Gente “esperta” que se consultou com doula, tomou chá da lata e o feto teve má-formação. Parabéns, pessoal

2000 anos de Medicina nos preveniu várias doenças e aumentou nossa expectativa de vida para cerca de 70 anos (no início do século XX era de 40. Há 1000 anos era de uns 15 anos, e aos 12 você já estava pedindo pra morrer). Erradicamos várias doenças, fazemos microcirurgias, muitas vezes só com uma pequena incisão, não deixando nem cicatrizes. Mas aí chega o século XXI e temos o que? Um bando de millenials que cismaram que o bão mesmo é ter filho com parteira. Péra, parteira não. Parteira é coisa de pobre. Eles chamam “doulas” (é uma parteira hipster).

Eu já tinha publicado que isso dá MUITO certo (SQN). Agora, o que noticiaram? Mulherada reclamando que a doul… a parteira hipster “receitou” chazinho que causa malformação fetal. Eu até riria se não fosse trágico. Não, péra! Eu rio, mesmo. Ninguém manda ser imbecil que ainda vive na era pré-científica.

Continuar lendo “Gente “esperta” que se consultou com doula, tomou chá da lata e o feto teve má-formação. Parabéns, pessoal”

Deputados espanhóis que votarem a favor do aborto não poderão comungar

Faz tempo que os enviados de Satã representantes da ICAR não davam exemplo de sua tosca idiotice. O secretário-geral da Conferência Episcopal Espanhola, Sith-Mor da região, e comandante-em-chefe dos stormtroupers vaticanianos do local, Juan Antonio Martinez Camino afirmou que os deputados espanhóis que votarem a favor do projeto de lei do aborto “estão objetivamente em pecado”, portanto, não poderão comungar na Santa Missa, numa incrível demonstração como a ICAR é boazinha com quem não segue seus preceitos idiotas.

A bem da verdade, esta seria uma excelente matéria para a Sexta Insana, mas por que esperar? Com vocês: QUINTA INSANA! Continuar lendo “Deputados espanhóis que votarem a favor do aborto não poderão comungar”

Coluna feminina se adaptou para suportar peso da gravidez

Cientistas encontram diferenças estruturais entre espinha dorsal de homens e mulheres. Alterações parecem ter surgido há cerca de dois milhões de anos.

Alegrias da maternidade à parte, carregar um bebê no ventre é um peso – literalmente. E para se adaptar a um organismo em crescimento em frente a uma coluna projetada inicialmente para animais quadrúpedes, as mulheres tiveram que sofrer algumas mudanças, de acordo com um estudo divulgado nesta semana. Os pesquisadores encontraram alterações estruturais na coluna de mulheres, que não existem nem em homens nem em macacos, feitas especialmente para abrigar uma nova vida com conforto para a futura mamãe. Continuar lendo “Coluna feminina se adaptou para suportar peso da gravidez”