Jesus é o cacete! Na Islândia, é Thor nas cabeças

Thor, filho de Odin e Jord, esposo de Sif (rala peito, Jane Foster, sua chata), portador digno do Mjolnir, ostentando o cinto sagrado Megingjord, senhor dos Trovões, relâmpagos e tempestades, o que lutou com Jörmungandr nos fins dos tempos em pleno Ragnarok. Thor, o guerreiro, teve veneração substituída por um carpinteiro meia-boca que foi parar num pau-de-arara. Mas agora essa parada vai mudar: número de adoradores de Thor duplica na Islândia.

Continuar lendo “Jesus é o cacete! Na Islândia, é Thor nas cabeças”

Halloween: Mais um dia doido

Bem, Estamos no final do dia 31 de outubro. Se você não se meteu num buraco (ops) nos últimos anos, deve saber que o Brasil foi colonizado adquiriu festividades norte-americanas; entre elas o Halloween, o Dia das Bruxas, All Souls Even, Véspera de Todos os Santos, Antevéspera de Finados, Véspera do Samhain, Fim do Ano Celta, entre outras bobagens que importamos, só faltando comemorarmos Dia de Ação de Graças e os restaurantes oferecerem peru com torta de abóbora, onde nos vestiremos como peregrinos, enquanto matamos índios para darmos em oferenda a São Custer.

Colégios, mercados, TV, rádios, jornais, Internet etc, um monte de veículos de informação (ou nem tanto) venerando um dia sem significado algum para brasileiros. Deixem-me contar um segredinho: a maioria da população brasileira não descende de celtas (não é meu caso, eu sou descendente de irlandeses). Mas, como bons imitadores, os brasileiros querem ser “chiques” bancando americanos. Cool! Continuar lendo “Halloween: Mais um dia doido”

A origem cósmica do carnaval

Por Ronaldo Rogério de Freitas Mourão

A vida humana está associada a fenômenos astronômicos e a ciclos naturais, tais como o ano e o dia que permitiram a elaboração dos calendários civis e religiosos, onde as grandes festas universais, como a Páscoa, o Natal etc., constituem lembranças astronômicas de grande importância histórica e econômica para a época em que foram instituídas. Muitas dessas tradições de origem pagã foram absorvidas pelas religiões atuais do mundo ocidental. A grande maioria dos foliões do nosso carnaval, ao se divertir, não sabe que estará inconscientemente fazendo apelo a uma reminiscência astronômica de origem solar. Continuar lendo “A origem cósmica do carnaval”