Google NÃO anuncia programa de estágio para negros, mas pessoal morre se não militar

Existe uma expressão em voga chamada “preconceito do bem”. É aquela discriminação marota que não é discriminação se for favorável a determinada etnia, gênero ou orientação sexual. É como dizer que todo homem é um estuprador em potencial, mas se você diz que mulheres são interesseiras é crime capital. É o pessoal que anuncia direto vaga de emprego para determinada etnia e quando você aponta que é preconceito, lhe xingam.

O problema é que é Ok no seu perfil (tá, não é ok. É um comportamento de cuzão), mas um veículo de informação não pode se dar a esse luxo, ainda mais quando sua manchete é errada, absolutamente errada, como aconteceu com o Tecnoblog anunciando que o Google oferece estágio e curso de inglês para jovens negros no Brasil, naquela maravilhosa ideia “se eu falar merda, eu serei divulgado”.

Bem, não posso dizer que não funciona.

Continuar lendo “Google NÃO anuncia programa de estágio para negros, mas pessoal morre se não militar”

Quer divulgar ciência? Aprenda ciência antes! Ou: DIAMANTE NÃO EVAPORA, KCT!

Dizem que se você não serviu pra nada mais, acabará sendo professor. Hoje em dia, a frase ficaria melhor da seguinte forma: Se você não aprendeu nada na vida, vai acabar virando youtubeiro. E se o principal que você não aprendeu é exatamente Ciências, muito provavelmente se tornará divulgador científico no YouTube. Hoje, YouTube é que nem papel: aceita qualquer merda e quanto maior a merda, mais sucesso faz.

Hoje eu ia escrever sobre um surto de doença infecciosa, mas o que eu descubro (Fellipe, eu juro que mato você!)? Que diamantes evaporam.

Continuar lendo “Quer divulgar ciência? Aprenda ciência antes! Ou: DIAMANTE NÃO EVAPORA, KCT!”

Não ligue pro conservante conservador atrás da cortina

FUD é acrônimo para Fear, Uncertainty and Doubt (Medo, Incerteza e Dúvida). É algo que é usado desde séculos atrás, como veículo de propaganda, que não foi inventada no século XX. Ramsés II já usava propaganda para dizer o quanto ele foi um general fodástico na Batalha de Kadesh. Tudo bem que os Hititas fizeram a mesma coisa, e como naquela época não tinha Google, ficava difícil dizer o que acontecia fora do vilarejo.

Claro, uma propaganda não existe para falar a verdade, e sim para CRIAR uma verdade, mesmo que ela não seja verdadeira; mas, HEY, ela não é para você e sim para quem tem tendências a acreditar num princípio pré-estabelecido como sendo verdade.

A Panera Bread é uma cadeia de restaurantes e padarias atuando nos EUA e no Canadá. Estando sua sede em Sunset Hills, Missouri, um lugar que, não sei porque, nunca é destino final de gente que quer emigrar. Estes só querem Nova York, Miami ou Califórnia. Para vender seus produtinhos, nada como usar de propaganda, e qual propaganda é tão boa e efetiva quanto o velho FUD?

Continuar lendo “Não ligue pro conservante conservador atrás da cortina”

Os malucos da Terra Chata e a desinformação generalizada

Um rapper idiota (desculpe o pleonasmo, Cardoso) deu uma de esperto e “divulgou” aq existência da Terra Chata. Um bando de gente que não pára para pensar replicou isso de forma indignada, sem perceber que o que o sujeito queria conseguiu: estar na mídia. Um monte de idiotas resolveu replicar isso, enquanto que divulgadores de ciência se esforçam para levar um pouco de conhecimento, tendo suas postagens soterradas por uma avalanche de sandices.

Isso prova que divulgar ciência é complicado, pois as pessoas não querem compartilhar conhecimento, e sim maluquice.

Eu tenho certeza que as pessoas não gostarão muito de saber a minha opinião, mas desde quando eu me preocupei com isso? Bem, vamos para mais um vídeo.

Continuar lendo “Os malucos da Terra Chata e a desinformação generalizada”

Cachaça no Espaço e em blogs de “informação”

Pense no pior que o G1, Terra, HyperScience e UOL podem oferecer em termos de notícias científicas. Pensou? Ok, você agora conhece o Gizmodo. A quantidade de asneira que sai lá é algo assustador, mas não tão assustador quanto o que aparece nos comentários. Entretanto, sigamos com a regra "Never read the comments" e continuemos felizes, lendo as atrocidades que aquele pessoal escreve.

Ontem, a pérola jornalística gizmodiana soltou o verbo: "Álcool precisa de vida para surgir. Como ele apareceu no espaço?" O que poderia estar errado?

Continuar lendo “Cachaça no Espaço e em blogs de “informação””