Executivo do Google saltou de paraquedas de órbita geoestacionária, diz Jornalista

Que ciência é besteira que ninguém se importa, canso de falar. Que ela é odiada pela população média, vocês estão carecas de saber. Que jornaleiro só escreve besteiras sobre algo que não faz a menor ideia do que seja, é público e notório. Mas tem horas que estes caras exageram.

Segundo os estagiários d’O Globo, o vice-presidente sênior do Google saltou de uma altura de QUARENTA E UM MIL QUILÔMETROS!!!

Entrando na órbita da insanidade jornalística, esta é a 2ª edição da SEXTA INSANA!!

Continuar lendo “Executivo do Google saltou de paraquedas de órbita geoestacionária, diz Jornalista”

Deus não dá asa a cobra, e nem precisa

Então, você resolve passear e conhecer melhor a Natureza. O mundo natural é tão lindinho e ordeiro, prova cabal de um Criador Supremo, onde campos verdejantes e de temperatura amena estão repletos de coelhinhos se eu fosse como tu pulando pra lá e pra cá. Você,  plenamente confiante que tudo aquilo foi feito para lhe servir, sai saltitante pela floresta da Indonésia, usando vestidinho azul e cantando a música do Mágico de Oz, quando de repente, não mais que de repente, a marvada cai bem na sua cabeça. Você olha e… UMA COBRA!

Peraí! Cobra voa?

Continuar lendo “Deus não dá asa a cobra, e nem precisa”

Para um corpo que cai, uma câmera filmando

Um homem ajeita seu bigode e olha para baixo. Está decidido e seu destino foi traçado. Ele sabia o que ia acontecer nos segundos seguintes, mas não sabia como iria terminar. Se olhássemos por uma janela de tempo, veríamos outro homem com uma ideia semelhante, mas com um destino totalmente diferente, já que sua decisão era muito mais ousada, mais arriscada, mais perigosa. O homem do grande bigode olha em volta. Estando no alto da Torre Eiffel, ele consegue vislumbrar a Paris de sua época: o ano de 1912, o mesmo ano que um bloco de água selou o fim titânico de um navio. O homem no futuro chegou mais alto que qualquer um chegou no modo como ele fez.

Vistos pelos olhos do dr. Manhattan, os dois eventos estavam acontecendo ao mesmo tempo. O homem de bigode saltou do alto da Torre Eiffel, o homem com roupa de astronauta salta do alto de um balão. Ambos chegam à Terra, ambos registraram seus acontecimentos, mas o destino não foi o mesmo para eles.

Continuar lendo “Para um corpo que cai, uma câmera filmando”