Um corante do passado ajudando na ciência do presente

Esta aqui do lado é Nefertiti. Ela foi a esposa real (nos dois sentidos) de Akhenaton, rei da 18ª Dinastia. Foi uma das dinastias mais ricas, prósperas e poderosas do Egito. Depois que Akhenaton morreu, o trono deveria ir para o filho Tutancâmon. Só que o moleque ainda era pequeno e Nefertiti assumiu o como Neferneferuaten, chegando a usar barbas postiças (no Egito, mulheres não poderiam governar como rainhas, só homens, mas Nefertiti mandou todo mundo reclamar com Aton, o deus que Akhenaton estabeleceu como deus único.

Este busto de Nefertiti mostra o esplendor e gloria do Egito, ainda mais pelo chamado “pigmento azul egípcio”, caríssimo de se obter, sendo por isso, símbolo de realeza. Hoje, pesquisadores olham para este pigmento e pensam “o que de legal podemos extrair disso?”

Continuar lendo “Um corante do passado ajudando na ciência do presente”