out 07

A Química é linda! Ela nos diz como o mundo é, como o Universo é composto, como nós surgimos, como mandar nosso vizinho pro inferno sem deixar pistas produzirmos medicamentos e substâncias que melhoram meios de produção, siderurgia etc. A Química é uma das maiores descobertas da Humanidade.

O chato é que aquele monte de letras e números jogados na lousa são desinteressantes. É muito chato ficar só nisso. Tudo a mesma coisa, não acontece nada. Feijoada! As aulas de laboratório, portanto, são essenciais para isso. Mas não seria legal se pudéssemos ver detalhes do que está acontecendo?

Clique aqui para ler o restante deste artigo »

set 29

Por anos eu não entendi a minha condição. Eu olhava as pessoas ao meu redor e percebi que era diferente delas. Eu não via o mundo como elas. Elas não aceitavam como eu era. Eu não podia fazer muitas coisas que os outros meninos faziam, dado a um problema que eu tenho, que eu nasci. Descobri logo cedo quem e o que eu era. Isso me deprimia. Eu queria ser igual aos outros, mas não era. Eu queria ser reconhecido como um igual, mas eu não era igual. As outras crianças perceberam e riam de mim. Estava na minha cara, não tinha como negar. Meninos e meninas apontavam para mim e riam "Lá vem ele", gracejavam. Mil e um apelidos me colocaram. Fui agredido verbal e fisicamente. E isso porque eu era diferente.

No colégio, os professores olhavam para mim com expressão de desaprovação. Eu não era perfeitinho como os outros. Era deixado de lado. Como estudei num colégio católico, era visto como uma imperfeição, perante as leis de Deus. Deus, esse cara que sempre fez tudo certinho e perfeito. Deus esse que não cometia erros e se eu era diferente, eu era o errado. Eu era uma abominação.

Clique aqui para ler o restante deste artigo »

set 27

Pense como seria jogar Rise of Nations na vida real. Pense que se você se apropriar de um determinado território, alguém irá querer lhe derrubar e você terá que lutar para expulsar os invasores. Pense que você terá que criar uma espécie de capitania hereditária, cunhar sua própria moeda, redigir leis e relegar aos seus descendentes o controle total sob o o lugar.

Isso até poderia ser a história do Brasil (e, em parte, é), mas estou falando de algo um tiquinho menor. Estou falando de uma micronação, Sealand e como a Inglaterra tomou na cabeça mais uma vez, envergonhando as rainhas Elizabeth I e Vitória.

Clique aqui para ler o restante deste artigo »

set 24

A ira do Filho de Odin acendeu-se frente a figura diante dele. Os ventos rugiram, o Sol começa a se esconder perante a batalha épica. Mjolnir ressoa alto, mas o poder ancestral no Irukerê de Oyá, a Senhora das Tempestades e Mãe do Céu Rosado (em Iorubá: Iansã) repele. Os mortais se escondem nas cavernas aterrorizados, cobrindo os ouvidos perante um som assustador. Relâmpagos cruzam os céus, aquecendo a massa de ar que se expande rapidamente e quebra a barreira do som, fazendo o mundo rugir com os trovões, o qual, obviamente, só será ouvido muito depois, já que na minha matemática 340 metros por segundo ainda é bem inferior a 300.000 quilômetros por segundo.

Mas há um poder maior que tudo isso e um homem que olha pra cima entende isso ao ver um raio atingir um avião, e o resultado foi…

Clique aqui para ler o restante deste artigo »

set 22

Desculpem a demora, amiguinhos e amiguinhas, mas, como sabem os que me seguem no twitter, estou atolada de estudos para o mestrado e a monografia. Quem me segue lá já deve ter me visto falando que sou gerativista, ou seja, sigo a corrente linguística do gerativismo, proposta pelo Noam Chomsky em meados da década de 50. O André me perguntou sobre isso esses dias, quando enfiaram o FoxP2 num rato pra ver no que dava. Então, vou falar um pouquinho sobre essa área da linguística.

Clique aqui para ler o restante deste artigo »

set 21

O homem com roupa estranha e gola esquisita está de pê, no campo molhado. O vento faz farfalhar sua capa. Os pés molhados não esfriam seu ânimo. Olhando a construção, e sentindo que o vento é seu amigo, mas o barulho ensurdecedor de madeira batendo agride sua autoestima, seu bom gosto e sua técnica.

O homem sabe que pode resolver aquilo. Ele resolve, usando talvez a mais inútil de todas as coisas à primeira vista. Ele com seu cérebro, o homem usa os poderes frios dos números para fazer milagres.

O homem é Simon Stevin, e se Simon diz pros números "Ajudem-me", os números fazem o que Simon mandou.

Clique aqui para ler o restante deste artigo »

ago 29

Eu já fui uma criança um dia. Não pegava gatinhos para sacrificar em honra a Satã (eram lagartos e em homenagem a Dagon). Diferente das crianças de hoje, que leem estas merdas de Percy Jackson, Dive-detergente e outras coisas toscas e mal-escritas. Eu vivi num tempo em que a gente se aventurava, não pelos profiles dos "amiguinhos" no Facebook para xingá-los ou escrevia besteira no Secret. Líamos clássicos como o Médico e o Monstro, O Último dos Moicanos entre outros títulos. Mas, claro, em termos de aventura, poucos se comparam e ele: o Pai da Ficção Científica Moderna: Júlio Verne.

Neste Scicast, eu e grande elenco formado por Carlos Cardoso, Roberto Pena, Eder Santana, Ronaldo Gogoni e Silmar Geremia conversamos sobre a vida e obra do francês que nos rendeu grandes histórias, magníficos personagens e aventuras que perdurarão por muito tempo.

Clique aqui para ler o restante deste artigo »

ago 15

Saiba, ó príncipe, que entre os anos em que os mares engoliram o Rio de Janeiro no último temporal e os anos do surgimento dos Filhos, Sobrinhos e Cunhados de Políticos, houve uma era inimaginada, quando reinos esplendorosos se espalharam pelo mundo como mantos azuis sob as estrelas. Para cá veio Cardoso, escritor mundialmente famoso autor de Por que todo idiota acha que é preciso ser famoso para ter muitos seguidores no Twitter.

Esse é o mundo do Cardoso!

Clique aqui para ler o restante deste artigo »

ago 10

Se você não está em nenhum buraco na Ucrânia, contando todos os soldados russos que efetivamente não estão lá (ou é isso que me contaram, ao menos), você já deve ter ouvido falar do El Niño, o fenômeno atmosférico-oceânico que é caracterizado por um aquecimento anormal das águas superficiais no oceano Pacífico Tropical. Esse aquecimento, que não é suficiente para fazer café ou cozinha rum ovo, afeta não apenas o clima local e sim do planeta todo, pois a Natureza dá um "que se dane" se você gosta ou não do que acontece.

Cientistas criaram vários modelos computacionais que procuram retratar e prever o que acontece durante o El Niño. Mas será que os modelos estão certos? É ora de usar uma tecnologia um pouco ais antiga: observação. E para isso se usa como ferramentas… conchas!

Clique aqui para ler o restante deste artigo »

ago 07

Eu tenho muitos dissabores de vez em quando. Um deles é ter que ler besteira. E quando vemos que o título já promete pouco, vem à mente as sábias palavras do Barão de Itararé: "De onde nada se espera é que não sai nada, mesmo!"

O caso de hoje é uma… atriz? Meh, é assim que se intitula, é assim que a trataremos, mesmo eu não a considerando como algo que representasse a arte simbolizada por Melpomene e Tália. Assim, Denise Fraga será tratada como "atriz" e sua opinião será analisada? Qual opinião? Que aprender química não serve pra nada. Esta é uma resposta à altura dirigida a pessoas de baixa estatura!

Clique aqui para ler o restante deste artigo »