Uma viagem pela Nebulosa Órion

Como seria dar um rolé pela Nebulosa de Orion? A emocionante animação abaixo é baseada em dados astronômicos reais e técnicas adequadas de renderização de filmes. A representação modelada digitalmente é baseada em dados infravermelhos do Telescópio Espacial Spitzer, mostrando as maravilhas da nebulosa que possui cerca de 40 anos-luz de diâmetro e está localizada no mesmo braço espiral de nossa Galáxia que o Sol.

Continuar lendo “Uma viagem pela Nebulosa Órion”

Anime fotos e deixe-as com movimento

Hoje em dia está na moda deep fakes, uma técnica que se pega um determinado vídeo e coloca-se o rosto de outra pessoa à guisa de piadas, normalmente, mas que está sendo usada até no cinema. Quem adora fazer uso desta técnica é o Bruno Sartori. Sim, você bem que gostaria de fazer seu próprio deep fake, mas seu PC da década de 90 não está lá muito apto para isso. mas não se desanime!

Continuar lendo “Anime fotos e deixe-as com movimento”

Analisando séries e filmes de super-heróis II

A força além da super-força

Tudo bem, você acha que o primeiro super-herói foi o Super-Homem. Não foi. A ideia de criar super-humanos já estava presente mesmo em Bewoulf, mas se formos ver bem. Hércules era um semideus e Aquiles foi mergulhado no rio Estige e ganhou invulnerabilidade. O problema é que a mãe dele era idiota e não mergulhou totalmente, deixando os pés e tornozelos de fora. O calcanhar de Aquiles era seu Calcanhar de Aquiles, sua Kriptonita.

Continuar lendo “Analisando séries e filmes de super-heróis II”

Guia de Viagem para um Buraco Negro

Chegando a época das férias e você aí querendo dar um rolé por um Buraco Negro? Calma lá, amiguinho! Você tem umas coisinhas que precisa saber antes de picar a mula espacial para lá. Mete a mão no passaporte intergaláctico que vamos aprender um pouquinho sobre estas coisinhas lindamente mortais, que são os Buracos Negros.

Sim, videozinho na faixa, devidamente legendado em português. Manda ver!

Continuar lendo “Guia de Viagem para um Buraco Negro”

Um stop-motion aguado, mas muito legal

Este é o making of de um comercial da Gatorade. Nele, gotas de água adquirem “vida”, se movimentam e praticam vários tipos de esportes. Não foi feito em CGI, o que seria de se esperar em tempos de hoje, com resultados bem realistas, mediante o que temos visto por aí. Neste caso foi usado o bom e velho efeito estroboscópico.

Continuar lendo “Um stop-motion aguado, mas muito legal”

Pho, um Fóton Mucho Loco!

Sim, você leu isso com a voz do locutor da Sessão da Tarde. A NASA usa emissões de fótons de laser para medir as espessuras de camada de gelo da Terra. Para tanto, uma rajada com 10 mil pulsos é emitida, em que os fótons batem na camada de gelo e voltam até o sensor. Os dados são registrados e tabulados, e assim pode-se ter um vislumbre da espessura do gelo.

Esta animação foi criada e produzida por estudantes de arte do Colégio Arte em Design Savannah, na Geórgia, EUA. O funcionamento do laser inspirou os alunos para criar o personagem de Pho e sua aventura.

Continuar lendo “Pho, um Fóton Mucho Loco!”

Matemática animada em animação

Matemática é algo muito abstrato, mas nada impede que você a transforme em algo concreto. Foi assim que nós a desenvolvemos. Desde o duas maçãzinhas até fractais. O ensino Matemática parece ter esquecido disso e tudo ficou monótono com contas que muitas vezes carecem de se.tido, e Matemática nunca foi fazer contas. Contas´são as ferramentas que a Matemática usa, assim como um martelo é a ferramenta do carpinteiro.

A animação a seguir mostra facilmente alguns conceitos matemáticos que de forma visual ajudará a entender um pouco mais sobre ela. E lembre-se: Pi ter valor 3,1415… significa muito pouco enquanto número, mas é de extrema importância quando o usamos para entender geometria por exemplo. Curtam aí:

Continuar lendo “Matemática animada em animação”

Disney faz milagre até com areia

Há um erro recorrente das pessoas. A maioria delas acha que Disney trabalha com cinema de animação. Disney não trabalha com animação, Disney produz magia. As coisas que eles fazem está mais para bruxaria da pesada e, dizem, que eles têm conjuntos de servidores com placas de vídeo voodoo pra isso (se você riu, parabéns! É velho). A qualidade vem de ampla pesquisa e desenvolvimento, rendendo inúmeros artigos científicos. Animação não é ficar mexendo com massinha… Bem., até é, mas ciência aplicada e que diferencia seu filho das animações da Disney.

Agora, os nerds da Disney desenvolvem sistemas para renderizar objetos granulados, como areia, açúcar etc,de forma mais rápida.

Continuar lendo “Disney faz milagre até com areia”

Os maravilhosos olhos animados da Disney

Uma das coisas que me faz rir muito é o pessoal que fica chilicando dizendo que os novos filmes de Guerra nas Estrelas (Star Wars my ass!) serão um fracasso. Também disseram isso quando a Disney comprou a Marvel (e eu chamo carinhosamente de Disvel). Hoje, vemos o poderio que são os filmes baseados nos heróis da Marvel, que faturam infinitamente mais que os quadrinhos. O pessoal parece que esqueceu uma coisa simples: Disney INVENTOU o cinema de animação! Inventou a técnica que usava fundo amarelo e um prisma que separava a cor amarela das outras cores, podendo fazer um perfeito chromakey, que foi usado no filme Mary Poppins, de 1964.

Não só isso, a Disney esmaga, amassa, esmigalha, destroi, aniquila e cospe em cima de qualquer coisa que ouse fazer algo sequer semelhante com o que ela fez com Frozen, cujos algoritmos para renderizar neve estão mais para bruxaria, com Pai Walter de Ogum conclamando os antigos espíritos do mal. Agora, vemos a seguir como eles estão digitalizando e renderizando algo tão simples e tão complicado quanto… olhos!

Continuar lendo “Os maravilhosos olhos animados da Disney”

E se a Lua tivesse o tamanho de um pixel?

Eu já fiz modelos do Sistema Solar quando era criança. Hoje em dia, é difícil isso acontecer, pois ele não contextualiza sistematicamente os vieses sócio-culturais de populações ribeirinhas, nem discute temáticas problematizadas da moderna conjuntura sociológica. nos acostumamos com o que vem nos livros e pronto. Muito mal a "professora" falará mais sobre isso do que uma ou duas aulas, já que há muito conteúdo a ser dado, nem que seja de forma rápida, errada e com muito pouca importância e/ou interesse.

A bem da verdade, todos os modelos estão errados, se fôssemos privilegiar as escalas. O problema é que é tudo tão grande que não se tem como mostrar de outra maneira. Podemos, entretanto, ilustrar isso com um exercício de imaginação: Se a Lua tivesse o tamanho de um pixel, como seria o Sistema Solar?

Continuar lendo “E se a Lua tivesse o tamanho de um pixel?”