Ministério da Defesa japonês desenvolve o protótipo da Estrela da Morte

Estamos aqui, alegres e contentes contemplando o mundo, mal sabendo do que nos aguarda. Japoneses normalmente (eu sei que “Japão” e “normal” são duas palavras que se estranham mutuamente) têm um pé no futuro, mas, pelo visto, eles agora resolveram meter um pé no passado… bem no passado, numa galáxia muito, muito distante.

Numa apresentação do Ministério de Defesa japonês, foi mostrado o protótipo de uma esfera voadora (curiosamente sem tentáculos) capaz de se mover em todas as direções. BRACE YOURSELVES!

Continuar lendo “Ministério da Defesa japonês desenvolve o protótipo da Estrela da Morte”

Arquimedes usou espelhos para atear fogo em barcos romanos ou isso é ficção?

espelho_arquimedes.jpgArquimedes é conhecidíssimo de quem estuda História da Ciência, mesmo que por alto. Ao que se sabe, ele teria nascido em cerca de 287 A. E.C., em Siracusa, na Sicília e, antes que você pense besteira, ele não era mafioso. Muitas histórias rondam Arquimedes, mas sabe-se que ele era um notável matemático e inventor. Uma das mais conhecidas é quando Hierão, rei de Siracusa, mandou fazer uma coroa e ficou desconfiado do ourives. Daí, chamou Arquimedes para resolver o problema. Arquimedes, ao tomar banho de assento imersão viu que a água transbordava e, assim, viu que a quantidade de água transbordante era igual ao volume de seu corpo. Ele saiu correndo pelado pela cidade gritando Eureka e não se sabe o que aconteceu com o ourives, que na certa não teve final feliz.

Outra história comum de Arquimedes diz que ele usou espelhos côncavos para incendiar navios romanos, durante a Segunda Guerra Púnica. Mas, será verdade? Sobre Hierão, não se sabe ao certo, só histórias. Sobre os espelhos… Quem sabe? Até que ponto isso é fato ou boato? É o que uma equipe de cientistas procurou saber, estudando a fundo a ciência envolvida por detrás disso.

Continuar lendo “Arquimedes usou espelhos para atear fogo em barcos romanos ou isso é ficção?”

Armas químicas usadas contra os romanos

ataque_romanoSegundo o pesquisador Simon James, cerca de 20 soldados romanos, encontrados em um sítio na antiga cidade de Dura-Europos, localizada no atual território da Síria, foram mortos não devido a ferimentos de espada ou lança, mas sim por asfixia.

Os corpos de soldados romanos foram encontrados em escavações realizadas na década de 1930. Eles estavam em uma galeria estreita, com menos de 2 metros de altura e de largura e cerca de 11 metros de comprimento, e ainda portavam suas armas.

Clique aqui para ler o restante deste artigo »