Mulheres hackeiam o sistema de segurança do iPhone X

Nenhum sistema é seguro. NENHUM. Quem falar o contrário, ou é absurdamente imbecil, ou é a dona da empresa que produz este sistema e convence pessoas imbecis que é seguro. Agora, a Apple, famosa por inovar como nunca copiando como sempre, inventou que PIN, senha e impressão digital é coisa de velho; não que impressões digitais sejam muito seguras, também. Quanto à senhas, bem, se você coloca a data de aniversário do seu cônjuge, você tem mais. Eu, por exemplo, prefiro usar nome de proteínas. Sendo assim, Apple veio com uma grande novidade que ninguém tinha pensado: reconhecimento facial. Agora, só você poderá desbloquear seu aparelho.

Só que hackearam o aparelho já. Malditos especialistas em Informática, hackers, crackers, breakers.

Continuar lendo “Mulheres hackeiam o sistema de segurança do iPhone X”

A tecnologia que vingou CSI

Eu gosto muito das séries que mostram laboratórios forenses, como a coletânea CSI, Bones, Body of Proof etc. Me divirto não só com o roteiro como com as soluções mirabolantes que nunca passariam num tribunal por serem, no mais das vezes, provas circunstanciais (não que provas circunstanciais não mandem pessoas pra cadeia, independente se são culpadas. Ganha quem tiver o melhor advogado). às vezes inventam tecnologias que não existem ou processos sem o menor embasamento científico ou como se usar um espectrofotômetro de massa ou um RMN fosse a coisa mais trivial do mundo.

Não raro, sempre se deparam com alguma câmera de vigilância ou foto tirada por celular de 1,99, mas acabam obtendo detalhes límpidos e claros, que levam à prisão do meliante. Ficção? Mais ou menos, pois um grupo de pesquisadores parece que conseguiu o que parecia algo risível nas séries: reconhecimento facial de rostos que apareceram refletidos em pupilas que tinham sido fotografadas.

Continuar lendo “A tecnologia que vingou CSI”