Astronautas instalam puxadinho espacial na Estação Espacial Internacional

Todo mundo tem problema de espaço. No Espaço não seria diferente, já que o espaço lá só é vasto do lado de fora da Estação Espacial Internacional, lá no Espaço. Espaço que não está no Espaço é limitado, já que espaço não é infinito nem no Espaço. Estamos sempre interpretando indevidamente as dimensões das coisas. Por exemplo, lemos que a estação espacial é do tamanho de um campo de futebol, mas sua área útil é muito menor que isso; mesmo porque, a ISS nem é retangular!

Assim como nós guardamos nossas tranqueiras num armário, astronautas também precisam de um lugar para guardar as traquitanas. Em 5 de dezembro de 2019, uma unidade de armazenamento protetora para ferramentas robóticas chamada RiTS (Robotic Tool Stowage) estava entre os itens lançados para a estação como parte da 19ª missão de serviços de reabastecimento comercial da SpaceX para a NASA.

Continuar lendo “Astronautas instalam puxadinho espacial na Estação Espacial Internacional”

Pesquisadores desenvolvem sensor de lítio feito de papel

O lítio é um metal alcalino. De início, podia ser apenas um metal, mas em 1949, o médico australiano John Cade comprovou sua eficácia como tratamento psiquiátrico em pacientes, tendo sido introduzido definitivamente como tratamento em 1978 pelo psiquiatra dinamarquês Mogens Schou. Este elemento é utilizado como medicamento de escolha para o tratamento dos transtornos de humor bipolar, sendo bem eficaz em reduzir as crises maníacas e depressivas do transtorno do humor bipolar, além de exercer efeito anti-suicida.

Sendo assim, seria interessante o monitoramento da concentração de íons Li+, certo? Muito bem, foi exatamente o que pesquisadores da Universidade Hokaido desenvolveram: um sensor de papel que pode medir os níveis de lítio em uma gota de sangue.

Continuar lendo “Pesquisadores desenvolvem sensor de lítio feito de papel”

Sensor ajuda no diagnóstico quando da dificuldade de engolir

O ato de engolir é algo para lá de comum que larga maioria não sabe que existem pessoas com dificuldade de fazer isso. Os distúrbios da deglutição são chamados de “disfalgia”, literalmente significando “dificuldade de engolir”. Estes distúrbios são péssimos e podem causar até mesmo deficiências nutricionais em alguns pacientes, sendo difíceis de se diagnosticar e requerem o uso de equipamentos especializados, não sendo nada baratos. Os exercícios podem ajudar aos que são diagnosticados com certas condições, mas mesmo esses exercícios exigem o uso de dispositivos caros.

Pesquisadores estão pesquisando em sua pesquisa um sensor flexível capaz de monitorar a atividade dos músculos próximos e o movimento da laringe em tempo real, de forma a entender a quantas andam a sua capacidade de deglutição.

Continuar lendo “Sensor ajuda no diagnóstico quando da dificuldade de engolir”