Tik Toker bate as botas de forma idiota e tentam vender as cinzas para ritual esquisito

O mundo é esquisito, e não acaba a esquisitice. Ela só se torna mais bizarra. E sempre tem um influencer metido, pode reparar.  Imagine que teve uma doida que resolveu hitar no Tik Tok. O que ela fez para ganhar views e compartilhamentos? Bebeu pesticida. Obviamente, morreu, o que não deixa de ser um tanto representativo. Achou esquisito o bastante? Pois saiba que tem um maluco que rouba cinzas de celebridades cremadas para fazer um “casamento fantasma” ou sei lá como chamam este vodu china.

Passando inseticida para ver se me livro de influencers, esta é a sua SEXTA INSANA!

Continuar lendo “Tik Toker bate as botas de forma idiota e tentam vender as cinzas para ritual esquisito”

Menina de 5 anos é queimada em ritual vodu

Tudo que condiz com comportamento religioso sacam a cartinha “é a cultura deles, tem que respeitar” (mas só falam isso quando não lhes afeta, claro). Quando você mostra as ações “ruinzinhas” de certos religiosos, sacam a fórmula que não são religiosos escoceses. Um caso como esse aconteceu em East Bridgewater, Massachussets. O que houve lá? Nada demais. Só duas donas que queimaram uma menina de 5 anos, num ritual de vodu

Continuar lendo “Menina de 5 anos é queimada em ritual vodu”

Gâmbia descobre a cura da AIDS mas a máfia de branco se recusa a aceitar (ou não)

República da Gâmbia é um pseudopaís localizado na região leste da África. Esta tristeza tem pouco mais de 2 milhões de habitantes, mais ou menos a população do bairro de Jacarepaguá no Rio de Janeiro, com uma densidade populacional de 140 hab/km² o que não é tão ruim assim, pois o pessoal meio que fica longe de você. Seu PIB é de ridículos 1,3 bilhão de dólares e lá na rabeira do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). Aquela porqueira não produz nada que preste a não ser ditadores, como acontece em 99% da África e se você nem tem o direito de achar ruim, pois sequer sabe localizar num mapa mudo e muito menos o nome da capital (é Banjul, mas eu tive que consultar).

Em 1765, a Gâmbia tornou-se colônia britânica, só se tornando independente do Reino Unido em 1965, tendo 3 “presidentes”. Um governou por 20 anos, o segundo foi eleito para em seguida ser derrubado num golpe de Estado por Yahya Jammeh, que também ficou no cargo por 20 anos, tendo saído ano passado. Jammeh fez muitas coisas dignas de nota, e nenhuma delas pode ser considerada legalzinha, como obrigar milhares de pessoas portadoras do HIV a se submeterem a tratamentos com uma mistura de ervas que ele mesmo inventou.

Continuar lendo “Gâmbia descobre a cura da AIDS mas a máfia de branco se recusa a aceitar (ou não)”

Vodu não garante Justiça e ainda ferra a sua vida

Imaginem a cena. Você, Grande Lúcifer, Senhor dos Infernos, Príncipe das Trevas, Lorde da Maldade, Líder dos Demônios, Expressão Máxima do Mal. Alguém vem e fala contigo e faz um pacto. Você, Ó Desprezível, quer espalhar o mal, a perversão, carregar todo mundo pra maldade, fazer todo mundo cheirar maconha e fumar cocaína. Mas não. A criatura que contrata seus serviços quer apenas zoar o casamento dos outros. Eu acho isso uma Ofensa a Lúcifer, Nosso Senhor.

No caso em questão, uma dona ficou bolada com a relação extraconjugal do pai, resolveu fazer uns unga-bunga, apelando pra Vodu. E nós sabemos muito bem para que é e o que é Vodu. Continuar lendo “Vodu não garante Justiça e ainda ferra a sua vida”

Yes, bitches, I’m back!

Bem, eu tinha postado meu artigo chororô sobre como a empresa cujo-nome-não-mencionamos meteu a escavadeira na minha conexão com Internet. Foram 19 dias de pura dor de cabeça, muita aporrinhação e horas intermináveis discutindo com um bando de retardados pelo telefone. Horas (literalmente) de espera no Procon e com um agendamento no Juizado Especial Civil. Mas eis que chove a Justiça! E eu estou de volta!

Continuar lendo “Yes, bitches, I’m back!”

Na Reversal Zimbabuana, as mulheres estupram VOCÊ!

O bom da África… esquece. Não há nada de bom naquelas bandas, só o aeroporto para ralar peito de lá o mais rápido possível. O Zimbábue, por exemplo, é algo tão evoluído que o PIB praticamente é a quitanda do seu Firmino e um dos principais idiomas é o xona (EU NÃO ESTOU INVENTANDO!). Como tudo naquele lugar esquecido por Hades acaba em loucuras, e as mulheres de lá são digna de fechar o comércio, pois ou saqueiam ou pegam o dono para rituais mágicos, de preferência, fazendo uso de seu sêmen. Mas não! Algum idiota virá aqui defender as zimbabuanas e dirão que EU é que sou o preconceituoso.

Continuar lendo “Na Reversal Zimbabuana, as mulheres estupram VOCÊ!”