A queda do gigante que esmagou nossos corações

O Observatório de Arecibo é um imenso observatório que fica em Arecibo, Porto Rico. Também conhecido como Centro Nacional de Astronomia e Ionosfera (NAIC), o observatório contava com o que estamos acostumados de chamar de Telescópio Arecibo, que na verdade é um radiotelescópio, cujo disco refletor de 305 m de diâmetro fora montado numa depressão natural, construído em 1963.

Continuar lendo “A queda do gigante que esmagou nossos corações”

O mesmerizante mosaico na superfície do Sol

Se você é algum tipo de fixista, achando que o universo é paradinho e só com um pouco de sorte os planetas viajam pelo céu, tenho tristes notícias. Não, nada é paradinho e mesmo o Sol se move. Mais do que isso, a própria superfície do Sol se move; nada no universo é estático, ao contrário do que Cláudio Ptolomeu possa ter achado, mas nem era culpa dele. Ele viveu na Idade do Bronze, e só um imbecil ainda continuaria com aquele mesmo conhecimento arcaico, no qual faltam uns planetas, planetas-anões etc.

Continuar lendo “O mesmerizante mosaico na superfície do Sol”

H.E.S.S. : o buscador cósmico de raios gama sem ser um cara verde

H.E.S.S. é o acrônimo do Sistema Estereoscópico de Alta Energia. Trata-se de um sistema é um sistema de última geração de análise de raios gama cósmicos baseado em Telescópios Atmosféricos Cherenkov. Ele não é verde nem fica irritado, senhor McGee, mas como telescópios de uma maneira geral já precisam de uma atmosfera muito limpa, com o H.E.S.S. não só não é diferente como precisa maior atenção dada a natureza do campo do espectro a ser analisado. Por isso, o H.E.S.S. foi construído na Namíbia.

O H.E.S.S. tem cinco telescópios, quatro com um espelho de pouco menos de 12 m de diâmetro, dispostos a 120 m de distância um do outro em um quadrado e um telescópio maior com um espelho de 28 m, construído no centro do arranjo, com uma das mais modernas tecnologias de telescópios, mas com um site podre.

Continuar lendo “H.E.S.S. : o buscador cósmico de raios gama sem ser um cara verde”

Calibrando os espelhos do Telescópio James Webb

Ajeitar a lente de um óculos é chatinho. polir o espelho do seu banheiro é fácil ou difícil, dependendo da tranqueira que você tenha comprado. Calibrar um microscópio também dá trabalho. Agora, calibrar e focalizar um monstro gigantesco com a mais linda tecnologia óptica para vasculhar o Espaço como o telescópio espacial James Webb realmente é chato, demorado, trabalhoso e tudo com a precisão de algo que faria um fio do seu cabelo algo enorme.

Que tal saber mais um pouco?

Continuar lendo “Calibrando os espelhos do Telescópio James Webb”

Time Lapse da limpeza de um gigantesco telescópio

O Very Large Telescope array (VLT) é um dos mais avançados sistemas astronômicos do mundo, baseado num sistema óptico que é uma estupidez. Os telescópios possuem pouco mais de 8 metros de diâmetro e quatro telescópios auxiliares móveis com 1,8 metros de diâmetro, podendo ser usados indivualmente ou em grupo, captando uma imensa área do céu, com as imagens processadas e montadas como se fossem uma única, obtida por um aparelho só, formando um “interferômetro” gigante, permitindo que os astrônomos vejam detalhes até 25 vezes mais finos que os telescópios individuais.

Todas as noites, os grandes espelhos do Very Large Telescope estão expostos aos caprichos da atmosfera, clima e cercanias. Seus imensos espelhos gradualmente acumulam poeira e outras sujeiras, emporcalhando o equipamento e fazendo com que seu trabalho fique mais difícil.

Continuar lendo “Time Lapse da limpeza de um gigantesco telescópio”

Raio-X das turbulências de Perseus

O cluster de Perseus é um aglomerado de galáxias na constelação Perseus e é um dos objetos mais massivos do universo conhecido, contendo milhares de galáxias imersas em uma vasta nuvem de gás de vários milhões de graus. O telescópio espacial Hubble e o telescópio de raios-X Chandra captaram imagens quando um aglomerado de galáxias pequenas passou perto do cluster, perturbando os gases, formando o que chamamos  de onda de Kelvin-Helmholtz.

Continuar lendo “Raio-X das turbulências de Perseus”

Vakinha para a compra de um telescópio. Ajuda aí, tio

Fazer divulgação científica, no Brasil, é um mundo de glória, facilidades e lindeza. SQN. É uma merda, as pessoas lhe detestam, todo mundo odeia você, inclusive o Chris. Mas muito pior é FAZER Ciência, estudar mesmo sem ser em centro de pesquisa ou instituição pública. Pessoas que simplesmente amam a Ciência e querem saber mais. Estes estão ferrados, como o grupo que recebeu uma doação e teve que desembolsar uma grana para receber umas porcarias de óculos de papelão para ver eclipses. Enquanto isso, o Tedson…

Agora, fiquei sabendo que um grupo de astronomia está fazendo uma Vakinha para a compra de um telescópio. Tipo… que tal ajuda?

Continuar lendo “Vakinha para a compra de um telescópio. Ajuda aí, tio”

Hubble: Uma Janela Para o Universo

O Telescópio Espacial Hubble é lindo. Lançado em 24 de abril de 1990, os  2,5 bilhões de dólares são uma ninharia para as toneladas de dados e informações que ele nos trouxe. Uma pena que políticos e a população não veja assim. De qualquer forma, sendo responsável por 3 prêmios Nobel, zilhões de informações e belíssimas imagens, o Hubble é a nossa janela para a mais fascinante das fronteiras: O Espaço.

Sendo assim, eu não podia ficar sem legendar este vídeo, de forma a compartilhar com vocês um pouco das maravilhas que este aparelho trouxe. Aparelho, mas que se existir alma, com certeza ele tem uma e quando máquinas ganharem consciência, ele saberá do tanto de cientistas, pesquisadores e pessoas comuns que tanto adoram o trabalho que ele executa. Valeu, Hubble!

Continuar lendo “Hubble: Uma Janela Para o Universo”

As mãos invisíveis de substâncias nos confins do Universo

Então, meus caros, antes do próprio Universo existir, havia 6 singularidades. Depois da Criação, estas singularidades foram concentradas no que ficaram conhecidas como as Joias do Infinito. Tempo, Espaço, Poder, Realidade, Mente e Alma. Cada uma dessas pedras de imenso poder foram espalhadas pelo Espaço Sideral e, pelo visto, uma delas foi encontrada pelo jornalista d’O Globo, que intitulou sua reportagem mal-feita como Molécula fundamental para o início da vida é descoberta no espaço.

Já sabem o que vem aí, certo? Sim, um Livro dos Porquês.

Continuar lendo “As mãos invisíveis de substâncias nos confins do Universo”