A queda do gigante que esmagou nossos corações

O Observatório de Arecibo é um imenso observatório que fica em Arecibo, Porto Rico. Também conhecido como Centro Nacional de Astronomia e Ionosfera (NAIC), o observatório contava com o que estamos acostumados de chamar de Telescópio Arecibo, que na verdade é um radiotelescópio, cujo disco refletor de 305 m de diâmetro fora montado numa depressão natural, construído em 1963.

Continuar lendo “A queda do gigante que esmagou nossos corações”

Astrônomos observam o que pode ser o início de um planeta

Faz tempo que não noticio nada do ALMA, o Atacama Large Millimeter/submillimeter Array. O ALMA é uma iniciativa muito legal, formado pelo conjunto de 66 antenas de radioastronomia, vasculhando o firmamento, captando emissões de rádio (óbvio), mesmo que tenha vido de muito, muito longe.

Agora, por sinal, os cientistas que trabalham lá conseguiram, pela primeira vez, uma medida precisa de pequenas partículas de poeira em torno de uma estrela jovem através da polarização de ondas de rádio. Sabem o que acontece com um punhado de poeira orbitando uma estrela jovem? Bem, com o passar do tempo pode acabar virando a Terra. Show, né?

Continuar lendo “Astrônomos observam o que pode ser o início de um planeta”

As mãos invisíveis de substâncias nos confins do Universo

Então, meus caros, antes do próprio Universo existir, havia 6 singularidades. Depois da Criação, estas singularidades foram concentradas no que ficaram conhecidas como as Joias do Infinito. Tempo, Espaço, Poder, Realidade, Mente e Alma. Cada uma dessas pedras de imenso poder foram espalhadas pelo Espaço Sideral e, pelo visto, uma delas foi encontrada pelo jornalista d’O Globo, que intitulou sua reportagem mal-feita como Molécula fundamental para o início da vida é descoberta no espaço.

Já sabem o que vem aí, certo? Sim, um Livro dos Porquês.

Continuar lendo “As mãos invisíveis de substâncias nos confins do Universo”

Telescópio registra jorro de energia de outra galáxia e vira hit na web¹

A cada dia aprendemos mais sobre o Universo. Claro, nada é divulgado na mesma hora. Vai que digam que os anéis de Saturno curam o câncer? Daí o Judiciário poderá obrigar a União Astronômica Internacional a distribuir para os doentes. Não ia ser fácil. Com o advento do avanço tecnológico, conseguimos imagens nunca antes vistas. Agora, podemos ver jatos de partículas em melhores detalhes do que antes e isso nos ajuda a compreender melhor nosso Universo.

Continuar lendo “Telescópio registra jorro de energia de outra galáxia e vira hit na web¹”

O balé das antenas do VLA

VLA é a sigla do Very Large Array, um conjunto de radiotelescópios que, juntos, formam um imenso observatório de radioastronomia localizado nas planícies de San Agustin, entre as cidades de Magdalena e Datil, algumas 50 milhas (80 km) a oeste de Socorro, Novo México, EUA. Atualmente, seu nome oficial é The Karl G. Jansky Very Large Array, em homenagem Nichola Tesla…. ok, é brincadeira. A homenagem, muito merecida, é para Karl Gunthe Jansky, físico e engenheiro americano, nascido em 22 de outubro de 1905. Em agosto de 1931, Jansky descobriu algo desconcertante: ondas de rádio. Não que ondas de rádio fossem alguma novidade. O ineditismo estava no lugar de onde as ondas estavam vindo. Do interior, bem do interior da Via Láctea. Jansky se tornou um dos fundadores da radioastronomia.

Continuar lendo “O balé das antenas do VLA”