eles ainda nem descobriram a energia elétrica, se for para estudar macaco, aqui tem um monte.

            Ademas, a diversidade de vida na Terra, é fantástica, isto é um milagre, posto que é um fenômeno natural, não visto nos outros planetas do sistema solar.

            Isto é divino ! O fato desta diversidade de vida, ter origem em um organismo primitivo, ou, na tese criacionista não muda este fato.

            A hipótese de existir um Deus, da vaca ser sagrada, de Buda nascer 24 vezes, do espírito reencanar, do santo comer farofa na encruzilhada, não muda nossa condição de ser humano, portanto iguais em suas necessidades.

            O crente, o ateu, o espírita, o católico, o umbanda, o mulçumano, nascem, crescem e morrem em um único planeta.

            Neste sentido, embora apoie as pesquisas científicas, me parece uma grande idiotice, as grandes nações se unirem para a exploração do espaço, e nada fazer para a preservação deste planeta.

          2. @rodrigo aguiar,

            As evidências de vidas nos planetas de nosso sistema solar (até o momento), são de organisnos primitivos.
            E qual é o problema dos organismos serem primitivos? Isso seria um marco científico sem precedentes. Iríamos poder afirmar com certeza que a vida é um processo natural e inevitável.

            Os criacionistas, neste caso, iriam ter que repensar seus conceitos [ Brincadeira, eu não tenho esta ilusão hahahaha. Já fico aqui imaginando as desculpas esfarrapadas que eles terão que dar… ]

            E se houver “vida inteligente”, pela aparência dos planetas, eles ainda nem descobriram a energia elétrica, se for para estudar macaco, aqui tem um monte.
            Pergunta de vestibular: De todos os exoplanetas descobertos até hoje, quais foram vistos diretamente? :wink:

            Ademas, a diversidade de vida na Terra, é fantástica, isto é um milagre, posto que é um fenômeno natural, não visto nos outros planetas do sistema solar.
            Você acredita que é um milagre. Quando os cientistas conseguirem entender o processo, lá vai o deus das lacunas ser expulso de mais um lugar.

            Isto é divino ! O fato desta diversidade de vida, ter origem em um organismo primitivo, ou, na tese criacionista não muda este fato.
            A Biologia consegue explicar a diversidade da vida na Terra, sem precisar recorrer a milagres, como acontece no criacionismo.

            A hipótese de existir um Deus, da vaca ser sagrada, de Buda nascer 24 vezes, do espírito reencanar, do santo comer farofa na encruzilhada, não muda nossa condição de ser humano, portanto iguais em suas necessidades.
            O crente, o ateu, o espírita, o católico, o umbanda, o mulçumano, nascem, crescem e morrem em um único planeta.
            Prefiro nem comentar essa demonstração de sabedoria. :mrgreen:

            Neste sentido, embora apoie as pesquisas científicas, me parece uma grande idiotice, as grandes nações se unirem para a exploração do espaço, e nada fazer para a preservação deste planeta.
            Você diz isso porque claramente desconhece as tecnologias que foram desenvolvidas pela exploração espacial.
            Quanto a salvar o planeta, dá uma lida nisso, quero ver se você vai ter coragem em repetir o que você escreveu: :wink:

            http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=celula-combustivel-estreia-mercado-acenando-energia-verde&id=020175100301

  12. André e Abbadon

    Eu estava dando uma olhada nos fóruns de discussão na net sobre esse assunto de Hitler ser cristão, e em uma comu apologética no orkut , eu vi um debatedor expor justamente essa posição sobre Hitler (justamente após os crentes chamarem Hitler de ateu e dizerem que o ateísmo só provoca atrocidades) , e um dos donos da comu rebateu esse argumento dizendo que a historiografia refuta totalmente esse argumento, citando 6 historiadores com as seguintes obras :

    1. Richard Evans. A trilogia: The Coming of the Third Reich; The Third Reich in Power; The Third Reich at War.

    2. Richard Overy. The Dictators: Hitler’s Germany and Stalin’s Russia.

    3. David Dalin. The Myth of Hitler Pope

    4. Ralph McInerny. Defamation Of Pius XII.

    5. Ronald J. Rychlak. Hitler, the War and the Pope; e junto com Michael Novak escreveu Righteous Gentiles: How Pius XII and the Catholic Church Saved Half a Million Jews From the Nazis.

    6. Joachin Fest sua monumental biografia de Hitler. e o seu The Face Of The Third Reich: Portraits Of The Nazi Leadership

    Além de citar um link extremamente preconceituoso daquele palhaço do Dinesh d’Souza ( http://crentinho.wordpress.com/2008/11/29/hitler-era-cristao/), no qual ele diz que ateus são assassinos e a única coisa que contribuiram para sociedade foi o genocídio.

    Enfim, como em geral os crentes odeiam a História e quase sempre estão a deturpando, gostaria de saber qual o parecer de vcs sobre o assunto, sobre essas supostas evidências históricas dos crentes sobre Hitler ser ateu.

    1. Hitler era um ateu que ia à missa. Ok. Era um ateu onde todos os uniformes da Wermach traziam um símbolo cristão, tinha capelães etc. Engraçado que no exército do ateu Stalin, nada disso existia.

      Quanto aos crentes… Bem, eles até “provam” que Jesus existiu…

      E eu só queria saber como Pio XII salvou os judeus.

    2. Eu fui ver o link que vc me passou.

      Me deparei com a seguinte frase:

      O historiador Allan Bullock escreve que desde cedo, Hitler “não tinha tempo algum para os ensinos do Catolicismo, considerando-o como religião adequada somente para os escravos e detestando sua ética”

      Fui pesquisar a origem da frase.

      Encontrei-a citada em apenas 4 sites. Isso mesmo, QUATRO sites. E todos os sites sao religiosos. Cristaos e evangelicos. Nenhum deles sobre historia, ciencia ou algo imparcial.

      Procurei variar um pouco. Nao encontrei mais nada.

      Depois fui ver a biografia de Allan Bullock. So cita que trabalhou Em alguns livros sobre Hitler, mas nada diz sobre a formacao religiosa do mesmo. Nem sobre ateismo.

      Repeti o mesmo procedimento com as frases citadas no referido artigo. Mesmos resultados. Todas foram encontradas apenas em sites religiosos.

      Nao ha fontes e referencias no artigo de Dinesh. Nenhuma referencia bibliografica.

      E tambem, nao adianta citar “6 fontes” se nao pode dizer ONDE exatamente naquelas fontes diz que Hitler era ateu e faltou referenciar data, local, frase exata, fonte da frase, fotografia ou documento oficial que confirme, contexto da frase, etc.

      Citar essas fontes é inutil, se o dono da comunidade nao pode utiliza-las adequadamente para reforçar seu argumento, e comprovar seu ponto de vista.

      Logo, meu parecer é que as “provas” dos crentes sao puro lixo. E ainda misturam no saco o Darwinismo, Nietzche, Pol Pot, Mao, etc…

      Para mim, é desespero apelativo numa tentativa desastrosa de tentar dissociar Hitler da religiao cristã para nao manchá-la da culpa e responsabilidade (como se ja nao tivessem o bastante) pela morte de milhoes.

      Amanha, vao dizer que as bruxas, judeus, sarracenos, pagaos é que sao os culpados da Inquisicao.

      1. @Abbadon,

        Pois é.

        Outro deslize que pode ser notado por parte do Dinesh, é que ele usa como fonte o “Hitler’s Table Talk”, uma fonte que carece de confiabilidade,segundo historiadores como Richard Carrier, uma vez que ela se baseia em “boatos” de oficiais e soldados de Hitler, e tbm por ser uma fonte contraditória, pois hora ela apresenta um Hitler anti-cristão, e hora, cristão.

        Achei tbm mto oportuna a sua seguinte frase “Amanha, vao dizer que as bruxas, judeus, sarracenos, pagaos é que sao os culpados da Inquisicao” ; porque isso já é algo que o Dinesh D’souza vem fazendo, chegando a dizer que as Cruzadas foram uma legítima defesa do cristianismo contra o imperialismo e expansionismo islâmico. Mto cômico !

        Outra coisa que me chamou atenção por parte do D’souza,é que ele,assim como os crentes( com direito até ao papa), expõe um suposto ” revisionismo histórico”, no qual diz que o ateísmo foi responsável pelas maiores atrocidades, enquanto o cristianismo com suas respectivas atrocidades, produziu um número de mortes mto inferior ao divulgado, segundo fontes históricas (as quais, desconhecidas). Até sugiro a vcs que façam um artigo sobre, uma vez que os crentes estão usando cada vez mais esse tipo de argumento.

        E sobre esses “seis historiadores”, outro link citado nessa comunidade foi de um site apologético, que diz ser embasado por esses 6 historiadores. Se vcs quiserem dar uma olhada, o link é este : http://neoateismodelirio.wordpress.com/2010/01/16/seria-o-nazismo-um-empreendimento-cristao/

  13. No mais, eu fiz um achado que é uma verdadeira pá de cal sobre as pretensões dos crentes de tentarem ligar o darwinismo ao nazismo e, se for do desejo de vcs, pode vir até a contribuir a esse presente artigo sobre Hitler ou ao artigo dos típicos erros criacionistas.

    Consegui achar uma versão online da Die Bücherei ( a lista da Alemanha Nazista de livros a serem banidos e queimados), e ela não só condena os livros de Charles Darwin, como tbm os considera como pseudo-ciência:

    6. Schriften weltanschaulichen und lebenskundlichen Charakters, deren Inhalt die falsche naturwissenschaftliche Aufklärung eines primitiven Darwinismus und Monismus ist (Häckel). (Guidelines from Die Bücherei 2:6 (1935), p. 279)

    “Escritos de natureza filosófica e social, cujo conteúdo trata da iluminação pseudo-científica do darwinismo primitivo e Monismo (Häckel).”

    O link do achado é de uma publicação totalmente isenta e séria : É o site da Universidade do Arizona >> http://www.library.arizona.edu/exhibits/burnedbooks/documents.htm

    1. @Thiago,

      Caindo de para-quedas na conversa :mrgreen:

      Uma coisa que a crentaiada sempre “esquece” e que na verdade é a raiz desta questão:

      O ser humano, independente do sabor da ideologia adotada, sempre acaba fazendo merda. Nós temos a tendência natural de nos destruirmos. Fato.

      Os crentes afirmam que o cristianismo tem o poder de fazer um mundo melhor. Porem, já se passaram 2000 anos de oportunidades de provar isso e até agora nada, nenhum caso de sucesso. Pelo contrário, onde tem uma porção de crentes fundamentalistas, “estranhas” coisas acontecem :-) .Vide era Bush.

      1. @Icarus,

        É aquele velho adágio do Steven Weinberg : “Com ou sem religião, pessoas boas farão coisas boas e pessoas más farão coisas más. Porém para pessoas boas fazerem coisas más, é preciso religião.”

        Ou como numa frase, cuja a autoria desconheço:”Moralidade é fazer o que é certo, independente do que é dito. Religião é fazer o que é dito, independente do que é certo.”

        Os crentes vivem dizendo que só o cristianismo pode oferecer moralidade. Só queria saber como isso é possível através de um livro como a bíblia, que não tem nenhuma fundamentação moral e incentiva a prática de crimes…

  14. Alguma vez alguém disse que quem entra na Igreja nunca comete um crime? E sobre essa omissão da Igreja.. Seria absurdo se eu dissesse que me disseram que o papa era ‘refém’ de Hitler?

    :shock:

  15. Como o povo é cego! Essas pessoas inteligentíssimas da história (as que tiveram influência boa e as que tiveram influências más) tem quotes sobre como o povo é burro, sobre como a religião os escraviza, sobre como o homem tem sido enganado… e elas continuam em sua ilusão!!!

  16. Boa tarde @Abaddon!

    Quero deixar aqui registrada, minha opinião a respeito do assunto principal em questão, mas antes gostaria de saber o motivo de tanto ódio contra cristãos, judeus, semitas, xiitas, budistas, ateus, etc. (esta é uma pergunta retórica, por favor não criem mais polêmica).
    Será que o fato de alguém acreditar em algo que não acredito ou vice-versa, é mesmo motivo para uma declaração de ódio mortal ou uma guerra sem possibilidade de consenso?

    Eu sou um cristão evangélico/protestante, esta é a minha opinião pessoal, não tenho intenção de ofender ou atacar qualquer pessoa que seja, muito menos convencer ninguém de coisa alguma. Como cristão, falo, a respeito de algo que conheço, ou seja, o primeiro requisito necessário ao tecer algum comentário sobre qualquer coisa que seja, é que se tenha algum conhecimento teórico e de causa e não somente opiniões, tiradas de opiniões, que foram tiradas de opiniões, de pessoas que nem se sabe quem são ou que fazem, isso eu digo para aqueles que gostam de criar debates e polêmicas levados pela onda do momento. ( “A moda é falar de igreja fulana de tal, então vamos descer a lenha nos cristãos”. Agora a moda é falar do George W. Bush, então vamos descer o pau nos americanos”.) E por aí vai…

    1º – O fato de uma pessoa se intitular isso ou aquilo no tocante à fé religiosa (ou ausência da mesma), não implica em agravante ou atenuante para qualquer que seja o ato praticado, portanto, ser ou não cristão, não valida nem invalida uma ação ou conjunto de ações praticada por uma pessoa ou grupo de pessoas em detrimento a outra pessoa ou grupo de pessoas, o que deve ser levado em conta é o ato e não a motivação. Os fins não justificam os meios;

    2º – Eu concordo que muitas atrocidades foram cometidas “em nome de Deus” por diversas instituições ou entidades, mas tais ações não representam necessariamente os ensinamentos ou a vontade do próprio Deus, ao contrário, foram ações motivadas pelo desejo de obtenção de poder ou manutenção do mesmo, em benefício de uma minoria privilegiada. Nada diferente do que acontece em nossos dias;

    3º – A fé cristã, em sua essência, não foi e nem nunca será uma imposição, quem não acredita não têm obrigação de se submeter.
    Para os que, como eu acreditam, é uma verdade absoluta ou axioma, mas é também uma escolha, uma decisão.
    O evangelho é oferecido livremente às pessoas, quem não crê, tem liberdade de fazê-lo, porém deve estar consciente das possíveis consequências:

    “Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado.
    Marcos 16:16

    Mas porque se preocupar, afinal, se não acredita não tem o que temer. Só não poderá dizer que não sabia.

    Eu escolho acreditar, faça você como bem entender, apenas não fique tentando convencer outras pessoas a pensarem como você, utilizando argumentos depreciativos.
    Dizer que a mensagem de Jesus é torpe, como dizem alguns, a menos que seja um adorador de Satã, é além de ignorância, uma grande demonstração de burrice.
    Uma sociedade é tão saudável quanto cada um de seus indivíduos e esta é a proposta de Cristo, que todos hajam, individualmente, em favor do todo, é abandonar o egoísmo inerente ao ser humano, isto é o significa negar-se a si mesmo. Como disse o Thiago logo acima, o problema não está na mensagem de Cristo, mas sim nos mensageiros.

    Não fosse a corrupção humana, o egoísmo, a maldade nos corações, se as pessoas estivessem realmente preocupadas em promover a paz, o respeito, a igualdade, a boa educação, os bons costumes, não haveria necessidade de religiões. O amor fraterno e incondicional seria a lei.
    Isso, somente a mensagem de Jesus Cristo, vivida integralmente e efetivamente pode promover!

    É o que eu acredito.

    Obrigado!

        1. Pelo você é mais um dos que acreditam que os fins justificam os meios.

          Eu não disse que propaganda depreciativa não funciona, o que eu disse foi:
          O pior tipo de propaganda é a do tipo depreciativa, pois denota falta de caráter e de criatividade. Aqui eu falo de princípios e não de resultados.

          Fernando Collor de Mello ganhou as eleições presidenciais em 1989, depreciando publicamente a imagem de Luis Inácio Lula da Silva.
          Venceu, mas não de forma decente.

    1. 1º – O fato de uma pessoa se intitular isso ou aquilo no tocante à fé religiosa (ou ausência da mesma), não implica em agravante ou atenuante para qualquer que seja o ato praticado, portanto, ser ou não cristão, não valida nem invalida uma ação

      Tradução: Se o cara faz boa ação, segue preceitos cristãos. Caso contrário, não é escocês, digo, cristão de verdade.

      2º – Eu concordo que muitas atrocidades foram cometidas “em nome de Deus” por diversas instituições ou entidades, mas tais ações não representam necessariamente os ensinamentos ou a vontade do próprio Deus

      Pega a sua Bíblia e leia Números cap. 31.

      3º – A fé cristã, em sua essência, não foi e nem nunca será uma imposição,

      Que o diga a Inquisição, as Cruzadas, o Cisma do Oriente, a Guerra dos 30 anos, o Massacre de São Bartolomeu, etc etc etc.

      O evangelho é oferecido livremente às pessoas, quem não crê, tem liberdade de fazê-lo, porém deve estar consciente das possíveis consequências:

      Ofereço meu salário de um ano para vc ir dizer isso numa igreja evangélica.

      Dizer que a mensagem de Jesus é torpe, como dizem alguns, a menos que seja um adorador de Satã, é além de ignorância, uma grande demonstração de burrice.

      Ok, e a parte que ele manda odiar os pais e executar quem não concordava com ele?

      Não fosse a corrupção humana, o egoísmo, a maldade nos corações, se as pessoas estivessem realmente preocupadas em promover a paz, o respeito, a igualdade, a boa educação, os bons costumes, não haveria necessidade de religiões.

      Foi exatamente as religiões que levaram a isso, filho. Vai no Bible Belt e se declare ateu pra ver o que te acontece.

      É o que eu acredito.

      Eu chamo de óculos teológico, que lhe faz ver oque vc quer ver mediante o que acredita. Só que a realidade não é essa, a realidade que vc sempre se recusará a ver.

      1. Pelo visto não houve entendimento do que eu tentei passar, mas… paciência, como eu disse, não estou lhes oferecendo um produto, o que me entristece é que a análise de vocês é, ao contrário do que afirmam, parcial, preconceituosa, tendenciosa e sem contextualização.

        Novamente digo, não tenho intenção de convencer ninguém de coisa alguma, e, como vocês fazem menções bíblicas, quer dizer que têm algum conhecimento, portanto, BASEADO EM MINHA FÉ, OU SEJA, NO QUE EU ACREDITO, volto a afirmar:

        Vocês podem até não acreditar, mas não poderão dizer que não sabiam!

        P.S.: Se a proposta anteriormente citada de dar o seu salário, se não for balela, é só me dizer qual igreja você quer que eu visite, que amanhã mesmo faço o pronunciamento. Você tem o meu e-mail.

        Obrigado e boa tarde!

          1. Até então pensava que o debate fosse civilizado, pelo visto você tem tanta personalidade quanto inteligência.

    2. @Alex Júnior,
      Tirando essa parte em que diz:
      “O evangelho é oferecido livremente às pessoas, quem não crê, tem liberdade de fazê-lo, porém deve estar consciente das possíveis consequências:(…)”
      o que é, na cara dura, apelar para a “Aposta de Pascal” [vídeo velho], a única coisa que eu realmente gostaria de entender, na lógica de vocês que têm fé, é: como é possível escolher acreditar?
      Eu escolho acreditar, faça você como bem entender, (…) disse você.

      1. Honestamente Márcio, não entendi muito bem o que você quis dizer, mas quanto à sua pergunta, talvez seja necessário um pouco de maturidade pra entender.

        1. Hm… deixe ver se eu captei vossa mensagem:
          Você não entendeu bem o que eu quis dizer, mas, para entender o que você disse, é necessário maturidade. É isso? :shock:

          Por que tenho a nítida sensação de estar jogando xadrez contra um pombo?
          :|

    3. @Alex Júnior,

      “(…)porém deve estar consciente das possíveis consequências:(…)”

      – Isso não passa de uma ameaça velada. É a promessa do inferno para aqueles que não crêem. E isso é uma coisa que me intriga e me irrita…
      Se Deus é amor, é o nosso pai, é de infinita bondade, porque, catzo, ele quer nos ver sofrer eternamente por uma falta finita.
      Eu não entendo como os crentes aceitam isso se fazer nenhum tipo de questionamento. :roll:

      1. Caro voix69,

        Desculpe se meu posicionamento te irrita ou ofende, você deve entender que trata-se de uma crença, ninguém tem obrigação de acatar, caso não acredite. É mais ou menos como aquelas correntes que circulam por aí, que prometem maravilhas ou misérias, dependendo do que a pessoa fizer. Se você não acredita, fique em paz.

        Agora, vejamos da seguinte forma:

        Deus é Amor e é também Justiça. Ele oferece uma eternidade de glória, em troca de alguns anos de obediência à Sua Palavra. A questão é para de basta que você O aceite

        1. Deus é amor, Deus é justiça, Deus mandou matar mulheres grávidas, velhos e criancinhas indefesas em muitas passagens da Bíblia. Deus disse que culparia os filhos pelols pecados dos pais para depois dizer que todo mundo tava ferrado.

          Eu não quero aceitá-lo, mas não mato, roubo, assassino, estupro etc. Irei pro Inferno. O marginalzão que está no presídio se converte pro seu deusinho VAGABUNDO e está salvo. Por quê? Porque roubar, pilhar, matar, estuprar, chacinar, violentar, e destruir são coisas exatamente que seu Deus mandou fazer. Vide Números 31. Sorte nossa que nada daquilo é verdade e seu deusinho é apenas uma pobre invenção de uma mente louca.

      2. Desconsidere o texto anterior.

        Caro voix69,

        Desculpe se meu posicionamento te irrita ou ofende, você deve entender que trata-se de uma crença, ninguém tem obrigação de acatar, caso não acredite. É mais ou menos como aquelas correntes que circulam por aí, que prometem maravilhas ou misérias, dependendo do que a pessoa fizer. Se você não acredita, fique em paz.

        Agora, vejamos da seguinte forma:

        Deus é Amor e é também Justiça. Ele oferece uma eternidade de glória, em troca de alguns anos (o tempo de uma vida) de obediência à Sua Palavra.
        A questão é que as pessoas, deliberadamente, abrem mão desta glória eterna, por um tempo de satisfação dos próprios desejos e concupiscências, que, não raramente, levam a uma abreviação do tempo de existência neste mundo.
        Tais pessoas estão fazendo suas escolhas, portanto, o resultado de sua decisão é o inferno.

        Para entender:

        Vida no céu = Eternidade na presença de Deus
        Inferno = Eternidade fora da presença de Deus

        Não sei o quanto vocês têm noção do que acontece de ruim neste mundo, ou se estão bitolados em seu mundinho virtual, mas deixo a seguinte questão:

        Vocês realmente se sentem satisfeitos em viver em um mundo tal qual é o nosso, ou que a sua descendência o faça?

        Sinceramente eu já não aguento mais ver tanta maldade, e o que é pior, tanta indiferença.

        VOLTE LOGO SENHOR JESUS!!!

        1. https://ceticismo.net/religiao/jesus-nao-voltara/
          https://ceticismo.net/religiao/doze-provas-da-inexistencia-de-deus/
          https://ceticismo.net/religiao/o-messias-desmascarado/
          https://ceticismo.net/religiao/a-maior-farsa-de-todos-os-tempos/
          https://ceticismo.net/religiao/inferno-desmascarado/

          Óbvio que vc não lerá uma única linha. Mas Hitler não deixou de ser cristão e precisou o exército ateu de Stalin* dar um freio nas sandices do cabra. A vida é irônica, não?

          *Não que Stalin prestasse mais que Hitler, mas ainda assim é uma deliciosa ironia.

        2. @Alex Júnior,

          “Desculpe se meu posicionamento te irrita ou ofende…”

          – O que eu falei não tem nada a ver com sua convicção religiosa.
          O que me irrita é a ameaça velada contida no texto. Essa papagaiada de sofrer as consequencias de não crer em Javé. Mas, digamos, se eu creio em Odin e quando eu ir “desta para melhor” eu me encontrar com Odin e não com Javé, como fica sua crença? Pois eu posso afirmar com todas as minhas forças que Odin é o verdadeiro deus e Javé não existe. Como fica sua crença e essa ameaça velada?

          “Deus é Amor e é também Justiça. Ele oferece uma eternidade de glória, em troca de alguns anos (o tempo de uma vida) de obediência à Sua Palavra.”

          – Vamos colocar da seguinte forma. Eu sou pai, amo meu rebento e quero tudo de melhor pra ele. Mas ele ainda está aprendendo a viver e por vezes ele me desafia. Eu, como pai que educa o filho para ser uma pessoa de indole, boa, ordeira, mostro pra ele quem manda em casa. Então aplico nele a punição que eu acho justa (pena proporcional a falta). Pena aplicada, lição aprendida. Reincidencia é passivel pena mais dura. Mas, em ultima analise a pena serve como aprendizado. Eu não quero maltratar, nem quero que meu filho sofra. Quero apenas ensina-lo a viver.
          Bom, dito isso, temos um deus que vai me punir eternamente por uma “falta” que é temporal. Esse deus é um deus mimado, que ama a si próprio e não quer nos ensinar nada. Ele quer um bando de puxa-sacos puxando o saco dele.
          Esse deus é um lixo. Gosto mais de Odin e de thor.

          “Vida no céu = Eternidade na presença de Deus
          Inferno = Eternidade fora da presença de Deus”

          – Não é isso que a bíblia diz. A biblia diz que vai para o inferno, sim.
          Se fosse só ficar “fora da presença de Deus”, estava tranquilo.

          “Não sei o quanto vocês têm noção do que acontece de ruim neste mundo, ou se estão bitolados em seu mundinho virtual, mas deixo a seguinte questão:
          Vocês realmente se sentem satisfeitos em viver em um mundo tal qual é o nosso, ou que a sua descendência o faça?”

          – Eu não sou bitolado em um mundinho virtual e nem no mundo real.
          Sou ciente do que se passa pelo mundo e se existisse um deus muita coisa que acontesse não deveria acontecer.

  17. Nenhuma novidade.
    Hitler teve o apoio da Igreja Católica e dos protestantes alemães. Se aceitam uma recomendação, assistam ao filme ”Amém”. É muito interessante!

  18. O primeiro problema daqueles que querem argumentar que Hitler era ateu, é a falta de fontes primárias que apoiem esse ponto de vista.
    Em História e em paleografia, fontes primárias sempre triunfam sobre fontes secundárias. Sempre, sem excessões. Todas as citações anticristãs de Adolf Hitler são de fontes secundárias, principalmente do livro “Conversações Íntimas”, da tradução de Francis Genoud e da tradução de H. R. Trevor-Roper.
    O segundo problema é que há um problema lógico, obviamente, com a afirmação de que ser anticristão ou ser anticatólico significa ser antirreligioso. A religião abrange muito mais do que o Cristianismo ou o Catolicismo.
    O apologista Dinesh D’Souza apela às Conversações Íntimas de Hitler, que supostamente registram os mais recônditos pensamentos do Führer. Entretanto, a confiabilidade desta fonte para determinar as opiniões de Hitler é bastante questionável. Existem quatro versões principais das Conversaçõs Íntimas, aqui nomeadas de acordo com os principais editores ou tradutores e os anos de publicação: (1) Henry Picker (alemã, 1951, 1963, 1976); (2) Francis Genoud (apenas tradução francesa, 1952); (3) H. R. Trevor-Roper (inglesa 1953, 1973, 2000); e (4) Werner Jochmann (alemã, 1980). Estes registros geralmente são organizado internamente pela data em que Hitler manteve a conversa.
    Os problemas com as Conversações Íntimas foram minuciosamente estudados por Richard Carrier[49]. Do meu ponto de vista, existem pelo menos três problemas com a utilização desta fonte; (1) não existem originais autógrafos, do próprio punho de Hitler, desta fonte. Não temos fitas de áudio para verificar as transcrições. O que temos são cópias célebres que muitas vezes foram filtradas através de Martin Borman, auxiliar de Hitler. O fato de estas versões concordarem suficientemente para sugerir uma fonte comum não necessariamente prova que esta fonte comum tenha sido o próprio Hitler. (2) As versões às vezes são discrepantes. Algumas passagens estão ausentes na edição de Trevor Roper em relação à edição de Picker, de modo que é difícil dizer o que vem de Hitler e o que vem dos editores. (3) Trevor-Roper autenticou os Diários de Hitler, apesar de estes mais tarde terem sido desmascarados como uma fraude[50]. Genoud também é uma pessoa de reputação duvidosa que pode ter estado envolvido em outras falsificações. E ambas as edições de Genoud e Trevor-Roper muitas vezes traduzem com erros grotescos o original alemão.
    Com um exame rápido, eu já achei dois erros de tradução óbvios na versão Genoud–Trevor-Roper das “Conversações Íntimas”:
    “Die Zeit, in der wir leben, ist die Erscheinung des Zusammenbruchs dieser Sache.”* é traduzido por Genoud-Trevor-Roper como “o tempo em que vivemos certamente será a época do fim do Cristianismo”[51].
    Na verdade, a passagem quer dizer “o tempo em que vivemos será a época do fim desta ideia” (não há nenhuma menção ao Cristianismo).
    Outro erro:
    “Man darf sich persönlich einer solchen Lüge niemals fügen”** é traduzido na versão Genoud–Trevor-Roper como “eu nunca chegarei pessoalmente a termos com a mentira cristã”.[52]
    Na verdade, o trecho quer dizer; “nunca se deve aceitar pessoalmente tal mentira.” (não há nenhuma menção ao Cristianismo).
    Não apenas isso, mas em seguida Hitler diz “Aber entgegen dem eigenen Wissen etwas falsch tun, das kommt nicht in Frage! Man darf sich persönlich einer solchen Lüge niemals fügen. Nicht weil ich andere ärgern will, sondern weil ich darin eine Verhöhnung der ewigen Vorsehung erkenne”***. Essa passagem está ausente da tradução Trevor-Roper.
    Que significa: “mas fazer algo errado contra o próprio conhecimento, está fora de questão! Nunca se deve aceitar pessoalmente tal mentira! Não porque quero irritar a outros, mas porque reconheço aí uma zombaria da Providência Eterna”.
    O interessante dos erros na tradução Genoud–Trevor-Roper é que não são erros acidentais, mas modificações propositais do texto.

    Mesmo assim, em Conversações Íntimas, Hitler louvou os três livros “Contra os Galileus” de Juliano o Apóstata, de 362 AD. No registro datado de 21 de Outubro de 1941, Hitler declarou:
    “Quando pensamos sobre as opiniões sobre o Cristianismo tidas pelas nossas melhores mentes de cem, duzentos anos atrás, temos vergonha de pensar em quão pouco mudamos. Eu não sabia que Juliano o Apóstata passou julgamento com tanta precisão sobre o Cristianismo e os cristãos… o Galileu, que mais tarde seria chamado de Cristo, pretendia algo bem diferente. Ele deve ser considerado um líder popular que tomou Sua posição contra a judiaria… e é certo que Jesus não era judeu. Os judeus, aliás, O consideravam o filho de uma prostituta—de uma prostituta com um soldado romano. A falsificação decisiva da doutrina de Jesus foi o trabalho de São Paulo… Paulo de Tarso (seu nome era Saulo, antes da estrada para Damasco) foi um daqueles que perseguiram Jesus mais selvagemente.” [2]
    Em 1925, o ensaio incompleto de Eckart Der Bolschewismus von Moses bis Lenin: Zwiegespräch zwischen Hitler und mir (“Bolchevismo de Moisés a Lênin: Diálogos Entre Hitler e Mim”) foi publicado postumamente, embora já tenha sido demonstrado (Plewnia 1970) que os diálogos foram uma invenção; o ensaio foi escrito por Eckart sozinho. “Entretanto, este livro permanece um indicador confiável da visão do próprio Eckart.”[3] O historiador Richard Steigmann-Gall cita do livro de Eckart:[3]
    “Em Cristo, a encarnação de toda masculinidade, nós encontramos tudo de que precisamos. E se nós ocasionalmente falamos de Baldur, nossas palavras sempre contém alguma alegria, alguma satisfação, de que nossos anscestrais pagãos já eram tão cristãos a ponto de ter uma indicação de Cristo nesta figura ideal.” – Dietrich Eckart
    Steigmann-Gall conclui que, “longe de advogar um paganismo ou religião anti-cristã, Eckart mantinha que, na reviravolta alemã do pós-guerra, Cristo era um líder a ser imitado.”[3]
    Numa das conversas registradas no livro, Hitler expôs com franqueza o que teve a cautela de não dizer em público: a própria religião cristã fazia parte da trama judaica de conquistação mundial e que Jesus, naturalmente, não era judeu e sim ariano, mas que não foi Jesus o criador da religião cristã e sim o judeu Paulo de Tarso. [4]
    Essas informações, resolvem o problema dos pronunciamentos contraditórios. O ideal de Cristianismo de Hitler era a conduta do próprio Cristo conforme registrada no Evangelho de João, e não o Cristo “paz e amor” dos evangelhos sinóticos e das epístolas paulinas, o que coere perfeitamente com a lógica que rege o surgimento e a transformação das seitas cristãs ao longo da história.
    Portanto, podemos concluir que Hitler era um tipo bem heterodoxo de cristão, acreditando que Jesus era ariano, não judeu, e que o verdadeiro fundador da religião cristã foi o judeu Paulo de Tarso, não Jesus Cristo. Ainda assim, Hitler acreditava em um Deus pessoal e via Jesus como um mensageiro de Deus, o que definitivamente o exclui de ser classificado como um ateu.

    Entretanto, eu gostaria de apontar que invocar o nome do maior tirano da história não é um argumento, é uma provocação, usada para distrair o oponente e causar repulsa. As crenças religiosas de Hitler tiveram apenas um papel secundário na implementação do Holocausto. Os fatores mais importantes que influenciaram a doutrina nazista e as políticas antissemitas de Adolf Hitler foram culturais e raciais, não religiosos.
    Fonte:
    [2]Trevor-Roper, Hugh, ed. (2000). Hitler’s Table Talk 1941-1944. Trans. Norman Cameron and R. H. Stevens. New York: Engima Books, p. 76.
    [3] Steigmann-Gall 2003: 18.
    [4] Eckart, Dietrich: Der Bolschewismus von Moses bis Lenin: Zwiegespräch zwischen Hitler und mir.

    * Picker, Henry (1963). Hitler’s Table Talk 1941-1944, p. 343.
    ** Picker, Henry (1963). Hitler’s Table Talk 1941-1944, pp. 721-722; Night of 29–30 November 1944.
    *** Ibidem.
    [49] Veja Richard Carrier, “Hitler’s Table Talk: Troubling Finds,” German Studies Review 26, no. 3 (2003): 561-76.
    [50] Para uma história dos Diários de Hitler, veja Charles Hamilton, The Hitler Diaries: Fakes That Fooled the World (Louisville: University Press of Kentucky, 1991) e Robert Harris, Selling Hitler (New York: Pantheon Books, 1986).
    [51]Trevor-Roper, Hugh (2000). Hitler’s Table Talk 1941-1944. New York: Engima Books, p. 343
    [52]Trevor-Roper, H.R. (2000). Hitler’s Table Talk 1941-1944. New York: Enigma Books, pp. 721-722; Night of 29–30 November 1944.)

    1. Entretanto, eu gostaria de apontar que invocar o nome do maior tirano da história não é um argumento

      Não é. É uma resposta quando dizem que Hitler era ateu e todos os ateus são imorais. Acho que vc não entendeu esta parte, ainda mais por não ter lido o nome da série: Grandes Mentiras Religiosas”.

      é uma provocação, usada para distrair o oponente e causar repulsa.

      Os fanáticos religiosos fizeram primeiro.

      As crenças religiosas de Hitler tiveram apenas um papel secundário na implementação do Holocausto. Os fatores mais importantes que influenciaram a doutrina nazista e as políticas antissemitas de Adolf Hitler foram culturais e raciais, não religiosos

      Acho que vc não sabe de onde vem as religiões.

      1. @André,
        Quando eu disse “Entretanto, eu gostaria de apontar que invocar o nome do maior tirano da história não é um argumento” estou me referindo aos religiosos que invocam a (suposta) falta de crença religiosa de Hitler no meio da discussão.

        Foi um erro de digitação. E sim, os fanáticos fazem primeiro. Mas uma resposta mais completa seria dizer que Hitler acreditava em um Deus pessoal e que Jesus era um mensageiro divino, mas ao mesmo tempo também acreditava que Jesus era ariano, não judeu, e que não foi Jesus quem fundou a religião cristã (na visão dele), mas sim o judeu Paulo de Tarso, o que para ele tornaria o cristianismo uma religião que deveria ser reformada. Daí algumas das frases aparentemente anticristãs dele.
        Mas ele era não ateu, isso é certeza.

  19. Andre,poderia me dizer a fonte do discurso de Hitler de 1942? Tem um cristão do facebook que esta sendo levado a loucura por causa desse discurso.Esta chamando você e eu de mentirosos diante disso poderia postar a fonte para calar a boca do sujeito.

  20. Esta frase não está incorreta?

    “Embora o aborto, antes de Hitler, era ilegal na Alemanha, ele tornou possível o aborto, com a aplicação de uma lei exigindo que todos os médicos informassem ao governo a situação de todos os abortos espontâneos.”

    Em vez de “possível” não deveria ser “impossível” ? Digo, a ICAR sempre foi contra o aborto então Hitler certamente iria torná-lo mais difícil.

  21. Uma cantora atéia se encontrou com o Papa o fato dele entrar em uma igreja não quer dizer que seja ateu ele matou milhares de cristãos ,outra mentira atéia tanto qanto afirmarem que a ciencia tenta provar a inexistencia de Deus ,muitos ateus se encontram com religiosos quando estão no poder e Hitler nunca falou em Deus .

    1. O exército de Stalin não tinha capelão. O de Hitler tinha. Stalin nunca foi visto entrando em uma igreja. Hitler sim. Bispos nunca saudaram Stalin. Hitler, sim. O exercito vermelho não tinha cruzes nem nenhum símbolo religioso. Tanto a Wehrmatch quanto a Waffen-SS tinham.

      Não, Hitler não era cristão, não. Ela até frequentava mesquitas e sinagogas, certo?

      E sim, Hitler falou em Deus si, mas um imbecil como vc é incapaz de ler a porra do texto todo.

      1. Quem hitler matou?todos eram cristãos ,judeus,freiras,outros stalin também era lixo antes dos ateus julgar os cristãos que julguem a si antes.Fidel Castro e ateu e massacra cristãos ,sim Hitler achava que a igreja lhe fortalecia mais politicamente mas não era cristão ele se achava o dono da verdade ,sim a Russia não tinha cruzes ,o governo ateu não precisa disso pra massacrar povos como tentou dominar o Afeganistão e ate hoje tenta manter sua tirania na Europa do leste.

        1. O fato de Stalin e Fidel terem matado pessoas não faz Hitler deixar de ser cristão, como os caras da 4ª Cruzada que se dirigiram para Constantinopla e mataram todo mundo lá (e as vítimas eram cristãos, também).

          Simplesmente você NÃO QUER que Hitler seja cristão. Mas os textos dele, os discursos dele e as medidas dele provam o contrário (e Pio XII bem que o defendeu. Por que será?).

          Falácia Tu quoque não vai mascarar a verdade, princesa.

          1. Eu nao quero que os ateus generalizem e torne todos os cristaos bandido só isso ,como se o ateismo nao houvesse pessoas más e pelo jeito nao existe ateun que nao seja mal.

          2. O que vc quer ou deixa de querer é irrelevante. Hitler continua sendo cristão, e não é porque é cristão que terá que ser bonzinho.

            E afirmar “não existe ateu que não seja ruim”´é, no mínimo, preconceito, no máximo, retardo mental. Por exemplo, com toda a grana do Vaticano, Bill Gates (ateu, caso não saiba) é o maior filantropo do planeta, e CLARO um crente mimizento como você jamais iria pesquisar o que é a Fundação Bill e Melinda Gates.

            Agora, dá uma olhadinha na história dos papas. Entretanto, eu não sou imbecil como vc de afirmar que todos os cristãos são maníacos psicopata. Ainda tenho muito apreço pelo dr. Martin Luther King Jr., assassinado por outros cristãos.

            Claro, um crentinho retardado falacioso jamais entenderá isso, e simplesmente porque não quer acreditar.

          3. Todos são ruins se pra voces ateus nós somos as piores pessoas do mundo o mundo sem ateismo seria maravilhoso,ateu são chatos antipáticos não conheco ate que nao seja chato e só ve nos filmes o ateu sempre é o mais chato e arrogante e o pior os filmes sao feitos por ateus ateu bom vira cristão.

          4. 1) Não sou ateu.

            2) Nunca disse que cristãos são as piores pessoas do mundo. Mas também não são os santinhos que alegam.

            3) O que você conhece ou deixa de conhecer é irrelevante, mais uma vez.

            4) “Só vê nos filmes”… ahan. Então, para você, todo muçulmano é terrorista. Tá nos filmes.

            5) Ateu bom vira cristão? HAHAHAHUSHAUHUAHUSASHUSAHUAHUAHUSAHUAHUSAHUSAHUSAHUASHUSAHUSAHAHUASHASHAHA

            Como Bill Gates e Warren Buffet? Ou será como nosso amigo Lutero e o pessoal da Inquisição?

          5. O mundo sem ateísmo maravilhoso? Talvez você não seja sequer alfabetizado, mas com certeza não sabe História: durante os anos de domínio cristão no Ocidente, o mundo não tinha um sistema de justiça que prestasse. Hoje, sob domínio do islamismo, é a Ásia que padece desse mal. Barbárie. Quem não conhece História, está fadado a repeti-la.

            Algo me diz que teremos uma Voz dos Alienados em breve.

          6. Falácia nenhuma Fidel castro é um ateu e executava pessoas por lerem a biblia udo que eu quero e que os ateus parem de perseguição só isso

          7. Sim, é falácia. Tu quoque significa “você também”, como se isso apagasse a premissa: Hitler não era ateu. Ponto. Deal with it.

          8. Perseguição? Alguém ensina a esse mongolóide para que serve o Alt+F4?

            Além disso, considere a história da sua religião carrasca e torturadora: quem perseguiu quem, nos 2000 anos de cristianismo? Hoje, na nossa sociedade esclarecida (não graças aos cristãos, frise-se) temos o direito, que eu chamaria também de dever, de escarnecer da sua escrotisse o quanto quisermos. Hitler era cristão até prova em contrário. Sapateie, chore e esperneie o quanto quiser. Eu me encarrego de tocar violino enquanto você se lastima de não poder mudar a História.

          9. Hitler não era cristão, Há uma diferença muito grande entre alegar ser cristão e ser cristão de fato. O Senhor Jesus nos ensinou a identificar os verdadeiros cristãos pelas suas obras (frutos): e quais foram as obras de Adolf Hitler?
            Melhor continuar tocando seu violino do que ficar bostejando na internet.

          10. O Senhor Jesus nos ensinou a identificar os verdadeiros cristãos pelas suas obras (frutos): e quais foram as obras de Adolf Hitler?

            Matou quem não concordou com ele; não trouxe a paz,mas a espada; instruia a Juventude Hitlersta que ele era mais importante que os pais das crianças, e que elas deveriam odiá-los…

            E quer também que mencione o Velho Testamento, que o próprio Jesus disse que não seria abolido?

            Vejamos outros exemplos dados pelos cristãos: Cruzadas, Noite de São Bartolomeu, Inquisição, Guerra dos 30 anos, Guerra dos 100 anos… Todos eles sendo cristãos de verdade

            O fato da princesinha aí não querer que Hitler seja cristão (você sabe… aquele deus que se fez de surdo perante os genocídios da 2ª Guerra), não fará a realidade demonstrada no texto deixar de existir.

          11. Como disse o célebre dono deste recinto certa vez:

            O que vc quer ou deixa de querer é irrelevante. Hitler continua sendo cristão, e não é porque é cristão que terá que ser bonzinho.

            Como prova, trazemos ainda os relatos das Cruzadas, Inquisição Católica, Inquisição Protestante, Guerra dos Trinta Anos, Noite de São Bartolomeu, a defesa da escravidão nas Américas, África e Ásia, a louvável atitude dos Czares russos em fundar campos de concentração, as atitudes da psicopata Madre Tereza de Calcutá, as perseguições aos umbandistas aqui no Brasil, a lavagem de dinheiro neopentecostal, o acobertamento de pedófilos pela ICAR…

            Enquanto isso, o ateu Bill Gates é o maior filantropo do mundo, ao mesmo tempo em que o humilde Papa Francisco I não bate com a piroca na mesa para vender tudo o que tem no Vaticano e dar aos pobres, como Jesus manda na Bíblia.

            Ê, meu filho… Dissocie crença de caráter, ou você não vai longe…

          12. Putz,pior do que ser cristão ou ateu,é a sua falta de domínio da escrita.Fica difícil chegar até o fim dos seus comentários.

  22. Se inteligência fosse o seu forte, perceberia que esta série é pra desmistificar besteiras que crentes falam. Se ao menos estivesse escrito GRANDES MENTIRAS RELIGIOSAS, quem sabe você chegaria a essa conclusão, não é?

    1. Dr. André, mudando um pouco de assunto, eu sei que o Disqus está servindo ao propósito, mas, notei que não podemos mais visualizar comentários antigos, que eu considero tão ricos quanto o próprio artigo. Esses comentários serão gradativamente transportados para o novo sistema? Seria uma lástima perdê-los!

    2. o problema dos ateus não serem levados a serio é a total falta de educação e sua total arrogância, conhecimento vocês tem e muito mais conhecimento sem humildade e respeito para com os outros não adianta em nada, e essas coisas religião nenhuma precisa ensinar.
      E sim inteligência é o meu forte parece não ser muito o seu porque grosseria também é sinônimo de burrice

      1. Inteligência é seu forte, mas não refutou o artigo. Só “mimimi ateus são feios e arrogantes. Eu que sou uma pessoa boa e estarei salvo, quando todos vocês arderão no inferno, é que sou humilde”

        Tá bom.

        1. acho que você esta confundindo as coisas não sou cristão não tenho religião inclusive ja usei muito seus post para me defender dos maniacos evangélicos,o que eu falei acima é a forma de você responder aos seus leitores não acho necessário tanta grosseira

  23. Não sabe o que significa uma palavra? Compre a bosta de um dicionário. Não, não vou baixar meu nível até a sua idade pré-escolar. Eu escrevo para gente alfabetizada. Não gostou, não leia meus textos complicados. Tente a Galinha Pintadinha, bem de acordo com sua idade mental.

  24. Reza um dito popular da minha região que opinião é como o boga: cada um com o seu e não meta o dedo no dos outros.

    Como já diria o célebre dono deste recinto: não lhe implorei para vir aqui e tascar sua verborragia. Está incomodado, Alt+F4 resolve o problema.

    Nenhuma opinião mudará os fatos. Ponto.

  25. quanta contradição,meu caro. Como vc mesmo disse, desde a infância, Hitler era um psicopata. Uma pessoa de mente deturpada e maliciosa, mas como criança fora criado dentro da doutrina católica, que era predominante na Austria. Isso deu a ele um tênue elo entre ele e a religião, que ele próprio combateu quando se tornou um anti-semita genocida e abandonou todos os princípios cristãos, o que o tornou um ATEU! Agora vc, como todos o ateus são covardes em buscar uma única brecha para atacar o cristianismo, enquanto existe um mar de genocídio contra a fé cristã! Lembrar os Nomes, Mao Tse Tung, Lennin, Stalin, Indi Amim Dada, e tantos outros. Porque não conta a história ATEISTA desses GENOCIDAS? Claro, só interessa inventar uma estória em que um Cristão seja o mal. E mais uma vez um ATEU falhou! Pobre coitado! Vai estudar!

    1. Péra, não entendi. Hitler era ateu e ia em missas, citava Lutero e mantinha capelães no exército? E quem nos salvou? O exército ateísta de Stalin, que nunca perseguiu cristão nenhum. Ele perseguiu foi todo mundo.

      Lênin não perseguiu cristãos. Perseguiu todo mundo também, principalmente outros ateus. Já o cristão ortodoxo Czar foi quem começou com expulsar desaftos pra Sibéria. Gulags não foram invenções do partido comunista.

      Idi Amim Dada nunca foi ateu, pelo contrário. Era de uma família cristã (vc sabe, aquela religião que manda odiar os pais e tem versículos que ordena matar homossexuais, rasgar barrigas de mulheres grávidas, destruir cidades, esmagar crianças em penhascos, eliminar moradores de cidades inteiras, escravizar, prostituir, matar pais, irmãos e demais familiares etc.) Eu estou procurando no Manifesto Comunista algo a esse respeito. Não encontrei.

      Você tem a biografia oficial do Idi Amin? Site crente não serve.

      O cristianismo nos deu a Guerra dos 30 Anos, as Cruzadas, a Guerra dos 100 anos, a Noite de São Bartolomeu, a Inquisição (católica e protestante). Durante a 4ª Cruzada, os soldados cristãos, ao invés de ir para Jerusalém, marchou para a cidade cristã de Constantinopla e a DESTRUIU, em que relatos de historiadores dizem que as ruas se transformaram em rios de sangue.

      Mais recentemente, temos Slobodan Milosevic, que nunca foi ateu, pelo contrário. Era perseguidor de ate ateus e muçulmanos. Dica: seguia o mesmo deus que você.

      Proceure largar as besteiras que seus sites crentes contam e leia Geza Vermes, John Dominic Crossan, Karen Armstrong, Bart Ehrman, Harold Bloon, J. P. Meier, Diarmaid MacCoulough entre outros. Nenhum deles é ateu.

      Nem eu sou ateu, seu imbecilzinho. :D

      1. Me diga uma coisa, me mostre um versículo da qual Jesus nos ensina a matar um homossexual, adúlteras ou os outros povos (gentios). Não há um versículo! A lei mosaica daquele tempo era pro povo de Israel, da qual era outro período completamente diferente do nosso. Os cristãos seguem o cristianismo, não aquelas leis do velho testamento que foi abolida por Jesus. E o que o cristianismo nos ensina é a amar uns aos outros assim como nos amamos a si mesmo

        1. Mateus 5:18 – Pois em verdade vos digo: passará o céu e a terra, antes que desapareça um jota, um traço da lei.

          1 Coríntios 4:6 – E eu, irmãos, apliquei estas coisas, por semelhança, a mim e a Apolo, por amor de vós; para que em nós aprendais a não ir além do que está escrito

          1. Mateus 5:17 Não… VIM DESTRUIR A LEI… MAS CUMPRIR. O propósito de Cristo é que as exigências espirituais da lei de Deus se cumpram na vida dos seus seguidores (Rm 3.21:8.4). O relacionamento entre o crente e a lei de Deus envolve os seguintes aspectos: (1) A lei que o crente é obrigado a cumprir consiste nos princípios éticos e morais do AT (7.12:22.36-40: Rm 3.31; Gl 5.14; ver o estudo A LEI DO ANTIGO TESTAMENTO); bem como nos ensinamentos de Cristo e dos apóstolos (28.20; 1 Co 7.19; Gl 6.2). Essas leis revelam a natureza e a vontade de Deus para todos e continuam hoje em vigor. As leis do AT destinadas diretamente à nação de Israel, tais como as leis sacrificiais, cerimonias, sociais ou cívicas, já não são obrigatórias (Hb 10.1-4; e.g., Lv 1.2,3;24.10).
            Conselho: Você jamais vai entender a bíblia lendo apenas 1 ou dois versículos. Leiam por completo… e não se esqueça do CONTEXTO! é fundamental que NÃO se omita o contexto. Se você ignorar o contexto, você não vai entender nada.

          2. Mateus 5:17 Não… VIM DESTRUIR A LEI… MAS CUMPRIR. O propósito de Cristo é que as exigências espirituais da lei de Deus se cumpram na vida dos seus seguidores (Rm 3.21:8.4).

            A Lei manda:

            Matar quem rezar pra um deus diferente.
            Matar homossexuais.
            Manda adúlteros
            Matar em usar roupa de fios misturados
            Matar filhos rebeldes
            Matar que frequenta advinhos
            Escravizar virgens, matar o restante de uma cidade-estado inteira

            Preciso continuar?

            O relacionamento entre o crente e a lei de Deus envolve os seguintes aspectos: (1) A lei que o crente é obrigado a cumprir consiste nos princípios éticos e morais do AT (7.12:22.36-40: Rm 3.31; Gl 5.14; ver o estudo A LEI DO ANTIGO TESTAMENTO); bem como nos ensinamentos de Cristo e dos apóstolos (28.20; 1 Co 7.19; Gl 6.2).

            Nope. Jesus disse que não ia ablir as leis. Logo TODAS estão valendo.

            Essas leis revelam a natureza e a vontade de Deus para todos e continuam hoje em vigor.

            Você gosta de camarão?

            As leis do AT destinadas diretamente à nação de Israel, tais como as leis sacrificiais, cerimonias, sociais ou cívicas, já não são obrigatórias (Hb 10.1-4; e.g., Lv 1.2,3;24.10).

            Mas Jesus era judeu, e ele veio levar os judeus de volta para Israel. Você não é judeu. Mal aê.

            Vc usa barba?

            Conselho: Você jamais vai entender a bíblia lendo apenas 1 ou dois versículos. Leiam por completo…

            Péra. Jesus disse que NÃO VEIO ABOLIR AS LEIS, MAS CUMPRI-LAS. A Lei manda apedrejar pessoas até a morte. Vc diz que não são para ser cumpridas. Então, vc está contrariando Jesus?

            e não se esqueça do CONTEXTO! é fundamental que NÃO se omita o contexto. Se você ignorar o contexto, você não vai entender nada.

            Eu acho uqe não precisa de muito para entender o contexto sobre matar homossexuais.

    2. Isso deu a ele um tênue elo entre ele e a religião, que ele próprio combateu quando se tornou um anti-semita genocida e abandonou todos os princípios cristãos, o que o tornou um ATEU!
      .
      Pela sua lógica deturpada, João, o evangelista (sim, eu sei!) também era ateu já que também ia contra os judeus. D’uh!

    3. Sempre achei que ateísmo era descrença, mas você me parece certo: ateísmo é só sobre matar, pilhar e destruir!

      #SQN.

  26. Muito bom o artigo! Além disso, cita referências para aprofundar os estudos. De fato, o que vejo são crentes desesperados para tirar Hitler de suas religiões.

        1. Para idiotas como você, deve bastar mesmo. Eu trabalho com bibliografia especializada, registros fotográficos e documentais e obras de referência. Faça uma monografia, dissertação e tese e apresente vídeo de youtube para uma banca e veja o que acontece.

          1. fazer uma monografia para apresentar para uma banca de professores universitários brasileiros???…. que mediocridade… muito esforço pra pouco benefício….

          2. Pode ser qualquer banca, filhota. Você, no máximo, deve fazer trabalhinho escolar de pré-escolar. Aqueles que não precisa citar fonte.

          3. estou no meu segundo curso universitário na melhor universidade do Brasil.. sei do que estou falando…

          4. Diga isso ao meu contra cheque de R$ 9000,00, obtido após apresentar uma monografia para uma banca de professores universitários brasileiros para me formar Engenheiro Civil.

            Mediocridade é a sua desculpa, não a do meu curso, e com certeza não a do nosso anfitrião, Dr. André.

          5. É esse “muito esforço para pouco benefício” e essa “mediocridade” que fará com que o que você diga seja levado a sério e que você seja conhecida e reconhecida como uma pesquisadora séria e não uma idiota retardada de Internet que tem como referências o YouTube e o facebosta.

            Filhota. :o)

      1. até parece que propaganda barata para subir ao poder significa ligação com a igreja católica… seus argumentos são muito frágeis…

        1. Qual seria o problema dele ser “cristão”? Muitos mataram em nome de Deus/Cristo… Aceitar os erros e corrigi-los é o gesto mais nobre e inteligente que um ser humano pode ter…

  27. Só uma pergunta aos supostos “cristãos”, presentes na discussão: Por qual motivo, não se pode aceitar a existência de alguém que dizia estar agindo em nome de Deus e que no fim, só causou muito mal aos outros? É tão doloroso aceitar que mesmo dentro igreja, o mal permeia? Negar os males que a religião propagou no mundo, e ainda propaga, é pura e simples ignorância. Fanatismo, extremismo. Tudo muito contrário ao idealismo apresentado pelos supostos “cristãos”.

    1. Me fala a parte que Jesus manda alguém matar em nome dEle? Se eu matar alguém que vc não gosta, daí eu vou preso e falo que foi vc quem mandou eu cometer o crime, vc iria gostar?

      1. Me fala a parte que Jesus manda alguém matar em nome dEle?

        ,b>Na parte que ele diz que NÃO VEIO ABOLIR NENHUMA LEI.

        Se eu matar alguém que vc não gosta, daí eu vou preso e falo que foi vc quem mandou eu cometer o crime, vc iria gostar?

        Se eu tivesse publicado palavras de ódio, dizendo que gays são uma abominação e deveriam ser mortos, que quem não concordasse comigo deveria ser executado, que deveriam esmagar crianças em rochedos e vc fizesse isso em meu nome, claro, eu seria co-responsável. Se eu lesse todas as atrocidades anteriores e dissesse “olha, eu não tenho nada a ver com isso, não me oponho em nada”, também seria co-responsável

  28. André, uma coisa que ficou muito estranha foi que, apesar de todas as ideias que Hitler apresentava em seus discursos, no livro Hitler’s table talk ele critica o cristianismo como se odiasse a religião, não cheguei a ler o livro todo, só as paginas citadas que seriam entre a 140 e 153 (mais ou menos por aí) por acaso, tá aqui o livro em pdf.

    Clique para acessar o HTableTalk.pdf

    Apesar disso, na wikipédia (sei que a fonte não é lá essas coisas né) diz que existe uma controvérsia na versão em inglês, que o editor pode ter mudado as palavras, mas eu já não sei, pode ser que sim, pode ser que não.

      1. Ah, tá, valeu cara, é que na época que eu li eu tinha preguiça de clicar nas referências e deixei essa passar, agora aprendi a lição, valeu :D

  29. Stalin matou milhões de pessoas e ele era ateu, e aí…

    Me mostre um livro de doutrina ateista que manda rasgar barrigas de mulheres grávidas.

    isso não quer dizer que todos os ateus são pessoas como Stalin. O verdadeiro cristão é aquele que segue o cristianismo

    Aquele que manda mulheres se calarema e que pode espancar o escravo e perseguir homossexuais? (tá no NOvo Testamento. A sua deculpa será qual?)

    e o cristianismo nos ensina que devemos amar uns aos outros assim como amamos a si mesmo.

    Conte isso para o pessoal da 4ª Cruzada que invadiu a Constantinopla Cristã e matou todo mundo lá. Conte isso para quem esteve na Noite de São Bartolomeu. COnte isso para a Inquisição.

    O único cristão que existiu morreu na cruz.

    E pelo o que eu saiba, Hitler muitas vezes falava do cristianismo para agradar o povo

    Ah, sim. Ele estava muito interessado em agradar as pessoas. Ele foi o responsável pela morte de milhões de pessoas só para agradar ao povo?

    sem falar que ele tinha várias crenças.

    Fonte: Cu.

    O fato é, que mesmo ele ter tentado se justificar usando versículos da bíblia, da qual esses versículos NÃO se baseia de nenhuma forma, o que ele estava fazendo.

    Ó que não, hein? Evangelho de Jão é claramente antissemita.

    A bíblia condena essas atrocidades que ele fez, e isso está escrito de forma clara na bíblia.

    Números 31 discorda.

    Faltou imparcialidade no seu artigo! agora eu te pergunto… porque você não fala que uma das nações que derrotaram a Alemanha nazista veio de uma sociedade fortemente cristã (Estados Unidos)

    Você quis dizer União Soviética, né? EUA só entrou na Guerra pq bombardearam Pearl Harbor. Os russos lutaram em cada esquina para evitar o anvanço sobre a Rússia. EUA não passou por nada parecido com a Batalha de Estalingrado e Kursk. Vai estudar, moleque.

    Mas isso você não pode mostrar no é? já que você tem que mostrar os cristãos com os ??????ã?.

    Nope. Eu mostrei que a mentira de vocês que Hitler era ateu era apenas isso… mentira. Agora ele não é cristão de verdade. Então eu posso dizer: Stalin não era ateu de verdade. Que tal? :)

  30. Stalin matou milhões de pessoas e ele era ateu, e aí… isso não quer dizer que todos os ateus são pessoas como Stalin.

    Mesmo pq, não há nenhum livro ateísta ordenando isso. Já a Bíblia…

    O verdadeiro cristão é aquele que segue o cristianismo, e o cristianismo nos ensina que devemos amar uns aos outros assim como amamos a si mesmo.

    Palavras saídas do mesmo Jesus que mandou odiar os pais e que não era para abolir nenhuma lei dos profetas.

    E pelo o que eu saiba, Hitler muitas vezes falava do cristianismo para agradar o povo, sem falar que ele tinha várias crenças.

    As desculpas das Cruzdas, a Inquisição e a Igreja Batista de Westboro é qual mesmo?

    O fato é, que mesmo ele ter tentado se justificar usando versículos da bíblia, da qual esses versículos NÃO se baseia de nenhuma forma, o que ele estava fazendo.

    Correção: vc NÃO QUER que o que está escrito lá não tenha o significado que você NÃO QUER que tenha.

    A bíblia condena essas atrocidades que ele fez

    Não é o que vem em Números 31.

    e isso está escrito de forma clara na bíblia.

    Estou revisando aqui e Números ainda está lá.Oseias, também.

    Faltou imparcialidade no seu artigo!

    Eu quero ver imparcialidade na igreja reconhecer o monte de merdas que ela fez ao longo dos anos durante o culto.

    E isso serve para católicos e protestantes.

    agora eu te pergunto… porque você não fala que uma das nações que derrotaram a Alemanha nazista veio de uma sociedade fortemente cristã (Estados Unidos).

    Você quis dizer União Soviética, né? Foi o Exército Vermelho quem descobriu os campos de concentração e invadiu Berlim. EUA bombardeou civis em Dresden e Dusseldorf

    Mas isso você não pode mostrar no é? já que você tem que mostrar os cristãos como os ??????ã?.

    Eles deixaram de existir? Que tal Slobodan Milosevic? Ah, sim… vc vai dizer que ele não era cristão de verdade…

    1. André, obviamente esse pessoal crentoide assistiu o “Último ditador” do Chaplin e foi lá ver que, esse sim era ateu e falaram: “opa! Vamos pegar esse Hitler ateu e fazer o paralelo com o verdadeiro”. Vai que cola.

  31. uem recuperou Paris, foi URSS? lógico que não! Os Estados Unidos também derrotou as tropas nazistas.

    Derrotou um inimigo sem exército. E quem conquistou Paris foi Inglaterra primeiro. mas, sem exército pra contrapor, é fácil

    Lembrando que eu não sou católico. O evangelho de joão não tem nada de antissemita

    Não é o que Bart Ehrman, Hardold Bloom, J P Meyer, Karen Armstrong e Joh DOminoc Crossan dizem. Tem mais, mas eu preferi estes, pq eles não são ateus :D

    você não deve nem saber o que é Antissemitismo.

    É algo que tinha nos pogroms feito pelos Ingleses, retratado no Mercador de Veneza de Shakespeare.

    Segundo, os cristãos eles segue o evangelho, e o evangelho nos ensina amar uns aos outros assim como amamos a si mesmo.

    Tabém fala pra odiar os pais.

    Então, NÃO me venha com mentiras dizendo que a bíblia ensina a matar e bater gay ou adúlteras, ou você esqueceu dessa passagem:
    7 Visto que continuavam a interrogá-lo, ele se levantou e lhes disse: “Se algum de vocês estiver sem pecado, seja o primeiro a atirar pedra nela”.
    8 Inclinou-se novamente e continuou escrevendo no chão.

    Ou seja, se tivessem jogado a pedra, por Jesus tudo bem. Ele não falou que aquilo era errado. Obviamente, isso tem um sonoro erro histórico. Se fosse verídico, a mulher E O HOMEM seriam levados para serem apedrejados.

    E aí? :D

    Jesus aboliu leis sociais e cívicas que eram leis direcionadas ao povo de Israel.

    Muito pelo contrário. Ele falou que ele NÃO VEIO ABOLIR AS LEIS. Veio levá-lkas à perfeitção. Qual é a perfeição de matar homossexuais?

    E Jesus colocou novos mandamentos.

    Nope.

    Vejo que você sabe praticamente de nada sobre teologia.

    Teoplogia é distorcer o texto bíblico para que ele dfiga o que vc quer que ele diga. Infelizmwente, está dito na Bíblia para não ir além do texto escrito. Ele é o que ele é.

    Lembrando que aqueles povos foram exterminados, foram exterminados, porque eram povos idólatras

    Sabve as pirâmides? Elas estão no meio de um deserto e não tem rochas lá. Rá fê-las aparecer ali. :D

    Outra coisa, Hitler queria agradar povo, mais isso foi antes de suas atrocidades, era na sua propaganda.

    Então Hitlçer não era u maníaco sanguinário exterminador. Ele só fez para agradar a uma pópulação antissemita, certo?

    Havia propagandas na Tv alemã de que os campos de concentração eram vilas onde todo Judeu podia morar lá.

    Na década de 30? HAHAHUSHUASHUSAHUSAUHSUHSHUSASHUSAHUSAHUASHUSAHASHUASHUSAHUSAHUASHSHUHAUHA

    Mas vc é MUITO IGNRANTE. Não existia TV na década de 30 na Alemanhã, seu ignorante analfabeto em História!
    Ninguém sabia que esses campos sequer existiam. Com o avanço do exército vermelho é que os soldados ouviam as histórias, mas ninguém acreditou. Só quando chegaram lá e viram.

    Televisão… cara, como vc é burro para tentar sustentar sua opinião idiota.

    Hitler enganou o povo, tanto que seus próprios oficias queriam matar ele

    Nope. Os oficias quiseram matá-lo pq ele estava arruinando a Alemanha economicamente, mas um cara burro pra cacete que acha que havia TV em 1933 na Alemanha não se pode esperar muito.

  32. Você é ignorante, cara. Jesus obedeceu a lei, mais isso não quer dizer que ele tacou pedras nas mulheres adúlteras.

    Ele não guardava nem o Sábado. Outra contradição bíblica.

    Ninguém era obrigado a tacar pedras na adúltera.

    Pior que era.

    Ele obedeceu aquelas leis como a do sábado e outras leis, para depois abolir…

    Mas ele falou que não ia abolir, cacete. Na boa, o cara era realmente apenas um esquizofrênico com mania de grandeza, mesmo. Se bem que ele nunca disse que era Deus. Vocês que inventaram essa baboseira.

    não todas leis mais sim aquelas leis sociais e cívicas.

    Ou seja, todas as leis.

    E se vc tivesse lido o capítulo 5 todo, talvez vc entenderia, da qual vc nem leu, Jesus falar respeito da lei olho por olho e dente por dente e ele colocar novos mandamentos, e ainda fala que devemos amar uns aos outros assim como amamos a si mesmo

    <b<Mas mandou odiar os pais. Tá lá em Lucas. Vai lá ler.

    Está no mesmo capítulo ,de Mateus (5). Jesus aboliu a lei do apedrejamento, isso está claro em (João 8:7-11)

    Mas Jesus disse tacitamente que Jesus não veio abolir as leis. Essa sua bíblia é uma bagunça!

    Visto que continuavam a interrogá-lo, ele se levantou e lhes disse: “Se algum de vocês estiver sem pecado, seja o primeiro a atirar pedra nela”.

    Ou seja, se tivessem tacado pedra, teria aceito.

    Os que o ouviram foram saindo, um de cada vez, começando com os mais velhos. Jesus ficou só, com a mulher em pé diante dele.

    E cadê o homem? Sim, pq é o homem e a mulher? Pegamos mais um erro. Obrigado!

  33. Eu lhe entendo. Vc é tão analfabeto que não vê a parte que diz que os comentários são pré-aprovados primeiro.

    mas tudo bem, sabemos que vc é burro :D

  34. Na verdade esse negócio do silêncio do Papa pio XII é uma desinformação causado pelos comunistas, na verdade a única instituição que se levantou contra o nazismo antes de eclodir a guerra foi a igreja católica e essa informação inclusive é corroborada por instituições judaicas , na verdade o vaticano ajudou diversos judeus a fugirem do nazismo enquanto a URSS entregava judeus que fugiam para os territórios da URSS. Tem um livro que fala sobre isso utilizando documentos dos arquivos nazistas, infelizmente não estou achando o nome agora, inclusive é um livro posterior a aquele que diz que o Papa era nazista.

    1. “Na verdade… na verdade… na verdade… Tem um livro que não sei o nome…”

      Que trabalhinho porco, hein!? Sem uma única fonte, sua arrogante “arguição” não passa de perda de tempo!

  35. Ainda não quis fazer aquela “mediocridade e muito esforço para pouco benefício” chamada apresentação de monografia para uma banca de professores universitários, filhota?

  36. que sádico

    Estou esperando a resposta, christianhelandossantos@gmail.com .

    te faço a mesma pergunta só que sobre a minha crença,

    Sua crença não é na Bíblia, Christian? Bem, tá tudo na sua Bíblia e seu jesus disse que NÃO VEIO ABOLIR. Você tem a parte que Jesus condena publicamente? Ele não disse que apedrejar adulteras era errado. Ele disse que quem não tivesse pecado que atirasse a pedra, numa clara fanfic.
    Porque o pessoal ia continuar certo, ia atirar as pedras e ele continuaria na dele

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s