A maior invenção da indústria da fé

Esta história é uma malévola mentira anti-semita, uma das muitas mentiras semelhantes encontradas no Novo Testamento (majoritariamente escrito por anti-semitas.) O que é particularmente odioso nesta história sem sentido é que aparentemente é uma distorção de uma história mais antiga que clamava que os Judeus tinham pedido para Jesus Cristo ser libertado.

O nome “Barrabás” é simplesmente a forma Grega do Aramaico “bar Abba”, que significa “filho do Pai”. Assim, “Jesus Barrabás” originalmente significava “Jesus o filho do Pai”, em outras palavras o usual Jesus Cristão. Quando a história antiga clamava que os Judeus queriam que Jesus Barrabás fosse solto, estava se referindo ao Jesus usual. Alguém distorceu a história afirmando que Jesus Barrabás era uma pessoa diferente de Jesus Cristo e isto enganou os Cristãos Romanos e Gregos, que não sabiam o significado do nome “Barrabás”.

Finalmente, a afirmação de que o Jesus ressurreto apareceu aos seus discípulos é também baseada em superstições pagãs. Na mitologia Romana, Rômulo, nascido de uma virgem, apareceu ao seu amigo na estrada antes de ser levado para o céu (o tema de ser levado para o céu é encontrado em grande número de mitos e lendas pagãs, e até em histórias Judaicas.) Foi afirmado que Apolônio de Tyana também tinha aparecido aos seus discípulos depois de ter ressuscitado.

É interessante de notar que o Apolônio histórico nasceu mais ou menos ao mesmo tempo que supostamente o Jesus mítico nasceu. Em lendas, as pessoas afirmavam que ele tinha executado muitos milagres, que eram idênticos àqueles atribuídos a Jesus, tal como exorcismos de demônios e o de trazer novamente a vida a uma garota morta.

Quando confrontados com defensores Cristãos, aponte tanta informação quanta for possível sobre as origens do Cristianismo e do mito de Jesus. Quase nunca irá conseguir os convencer que o Cristianismo é uma falsa religião. Não poderá provar sem dúvidas que a história de Jesus surgiu da maneira como afirmo, uma vez que muita da evidência é circunstancial.

De fato, não podemos ter a certeza da origem precisa de muitos pontos particulares da história de Jesus. Isto não interessa. O que é importante é que você compreenda que existem alternativas lógicas à crença cega nos mitos Cristãos e que pode ser lançada uma dúvida racional sobre a narrativa do Novo Testamento.

Próximo capítulo: A falta de evidência Histórica para Jesus

Veja os outros capítulos da série A maior farsa de todos os tempos clicando aqui.

Pages: 1 2 3 4 5 6 7 8 9