Por que não quero ir pro Céu

Em sua longa história, as grandes religiões monoteístas ofereceram o Paraíso, como prêmio para os seus seguidores, se eles seguissem os seus dogmas e mandamentos, acreditarem neste ou naquele mito, louvar e puxar o saco de amiguinhos imaginários, construírem templos aos montes nas periferias das cidades, cantarem musicas de má qualidade, rezarem muito por horas a fio, abster-se de muitas coisas e prazeres da vida, incomodar os outros para tentar convertê-los à religião deles, e alegarem que possuem a “verdade” e que todos os outros estão errados (e todos alegam a mesma coisa), além de viverem com as caras enfiadas dentro de livros ditos “sagrados” e escritos por “inspiração divina” e recitarem determinados trechos (esquecendo convenientemente de todo o resto), sempre interpretando à sua maneira, com truques circenses da teologia, para tentar dizer que amarelo é vermelho, e que azul é verde, mas que laranja não é laranja.

Enfim, são muitas dessas coisas que fazem parte da rotina de um religioso que procura seguir suas profissões de fé, além de se odiarem mutuamente e promoverem preconceito, discriminação, intolerância, incapacidade de diálogo civilizado, ameaças de morte e inferno (disfarçadas como avisos, que é o que a Bíblia diz que é a “verdade”, que é a “realidade” etc.), causarem conflitos e guerras em diversos países do planeta, perseguições, uso e abuso de falácias, disseminação de ignorância (coisas como o criacionismo, por exemplo), ataques contra o bom senso moral e ético (o uso de camisinhas para impedir a disseminação de doenças sexuais e gravidez indesejada), contra a ciência e a tecnologia (como o caso das células-tronco, clonagem humana, etc.), acobertamento de criminosos no uso de dois pesos e duas medidas (padres pedófilos, além exemplo), etc.

Porém ainda há uma questão a abordar. Existe um Paraíso? Há provas da existência de tal lugar? Quais são as evidencias que sustentam as alegações dos religiosos de que há uma “vida eterna”?

Para sermos sinceros, a resposta é NÃO! Simplesmente não há evidências da existência de tal lugar. Tudo o que os religiosos possuem são apenas as suas crenças e as palavras que constam de seus livros ditos “sagrados”.

Crenças não provam nada, como todos sabemos. Não há provas. Não há fatos. Não há evidências. Não há registros. Não há documentos. Não há relatos fidedignos. Não há testemunhas. Não há fotos. Não há filmes. Não há objetos “celestiais”. Não há indicações diretas. Não há base sólida que sustente as alegações. Ninguém nunca voltou da morte para contar o que há após a morte. Não há indicações da localização de tal lugar. Nada de nada. Tudo o que as religiões oferecem são apenas fantasias, ilusões, conceitos abstratos, e pedem (ou exigem) que o crente tenha fé, acredite por acreditar, ou seduzi-lo com promessas, confortar com falsas miragens, a idéia de algo melhor do que a vida na Terra.

Todas as descrições são vagas, escassas, incompletas, fragmentadas. Uns dizem que é um lugar onde se “vive” para sempre, sem doenças, sem sofrimento, sem morte. Onde só há alegria eterna. Onde se pode cantar glórias e louvores para sempre, se pode morar em mansões de ouro, ter virgens para satisfazer todos os seus caprichos sexuais reprimidos, ter um mundo só seu para governar e sentar-se ao lado de um deus (preencha aqui um deus qualquer, pois quase todas as religiões prometem isso). Além disso, há a promessa que você verá a “face de Jesus” em toda a sua “glória”, junto com anjos tocando harpas e (o melhor de tudo, segundo o padrão moral de muitos religiosos) você verá de camarote o sofrimento dos condenados ao Inferno e regojizar-se com isso, num momento sádico só seu. Ainda você terá um lugar que fica no meio das nuvens, tudo bem celestial, numa brancura total, onde São Pedro guarda as chaves do local e examina um tal de “Livro da Vida” para ver se você merece uma vaga ou não, ou que haverá julgamentos e decide-se o destino final da pessoa.

Enfim, todas essas coisas que fazem parte do imaginário religioso, ou seja, crendices e lendas. Fábulas mitológicas.

Mas supondo que haja um Paraíso, é hora de explicar porque é que eu não quero ir para lá.

Primeiro de tudo, há a questão da “vida eterna”. O que exatamente eu vou fazer com o tempo de uma vida eterna? Ler todos os livros que já foram escritos no planeta? Assistir todos os filmes e seriados que tenham sido lançados desde que inventaram esta arte? Conhecer cada um dos moradores do Paraíso em sua totalidade? Andar a pé pelo Universo todo? Assistir tudo e todos na Terra nascerem, viverem e morrerem, até a extinção da vida na Terra daqui a 5 bilhões de anos, quando o Sol se tornar uma Gigante Vermelha? Assistir a evolução de uma nova espécie inteligente, milhões de anos após o Homo sapiens se for?

Será que há possibilidade de trabalhar no Paraíso, construir uma sociedade, uma civilização? Escrever livros? Criar filmes? Realizar obras de arte e arquitetura? Desenvolver a ciência e a tecnologia? Lançar-me numa exploração espacial? Explorar os segredos da vida e do Universo? Estabelecer relacionamentos, casar, ter filhos e filhas, divorciar-me e casar de novo? Ter relações sexuais? Aprender novas línguas? Mas, isso tudo durante a Eternidade. Fazem idéia do que isso significa? Mesmo que eu queira ver todos os filmes, novelas, produções artísticas, óperas, peças de teatro, ler todos os livros que já foram escritos, desde a primeira inscrição num tablete de argila até o último romance escrito pouco antes da humanidade sumir da face da Terra etc., ainda assim terei mais um infinito espaço de tempo à minha frente, pois Eternidade é isso: tempo eterno. Mas, fazendo o quê? Espíritas falam que nascemos, morremos, vam,s a outro plano, ficamos por lá, reencarnamos, começa tudo de novo, morremos, e por aí vai. Chegará um ponto – ainda segundo o Espiritismo – que o espírito não encarnará mais; que ele guiará outros. Mas, e quando TODOS os espíritos estiverem evoluídos? O que acontece? Ninguém diz, pois ninguém pensou nisso.

A bem da verdade, não há nenhuma possibilidade disso, segundo as religiões, pois o que elas oferecem é que você ficará louvando Jesus, Deus ou sua entidade divina favorita para todo o sempre, cantando glorias e aleluias ininterruptamente, e morar numa mansão dourada com ruas de ouro, segundo visões de vertentes cristãs que parecem mais se apegar ao materialismo que o mais ferrenho dos ateus, pois a visão que eles têm de mundo é poder e riqueza. Mas a religião não serve para nos elevar espiritualmente? São os mistérios que se escondem na mentalidade religiosa fanática.

Imaginem que estaremos esperando que apareçam os profetas e os “grandes” homens (e nenhuma mulher) das narrativas bíblicas, corânicas e talmúdicas. E ficar sentado à direita de seu mito favorito (e fazer o que lá, exatamente? Pedir autógrafo? Tirar uma foto que nem criança que vai tirar foto com Papai Noel de shopping?).

Teremos a possibilidade de, talvez, ganhar de presente umas 70 virgens para te acompanhar pelo resto da eternidade, só não sei como elas continuarão virgens depois de 2 dias. O sagrado hímen complacente? Deve ser. Haverá a possibilidade de você comer, beber, urinar, defecar e fazer sexo? As religiões nada dizem. Até as suas necessidades humanas mais básicas são negadas, não que eu me incomode em nunca mais ter que parar de ver um jogo de futebol para ter que ir ao banheiro, mas ficar sem comer umas batatas fritas de vez em quando é sacanagem! Você só existe nesta vida, dizem as religiões, para que você tenha uma vida eterna onde você não é mais você, e sim um mero puxa-saco que tem a obrigação de massagear o ego de alguém tão superior que, a priori, não tem ego que possa ser massageado (ou tem?). É a abdicação de quase tudo que faz de você um ser humano.

Pensem que não há a menor possibilidade de você amar, pensar, correr, andar, sentir o vento no rosto numa tarde de primavera, escrever suas memórias ou coisa que você gosta, ler, admirar a natureza, comer, cozinhar, beber, preparar algo especial para alguém que você gosta, viajar, velejar, dirigir, ter saudades, construir coisas, planejar, desenvolver e mais um milhão de desejos e atitudes que nos caracterizam. Não mesmo. Você só estará lá para uma única coisa: louvar!

Outra coisa. E o que dizer das supostas outras pessoas que estarão no Paraíso? Já conseguiu se imaginar como é conviver com pessoas de todas as épocas, de todas as culturas, de todos os lugares, de todas as línguas, de todos os comportamentos, de todos os costumes, de todas as diferenças possíveis? E todas elas reunidas em um só lugar, aos milhões ou centenas de milhões? É um pensamento interessante. Poderei discutir matemática com Isaac Newton? Falar das descobertas astronômicas com Galileu? Fazer “tsc tsc” para Cláudio Ptolomeu, porque ele inventou a pseudociência da Astrologia, mas dar um tapinha nas costas dele por compreender que ele não tinha os meios que dispomos hoje? Poderemos ouvir Shakespeare recitar um poema inédito? Veremos Sófocles encenar uma de suas inúmeras peças que se perderam no tempo? Poderei reunir todos os quatro evangelistas e discutir as discrepâncias entre os evangelhos? Poderei sacanear Aníbal por ele ter tido a idéia de jerico ao cruzar os Pirineus com elefantes, para depois jogar Warcraft contra Caio Júlio César?

Mas teremos problemas. Como nos comunicaremos? Como entraremos em sintonia com uma só língua, uma só cultura, uma só personalidade, um comportamento só, um costume só? Telepatia? Isso não significaria destruir quase todas as pessoas em suas características particulares que as marcaram em suas vidas? Perderíamos completamente o sentido da razão de porque estariam no Paraíso, o que fizeram em suas vidas, as suas histórias de vida, os seus comportamentos peculiares, os seus modos de agir etc.

A maior característica da Humanidade é a sua capacidade de diversificação entre seus indivíduos. E a religião se propõe a destruir isso, para que tudo seja uniforme, uma só massa, um só rebanho, um só grupo para louvar a um mito automaticamente, sem voz, sem opinião, sem poder, sem nada de nada. Só os mais tirânicos governantes almejaram isso. Falharam, pois a cultura humana não se submete assim tão fácil. Mas, claro, se um ser ultra-mega-poderoso quiser, nos curvaremos sob sua vontade. Então, por que permitiu que houvesse tantas diferenças culturais? Sadismo, por saber que tudo isso seria esmagado um dia?

Mesmo que todas essas características fossem preservadas, você conseguiria conviver com aquelas pessoas todas, tentando se entender umas às outras, tentando entender as características particulares de suas culturas?

Só para citar um exemplo recente, muitos estudiosos lingüistas aprenderam a falar línguas coloquiais de outras épocas (exemplo, o inglês do século XVIII ou XIX, para conversarem com falantes do século XXI), e tentaram conversar com os seus conterrâneos atuais, e não conseguiram ser compreendidos. Se isso já acontece na vida real, imagine como será conversar com um brasileiro do século XVI, ou até mesmo alguém do começo do século XX! Tentem ler Machado de Assis sem um dicionário, se bem que isso é fácil. Tentemos pegar a carta de Pero Vaz de Caminha para ler e interpretar. Vocês ganharão uma bela dor de cabeça. Hoje, com mil e uma linguagens internéticas, fica difícil entender o que miguxos e miguxas querem dizer. Quem nunca leu uma daquelas colunas de jornal, onde republicavam noticias de um século atrás? Porque acham que os livros são revisados periodicamente, para terem os seus textos atualizados e poderem ser compreendidos pelos seus leitores? Daqui a uns 30 anos, rirão de como escrevemos hoje, ainda em vias de adaptação ao Acordo Ortográfico, como nós rimos de como nossas avós escreviam “pharmacia”.

E o que dizer dos comportamentos, costumes, gestos, manias, atitudes? Como conviver com alguém que se comporta com um autêntico cavaleiro vitoriano do século XIX, e ele se escandalizar com nossas beldades semi-desnudas? Que tal pais do passado vendo como nossos filhos falam conosco hoje? E você, diante de um neandertal, que grunhe e não tem a menor cerimônia em cagar na sua frente enquanto você está tentando conversar com ele? Ou então, você esta tentando conversar com um ancestral irlandês do André, ele estiver retirando uma catota enorme do nariz e soltar um arroto estrondoso? Ou então com meu próprio ancestral, que usa roupas bufantes do período absolutista do século XVI, e me olha com um nariz empinado e extrema arrogância e menosprezo? Ou grupos de chineses tentando conversar com aborígines, e sendo mediados por índios amazônicos? Ou então uma reunião de cientistas de todas as épocas e lugares tentando se compreender entre si e conviverem entre si, para pelo menos compartilharem idéias ou desenvolver uma nova? Olha, isso não parece muito com o Paraíso, parece mais o Inferno!

Já podemos imaginar os Papas e teólogos (se é que vão para o céu…) tentando dialogar entre si, e nunca conseguirem se entender (mesmo porque, muitos Papas mataram concorrentes para usurpar o poder). Pensem em Lutero e Leão X saindo para beber uma cervejinha e… desculpem. Não há bebidas alcoólicas no Paraíso. Veremos Carlos X pedir desculpas a alguns huguenotes? Stalin dizendo para Trotski “Mal aí, camarada. Mudnia acontece)” (ta, ok. Quase todo mundo acha que Stalin não vai pro Céu, mas vocês compreenderam onde quero chegar).

Como disse, a vida no Paraíso seria um completo inferno, uma Torre de Babel multiplicada um milhão de vezes pior.

Só para piorar um pouco mais, experimente acrescentar todas as outras formas inteligentes de vida (os chamados alienígenas) no caldeirão. Quer melhorar o tempero? Acrescente a sua família inteira, todas as gerações dela, e imaginemos como será a vida no Paraíso com a sogra (cruz credo, mangalô pé de pato três vezes) para sempre, a nora, o padrasto, a madrasta, os primos chatos, a avó moralista e cheia de não-me-toques, o bisavô rigoroso e autoritário, o trisavô ausente e machista, o tetravô que não faz a menor idéia de quem você é. Quer sofrer mais ? Ponha a sua ex-mulher, a sua ex-namorada, as sogras, as ex-sogras, o namorado que foi ciumento na vida, o ex-marido, os nenês que você perdeu em abortos (se você for mulher), as crianças da família que morreram na infância (até poucas décadas atrás muitas crianças morriam antes de completarem 5 anos). E só para variar, sempre discutirão entre si, sempre se cobrarão uns aos outros, sempre irão se insuportarem aos outros para todo o sempre.

Se quiserem ter uma amostra disso na realidade, simplesmente peguem um cidadão de cada nação do planeta e os joguem em uma ilha deserta. Uma espécie de Lost, com 192 cidadãos diferentes entre si. Já pensaram nos resultados finais? Quem leu o livro “O Senhor das Moscas” (que não tem nada a ver com religião) sabe o que acarretará.

E depois, como podemos fazer para nos divertirmos? Dançar? Cantar? Cada grupo religioso tem as suas próprias preferências particulares e consideram todas as demais como blasfemas, hereges e “coisa do diabo”. André me lembrou que colocando um irlandês rezando em latim e outro ao lado cantando “Amazing Grace” vai acabar em porrada.

Imaginem islâmicos sunitas e xiitas lado-a-lado. Um talebã junto de um muçulmano liberal. Pensem num católico fervoroso com suas imagens e o bispo Sérgio Von Helder perto. Qual a alternativa que as religiões oferecem, já que você não poderá ouvir Kiss ou Bach? Cantar louvores e glórias… Ainda assim, cada religião tem as suas próprias e não aceitam as demais.

Em praticamente quase todas as religiões, elas dizem que estaremos no Paraíso com os nossos corpos físicos. Pouquíssimas falam de almas, espíritos, fagulhas de essência divina que se juntam com a divindade em questão, etc. E aí mora a charada. Com qual corpo iremos ao Paraíso? Imagine se você morrer mutilado, esmagado, explodido, atropelado, esmigalhado, metralhado, enforcado, fervido em óleo, baleado, morrer de uma bactéria devoradora de tecidos, doenças de pele, câncer, magreza extrema. Ou ate mesmo morrer de velhice, com um corpo decrépito e caindo aos pedaços. Pensem que muitas religiões pregam que só se seu corpo estiver inteirinho que você irá pro Paraíso.

Imagine só uma mulher que tenha morrido de velhice, por volta de uns 80 anos de idade. Com qual corpo ela irá? Aquele em que ela foi mais conhecida em sua fase final de vida, onde todos podiam reconhecê-la pelo que ela é? Ou então o corpo de um bebê, uma criança, uma adolescente, uma jovem gatinha, uma adulta, uma senhora de meia-idade? Mulheres ainda são mulheres. E suponha que o grande amor da vida dela morreu com 25 anos. Como eles passariam a Eternidade? Ele para sempre com 25 e ela para sempre com 80. Crueldade, não? Ela verá um monte de jovens bem bonitas, com as suas pernas roliças, pelinhos dourados ao Sol divino, seios durinhos e maravilhosos por baixo da toga (se é que vão vestir uma), enquanto o tempo cobrou o seu tributo em cima de sua pele. Crueldade, oh, crueldade!

Todos terão o corpo que tinham quando morreram? Ou poderão escolher o corpo que desejarem? E poderão ser reconhecidos? E quem os reconhecerá?

O que fazer se você teve pais que faleceram durante a sua infância? Você terá um corpo infantil para que eles o reconheçam? Ou você teve amigos e amigas que morreram durante a adolescência e vida adulta e você escolhera um corpo adulto? Ou prefere ficar com a melhor parte da sua vida madura, aquela com a qual mais se acostumou?

E se você for uma daquelas modelos que eram muito feias, que eram gordas quando crianças e adolescentes passaram por dezenas de cirurgias plásticas, e de repente, você voltou à sua antiga forma, com a pele flácida, manchas, cicatrizes, pequenos defeitos, e um pouco de feiúra aqui, feiúra acolá, com os seios caídos, bunda chata, sem todo aquele conjunto que fez sucesso em sua vida? Ou então um homem que passou por muita e muita academia para ter um corpo esculpido de músculos, e voltar à sua condição original de gordinho barrigudo? Michael Jackson chegará lá com cabelo Black Power e cara de menininho ou com a máscara disforme que chamavam de rosto ao final de sua vida? Aliás, ele cantará Thriller? Mortos é que não faltarão para participar do corpo de baile, hehehehe.

Não há nada que diga que você poderá ter o corpo que deseja ter. Tu vais ficar com o corpo com a qual morreu, meu filho. Não importa como, mesmo que o Paraíso se transforme em um asilo de eternos idosos.

Um belo problema, sem contar que muitas e muitas pessoas, durante os últimos milênios antes de nossos séculos XX e XXI, morreram bem mais jovens que os seres humanos atuais (que hoje podem viver ate os 70 anos), e naqueles tempos mal se chegavam aos 40 anos em média. Imaginem só a quantidade de crianças e bebês no céu. Conseguem imaginar a demanda por babás e creches divinas para cuidar de tudo isso? E passar a eternidade cuidando de milhões de bebês chorando, trocando as suas fraldas sujas (até porque elas não se limparão magicamente, não há nenhum livro sagrado afirmando isso. Enfim, o pensamento crental é esse “Se não está na Bíblia, não está valendo”). Qual o sentido da vida de um ser humano eternamente bebê, sem aprender nada, sem poder crescer, sem poder falar, sem poder se expressar adequadamente, sem poder vir aquilo que poderia ser, e assim por diante? Um tremendo desperdício de espaço e energia. O mesmo vale para velhinhos com Alzheimer. Quem cuidará deles? Que maravilha de problema, não é mesmo?

E o que vestir no Paraíso? Cada qual ficará com a sua própria roupa da época em, que viveram? E se você morrer usando um fio-dental, ou aquela camiseta horrorosa de cor laranja totalmente fora de moda? Por isso piadas de judeus alfaiates são bastante populares nas sinagogas. Imaginem que um cara machão, mas que tomou uns goros durante o carnaval e resolveu sair no Bloco das Piranhas. Chega lá, vestido à á Priscila, a Rainha do Deserto e encontra seus confrades lutadores de Vale Tudo. Ihhh

Os problemas de logística não acabam nunca. Administrar um paraíso deve exigir muito mais atenção desse deus judeu-cristão-islâmico, do que tomar conta do Planeta Terra, em que é notória a ausência dele nos assuntos mundanos, do qual foi desaparecendo paulatinamente do cenário da “história” humana, até ficar invisível, fantasmagórico, transparente etc. Lembram das antigas fábulas bíblicas, em que o tri-omni-fodão aparecia em tudo que era lugar, entrava na briga com o povo judeu, massacrava um monte de gente, aparecia em topo de montanhas, andava em Jardins do Éden, enchia o saco do Faraó do Egito, causava hemorróidas de ouro (sério!) em adversários, ficava de pinimba com Baal, tinha chiliques semelhantes a Primas Donas e surtava geral, como muitos “relatavam”. Tudo isso numa presença mais visível e atuante. Depois desapareceu. Ninguém nunca mais o viu. Tudo o que resta desse deus é o que esta nos livros sagrados, permanece na mente dos crentes como conceito abstrato, nos sussurros em latim de padres, ou na gritaria ensandecida de pastores evangélicos, ou no jargão popular onde ele leva todos os méritos por coisas na qual não teve a menor participação – aquele “graças a deus” – e esse ser fica com os testículos sendo puxados até o além. A mesma coisa com o Jesus, com a sua demora em retornar ao mundo dos vivos após 2000 anos desde que inventaram a lenda (lembrando que ele supostamente falou que chegaria quando o pessoal lá do século I ainda não teria morrido).

E eu já posso imaginar que, depois de ler todo o exposto acima, e isso foi só o começo, você já deve estar horrorizado e de saco cheio. Como bem disse Mark Twain – “Prefiro o Paraíso pelo clima, o inferno pela companhia”.

E, imagine, você tem uma vida eterna toda para agüentar tudo isso, sem reclamar! Sim, por toda a E-T-E-R-N-I-D-A-D-E. Você ira preferir se suicidar e por fim à sua vida, pois até mesmo os imortais se cansam de viver. Mas, pode-se cometer suicídio num lugar onde não se morre? Tolkien foi sábio quando disse que os elfos invejavam os homens pois estes últimos tinham a dádiva da morte, pois cansavam-se de ver tudo o que amavam deteriorar-se, enquanto que eles e seus reinos permaneciam imutáveis.

Não, suicídio está fora de questão, pois, como bem frisou John Constantine em uma de suas memoráveis frases (nos quadrinhos e não naquele filme comparativamente ridículo e vazio) – “Para onde vai o Diabo quando morre?”. Outra questão para os teólogos de plantão se entreterem por uns bons mil anos discutindo entre si.

Por esses motivos, eu é que não quero ir para o Paraíso. Prefiro dar valor à minha vida, que é limitada, curta, efêmera e breve, diante de um Universo que vai perdurar por vários bilhões de anos, e nem vai perceber que nos existimos um dia, e nem sentirá a nossa falta. Prefiro fazer minha vida ter significado HOJE. Não quero esperar por uma oportunidade que pode não vir. Religiosos usam e abusam da Aposta de Pascal. Daí eu pergunto: E se você se privou dos prazeres mais simples, como pegar a mão do seu filho e dar uma volta pela praia ao invés de se meter numa igreja calorenta, com trajes desconfortáveis, e nos últimos momentos perceber que esteve errado? Arrependimento? Em poucos instantes nem isso você terá, o que não fará diferença. E se você aparecer num Paraíso totalmente diverso do que você pensava, onde membros de sua religião seriam escravos miseráveis dos religiosos que enveredaram pela religião “certa”? Ok, eu corro este risco. O que isso significa? Que eu ficarei te lembrando pelo resto da maldita Eternidade:

Eu amei, eu vivi, eu rolei no tapete com meus filhos pequenos, amei minha mulher sob as estrelas, eu brindei com meus amigos, eu defendi pessoas injustiçadas entre tantas outras coisas. Cometi erros, mas também acertei. E você? Nada fizeste e parou no mesmo lugar que eu. Coitado de você. Não adianta chorar, pois nem esse tipo de emoção você terá aqui, nada para lhe consolar. Bem-vindo ao desespero.

Como disse Stephen King: “o Inferno é repetição”. Se é assim, então não importa qual religião você tenha, onde quer que você, eu e toda humanidade for depois que morrer será o Inferno.

Se a Aposta de Pascal está correta, Deus (qualquer um deles) ganha e todos os demais seres vivos perdem. Na Aposta do Ceticismo.net, é melhor você viver a vida ou, como Aristóteles disse: “Pense no hoje, não confie no amanhã”.

Um Ping to "Por que não quero ir pro Céu"

  1. Voz dos Alienados 17 » Ceticismo.net disse:

    […] Postado em Por que não quero ir pro Céu […]


93 respostas para "Por que não quero ir pro Céu"

  1. 1. tyrael disse:

    odeio “puxa-saquismo”, mas esse post tá muito f*oda Abbadon, parabéns.

    P.S: nem eu quero ir para esse “céu”, se for assim eu quero ir para o inferno, afinal de contas “Meus amigos também vão estar lá , Estou na autoestrada para o inferno…”

    Abbadon respondeu:

    Obrigado !
    .
    E vc esta falando da musica “Highway to Hell”, nao é ?

    tyrael respondeu:

    @Abbadon, Isso mesmo Abbadon :D

  2. 2. wilianbc disse:

    Excelente artigo.

    Fica bem evidente que essas alegações religiosas são grandes furadas, só existem para gerar o medo e estabelecer um certo controle. É lamentável que milhares de pessoas desperdicem suas vidas acreditando e vivendo no engano.

    Como é bom ser esclarecido, tentar entender o Universo como ele é, e o melhor de tudo viver sem medo, aproveitando cada momento intensamente.

    Muito obrigado Abbadon por ter cedido um pouco do seu tempo, para escrever esse artigo.

    melo dirce respondeu:

    @wilianbc, Concordo plenamente!E parabéns pelo texto”!

  3. 3. N7kc disse:

    Achei o artigo ruim e nem consegui ler até o final. Acho que ninguém entra em tantos pormenores, ninguém realmente acredita neste monte de coisas que religiosos pregam. Existe é o medo da morte da consciência e das coisas que gostamos. O monte de crenças impensadas apenas criam algum sentimento de algo mais elevado, sublime ou seja lá o que for nas pessoas.

    Ainda duvido que todos no fundos não busquem uma brecha na realidade que provasse a imortalidade da consciência e por conseqüência de tudo que gostamos. Por exemplo, gosto da idéia do eterno retorno de Nietzsche… Se o universo é infinito; então, pode ser, tudo se repetirá.

    Administrador André respondeu:

    ninguém realmente acredita neste monte de coisas que religiosos pregam

    Vc nunca leu revista Sentinela, né? Nunca leu panfletos da Assembleia de Deus, né? Nunca entrou em comunidade crente, né? Sugiro que vc abra mais sua visão do mundo e veja que ele é bem esquisito.

    N7kc respondeu:

    @André,

    O que quis dizer é que toda a esquisitisse da religião surge de uns poucos medos: medo da morte da consciência, medo da perda (pessoas, juventude, dinheiro…) e sofrimento. Acho que não é o caso de visão estreita – é mais o caso de não querer matar a doença matando o doente ou acabar com a dor de dente arrancando o dente.

    Na minha opinião o texto é meio como querer arrancar dentes podres.

    Abbadon respondeu:

    Nem sempre posso agradar a todos.

    N7kc respondeu:

    @Abbadon,

    Com certeza quase todos que acessam com frequencia este blog e afins são céticos, poucos religiosos leriam o texto acima até a terceira linha (eu também não leria uma pregação religiosa).

    Queiramos ou não, não temos uma mente tão aberta como gostaríamos (quando lemos o que já prejulgamos como lixo dificilmente conseguimos abaixar a guarda).

    Por isso que acho que o texto não atinge nenhum objetivo. Os céticos leem e os religiosos não leem. Simples assim.

    Administrador André respondeu:

    Eu não sei no caso do Abbadon, mas eu escrevo apenas para compartilhar ideias. Assim, meus objetivos são sempre atingidos.

    Rafael \m/Ò.Ó\m/ respondeu:

    @N7kc, até na macumba se acredita no que os religiosos pregam, …. xamã e outras porcarias… não concordo…

  4. 4. Mr.Darkness disse:

    Poucas vezes eu parei pra pensar em como seria a eternidade, mas nunca a imaginei de modo tão assustador :shock:

    Abbadon respondeu:

    Eu poderia escrever muito mais sobre o assunto, mas acho que é o suficiente.
    .
    E onde estao os crentes para comentar ?
    .
    :)

    hiltongil respondeu:

    @Abbadon, Comentar? Eles tem preguiça até de ler todo o texto! E os comentários seriam as velhas ameaças, maldições e tudo mais aquilo que já vimos por aqui. Excelente texto.

    Mr.Darkness respondeu:

    @Abbadon, Bom, os crentes devem ter lido, caído na real e se assombrado….

    Mas ñ se preocupe, logo logo aparece algum q ñ entendeu, e diz q vc ta errado por causa disso e daquilo, pq vc ñ entende os designios de deus e etc…

    voix69 respondeu:

    @Abbadon, Abbadon, quando a esposa do meu irmão morreu, com 38 anos, ano passado, chegou um crentosco para o meu irmão e disse pra ele não chorar e nem ficar triste pois ela estaria no paraíso com deus e lá ela já não era mais a esposa dele e sim um ser que transcendia a toda nossa vida carnal.
    Pô, dai eu pensei…se a pessoa morre, vai para o paraíso e daí não importa mais se ela já viveu na terra, se teve amigos, se casou, se teve filhos, etc…se nada disso importa qual a importancia de ir para o paraiso.
    Se não vou ter mais nenhum tipo de laço seja lá com quem for, na verdade esse céu é um LIXO.

    Josias respondeu:

    @Abbadon, tó aqui… rsrsrs
    Eu acredito que os que acreditam que acreditar que o ceu existe, os mete a acreditar numa crença mitológica que os faz crer que crendo nesta crença, ele como crente poderá usar pano-do-chão mais macio do que eles devem uma nesta única realidade (que é o bundão todo sujo de bosta bíblica)… (…) por fim, eu não sou porra de crente nenhum. Crente caraio vai ter que tomá no cú…

    melo dirce respondeu:

    @Abbadon, Crente só acredita que Deus tem a salvação dele para a vida eterna, maravilhosa,mas só para eles .Para os outros restará o inferno ,o vagar na terra arruinada?Aliás crente não teme a morte porque a vida depois da morte ( salvação) será mito melhor!!!

    melo dirce respondeu:

    @melo dirce, Muito bom o texto,eu nunca pensei em toda essa confusão.

    Administrador André respondeu:

    è, né? Mas se cagam de medo com a mais simples das gripes.

    batled respondeu:

    @melo dirce, mais um excelente texto.
    Os crentes tem medo da morte sim.

  5. 5. Amaraticando disse:

    O pior seria ter que saber que alguém da sua família ou seu amgio está queimando eternamente no inferno, enquanto você está no “paraíso”.

    Vários religiosos me falam que isso não será incômodo, pois serão apagadas as nossas memórias e nem iríamos notar que o inferno existe. Isso, que aparentemente resolve o problema, o torna ainda pior!

    Deus precisaria enganar suas ovelhinhas para que não haja sofrimento e tristeza nessa eternidade. Além disso, todos perderiam suas identidades. Nem mesmo saberiam porque estão no céu…

    E…
    Como disse a Bíblia: “E houve guerra no céu.”
    Quem garante que não haverá outra?

    Josias respondeu:

    @Amaraticando, Eu garanto que nunca houve “war” nenhuma! soken… :oops:

  6. 6. JRC disse:

    O texto é criativo e interessante, sem dúvida, mas, também, é especulativo. É uma hipótese; nada está provado, como os céticos gostam de mencionar.

    O que achei muito legal foi o fato do autor citar que devemos viver o agora, pois é isso o que existe. Concordo e podemos aprender com este agora, sempre!

    Faz críticas às crenças e mitos intencionais, ao longo de nossa existência, o que é muito saudável também. Faz com que as pessoas pensem um pouco e não se deixem levar por qualquer discurso.

    E a verdade, acrediando em crenças ou não, é que nada existe de concreto se há alguma forma de vida, espiritual ou não, uma consciência ou não, após a morte física. São dúvidas.

    Eu, siceramente, espero que haja, pois viver e evoluir é inteligente, pode ser ” lógico”e a ciência pode nos ajudar a aprofundar esta questão unida , talvez, a possibilidades de questionamentos do ponto de vista espiritual. Não questionamentos bobos ou crendices idiotizantes, que só servem para deturpar, manipular e limitar a existência humana.

    Mr.Darkness respondeu:

    @JRC, o paraíso nunca foi provado, então nada mais justo do q apenas especular sobre ele…

    JRC respondeu:

    @Mr.Darkness, Concordo. Onde não há provas pode-se especular, questionar, duvidar e por aí vamos encontrando caminhos onde a verdade pode surgir.

    Josias respondeu:

    Acho que ele apenas quis desabafar…
    Queria que ele usasse mais termos mandando tudo á merda, mas o cara é bonzinhoinhoinhoinho… se pudesse, eu é quem o mandaria á merda. :oops: já mandei.
    “Porque não quero ir pro céu”, será que também acreditas que deus tem cacete mágico tão grande, bundão?
    E…… já agora Abbadon, você Ateu, Cético, agnóstico, Crênte, ou ficas postando essas merdas só para os cara aqui não ficar te MANDANDO Á MERDA se vieres com pregações estúpidas?

  7. 7. Rafael \m/Ò.Ó\m/ disse:

    Parabens pelo artigo abbadon, apenas esqueceu de mencionar, que não poderemos curtir AC/DC lá, (HELL¨S BELL¨S ). imagine apenas som de harpas no paraiso… OWNED !!! …… prefiro o valhalla.
    Querem uma dica de filme :: talvez o Zardoz de 1974… fala mais ou menos sobre a utopia de viver pra sempre!!
    HAIL

  8. 8. Fernando Z disse:

    Com relação ao espiritismo os adeptos da religião dizem que Deus sempre está criando espíritos.
    Isso é um entrave, pois bate de frente com com o que Allan Kardec disse no seu Livro dos Espíritos, onde afirmou que todos serão perfeitos. Se a criação de espíritos é permanente sempre haverá espíritos imperfeitos.
    E a Aposta de Pascal é uma falcatrua intelectual porque ignora as diferenças de crença de todas as religiões. Dessa forma, se os cristãos estiverem certos, todos os adeptos das outras religiões e os ateus irão para o inferno. Se o espiritismo estiver certo os adeptos das outras religiões ficarão no Umbral e voltarão como médiuns. E assim por diante.
    É muito forçado.

    hiltongil respondeu:

    @Fernando Z, Pois é, tá ai uma coisa que me deixa curioso no espiritismo. Eu nunca consegui a resposta para a pergunta: De onde saiu as “almas” já que a população aumentou e muito desde o passado. Isso me levou a questionar duas hipóteses:
    1- Deus (qualquer que seja ele) tem uma “máquina” de almas novas.
    2- Algumas pessoas estão re-encarnando sem alma.
    Claro que obtive algumas respostas insatisfatórias e esdruxulas, algo no sentido, de que as “almas”poderiam vir de outros planos e planetas, contudo, quando se pergunta onde está a prova disso, ou mesmo a citação que leve a crer nisso, aí a coisa aperta, e mais uma vez vira uma questão de FÉ.

    Fernando Z respondeu:

    @hiltongil,
    E aí eles te respondem: “você não conhece a doutrina espírita, precisa estudar mais”, correto?
    Tenho visto na internet essa postura arrogante dos espíritas nas mais diversas páginas.
    O Espiritismo se diz filosofia, ciência e religião. Se diz ciência, mas não quer se submeter as investigações pelo método científico. Se diz filosofia, contudo se limita a resolver essas e outras questões filosóficas com argumentos do nível “tal falou” (leia-se: Allan Kardec e Chico Xavier). Se diz religião, porém, acha que o Espiritismo é mais que isso.
    E se questionamos isso é porque não entendemos nada.
    Então tá.
    Obs: sou ex-espírita.

  9. 9. krebys disse:

    nda a ver com o post… (que por sinal esta otimo)

    mas o que aconteceu com os rss-feeds? não viram mais por completo ? :cry:

    Administrador André respondeu:

    O RSS mostra os artigos por inteiro e ainda continua assim. Mas as PÁGINAS, não. O artigo onde vc está está promovido como página, pois vc pode acessá-lo na seção CETICISMO. Eu coloquei um artigo de chamada para qe todos possam ver, principalmente os que usam RSS, senão vcs nunca veriam que tinha sido postado.

    krebys respondeu:

    @André, Agora entendi… puts show de bola ein André… :grin:

    Desculpe aí pela falta de atenção… :???:

  10. 10. Josias disse:

    Vá pro inferno, que eu já tó a sua espera :evil:
    P.S.: tras a tua esposa :grin:

  11. 11. Affirma disse:

    Ja estava com saudades dos textos do Abaddon (não, isso não é uma cantada, sou hetero :twisted: ) .
    Parabens por conseguir colocar em palavras as coisas que as vezes agente (eu pelo menos) tem dificuldade em expressar.
    :wink:

  12. 12. Paula disse:

    Eu também não acredito no paraiso e concordo que a vida eterna realmente seria um inferno.
    Abbadon, so esqueceu de perguntar se lá no céu pelo menos a gente pode dormir, e por falar em dormir, tive uma sensação uma vez de sair do corpo quando estava dormindo, quando percebi que ia atravesar a parede tive medo e voltei, foi como se tivesse sentido um choque na volta, isso foi na minha adolescencia, mas esses dias resolvi relaxar a mente, eliminando todos os pensamentos do dia a dia, depois fechei os olhos senti que o meu corpo flutuava e girava para a esquerda cada vez mais rápido, como desconheço essas praticas fui me contendo, medo do desconhecido (rs).
    Eu sei que é algo que acontece no meu cérebro, mas uma sensação muito interessante. Não seria dessas sensações mal interpretadas a longo dos anos que surgem as histórias sobre espíritos e muito mais?
    Eu acho que esse tipo de coisa deveria de ser estudada com seriedade.
    O que vocês acham?

    Eu achei este site, mas existe outros bem fantasiosos.
    http://www.iipc.org/ciencias/projeciologia.php

  13. 13. JRC disse:

    Caso haja só esta vida para todos nós e fizermos dela o que há de melhor, mais proveitoso e útil, vai ser muito bom também; beleza! Mas, por que não podemos raciocinar ou questionar a evolução humana como sendo algo mais complexo, ou seja, que possa existir uma vida após a morte física? Pode ser que sim, como pode ser que não. E aí não reside acreditar em mitos controladores, conceitos ou palavras manipuladoras como paraíso, inferno, céu, criados pela mente humana e pelas religiões cada uma em sua cultura e tempo.

    Os ditos “crentes” radicais que aparecem aqui, talvez, por medo, ou inocência ou acreditarem em textos manipuladores literalmente, possam ter tanta dúvida quanto aos “céticos” radicais, sobre vida após a morte física. Isto, “sem sombra de dúvida”, acontece.

    A atitude cética, prática, preocupada como o aqui e agora, o que é muito bom, por sinal, unida à ciência e as pesquisas, é esclarecedora, porém ainda não munida de todas as verdades, principalmente no que tange à existência ou não após a morte.

    Não acredito em divindades, mitos controladores, dogmas cretinos – mesmo isto tudo fazendo parte da incrível trajetória do ser humanoe sua simbologia. Deve ter havido necessidade para tudo isto. – Vejo a ciência, enquanto verdadeira e não voltada para lucratividade em ações de muitas empresas, como aliada e evolutiva, porém, acredito que no campo espiritual, com questões sérias e onde a verdade prevalece, ainda teremos muito a evoluir. A morte física pode ser uma explicação ou um início.

  14. 14. Luciano disse:

    Abbadon:

    “E onde estao os crentes para comentar ?”

    Voces usaram a estratégia errada, pois se tivessem competido com eles sem agressividades, hoje eles estariam aqui.

    O que é mais interessante é justamente os debates (é o jogo).

    Enquanto isto, o site deles está atualmente chegando a passar com mais cem comentários ateus X crentes por post. Lá eles não maltratam ninguém, quem tentou, não teve apoio.

    Por exemplo, O Sabino aqui iria dar mais atração ao site. Comentários de concordantes não tem graça, o negócio é justamente a disputa.

    Administrador André respondeu:

    O Sabino não posta aqui porque não quer. Eu não o bloqueei. Afinal, em qualquer reino é preciso um bobo. Só que ele já foi tão escorraçado que até tem medo de colocar as patinhas aqui e prefere escrever seus dejetos mentais no brogueenho dele.

    Abbadon respondeu:

    Entao, se houvesse um crente para comentar, seria interessante descobrir o que mais ele poderia acrescentar à mitologia do Paraiso, ou se ele teria algum argumento (ou desculpa esfarrapada), ou entao algum dado novo que eu nao estivesse sabendo.

    Ja ocorreram muitos debates aqui com os crentes, mas como o site na epoca estava aberto para qualquer um comentar, tivemos problemas com a poluicao visual de overkills, pregacoes, ameacas de inferno, ou mostrar um deus vingativo, trolls, tentativas de conversao, etc.. nao foi possivel encontrar muita gente disposta a debater e colocar as suas crencas em xeque, perante um serio questionamento.

    Hoje, ha poucos crentes aqui. Ate porque muitos so veem aqui dar uma olhadinha, mas diante da exigencia de cadastro, desanimam e desistem da ideia de comentar os posts. A fe dos crentes é tao fraca que nao podem nem sequer cogitar a ideia de submete-la a uma unica pergunta séria.

    O Sabino ? Esse ai desistiu, depois de apanhar muito, e so fica no blog dele, falando mal de nos. Mas nao esta impedido de postar os comentarios dele aqui.

    Luciano respondeu:

    @Abbadon,

    Eles alegam que não comentam aqui, pois a estratégia de voces é de ataque pessoal, pois se não fosse assim, em argumentos eles não seriam derrotados.

    Eu comento lá no sabino (Clayton Luciano), E se vem com pregações aí é que eu gosto, pois entro para raciocinar se a pregação é lógica e excludente das demais “hipóteses”.

    Agora querer provas em crenças, eles não terão, mas gosto de dar ouvidos a eles para ver até onde eles chegam no raciocínio filosófico. Outro dia disse lá que eles querem transformar, arbitrariamente, uma mera possibilidade filosófica, entre um infinito delas, em uma verdade absoluta.

    Joseph K respondeu:

    @Luciano,
    “Competir” com os crentes? Em quê?
    Em ameaças de danação eterna ou em cegueira voluntária, para não ver os argumentos que recebem?
    Gosto de ler as notícias desse blog pois não há “competição” com os crentes.

    Quanto aos debates, você falou do site dos crentes e do Sabino, então já deve ter percebido a inutilidade de argumentar com crentes fanáticos, que acham que a bíblia, com suas milhares de falhas textuais, suas incoerências, ou a simples falta de compravação histórica (hilária, pois eles adoram falar em história) é a Verdade e palavra de deus, isso sem falar no tratamento assimétrico que dão à ciência e no uso do Senhor do Anéis para provar que trolls existem.
    É sempre cansativo ver como tentam justificar o dilúvio (o tamanho da janela da arca, para onde foi a água, quantos bichos dentro dela etc), como distorcem (ou desconhecem) os conceitos científicos (alguém pensou na 2ª Lei da termo?), a mania de chamar ciência (especialmente a Teoria da Evolução) de religião ou usar o ornitorrinco para provar o projeto intelijumento.

    Na minha opinião, alguém ficar citando trechos da bíblia (com tantas contradições fica fácil achar um para cada ocasião) e se fazendo de cego a argumentos, está maltratando o pobre interlocutor, muito mais do que chamando-o de “idiota” ou qualquer coisa assim.

    Eles alegam que não comentam aqui, pois a estratégia de voces é de ataque pessoal, pois se não fosse assim, em argumentos eles não seriam derrotados.
    Eles podem alegar o que quiserem, não tornará mais verdadeiro que o livro mágico deles, que diz que unicórnios existem.
    Quanto ao ataque pessoal, os (poucos) crentes que chegam a esse site e argumentam nuna boa, são bem tratados (e nem digo isso por mim, pode-se conferir pelo histórico das postagens), mas não os trolls e repetidores do “jesuis é u sinhô e oceis vaum queimá nu infernu mais eli ti ama”: bateu? Levou.

    Não gosto de perder meu tempo com crentes, venho a esse site (assim como a outros, com a mesma orientação) para ler as novidades e me divertir; ocasionalmente faço um comentário, quando tenho algo para contribuir, mas não gosto de fanáticos religiosos escrevendo besteiras, por isso mantenho a coerência e não comento nos sites dos religiosos.

    melo dirce respondeu:

    @Luciano, È verdade, o que você tenta explicar para eles entra por um ouvido e sai pelo outro,eles só acreditam no que está escrito ma bíblia e que eles interpretam como adoração contínua a Deus,que Jesus gosta de quem seja humilde e que nenhuma fala de Jesus jamais foi grosseira,Acho que esses crentes(fundamentalistas) deveriam ser proibidos de se candidatarem as eleições governamentais e de fundaren escolas religiosas além de terem programas de TV.Eles estão cada vez em maior número eas igerjas fazem de tudo para conquistar mais fieis .Criaram na Batista as tais células, onde há gente de todas as religiões, querendo passar a crente, porque na bíblia está escrito que não se pode ter e ter fé em santos.Também porque a igreja católica não faz os fiéis lerem a Biblia como os crentes e como eles dizem se Deus não lhe der o que você pede em oração é porque ele tem outro propósito melhor para você.

    melo dirce respondeu:

    @melo dirce, Desculpem-me a falta de vírgulas,estou correndcdo e não pude fazer a revisão.

  15. 15. rodrigo aguiar disse:

    Como ceticista, vocé é um belo espírita: “Mas, e quando TODOS os espíritos estiverem evoluídos? O que acontece? Ninguém diz, pois ninguém pensou nisso.”. Me parece que você está procurando respostas hein amigão !!!

    Que peróla hein: “sentir o vento no rosto numa tarde de primavera”. Quanta feminilidade …

    Essa aqui é muito melhor: “A maior característica da Humanidade é a sua capacidade de diversificação entre seus indivíduos. E a religião se propõe a destruir isso, para que tudo seja uniforme, uma só massa, um só rebanho, um só grupo para louvar a um mito automaticamente, sem voz, sem opinião, sem poder, sem nada de nada. Só os mais tirânicos governantes almejaram isso.”

    Meu amigo, você nunca ouviu falar em globalização, união dos blocos econômicos …, parece me que não é só a religião que irá destruir sua diversificação ! Isto sem falar na americanização da cultura global, logo seremos escravos e ceticistas, não se preocupe !

    Eita, este risco eu não corro: “E se você morrer usando um fio-dental”, libera logo, mãe entende.

    E finalmente, para fechar com chave de ouro: “Prefiro dar valor à minha vida, que é limitada” É isto que o ceticismo oferece … Tô fora !

    Administrador André respondeu:

    Meu amigo, você nunca ouviu falar em globalização, união dos blocos econômicos …, parece me que não é só a religião que irá destruir sua diversificação ! Isto sem falar na americanização da cultura global, logo seremos escravos e ceticistas, não se preocupe !

    Globalização fará todos trem a mesma opinião, mesmas crenças, mesmas aspirações e mesmas idiotices como as que vc falou?

    União de blocos econômicos, caro apedeuta, significa que haverá negócios e relações comerciais, mas a China continuará tendo seus milênios de história e nada mudará isso. Mas, tudo bem. Vc pode ir pro céu e ficar ajoelhado bem de frente pra Jesus. Reze bastante, sim?

    rodrigo aguiar respondeu:

    Caro amigo André, na verdade China continuará perdendo seus milênios de história(uma pena), abrindo as pernas (aos poucos é verdade), para toda essa baboceira difundida e derivada da cultura ocidental (capitalismo e pseudo-liberalismo).

    A união de blocos econômicos, significa união do capital, ou seja, do poder. Talvez isto não signifique nada para você, mas eu não gostaria de ver o poder concentrado nas mãos de um pequeno grupo.

    Porém é isso aí, enquanto existirem sabichões como você, que livrarão o mundo de todas as idiotices e ignorâncias religiosas, é melhor esperar a próxima etapa da evolução humana, ou seja, fazer da terra um verdeiro inferno (pelo menos esquentando já está).

    Que Deus nos salve, pois o demônio chamado leviatã está tomando conta do mundo.

    Administrador André respondeu:

    Quem nos salve?

  16. 16. rodrigo aguiar disse:

    Será que no céu tem censura ? hahahahaha !

  17. 17. rodrigo aguiar disse:

    Aliás, se você acredita no big-bang sem se importar com o que havia antes da grande explosão, então, eu também posso acreditar em Jesus Cristo, afinal é mais fácil provar a sua existência do que imaginar o condensamento de toda matéria existente no universo.

    Administrador André respondeu:

    Legal, mostra aí as provas que Jesus existiu.

    rodrigo aguiar respondeu:

    Ainda que Jesus Cristo não existisse, os princípios cristãos me parecem os mais coerentes entre todas as religiões que eu conheço (eu disse os princípios cristãos, esqueça o velho testamento).

    Só isto já é o suficiente para mim, pois são os princípios que formam o caráter de uma pessoa, pois, “um indivíduo sem ética não tem princípios nem posicionamento social adequado”. (autor desconhecido).

    Todavia, se você quer provas, elas existem, é só pesquisar acerca da matéria:

    “Para a arqueóloga Fernanda de Camargo-Moro, autora do livro Arqueologia de Madalena – Uma Busca Histórica da Companheira de Jesus (Editora Record, novembro de 2004), os poucos indicadores da existência de Jesus encontrados até hoje são muito fragmentados.”

    “Entre os mais importantes, está uma estátua, encontrada em 1961, em Cesaréia Marítima, na época a capital da Judéia”, diz. “Ela contém os nomes do imperador Tibério e o de Pôncio Pilatos, governador da Judéia (de 26 a 36 d.C.), vinculado à crucificação de Cristo. É a única prova material da existência de Pilatos.”

    Fonte: http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=24335

    Administrador André respondeu:

    Ainda que Jesus Cristo não existisse, os princípios cristãos me parecem os mais coerentes entre todas as religiões que eu conheço

    Vc conhece a fundo o Zoroastrismo e o Budismo? Quantas vertentes de Budismo vc conhece?

    (eu disse os princípios cristãos, esqueça o velho testamento).

    Seu Jesus disse que não veio abolir as leis dos profetas, logo elas aina estão valendo.

    “Para a arqueóloga Fernanda de Camargo-Moro, autora do livro Arqueologia de Madalena – Uma Busca Histórica da Companheira de Jesus

    Madalena? E o que isso tem a ver?

    os poucos indicadores da existência de Jesus encontrados até hoje são muito fragmentados.

    Quais? Mostra aí.

    Entre os mais importantes, está uma estátua, encontrada em 1961, em Cesaréia Marítima, na época a capital da Judéia”, diz. “Ela contém os nomes do imperador Tibério e o de Pôncio Pilatos, governador da Judéia (de 26 a 36 d.C.), vinculado à crucificação de Cristo. É a única prova material da existência de Pilatos

    Eu já fui em Nova York e estive no Empire State Building. Isso prova que um macacão subiu lá.

    Joseph K respondeu:

    @rodrigo aguiar,
    Uia, será que o crente sofre de amnésia? :shock:
    “Amigo”, já que você voltou, pode aproveitar sua enorme sapiência e explicar a relação entre a Teoria M e a bíblia ser manual de maus costumes? Muito curioso seu comentário, tenho certeza que você domina a ciência envolvida, afinal não seria cínico ou mentiroso, a ponto de falar uma coisa dessas, sem saber, não e mesmo?
    Aproveita e volta aos tópicos sobre a existência do seu homem jesus, estamos esperando as provas que ele existiu, lembra-se?

    rodrigo aguiar respondeu:

    A resposta acima também serve para você. Não só a bíblica é um manual de maus custumes, várias obras realizadas pelas mãos do homem também são, por exemplo as músicas que incitam a prostituição infantil (especialmente o funk carioca), todavia, tudo tem dois lados, caso você queimar as bíblias será considerado intolerante religioso ou preconceituoso, se você proibir o funk, ira contra o princípio da liberdade de expressão. Agora me diga sabichão, qual é a solução ????

    Quanto a relação entre a teoria M e a bíblia ? existe uma relação irrefutável meu caro amigo:

    As duas foram feitas pela mão do homem !!

    Agora me diga se estou certo ou errado ????

    Administrador André respondeu:

    A resposta acima também serve para você. Não só a bíblica é um manual de maus custumes, várias obras realizadas pelas mãos do homem também são, por exemplo as músicas que incitam a prostituição infantil (especialmente o funk carioca)

    Pois é. Só que ninguém reza pra Santa Tati Quebra Barraco, né?

    caso você queimar as bíblias será considerado intolerante religioso ou preconceituoso, se você proibir o funk, ira contra o princípio da liberdade de expressão. Agora me diga sabichão, qual é a solução ?

    Acabar com ambos e os defensores de morticínios, guerras, fome, peste, perseguição e intolerância que se danem. O mesmo vale para traficantes de drogas.

    Agora me diga se estou certo ou errado ??

    Com a diferença que a Teoria M não fala de unicórnios, dragões e nem cobras e jumentas falantes.

  18. 18. rodrigo aguiar disse:

    Só uma última colocação, ja pensou se a Teoria M estiver correta (existência de vários universos paralelos, ou a Teoria das Super Bolhas), agora, como todo bom amante de filme de ficção científica, imagine se existir alguma civilização que possua conhecimento para “viajar” entre estes “universos” paralelos…

    Please, open your mind !!!

    Administrador André respondeu:

    Esse aí já tá chapado a essa hora. Imagina lá pra de noite…

  19. 19. rodrigo aguiar disse:

    Teoria das cordas:

    “Mateus [16]
    19 dar-te-ei as chaves do reino dos céus; o que ligares, pois, na terra será ligado nos céus, e o que desligares na terra será desligado nos céus.”

    Retirando a baboseira religiosa: E se a chave nada mais for que o conhecimento ?

    Administrador André respondeu:

    E se o conceito de Céu nada mais for apenas baboseira?

  20. 20. JRC disse:

    Josias respondeu:

    fevereiro 24th, 2010 às 20:18

    Acho que ele apenas quis desabafar…
    Queria que ele usasse mais termos mandando tudo á merda, mas o cara é bonzinhoinhoinhoinho… se pudesse, eu é quem o mandaria á merda. já mandei.
    “Porque não quero ir pro céu”, será que também acreditas que deus tem cacete mágico tão grande, bundão?
    E…… já agora Abbadon, você Ateu, Cético, agnóstico, Crênte, ou ficas postando essas merdas só para os cara aqui não ficar te MANDANDO Á MERDA se vieres com pregações estúpidas?

    Encontrei este texto no meu e-mail. Caso estas frases tenham se referido ao que escrevi sobre o texto, acredito que a pessoa que escreveu tenha desmerecido o site e atacado o argumentador e não o argumento e pelo que entendi bem não é permitido.

    Não vou atacá-lo com a mesma moeda, até por que achei muito bobo e desnecessário o contexto. “BUNDÃO, Mandar a merda”. Ninguém é mais homem do que ninguém, companheiro…”Tenha certeza disso”. Meu nome é João Roberto, moro no Rio de Janeiro, tenho familia e não preciso me esconder ou deixar de dar uma opinião, mas não sou desrespeitoso com alguém. Sei viver com as diferenças, convivo com pessoas legais e não devo nada a ninguém.

    Conheci este site e acho que tem artigos bem legais, que nos fazem raciocinar e pensar sobre os temas colocados. Porém penso que o administrador ou dono do site deveria ter um posicionamento perante atitudes desrespeitosas assim.

    O debate em bom nivel é sempre bem vindo, até com pitadas de humor, mas não com deselegância e derespeito às pessoas que escrevem , até por que nunca faltei com respeito a quem quer que seja aqui. Estou aqui para aprender, trocar idéias e quem sabe acrescentar algo.

    Caso eu tenha entendido errado e não tenha o comentário sido para o que escrevi acima, peço sinceras desculpas.

    Atenciosamente, João Roberto

  21. 21. Antonio Benaion disse:

    Excelente texto, Abbadon. Me fez ver um aspecto no qual nunca tinha parado pra pensar: As muitas falhas logísticas do paraíso, segundo as religiões tradicionais.

    Quero ver a crentalhada sair dessa agora. :mrgreen: :twisted:

  22. 22. Kormoran disse:

    Quem ja conversou com um crente, quer dizer, aguentou a lobotomização percebe como que é engraçado este tentando te convencer das maravilhas do paraíso na maneira mais “0800”, por isso eu adoro a retórica do pessoal daqui!!

    Quem aqui ja na rua ou em qualquer momento da vida ja não foi indagado por um evangélico e tentou ser educado enquanto ele vomita sua doutrina, renega as suas posições e faz ameaças veladas sabe como é que é, ELES NÃO LIGAM, se voce esta sendo educado, eles não querem nem saber, agem sabendo que as pessoas não vão querer ser rude.

    No meu bairro tem um carinha que estudou no meu colégio e anda com duas outras crentazinhas (se fosse somente as duas eu até deixava elas entrarem na minha casa para ouvir a palavra…) tentando pregar pra todos, e é um saco, ele vem todo legalzão (fomos suuuuper amigos no colégio) mas na verdade, eles são INSTRUIDOS a serem intransigentes, o adestrador deles ensina que haverá a resistencia no infiel.

    Por isso, esse texto é uma boa ajuda até, alem de ser muito bem escrito, da próxima eu falo “NÃO-QUERO-IR-PRO-PARAÍSO.”

  23. 23. Jovemtino Silva disse:

    Jovemtino Silva
    cicerolima73@hotmail.com | 87.196.198.76

    Esperava mais de ti.
    A propósito, quantos anos de idade tu tens?
    Afinal, para que meu post fique publicado eu tenho que te bajular como estes todos que aí estão?
    Quantos metros quadrados ocupa o ego dos arrogantes?
    Terá sido mesmo você a compor este texto?
    Olha garoto, eu sou Eletrotécnico e Pedagogo, mas, além disso tudo gosto muito do estudo da Fisica; e sou crente.

    A pouca Ciência afasta o homem do seu criador.

    A propósito, se pode me dar licença, tenho que ir clher uns computadores no meu jardim, evoluíram lindamente. Bye!!!!!

    Administrador André respondeu:

    Olha só, meu caro lusitano, não se preocupe que aquele monte de merda será postado em data próxima.

    Aguarde. :mrgreen:

    A propósito, pedagogia e MERDA são a mesma coisa. Se bem que merda ainda serve pra adubo. Pedagogia é babaquice, seguida por babacas.

    Hasta la vista, cre(n)tin(h)o lusitano.

    Renato Kistner respondeu:

    @Jovemtino Silva, Eu chuto uns 35, 37… :mrgreen:

    Administrador André respondeu:

    Eu não chuto. Uso logo uma metralhadora.

  24. 24. jovenntino disse:

    Desculpa a demora, mas tive outras ocupações.

    Bem, agradeço desde já o seu comprometimento em colocar o post para que os leitores leiam.

    Mas…! …Primeiramente, eu gostaria que ao menos tu soubesse que eu não sou português. Sou cearence, “brasileirinho da silva”. Isso acontece devido a tua pouca formação em estilo de linguagem.; pois ao contrário do que pensas, estou apenas tentando comunicar corretamente. ( Também cometo erros gramaticais ).

    Quanto ao valor da Pedagogia; torna-se muito relativo, pois se colocares uma fruta qualquer e uma nota de mul dólares na presença de um macaco, bem, já sabemos a resposta… No entanto, eu como ví no texto, ser citado a palavra linguísta, julguei que soubesses do que se referia. “Quem tem boca diz o que pensa querer dizer”.

    Somente escreva. Leia na net e escreva. Isso é uma boa metodologia egemonizadora dos futuros pensantes desse planeta. Particulermente, tu necessitas de uma bibliografia de qualidade mais refinada.

    Quero pedir licença aos “leitores” para um comentário. Gosto de teclar contigo, pois dá-me gozo!!!

    Olha, gostaria que postasse sempre o que eu escrevo, pois estas confábulas não dizem respeito a nós os dois, mas sim para que os leitores entrem neste sítio e possam ler. Sabe eu sempre posso criar um blog com um nome bem parecido e títulos, sub-títulos; coisas do gênero e responder para ti cara. Não tenho muito tempo para estar na net, mas, vou teclando contigo.

    Ah, e não vale fugir para outros blogs com nomes diferentes, que eu já marquei o teu estilo de escrita. (É para isso e muito mais que serve a Pedagogia).

    por hoje é só.
    Com licença! Tenho que ir poldar um muro de tijolos que não para de crescer ao fundo do quintal…

    Administrador André respondeu:

    jovenntino
    jovenntino@hotmail.com | 87.196.102.131

    Vejamos o whois:

    inetnum: 87.196.0.0 – 87.196.127.255
    netname: IP-NOVIS
    descr: NOVIS TELECOM, S.A.
    country: PT
    admin-c: NVSA1-RIPE
    tech-c: NVST1-RIPE
    status: ASSIGNED PA
    mnt-by: IP-MNT
    source: RIPE # Filtered

    role: Novis Admin Contact
    address: Novis
    address: Edificio Novis, Estrada da Outurela, 118 – A
    address: 2795-606 Carnaxide
    address: Portugal
    phone: +351 2 1010 4400
    fax-no: +351 2 1010 4459
    admin-c: NVSA1-RIPE
    tech-c: NVST1-RIPE
    nic-hdl: NVSA1-RIPE
    mnt-by: IP-MNT
    source: RIPE # Filtered
    abuse-mailbox: abuse@isp.novis.pt

    role: Novis Tech Contact
    address: Novis
    address: Edificio Novis, Estrada da Outurela, 118 – A
    address: 2795-606 Carnaxide
    address: Portugal
    phone: +351 2 1010 4400
    fax-no: +351 2 1010 4459
    admin-c: NVSA1-RIPE
    tech-c: NVST1-RIPE
    nic-hdl: NVST1-RIPE
    mnt-by: IP-MNT
    source: RIPE # Filtered
    abuse-mailbox: abuse@isp.novis.pt

    Renato Kistner respondeu:

    Nossa, Jovenntino, vc não devia ter feito isso! :roll:

    Icarus respondeu:

    @jovenntino,

    É Jovenntino, a Força Jedi é superior a pedagogia. :mrgreen:

    Administrador André respondeu:

    Cheguei à conclusão que o sistema de abastecimento de água português não usa fluoreto e sim benzoilmetilecgonina. Isso explica o motivo de haver gente assim.

    Ou então o Sabino está se reproduzindo por cissiparidade.

    Icarus respondeu:

    @André,

    benzoilmetilecgonina

    Essa eu precisei googar hehe

    krebys respondeu:

    @André,
    o André… vc poderia fazer uma “hall da fama” com os pseudo-debatedores que causaram mais polêmica por estas bandas…
    :twisted:

  25. 25. catthy.mv disse:

    O céu não é open bar e ainda por cima eh FRIO….
    sai fora! hahahahah

    brincadeiras a parte…

    no MEU ponto de vista nao existe Céu e inferno…
    mas enfim, livre arbitrio !

  26. 26. Heartless_and_Soulless disse:

    Certo dia fui conversar com o meu pai (que é pastor) sobre o que ele acreditava nos aguardar após a morte. O resultado foi mais ou menos previsível: disse que estaríamos louvando a deus por toda a eternidade, etc. Aí resolvi perguntar se estaríamos eu e ele lá, felizes, conversando e brincando como sempre, e a resposta me deu vontade de chorar: ele disse, sem o menor remorso, sem a menor tristeza, sem a menor mudança de expressão, que não nos lembraríamos quem éramos e o que tínhamos vivido… aí eu pensei: ou seja, por que viver então?
    O paraíso dos evangélicos (e de quaisquer outras religiões) me enoja.
    :evil:

  27. 27. melo dirce disse:

    Imagine: ser crente para alcançar o propósito de Deus que é a salvação(ir para um lugar maravilhosoa após a morte.E nesse lugar todo mundo que os outros Deuses, das outras religiões, também levaram!!!Segundo os crentes o verdadeiro propósito de Deus é levá-llo .após a morte para\a esse lugar.Mas na hora da adoração e oração todos pedem para viajarem de férias enada de acidente,para o fulano sarar de sua doemn~ça…tem crente que ora pedindo até para achar taxi!!!Edizem quee Deus gosta de que façm muitos pedidos e que se algum não for alcançado é poque Ele tem outro propósito para o crente.
    Pregam que devemos perdoar ,ser humilde,…coisas que livros de auto ajuda e de psicologia também ensinam.Mas quando vem com a história de Abrão que quases matou seu filho para provar sua fé em Deus,na arca\a dcde noé,que viemos de adão e eva e que o homem é a cabeça da mulher!!!Aí não dá!E outra,não se pode transar durante o namoro.

  28. 28. melo dirce disse:

    E Como foi esplanado no texto quem quer ir para o céu?Se fosse viver aqui naTerra ,nem digo eternamente,mas, jovem, até uns 400 anos,seria maravilhoso!

  29. 29. Jr disse:

    O paraíso parece ficar tedioso com o passar dos séculos. :smile:
    Supondo que o paraíso exista e que seja algo parecido com o que foi descrito, ainda é melhor que ficar eternamente no inferno(considerando que seja um lugar de sofrimento eterno).
    O que é melhor: tédio eterno no paraíso ou sofrimento eterno no inferno?

  30. 30. leumatiello disse:

    Só canções de louvor?

    Acho melhor ir reservando logo meu lugarzinho no inferno, lá pelo menos vai ter… Heavy Metal! ;) hhehehe

  31. 31. :: bAldiM :: disse:

    Descobri esse blog a mais ou menos duas semanas, e desde então tem sido minha rotina diária de leitura. Como os posts não são diários, vou ao clímax com os artigos antigos e me divirto muito com os trolls góspeis que se arriscam a deixar aqui alguma opinião(não-própria).

    Sei que o André vai me xingar por ter comentado em um artigo do ano passado( :smile: ), mas não poderia ter passado por esse texto e simplesmente não deixar minha singela opinião.

    O texto é excelente e traz muitos dos questionamentos que eu tinha quando crente, mas não teria a sensibilidade de dissertar de uma maneira tão clara, lógica e RACIONAL como o Abbadon fez. Confesso que fiquei tentado a mandar esse texto (altamente reflexivo) para meus amigos crentes, mas ponderei as consequencias, pois sabia que minha vida seria um “inferno” com pregações e argumentos pobríssimos.

    Obrigado pelo site e pelo artigo.
    Vocês ganharam um “seguidor” usando a lógica e a razão, sem a necessidade de ameaças e intervenção no meu modo de vida.

    Abraços.

    Carlos Baldim
    ex-católico, ex-kardecista, ex-católico de novo (juro que tentei..rs).

  32. 32. mariab disse:

    Sabe pq não podemos descrever como seria o paraíso? porque o paraíso esta no mundo das ideias, e oq faz parte do mundo das ideias assim como Deus é perfeito e divino, não pode ser tocado, mais podemos ter sensações que podemos descrever como um sinal divino, um sinal de Deus…pois temos a ideia de que Deus so quer o nosso bem, so quer a nossa felicidade, e realmente se passamos por tribulações tendo fé é muito mais facil de superar…
    A fé não pode ser tocada mais pode ser sentida, eu não tenho ideia de como seria o paraíso, mais como eu sei que Deus so quer o nosso bem, deve ser um lugar onde não sentiremos tédio…então não sera como o descrito…eu respeito seu ponto de vista, mas, quero dizer que vc por ser cético, esta perdoado por Deus! :smile:

    Administrador André respondeu:

    Sabe pq não podemos descrever como seria o paraíso? porque o paraíso esta no mundo das ideias

    Ou seja, não existe na realidade.

    e oq faz parte do mundo das ideias assim como Deus é perfeito e divino, não pode ser tocado

    E como foi que ele comeu a Maria?

    mais podemos ter sensações que podemos descrever como um sinal divino, um sinal de Deus…

    Um pouco de clozapina resolve essas “sensações”.

    pois temos a ideia de que Deus so quer o nosso bem

    … ao matar todos os seres viventes do mundo, por exemplo. Isso quando não aceita sacrifício de animais e aniquila cidades inteiras. Claro, isso só existe no mundo das ideias.

    so quer a nossa felicidade

    Não é o que Isaías cap. 45 diz.

    e realmente se passamos por tribulações tendo fé é muito mais facil de superar…

    Preces de terceiros não ajudam doentes

    A fé não pode ser tocada mais pode ser sentida

    Quando vc corta um braço fora, vc ainda sente o mesmo como se ainda estivesse lá. Isso não fará com que o braço reapareça.

    eu não tenho ideia de como seria o paraíso, mais como eu sei que Deus so quer o nosso bem

    Os filhos de Jó que o digam…

    deve ser um lugar onde não sentiremos tédio…então não sera como o descrito…

    Imagino que lá terá internet, TV a cabo e strippers, certo?

    eu respeito seu ponto de vista, mas, quero dizer que vc por ser cético, esta perdoado por Deus!

    E eu quero dizedr pra vc pegar o seu deus e enfiar vc sabe onde.

    Nihil Lemos respondeu:

    @André, ainda não descobri qual a dificuldade que esse povo tem em diferenciar o mas do mais

  33. 33. Mariane disse:

    Se existe realmente céu e inferno, todos nós iremos para o inferno, inclusive[quase todos] os religiosos… ou eles acham que vão mesmo para o paraíso? HAHAHA :twisted:

  34. 34. Guilherme Arruda disse:

    Sensacional. O artigo lança uma série de especulções como forma de convencer a fé ateísta, com o detalhe legal de ele ter sido escrito por alguém que se intitula com o nome de um demônio. E mais interessante, é como tem gente entrando nessa. Realmente, a Bíblia não mente ao dizer como o demônio viria e enganaria a muitos.

    Vcs estão fazendo realmente um excelente trabalho em conduzir a vida das pessoas rumo a destruição.

    Administrador André respondeu:

    “Acredite num Céu. É a única coisa que vc terá, maldito mortal!”

  35. 35. ahimsa disse:

    Li um livro sobre filosofia do Yoga que não me pareceu ter essa concepção clara de céu e inferno. O Yoga veio da filosofia Hindu, mas desde então se fragmentou em tantas vertentes que muitas se clamam filosofia ao inves de religiao apesar do objetivo principal ser a união com uma consciencia superior/divina.

    Pelo que pude entender do livro o maior inferno proposto existente é a vida que conhecemos.
    Tem toda a ideia de carma e reincarnação com intuito de se tornar um ser perfeito.
    A idéia eh que no final de várias encarnações voce se torna um ser perfeito, com todos atributos que normalmente atribui-se a um deus e esse é seu prêmio,
    Depois disso parece que voce sai do universo transcende o tempo e vai evoluir de outra forma inconcebivel.
    Um sutra que achei interessante é que aconcelha a nunca decidir uma ação devido a autoridade de outra pessoa, texto ou livro, e sim baseado na sua propria logica , intuição e experiencia, e se voce estiver errado o carma te ensinará o caminho certo.

    Li esse livro justamente pq nunca tinha conhecido uma religiao que não prega-se violencia de alguma forma ou eterno sofrimento. Mas assim que uma pessoa pegar esse livro e clamar autoridade ai já era, deixa de ser filosofia e passa a ser a religiao como conhecemos.

    PianoCat respondeu:

    @ahimsa, Eu tive uma experiência com uma dessas vertentes “filosóficas” que você citou.

    A minha genitora estava ficando meio bitolada com os ensinamentos da professora de Yoga dela. Sempre que eu a encontrava, ela vinha com uns papos estranhos e umas crenças bizarras e injustificáveis.
    Para tentar desmistificar o assunto para ela, eu assisti a uma palestra em que a ministrante era a tal professora.
    Eu fiquei abismado com as coisas que escutei, é uma verdadeira salada de religiões e superstições. Ela mistura tudo… TUDO!
    É Hinduísmo com astrologia, judaísmo, cristianismo, espiritismo, ocultismo, veganismo e até UFOs.

    Eu fui com meu notebook para a palestra e anotei tudo para a posteridade. É muito divertido, mas é um pouco extenso…

  36. 36. Nélio Dias disse:

    Belo texto mesmo! Emocionante! Faz a gente pensar, e… é muito, muito engraçado! Ótimo raciocínio, parabéns! :)
    Compartilhei o link! :)

  37. 37. Almeida disse:

    Se os crentes lessem livros de história ao invés da bíblia veriam que esses termos “céu, paraíso e/ou salvação” pertencem a uma heresia chamada Maniqueísmo. Seu fundador foi Manion Maniqueu que viveu na Pésia entre 215 e 276. Seguiam os ensinamentos de Zoroastro, fundador da religião de medos e persas, viveu no irã por volta do séc. Vll a.C. Acreditavam que há dois reinos eternos: o das TREVAS, domínio de Satã, e o da LUZ, domínio de Deus. O zoroastrismo baseia-se em dois princípios absolutos antagônicos: o bem e o mal. Após um período de doze mil anos, o bem triunfaria sobre o mal . O fim do mundo seria marcado pela vinda de um messias. Os mortos ressuscitariam e seriam julgados, sendo os bons recompensados, e os maus castigados. Alguns cristãos ( Santo Agostinho foi maniqueísta, depois rompeu com essa heresia[esperto, né?] adaptaram os ensinamentos de Maniqueu ao cristianismo, rejeitando o Antigo Testamento e adaptando o Novo Testamento. Isso aconteceu porque apesar de muito combatida, essa doutrina propagou-se intensamente e resistiu às perseguições. Não devemos crer que vamos para o céu. Isso é um mito do séc. Vll a.C, muito antes desse outro mito(cristianismo) surgir.

Deixe um comentário

Mas, antes, leia a nossa Política de Comentários. Obrigado por sua participação.

Você precisa estar logado para deixar um comentário.