Tudo o que você precisa saber sobre Titã

O titânico Titã é gigantesco; uma das maiores luas (ok, satélite natural) do Sistema Solar. Ele é um mundo à parte. Talvez, as respostas de como chegamos aqui estejam lá. Talvez as respostas para perguntas que ainda não foram feitas é que estejam. Um lugar maravilhoso e complexo, lindo e mortal. O que atualmente sabemos sobre ele?

Continuar lendo “Tudo o que você precisa saber sobre Titã”

Explorando o Sistema Solar

A aventura humana começou há muito, muito tempo. Ela continua até hoje, pois se oceanos não nos impediram de chegar em novas terras, novos mundos, não será o vazio do Espaço que irá nos impedir.

O espaço está lá nos aguardando e há muito o que se visitar, muito o que explorar e muito o que se descobrir. Primeiro foi o quintal de casa, depois, outros lugares além do Mar Vermelho, depois, outros continentes. Já fomos à Lua e a próxima parada é Marte. Próxima, mas não última.

Continuar lendo “Explorando o Sistema Solar”

As prateadas fases de luar para 2021

Olá, como estão as férias de vocês? Ops, vocês não estão de férias, nem passeando nem se divertindo nem nada que um ser humano normal faz quando está de saco cheio de tudo e tem uma brecha no tempo? Que pena! Eu estou aqui curtindo meu tempo. Onde estou, o ar é limpo e posso ver o céu estrelado, o nascer do Sol e o brilho da Lua ainda que não seja exatamente o brilho dela, mas quem se importa com extrema correção científica? Continuar lendo “As prateadas fases de luar para 2021”

Um eclipse visto de cima

Eclipses são uma maravilha da Natureza entre muitas maravilhas. Um dos motivos é sua raridade. Afinal, pôr-do-sol tem todo dia, Lua cheia, já nem tanto. Eclipses então, são bem mais raros.  Estamos acostumados a vê-los daqui “embaixo”, mas como é a aparência da Terra durante um eclipse solar total?

Continuar lendo “Um eclipse visto de cima”

Os pés no chão… em outro mundo

Este talvez seja o maior de nossos símbolos que retratam a capacidade humana de resolver problemas e realizar feitos maravilhosos em tão curto espaço de tempo. Esta marca é uma pegada, uma rara pegada, uma magnífica pegada, e a pegada é de uma bota, e a bota no pé, o pé na perna, a perna no corpo, o corpo em pé, em pé no chão, o chão no mar da tranquilidade-O. Continuar lendo “Os pés no chão… em outro mundo”

A múltiplas cores da Lua

Todos nós sabemos a verdadeira cor da Lua. Ela com seu branco límpido, lisos e perfeitos, cujos raios prateados iluminam nossa existência. Bem, ela não é branca, não tem uma cor límpida, não é lisa, nem perfeita; sequer mencionarei a parte dos raios, já que não somos como os redatores da Bíblia e sabemos que ela não tem luz própria.

Ainda assim é bela. Continuar lendo “A múltiplas cores da Lua”

O que sabemos sobre Enceladus?

Enceladus é o incrível mundo gelado do sistema de Saturno. Seus mistérios ainda estão sendo descobertos aos poucos, mas já sabemos muito sobre ele; mesmo porque, uma mísera informação a mais já é muito mais do que se sabia até então. Sua brilhante superfície reflexiva feita de gelo e metano em forma sólida o faz o astro mais brilhante se só levarmos em conta os corpos sem luz própria.

Continuar lendo “O que sabemos sobre Enceladus?”

As voltinhas que nossa Lua dá

lua

Ninguém vê a Lua em toda sua grandiosidade. Ok, pelo menos, ninguém aqui  na terra. Por causa da sincronia do seu movimento com a terra, a mesma face fica sempre virada para nós. Só que nós temos duas coisas fantásticas: nosso conhecimento científico e nosso desenvolvimento tecnológico. Isso nos possibilitou ver a Lua em movimento de rotação, mostrando todos os seus segredinhos que ela pensou estarem escondidos.

Continuar lendo “As voltinhas que nossa Lua dá”

Os polos agitados de Enceladus

Enceladus é uma das maravilhas do mundo saturniano. Ela foi descoberto em 28 de agosto de 1789 perlo astrônomo William Herschel, sendo um dos astros mais refletivos do Sistema Solar, embora seja muito pequeno: cerca de 400 km de diâmetro, enquanto o diâmetro equatorial da Lua (a “nossa” lua) possui mais de 3.400 km de diâmetro. Em 1980, quando a Voyager passou por Enceladus, foram tiradas algumas fotografias, onde via-se um satélite com muitas crateras em seu hemisfério norte, mas poucas crateras no hemisfério sul. Enceladus possui muitos gêiseres, e ao expulsar a água quente em alta pressão, se congela no meio frio do Espaço. Parte deste gelo é atraído de volta a Enceladus e outra parte foge do campo gravitacional do satélite.

Não apenas isso, Saturno é 95 vezes mais massivo que a Terra, e a órbita ao redor do Senhor dos Anéis é de insanas 33 horas, uma hora mais lenta que uma Uno com Escada faria, mas ainda assim é um valor absurdo. Quando a sonda Cassini-Huygens passou por Enceladus, tirou fotos de uma área no hemisfério Sul que recebeu o nome de “Garras de Tigre”: quatro fendas paralelas, semelhantes às falhas geológicas que separam as placas continentais, como acontece no limite entre a placa das Américas e a da Europa. À medida que Enceladus orbita Saturno, é amassada que nem massa de pão pelas titânic… saturnânicas forças gravitacionais do planetão. É isso que promove o calor no interior do satélite.

Continuar lendo “Os polos agitados de Enceladus”