Por que a noite é escura?

As perguntas mais simples são as mais complicadas de responder. As respostas em si até são simples, mas demanda certa abstração. Quando adultos, nos acostumamos a certos “fatos” da vida. O Sol brilha de dia, a Lua aparece de noite. O Sol é responsável pelo dia, por causa do brilho intenso e fim, acabou. Mas porque a Lua não tem dia claro, se é iluminada pelo Sol? Crianças não têm pudor de perguntar coisas simples, mesmo que nos pareça idiota. Nenhuma pergunta é idiota se é movida pela curiosidade. Mas, afinal, o que a noite, padres e a evolução do Universo tem a ver com o dia claro?

Olhando para o Céu Azul, inspiro-me em mais um capítulo do Livro dos Porquês!

Continuar lendo “Por que a noite é escura?”

A reconstrução do sobrevoo da Apollo 16

Eu adoro as Missões Apollo. A maravilha que foi terem que criar tecnologia que não existia para um grande feito. Todas as missões foram uma prova de quando se quer, se consegue, ainda mais quando se tem dinheiro, obviamente. Nenhum problema em engenharia é insolúvel tendo tempo e dinheiro! A Apollo 16 não é uma exceção.

Continuar lendo “A reconstrução do sobrevoo da Apollo 16”

As sacudidas da Lua

Estamos acostumados a astros orbitando o Sol, assim como a Lua orbita a Terra. Pensamos que est órbita é delicada e suave, e até pode ser, mas aos nossos olhos. A Lua tem uns “tremeliques”. Chamamos isso “libração”, do latim “librare”, que significa “balançar”, porque é esta a impressão que tempos: a Lua está dando umas sacodidas.

Continuar lendo “As sacudidas da Lua”

Quando Galileu, o voyeur, ficou observando duas senhoras se encontrando

Em 18 de outubro de 1989, teve início oficialmente a missão Galileo com o lançamento de que consistiria de um orbitador e de um sonda atmosférica  para estudar o planeta Júpiter, seus satélites e o que estivesse dando sopa no Sistema Solar. Sim, nós inclusive. Nós e a Lua.

Continuar lendo “Quando Galileu, o voyeur, ficou observando duas senhoras se encontrando”

Uma Lua passando por nossas vidas e nós nem nos damos conta

Esta semana nós tivemos uma belíssima Lua Cheia. Eu sei, a gente olha pra cima, e diz “que beleza, Lua Cheia”, mas quanto tempo ficamos observando? Com certeza, não horas a fio. Mesmo porque, haja paciência, também. Por isso, eu gosto dos vídeos em lapso de tempo. Podemos admirar horas em poucos minutos. As nuvens ocasionais passando, algumas vezes encobrindo a Lua, mas de repente ela está lá, resplandecente e bela, como sempre.

Continuar lendo “Uma Lua passando por nossas vidas e nós nem nos damos conta”

Iapetus: o satélite esquisitão de Saturno

Iapetus (eu me recuso a chamar de Japeto) é o terceiro maior satélite natural de Saturno. Ele (Iapetus, não Saturno) possui diâmetro de 1.471,2 quilômetros e um período orbital de 79,32 dias, e cuja distância até seu planetão controlador é de 3.564.300 km. Para você ter uma ideia, nossa Lua tem diâmetro de 3.474,8 km e está a uma distância de 384.400 km.

Continuar lendo “Iapetus: o satélite esquisitão de Saturno”

Uma sombra que passa, uma Lua que não se esconde

Durante esta semana, tivemos um eclipse lunar, quando a sombra da Terra fica no caminho do trânsito da Lua. A bem da verdade, a Lua não desaparece, mas fica avermelhada, já que o brilho do Sol é muito forte e parte de seus raios passam pela atmosfera terrestre.

O vídeo a seguir é um timelapse de um eclipse de 5 horas, tendo ocorrido em 31 de janeiro de 2018.

Continuar lendo “Uma sombra que passa, uma Lua que não se esconde”

Apollo 14 e um passeio pela cratera Cone

Depois de pousar na Lua em fevereiro de 1971, os astronautas da Apollo 14 partiram em uma caminhada em direção à cratera Cone. Andar por este terreno provou ser uma tarefa difícil, e eles não chegaram à borda da cratera, mas conseguiram cumprir seus objetivos científicos ao longo do caminho.

Continuar lendo “Apollo 14 e um passeio pela cratera Cone”