As origens das estrelas numa tela de computador

As maiores de todas as indústrias químicas são as estrelas. Suas incríveis forças transformam gigatoneladas de hidrogênio em diferentes elementos químicos, para depois explodirem (ou não) espalhando todo o seu material estelar por todos os cantos do universo, produzindo coisas como o Sistema Solar ou o Jair Bolsonaro (eu nunca disse que era tudo perfeitinho).

Suas formações demoram, oriundas da ação gravitacional de imensas nuvens de gás, o que por si só dá um nó na cabeça. Uma nuvem de gás imensa dando origem a uma bolona de fogo (eu sei, EU SEI!). Mas é meio difícil ver isso hoje em dia. Sendo assim, apelamos para simulações computadorizadas.

Continuar lendo “As origens das estrelas numa tela de computador”

Brasil dá calote na conta de luz e supercomputador é desligado

É injusto dizer que o Brasil tem muitos problemas. Não tem! O único problema do Brasil é ser o Brasil. Aqui, tudo é empurrado com a barriga, de preferência ladeira abaixo, ou pelo poço adentro, tentando encontrar o fundo. Bem, o Brasil já passou pela Samara chegou no fundo do poço, e tá cavando com a dívida da Linha 4 do metrô do Rio de Janeiro.

Nosso querido supercomputador (sim, temos um. Incrível, não?) Santos Dumont (encurtado para SDumont), foi desligado porque, UAU!, Brasil é tão tosco que não pagou a conta de luz. Maico Jáquison, o técnico da Light veio e meteu o alicatão, cortando a luz do Laboratório Nacional de Computação Científica (sim, temos isso também, mas você não sabe, porque o Brasil odeia Ciência).

Continuar lendo “Brasil dá calote na conta de luz e supercomputador é desligado”

Supercomputação pode emular mais de 500 bilhões de neurônios. Quero uma aspirina

3 anos de pesquisa são muita coisa e nada ao mesmo tempo. Pensamos que que a Ciência caminha a passos lentos, e até não estaríamos errados ao pensarmos que modelos cosmológicos começaram nos tempos de filósofos pré-socráticos, para depois os pós-socráticos até que seu vizinho resolveu apontar a luneta pro céu, já que a vizinha estava com frio e fechou as cortinas. Mas também a Ciência é rápida. Desde a confirmação da existência do átomo por Albert Einstein, analisando o movimento browniano até uma bomba atômica cair em Hiroshima demorou cerca de 40 anos.

Em 2009, a IBM anunciou um progresso significativo para a criação de um sistema de computador que simula e emula as habilidades do cérebro; mas parece que eles resolveram desdenhar a ignorância e partiram logo para a boçalidade em termos tecnológicos, criando um sistema capaz de emular muitos BILHÕES de nossos queridos neurônios.Sim, pode começar as piadinhas sobre o Skynet, exterminadores ou mesmo o Bender. Eu aguardo.

Continuar lendo “Supercomputação pode emular mais de 500 bilhões de neurônios. Quero uma aspirina”