Vlog #01: A benção, tio!

Divulgação científica é legal, mas o conselheiro come. São dez anos trazendo informação em forma de artigos e, agora, vídeos. Vídeos são legais pois muita gente ainda não me conhecia e tomou um pouco de conhecimento pelo YouTube.

Se você acha que o trabalho é legal e está em perfeitas condições monetárias, que tal dar uma ajudinha?

Continuar lendo “Vlog #01: A benção, tio!”

Vakinha para a compra de um telescópio. Ajuda aí, tio

Fazer divulgação científica, no Brasil, é um mundo de glória, facilidades e lindeza. SQN. É uma merda, as pessoas lhe detestam, todo mundo odeia você, inclusive o Chris. Mas muito pior é FAZER Ciência, estudar mesmo sem ser em centro de pesquisa ou instituição pública. Pessoas que simplesmente amam a Ciência e querem saber mais. Estes estão ferrados, como o grupo que recebeu uma doação e teve que desembolsar uma grana para receber umas porcarias de óculos de papelão para ver eclipses. Enquanto isso, o Tedson…

Agora, fiquei sabendo que um grupo de astronomia está fazendo uma Vakinha para a compra de um telescópio. Tipo… que tal ajuda?

Continuar lendo “Vakinha para a compra de um telescópio. Ajuda aí, tio”

Ciência com o pires na mão… De novo!

Ciência, no Brasil, é uma ópera-bufa. A forma como políticos e a própria sociedade enxergam a ciência mostra o quanto o brasileiro a odeia. Corta-se verba da ciência, reclamam aqui e ali. Se cortarem assistencialismos à igrejas, acontecerá uma hecatombe.

Aí, os pesquisadores descobriram um modo de burlar a falta de verbas: estender a canequinha e pedir diretamente às pessoas.

Mas não acham que estão exagerando, não?

Continuar lendo “Ciência com o pires na mão… De novo!”

Prestação de contas 2014-15

Em janeiro de 2014, eu institucionalizei o pires estendido, solicitando contribuições, doações, sacrifício de primogênitos e baldes de água em noite de lua cheia. Como é muito difícil dispor de primogênitos e água, o pessoal preferiu ajudar este que vos escreve com alguns caraminguás. Sendo assim, nada mais justo que eu preste contas do quanto foi doado e dizer onde enfiei o dinheiro. Quantos blogs dizem quanto faturam por aí? Bem, Eu sou eu. Que se dane os outros.

Continuar lendo “Prestação de contas 2014-15”

Financie uma Salada de Batatas! Ela merece

Um monte de gente comentou, eu achei que deveria comentar também, e isso mais por cara de pau para ter mais visitações, mas também para dar meus 2 centavos sobre o caso do kickstarter do fazedor de salada de batatas. Eu já tinha falado sobre o kickstarter várias vezes, onde o cara tem um projeto para tocar, não tem grana e você dá uma contribuição para que o projeto vire realidade. Se não recolher o montante, ele devolve a grana a quem contribuiu. Simples e honesto.

Daí um cara muito esperto (ou a favor da zoeira, que nunca tem fim) resolveu abrir um kickstarter para financiar sua salada de batatas. O que podemos racionalizar sobre isso?

Continuar lendo “Financie uma Salada de Batatas! Ela merece”

O que se faz com seus implantes depois que você morre?

Morte nunca é agradável. Salvo se for de algum rato, barata ou van que corta o seu carro, vindo pelo acostamento. Normalmente, a família fica com a cabeça cheia e, com isso, acaba-se esquecendo uma coisa: e se o falecido(a) tinha uma prótese w/ou implante médico? O que se faz com eles?

Se formos pensar bem, é uma pergunta intrigante. São milhões de peças como próteses de membros como braços e pernas, silicone para os seios, marca-passos e até dente postiço. Parafusos, pedaços de titânio para substituir ossos etc. Para onde vai tudo isso depois que a gente morre? Para o caixão? Algumas modelos que tem por aí, depois que morrerem, virarão uma poça de silicone.

Continuar lendo “O que se faz com seus implantes depois que você morre?”

Ei, moço! Ajuda nóis aí!

Bem, vocês á devem ter visto a novidade ao lado (se ão viram, limpem o cache do seu navegador). É um botão de doação. Por quê? Simples de responder: Por que não? Estamos nessa longa estrada da vida, trazendo informações para vocês, conhecimento e, claro, diversão, pois ninguém é de ferro. Eu podia usar de um lenga-lenga sobre como esse trabalho é custoso, quanto damos sem pedir nada m troca blábláblá. É apenas um botão de doação, contribui quem quiser e, melhor ainda, com quanto quiser. Se acham que o trabalho merece uns caraminguás que você encontrou atrás do sofá ou para impedir que seu marido cachaceiro torre tudo em conhaque dreher (benzo-me), que tal dar dinheiro para alguém que você ame de paixão? Depois, se sobrar, dá o dinheiro pra mim.

Quer uma desculpa melhor? Bem, esse dinheiro é pro ônibus (penso em comprar uma frota deles). Não serve? Pra minha Ferraria? Não, né. Ok, sou professor! Que tal isso?

Pense que vocês estarão ajudando o Divino Espírito Santo, que conseguirei assim retardar o Apocalipse Maia,que ajudarei a Agência Espacial Brasileira a produzir mísseis balísticos, que conseguirei arrumar sacrifícios para Kali ou manterei nossa nação livre da invasão alien no 7 de setembro.

Não há valor mínimo, mas também não há teto máximo (entenderam? Hein? Hein?), bata clicar no botão e dizer quanto quer doar. A transação é segura, pois é pelo Paypal; e mesmo que você não doe nada, pode ter certeza que continuaremos aqui, com artigos do seu interesse, emitindo opiniões que pode não ser tão interessantes assim. E se sua grana não dá para essas extravagâncias, lembrem-se que há maneiras de contribuir, compartilhando os links no Twitter, Facebook, Google Plus ou via e-mail, mesmo. Assim, pelo menos, você ajuda a divulgar o nosso trabalho

Obrigado a todos e mais ma vez um excelente 2014 a todos!