Sobre dar o Koo, medievalismo e outras providências

As coisas no Twitter estão estranhas, mas parecem que vão se encaminhar, apesar dos histéricos. Elon Musk descobriu que Twitter era um cabide de emprego, com funças agindo como se aquilo fosse uma repartição pública (nem vou dizer brasileira, pois todas as repartições públicas são iguais). Então surgiu o Koo e todo mundo foi pro Koo e o Koo tá bombando.

Continuar lendo “Sobre dar o Koo, medievalismo e outras providências”

Jovem cozinha frango com xarope e acha que está abafando

Jovem é uma praga. Ainda mais jovem com rede social. Não apenas isso, o jovem que quer hitar na Internet e fica inventando “desafios” idiotas que outros jovens acéfalos podem até tentar fazer, mas acaba sendo só replicação. De qualquer forma, as agências de saúde preferem o dito pelo não dito, e correm para explicar que aquilo que o Jovem Maldito está fazendo vai dar merda.

Um exemplo corrente é o bando de idiotas fritando frango em xarope e o FDA, a Anvisa dos EUA, correu para dizer o óbvio: vai dar ruim, imbecis! Continuar lendo “Jovem cozinha frango com xarope e acha que está abafando”

Mentira tem perna curta, é cabeluda e mata pessoas

Eu vivo falando para as pessoas não compartilharem merda. Claro, sou ignorado. Pessoal acha que as historinhas tristes merecem ser compartilhadas, mesmo quando está na cara que são mentira. Mas o que custa? Vai que é verdade? Bem, pergunte a Daniel Picazo. Por causa de uma fanfic, ele foi assassinado.

Continuar lendo “Mentira tem perna curta, é cabeluda e mata pessoas”

Museus de Viena abrem conta no Onlyfans para você ver nudes

Todo mundo sabe que Internet is for porn. Alguns provedores de conteúdo fingem que não é assim, ainda mais os de redes sociais, vivendo um misto de carolice com buscas de ganhar dinheiro, mas sem querer desagradar todo mundo. Isso leva a situações engraçadas e trágicas quando redes como Instagram e Facebook banem contas que colocam fotos explícitas, como a que abre este artigo.

Sim, obras de arte como esculturas e pinturas. O que se faz, então? Ora, parte-se pra repositório de peladezas, ué: o Onlyfans.

Continuar lendo “Museus de Viena abrem conta no Onlyfans para você ver nudes”

Os rótulos nossos de cada dia

Uma das coisas que eu acho fascinante é como os termos mudam de significado com o passar do tempo. Às vezes, nem mudam, principalmente quando fica restrito ao mundinho ilhado da Internet. Sim, a Internet é uma ilha, um nicho; é tipo Las Vegas. O que acontece na Internet fica na Internet. Do lado de fora os “levou os internautas à loucura” não significam nada. Ainda assim, tentam mudar o significado das coisas. Continuar lendo “Os rótulos nossos de cada dia”

Maioria das postagens em redes sociais são de gente drogada

Como vocês, eu também uso rede social. Para mim, Twitter está de excelente tamanho. Era fã do Orkut, mas ele não existe mais, enquanto Facebook é apenas um culto ao ego, com pessoas postando, mas dificilmente lendo, pois, a plataforma é péssima para encontrar conteúdo. O problema é que mesmo meu uso reduzido de rede social me faz entrar em contato com um mundaréu de gente esquisita, tola, burra e totalmente maluca, chegando ao ponto de achar que vagabundo está sob efeito de altíssimos alucinógenos.

Bem, parece que não estou tão errado. Uma pesquisa aponta que a maior parte das postagens em mídias sociais, mensagens de texto e fotos são de pessoas que estão sob o efeito de drogas.

Continuar lendo “Maioria das postagens em redes sociais são de gente drogada”

Redes sociais moldam alimentação de crianças. Finja surpresa

A programação infantil televisiva praticamente acabou no Brasil. Ou se tem programas para donas-de-casa ou programas evangélicos. Um dos culpados é efetivamente não ter patrocinadores para programas infantis, pois a legislação brasileira proíbe publicidade dirigida a crianças menores de 12 anos na Constituição, no Código de Defesa do Consumidor, no Estatuto da Criança e do Adolescente e na Resolução 163/2014 do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. Se você não pode veicular seus produtos, por que você iria patrocinar um programa a um público-alvo que não é o seu. É tipo no intervalo da novela Aventuras de Jesus, da Record, tiver propaganda do Terreiro de Umbanda Caboclo Feliz. Uma emissora só mantém programação mediante financiamento por patrocinadores e audiência. Se não tiver nenhum dos dois, já era, vai pra vala.

Agora vem o mais engraçado. Esse esforço contra publicidade na TV não está dando muito resultado, já que – SURPRESAAAA!!! – temos outras formas de mídia, essas “outras formas de mídias” (leia-se: redes sociais) estão afetando negativamente na alimentação de crianças.

Continuar lendo “Redes sociais moldam alimentação de crianças. Finja surpresa”

Partisans do Imposto de Renda caçam ostentadores “pobres”

Eu já tinha dito antes que o Big Brother são seria um mecanismo nefasto de um governo autocrático. Seria cada um de nós, tomando conta de todos os vizinhos. Ninguém estaria seguro e isso por culpa de nós mesmos, colocando toa a nossa vida online. Falam tanto de privacidade, mas colocam de um tudo nos Instagrams, Facebooks e Whatsapp da via. Acham que seu WhatsApp tem camada de criptografia? Sabe onde fica? Nos servidores do WhatsApp, não no seu celular. O celular que você dá o seu número para o contato que quer conversar pelo aplicativo acima. Quem mais quer privacidade é o que mais se expõe, facilitando quem quiser fuçar a sua vida. Sabem quem conta com isso? Dois tipos de criaturas nefastas, vindas das profundezas abissais: bandidos virtuais e agentes do Imposto de Renda.

Continuar lendo “Partisans do Imposto de Renda caçam ostentadores “pobres””