Uma nostalgia celular

Atualmente, os celulares são os aparelhos mais sem graça que existe, mas não foi sempre assim. Eu me lembro do meu primeiro celular, meu mesmo. Era um Ericsson A1228LX. Esse logo abaixo.

Com o advento da privatização, ficou fácil ter um celular pré-pago. Era o ano de 2000 e comprei na Casa & Video. Hoje, você nem precisa sair de casa. Mas… tem algo chato e eu acho péssimo: perdeu-se a graça dos celulares, principalmente no design. Celular hoje em dia é só pelo uso, não pela beleza, mas nem sempre foi assim.

Continuar lendo “Uma nostalgia celular”

Telescópio James Webb manda suas primeiras imagens

O James Webb é o telescópio espacial mais zicado, tendo sofrido inúmeros atrasos. Entretanto, agora está no ar… figurativamente, já que não  tem ar no Espaço, e eu nem sei por que eu tive que elucidar isso. Ou eu estou falando com idiotas ou estou tentando encher linguiça. Cartas para a redação.

Bem, o James Webb mandou as suas primeiras imagens. Elas podem ser um tanto quanto decepcionantes, mas isso tem um motivo. Continuar lendo “Telescópio James Webb manda suas primeiras imagens”

Hubble e James Webb: Os exploradores do Cosmos

Assim como o Hubble, o James Webb tem a missão de perscrutar o espaço. Juntos eles investigam a origem do cosmo, procurando respostas para o que aconteceu no Início. Com suas tecnologias, nós entendemos melhor o que tem lá fora e, assim, podemos entender a nós mesmos.

Continuar lendo “Hubble e James Webb: Os exploradores do Cosmos”

A sinfonia da distância do Universo

O Hubble Ultra Deep Field é uma imagem de uma pequena região do Espaço, mas de grande importância. Ela foi obtida por seguidas exposições do Telescópio Espacial Hubble entre 2003 e 2004, e é a imagem mais profunda do universo tirada em luz visível, registrando galáxias e estrelas como com seu brilho emitido há bilhões de anos. Com certeza, muitas dessas estrelas sequer existem mais, mas é um registro do passado, um “osso estelar” encontrado por um paleontólogo espacial que observa as entranhas de um Universo que há muito se modificou.

Esta imagem retrata um universo jovem, com idade entre 400-800 milhões de anos após o Big Bang. Muito antigo, não é, mesmo?

Continuar lendo “A sinfonia da distância do Universo”

Ranço estatal acha que ir ao Espaço é só para escoceses. Ou algo assim

Você deve ter visto que dois bilionários, Richard Branson e Jeff Bezos, foram ao espaço nos últimos dias. Isso está deixando muita gente irritada. Podem alegar que tanto a nave do Branson quanto a do Bezos não são foguetes de verdade. Bem, e daí? Vão dizer o que em seguida? As naves não são escocesas? Continuar lendo “Ranço estatal acha que ir ao Espaço é só para escoceses. Ou algo assim”

Uma viagem pela Nebulosa Órion

Como seria dar um rolé pela Nebulosa de Orion? A emocionante animação abaixo é baseada em dados astronômicos reais e técnicas adequadas de renderização de filmes. A representação modelada digitalmente é baseada em dados infravermelhos do Telescópio Espacial Spitzer, mostrando as maravilhas da nebulosa que possui cerca de 40 anos-luz de diâmetro e está localizada no mesmo braço espiral de nossa Galáxia que o Sol.

Continuar lendo “Uma viagem pela Nebulosa Órion”

Monstros espaciais travam batalha. Só pode haver um!

Todo mundo sabe que buracos negros são fascinantes, mas uma catástrofe. Se não uma catástrofe espacial, ele pode gerar coisas bem horrível, como o filme Interestellar. Até mesmo uma estrela se ferra se chega muito próxima de um buraco negro. A grande pergunta é “ok, mas o que acontece?” Continuar lendo “Monstros espaciais travam batalha. Só pode haver um!”

O modelo de ensino tradicional que forjou um império

Quando a gente fala “escola”, imediatamente se pensa em lousa, cadernos, anotações e professor corrigindo tarefa. Bem, não é muito diferente ao longo dos séculos, com alunos escrevendo as tarefas e os professores corrigindo usando TCHARAAAAAAAAAAN tinta vermelha.

Pedagogas chorando copiosamente agora. Continuar lendo “O modelo de ensino tradicional que forjou um império”

Automação: O Início

O ser humano é preguiçoso por natureza. Se não fôssemos, não teríamos inventado ferramentas e tecnologia. Um dos problemas dos índios é que, tendo tudo à mão, eles não tinham motivo para desenvolver tecnologia; mesmo porque, se você tem água em abundância, não precisa fazer aquedutos, se tem comida ao alcance da mão, não precisa desenvolver armadilhas para capturar peixes ou crustáceos. Se está num clima temperado, não precisa se preocupar com abrigos e proteção contra frio ou calor extremos. Sem necessidade, não há a busca por facilitar a sua vida, posto que ela é fácil, já. Este é o argumento principal de Armas, germes e aço, do Jared Diamond. Continuar lendo “Automação: O Início”