O segredo nebuloso das partículas atômicas

O século XIX foi a Era da Invenção, da Inovação. A Era que ficou conhecido os processos que envolvem a Termodinâmica e o alvorecer da Era Atômica. O problema é a natureza elusiva do átomo. Como determinar algo tão pequeno? Charles Thomson Rees Wilson, em 1897, criou o que viria a ser chamada de “Câmara de Wilson” ou “Câmara de Nuvens”. Continuar lendo “O segredo nebuloso das partículas atômicas”

A água sobre o vulcão que causa espetáculo

O Etna, longe de vender móveis caros (com qualidade que nem sempre acompanha o preço) é um vulcão malvadão, tipo daqueles que deveríamos jogar todos os funcionários dos Correios. Este caldeirão do capeta está situado na parte oriental da Sicília, sendo um dos vulcões mais altos do mundo. Sim, esse aí de cima. Não, isso aí não são aliens do Independence Day, nem os Senhores Supremos, de O Fim da Infância (de cuja cena o ID4 kibou). São nuvens, apenas nuvens.

Continuar lendo “A água sobre o vulcão que causa espetáculo”

Os nuvens brilhantes que pairam sobre o negrume da terra

Eu gosto de nuvens. De todos os tipos! Como simples vapor d’água condensado em altitudes superiores podem ser fantásticas? Assumindo diferentes formas, é claro. Elas nunca são as mesmas, nunca parecem iguais, mesmo quando estão enquadradas no mesmo tipo. O vento, a umidade, o fluxo de ar ascendente, o ângulo da luz que bate nelas… tudo faz com que cada nuvem seja mágica, única.

Uma das nuvens que eu mais gosto são as nuvens noctilucentes. São nuvens interessantes, pois enquanto está de noite aqui em baixo, ainda é dia lá em cima por efeitos de geometria e óptica.

Continuar lendo “Os nuvens brilhantes que pairam sobre o negrume da terra”

Céus e Terra de um pequeno grande planeta

Olhe pra cima, veja o céu. As brancas nuvens passando pelo tapete azul, o entardecer e a miríade de estrelas pontilhando cada centímetro quadrado da abóbada celeste. Você pode até se cansar logo. As coisas não são muito rápidas, sabe? Nossa escala de percepção de tempo não acompanha fenômenos que parecem demorar por horas com poucas mudanças. Nosso planeta também é bem grande, não permitindo que possamos ver tudo em volta. Chega-se a ficar com inveja do solitário morador do asteroide B-612.

Por sorte, temos Ciência e Tecnologia para prover isso. Continuar lendo “Céus e Terra de um pequeno grande planeta”

Os tapetes de nuvens cobrindo as montanhas

Nuvens são o tipo de coisa subvalorizadas. Eu as acho fascinantes. Para alguns são apenas um amontoado de vapor d’água, mas erram duas vezes. Primeiro, nuvens não são vapor d’água, mas água no estado líquido em suspensão na atmosfera. Em segundo lugar, nuvens nunca são iguais umas às outras. Suas diferentes formações características a fazem ser encaradas como entidades distintas.

Phil Plait, o Astrônomo Mau, também gosta de nuvens. Assim que ele viu a formação de algumas quando estava nas Montanhas Rochosas, resolveu fazer um time lapse. A recompensa foi grande.

Continuar lendo “Os tapetes de nuvens cobrindo as montanhas”

A importância das nuvens

Nuvens são muito importantes. Não apenas para nos dar uma dica se vai chover, ou não. Elas mostram como o nosso clima anda num aspecto mais abrangente. Por isso a NASA investe em pesquisa sobre nuvens.

O que lhe parece aqueles algodõezinhos brancos ou aquela massa escura prestes a chover, cientistas veem uma oportunidade de entender a dinâmica climática do planeta.

Continuar lendo “A importância das nuvens”

Os vórtex de uma fúria da Natureza

Caçar tempestades não é pra qualquer um. Ainda mais que é uma caçada em que o objeto de caça sempre sai ileso, mas nem sempre isso acontece com o caçador. Tempestades, apesar de seu caráter devastador, ainda são mesmerizantes. sentimos medo, pavor, fascinação, assombro, admiração, preocupação e vários outros sentimentos. Quanto mais intensa, mas pavorosa é, mas os vídeos sempre impressionam também por sua beleza. Sua catastrófica beleza.

Mike Olbinksi é fotógrafo. Você sabe… casamentos, bebês, gente feliz essas coisas. ó que sua identidade secreta é… bem, é secreta e seus clientes não sabem que ele é caçador. Um caçador de tempestades.

Continuar lendo “Os vórtex de uma fúria da Natureza”

As belíssimas nuvens noctilucentes

Desde que eu cheguei, eu estava vendo algo para postar. Nenhuma notícia pareceu-me algo legal o bastante para trazer pra vocês. Não que elas não sejam importantes. Mas às vezes a gente quer algo diferente de "Cientistas desvendam quebra-cabeça da esclerose múltipla". É legal, é inspirador, mas não queria isso hoje. Até mesmo divulgadores de Ciência gostam de algo mais inspirador, ainda que não seja Ciência pura.

Eu vi um vídeo em time lapse. Isso é muito legal, e faz um tempo que eu não posto nenhum vídeo assim. Nele eu vi nuvens noctilucentes, e queria compartilhar com vocês.

Continuar lendo “As belíssimas nuvens noctilucentes”

As nuvens e a neve feitas de metano na atmosfera de Titã

A poderosa Titã, quieta sobre as absurdas forças gravitacionais do planeta anelado, é um dos vários mistérios do Sistema Sartuniano. Já falamos sobre a possibilidade de ter Vida lá (ou, pelo menos, condições favoráveis a isso), também falamos sobre a topografia de Titã e estudos sobre a força gravitacional do satélite titânico. Hoje, veremos sobre as magníficas nuvens de metano, com o referido hidrocarboneto cristalizado como neve, suspensos na atmosfera de lá.

Continuar lendo “As nuvens e a neve feitas de metano na atmosfera de Titã”

Persegue-se quem anda perseguindo a perseguida alheia

Você não será hipócrita de dizer "num sei o que tá acontecendo!". Sabe sim! Vazou-se várias fotos da Jennifer Lawrence em posições… digamos, bem legais, provavelmente destinadas ao namorado, ficante, cacho ou sei lá qual é a gíria de agora. Foi uma correria: todo mundo queria ver os detalhes mais detalhados de Jlaw. O Twitter ficou em polvorosa e o pessoal do Facebook só deve estar sabendo agora, enquanto compartilha vídeo de 2010.

A culpa recaiu nos servidores na "nuvem", que sucumbiram a um DDoS. Uadafâqui iz dát?

Continuar lendo “Persegue-se quem anda perseguindo a perseguida alheia”