Menina de 10 anos “inventa” molécula e eu quero matar alguém

Pelo amor de Hades, gente, façam uma forcinha: NÃO ESCREVAM SOBRE O QUE NÃO SABEM!

Recebo um e-mail do nosso leitor Alexandre indicando um artigo onde uma menina de 10 anos "descobre" uma nova substância química. Lendo o festival de idiotice, só me resta um facepalm hipermegateexconjuroatômico. Afinal, estamos com mais um gênio da Ciência ou com mais um exemplo da estupidez alheia? Oh, bem, a resposta é bem deduzível, não é?

Continuar lendo “Menina de 10 anos “inventa” molécula e eu quero matar alguém”

E se futebol fosse noticiado como fazem com descobertas científicas

einstein-soccer.jpgFico assombrado com a maneira que os jornalistas noticiam qualquer descoberta científica. Alguns chamam isso de Divulgação Científica. Eu chamo de “Pelo amor de Deus, que merda é essa?”. Muitos exemplos eu já dei aqui e em qualquer blog de divulgação científica decente sempre aparece uma amostra de como algumas pesquisas possuem informações totalmente deturpadas, a fim de ficar mais “palatável”. Daí, eu fiquei imaginando, o que aconteceria se os jornalistas esportivos dessem notícias nos mesmos parâmetros do pessoal que se intitula jornalista científico. Acho que daria no diálogo a seguir.

Continuar lendo “E se futebol fosse noticiado como fazem com descobertas científicas”

O que é mais rápido que a Internet? Ceticismo.net!

Em tempos de web 2.0, informação a um clique de mouse, em cima do olho, de lança lance certeiro, na velocidade da Internet, além de outros chavões ridículos, para passar propaganda de “mudernu”, esperamos uma notícia, no mínimo, atual.

Obviamente, jornalistas costumam ser um caso perdido. Alguma distrofia neurológica ou replicação de cromossomos a mais ou, de repente, algum alelo defeituoso (embora eu vote em imbecilidade crônica mesmo) faz com que essas criaturinhas – que se consideram mais bem informadas que outras, já que estão em cima da lança, com o olho em riste etc – escrevam um monte de bobagens. Continuar lendo “O que é mais rápido que a Internet? Ceticismo.net!”