Pseudoterapia com abelhinha fofinha causa morte. SUS finge que não viu

O Brasil, lugar que ama a Pseudociência, já baixou normativa do Ministério da Saúde oferecendo nos hospitais e postos de saúde do SUS atendimento a vários tipos de pseudociência. Um deles é o apiterapia, que é o tratamento com abelhas e seus produtos, que nem sua avó, que tudo mete própolis na receita. Evidências científicas? Vamos ficar devendo, mas uma pesquisa veio trazer um lado… ruinzinho deste tratamento. Pessoas estão morrendo por causa dele.

Continuar lendo “Pseudoterapia com abelhinha fofinha causa morte. SUS finge que não viu”

Descobertas novas espécies de abelhas

Abelhas são notoriamente reconhecidas como muito importantes no ecossistema. Como agentes polinizadores, sem abelhas nós, ridículos seres humanos que sequer conseguimos enxergar no ultra-violeta como elas, teríamos sérios problemas com a agricultura. O problema é que suas populações estão diminuindo e isso é um problema sério.

Mas talvez (talvez!) nem tudo esteja perdido. A Natureza sempre dá um jeito, embora não esteja preocupada com nós, macacos pelados. Essas espécies descobertas, ainda que não resolvam nossos problemas, ainda assim desempenham um papel importante nos ecossistemas naturais do sudoeste americano, incluindo as dunas do Vale da Morte, na Califórnia.

Continuar lendo “Descobertas novas espécies de abelhas”

Europa tem redução de 12% na população de abelhas melíferas

As pessoas tendem a não perceber um problema, por mais diminuto que pareça. Um caso desses é o desaparecimento de abelhas melíferas, em que um estudo internacional demonstra que o número de colônias já caiu quase 12% em dezembro do ano passado. Entre março a julho de 2015, fez muito frio na Noruega, Escócia, Suécia, Dinamarca e Irlanda, com temperaturas médias variando entre 12,8 e 14,4 °C. Deve-se lembrar que nessa época, é primavera no hemisfério norte, ou seja, fez mais frio do que deveria, e Madrasta Natureza não está preocupada se seres vivem ou morrem.

Continuar lendo “Europa tem redução de 12% na população de abelhas melíferas”

Mel de abelha está sendo usado para combater infecções

Todo mundo adora mel, ou deveria. Você deveria comer mais mel. Mel é bom! Mel dá força. Mel dá energia. Mel é um dos únicos alimentos que não estragam, coisa que você aprende no Ensino Fundamental, repete a vida toda e nem sabe direito o porquê. O que poucas pessoas sabem é que mel pode ser a chave para a produção de novos antibióticos, e é isso que pesquisadores suecos estudam. Eles esperam fazer com as doenças o que seus conterrâneos faziam nas famosas revistinhas.

Nossas queridas abelhinhas nos deram, inconscientemente, um dos mais nutritivos alimentos encontrados na Natureza, direto do seu vômito (sim, isso mesmo! Mel é vômito de abelha. Bom apetite!). Além disso, o mel é extremamente estável. Sua altíssima concentração de glicose e pH entorno de 4 e 5 fazem dele o único alimento que não estraga, apesar de eu torcer o nariz para esta denominação, já que existem muitos nutrientes de origem inorgânica.

Continuar lendo “Mel de abelha está sendo usado para combater infecções”

Quando pesticidas matam abelhinhas, quem poderá salvá-las? Aranhas!

Todo mundo anda preocupado com abelhas. Eles praticamente estão se tornando os pandinhas, com a diferença que pandas só servem para modelos de bichinhos de pelúcia, enquanto os insetinhos do bem são responsáveis pela polinização de muitas flores (mas não todas elas).

O problema é que nossa agricultura é extremamente dependente de pesticidas, ou as pragas (que são uma praga!) mandam todas as plantinhas felizes ro ralo. Só que estes pesticidas mandam as abelhinhas pro ralo. Apenas dona Aranha poderá nos ajudar (ou quase isso).

Continuar lendo “Quando pesticidas matam abelhinhas, quem poderá salvá-las? Aranhas!”

O dançante sistema de navegação das abelhas

Abelhas são um perfeito exemplo do que uma sociedade organizada e bem controlada devia ser. Tá, é um regime escravagista, ditatorial e o macho sempre se ferra. É… bem, vamos deixar esse negócio de boa sociedade pra lá.

O comportamento das abelhas é amplamente estudado e uma das principais características delas é conseguirem se localizar para extrair néctar. Antes achava-se que era a sua visão, mas não é só isso.

Continuar lendo “O dançante sistema de navegação das abelhas”

O império das abelhas kickboxers contra-ataca

No doce e ético mundo natural, as espécies vivem em harmonia. Cachorrinhos sorridentes, gatinhos brincalhões rolam pelo carpete, cabritinhos cantantes voando para o sul no inverno etc. Essa visão idílica é lindamente maravilhosa, mas ela só existe na mente de criaturinhas de bom coração (ou otárias, mesmo). O mundo natural é mau feito o Pica-Pau de avental; e um perfeito exemplo disso é da briga entre abelhas melíferas e ácaros fedorentos.

Continuar lendo “O império das abelhas kickboxers contra-ataca”

Cientistas descobrem que abelhas têm planos de cargos e salários

Vida de vassalo não é fácil. Enquanto vocês, dalits, ralam para conseguir algumas migalhas aqui e ali, xátrias como eu e o próprio Sidarta Gautama gozamos dos prazeres que a nossa casta fornece (esta sentença ficou esquisita). Assim como muito provavelmente não ascenderei ao trono hindu, por motivos mais do que óbvios, abelhas operárias morrem operárias, e o anseio de ascender socialmente e ser eleita rainha é totalmente nula,m mas isso não impedem que elas cheguem numa espécie de classe média abelhuda, onde podem desempenhar vários cargos numa colmeia.

Continuar lendo “Cientistas descobrem que abelhas têm planos de cargos e salários”

Mundo ético: Abelhas mumificam besouros ainda vivos

Os seres humanos acumulam séculos de barbárie. Desde apedrejar crianças por terem sido estupradas até emparedamento vivo durante a Idade Média, sem esquecer de mutilação para evitar "virar os olhinhos", o Homem mostrou a qual nível ele pode descer. Sorte que isso seja minoria atualmente, pois as sociedades evoluem com o tempo e princípios éticos v]ao se desenvolvendo, nem que seja de forma bem lenta. Claro está que isso é apenas devido ao nosso modo tosco de ser, pois, no mundo natural, tal coisa é inexistente. Por exemplo, uma abelha jamais apedrejaria um besouro, por exemplo. Se o distinto coleóptero invadir uma colmeia, JAMAIS uma abelhinha o mataria. Elas preferem mumificá-lo vivo.

Bem-vindos a mais um capítulo Vegan sobre como a Natureza é ética, perfeita e incapaz de escravizar, matar ou causar mal a outro ser vivo, pois tais coisas são somente características humanas.

Continuar lendo “Mundo ético: Abelhas mumificam besouros ainda vivos”

Como as abelhas enxergam as flores

Estamos acostumados a ver campos floridos de diversas tonalidades, com suas flores multicoloridas chamando a nossa atenção. Obviamente, não incluo nesse "nós" os frangos de apartamento, que muito mal veem o jardinzinho fofinho do condomínio. As cores (bem como o perfume) ajudam as abelhas e outros insetos a localizarem sua fonte de alimento: o néctar.

Acontece que as abelhinhas fofinhas (e letais, se você tiver alergia a elas) não enxergam o mundo como nós, toscos mamíferos de polegar opositor. A bem da verdade, elas até podem ver cores que eu e você, seu cegueta, não conseguimos distinguir. Mas em compensação, podemos jogar Farmville, e elas não (se é que isso é uma vantagem). A Seleção Natural dá, a Seleção Natural tira. Louvado seja André.

Continuar lendo “Como as abelhas enxergam as flores”