Quando um batom ajudou nossas avós a vencer a Guerra

Uma guerra (as de verdade, não arranca-rabo temporário) causam sérios problemas nos países envolvidos. Não, não estou falando de democracia caindo no seu quengo. Estou falando a população depender de recursos básicos, como comida, por exemplo. Os governos tentam (ou deveriam tentar) garantir que sua população tenham o mínimo do mínimo possível. Mas esse mínimo pode dar uma resvalada, quando é por um bem maior.

Num momento que tudo começa a ser racionado, alguns itens de primeira necessidade são indispensáveis e escapam ao racionamento; isso inclui pães, remédios e… batons.

Continuar lendo “Quando um batom ajudou nossas avós a vencer a Guerra”

Encontrada mensagem secreta levada por pombo X-9

Com essa, sir Nigel Irvine ajeitaria o óculos e murmuraria "deveras fascinante". Os agentes do Serviço Secreto de Informações – muitas vezes chamado erroneamente de MI-6 – estão debruçados sobre uma mensagem secreta. Bem, coleta e análise de informações é algo corriqueiro numa agência de serviço secreto, ainda mais quando é uma mensagem codificada. O diferencial é que esta mensagem é velha, bem velha. Ela é da 2ª Guerra Mundial e ainda estava presa ao seu transportador: um pombo-correio.

Continuar lendo “Encontrada mensagem secreta levada por pombo X-9”

Grandes Nomes da Ciência: Geoffrey Pyke

Algumas pessoas são ímpares. Difícil rotulá-las como cientistas, mas sem poder dizer que eram perfeitos idiotas, mesmo quando suas ideias causem estranheza em determinado momento, seja vista como funcional em certo momento e abandonado já fim da implementação. Uma figura pitoresca desse calibre foi Geoffrey Pyke, o intelectual que idealizou novos materiais de construção, novas técnicas, novos veículos e, pasmem, um porta-aviões totalmente de gelo!

Continuar lendo “Grandes Nomes da Ciência: Geoffrey Pyke”

Grandes Nomes da Ciência: Alan Turing

O heroi está em seus últimos momentos. A guerra que ele ajudou a vencer está terminada, assim como terminada estará a sua vida. A mão cai indolente a uma aceleração de 9,8 m/s². A maçã toca o colchão e a 3ª lei de Newton faz ela quicar, cair de novo e rolar. O fruto estava envenenado e era esta a vontade daquele que a mordeu. Um dos maiores heróis da Segunda Guerra Mundial, o homem que desvendou os segredos da inexpugnável máquina de encriptação da Alemanha Nazista, conhecida como ENIGMA, já não está mais entre nós.

Hoje é dia 23 de junho e comemoramos o 100º aniversário dele, Alan Turing, que por causa de sua opção sexual saiu dos píncaros da Glória para cair nas profundezas do Inferno do preconceito.

Continuar lendo “Grandes Nomes da Ciência: Alan Turing”

Reabilitação papal de bispo que nega o Holocausto revolta judeus

Minha avó dizia que quando a língua é grande, o Diabo vem e amarra nossos tornozelos com ela. Creio que isso cai bem no Imperador Chico Bento XVI, Comandante-em-Chefe do exército de Mordor Vaticano. O Nazi-Pontífice concedeu e abençoou reabilitação a quatro Siths bispos tradicionalistas, onde um deles é um débil mental que nega o Holocausto. Se as Ovelhinhas do Senhor ficaram contentinhas, os judeus ficaram possessos. Lá vamos nós de novo para mais um Cisma…

De acordo com o UOL Notícias, em notícia trazida pela Reuters, os quatro cavaleiros do apocalipse bispos readmitidos na Igreja neste final de semana lideram a ultra-direitista Sociedade de São Pio X (SSPX – parece até nome de polícia secreta), que possui cerca de 600 mil filiados e rejeita modernizações do culto e da doutrina católicas. Dark Ages are rising again.

FUJAM PRAS MONTANHAS!!! Continuar lendo “Reabilitação papal de bispo que nega o Holocausto revolta judeus”

Eugenia, a biologia como farsa

Por Pietra Diwan

Inglaterra, século XIX. As transformações desencadeadas pela segunda fase da Revolução Industrial alteram profundamente a vida social. O medo burguês da multidão nascente, aliado ao triunfo do discurso científico, encontra na biologia um meio de pôr ordem no aparente caos social: reurbanização, disciplina e políticas de higiene pública deveriam ser aplicadas com a finalidade de prevenir a degradação física dos trabalhadores para evitar prejuízos na economia.

Em meio ao clima de crença inabalável na ciência, o naturalista inglês Charles Darwin publica em 1859 o livro fundador do evolucionismo: A origem das espécies. As descobertas de Darwin mostravam que no mundo animal, na permanente luta pela vida, só os mais bem adaptados sobrevivem e os mais bem “equipados” biologicamente têm maiores chances de se perpetuar na natureza. As teses de Darwin logo são transportadas para outros campos do conhecimento em uma tentativa de explicar o comportamento humano em sociedade. Surge assim o darwinismo social, que apresenta os burgueses como os mais capazes, os mais fortes, os mais inteligentes e os mais ricos. Continuar lendo “Eugenia, a biologia como farsa”