Stephen Hawking tem medinho da Inteligência Artificial malvada

Eu tenho muitas opiniões. Às vezes eu mudo, mas algumas não tem como. Eu sustentarei até a morte. Uma delas é que o Stephen Hawking já morreu, sua cadeira adquiriu consciência e fica arrastando o cadáver de um lado pro outro enquanto fala com todo mundo, enganando os manés fazendo-os pensar que estão falando com o próprio Stephen.

Agora a cadeira, digo, o Hawking soltou mais uma das suas ao pedir aos líderes mundiais que mantenham a tecnologia sob controle antes que ela possa destruir a humanidade. Tenho certeza que um modo do Skynet desviar as atenções.

Continuar lendo “Stephen Hawking tem medinho da Inteligência Artificial malvada”

Cientistas pesquisam máquinas para tomada de decisões éticas

Não é de hoje que filósofos, pensadores e pedantes metidos a intelectuais se preocupam com a definição de Ética. Alguns alegam que ela aparece nas sociedades animais, mas é bem certo que esses filósofos nunca presenciaram a Natureza; pois, se o fizessem, veriam que a Natureza não tem nada de ética ou moral, pois tudo isso são conceitos humanos, de humanos para humanos, variando de sociedade para sociedade; mesmo porque, são conceitos particulares. Poderíamos, portanto, empregar conceitos de Ética e Moral para simples máquinas? Bem, é o que cientistas de Portugal e da Indonésia pesquisam, de modo a descrever uma abordagem para a tomada de decisões automáticas, mas com senso de moralidade. É o que a pesquisa, baseada em lógica computacional, descreve na última edição do International Journal of Reasoning-based Intelligent Systems. Continuar lendo “Cientistas pesquisam máquinas para tomada de decisões éticas”