Grandes Nomes da CIência

Biografias de cientistas conhecidos ou não tão conhecidos assim. Curiosidades e fatos sobre suas pesquisas, inclusive gente anônima que fez ciência e não recebeu os devidos créditos. Mais »

Livro dos Porquês

A sabedoria e o conhecimento. Isso é Poder! Abra sua mente, aprenda mais sobre questões básicas (e complexas) e tire suas dúvidas, de forma mais didática possível, sem ser aquelas aulas chatas de colégio. Mais »

Grandes Mentiras Religiosas

O mundo não é tão bizarro quanto fazem parecer. Mentiras e enganações para ludibriar as pessoas, lindamente desmontados, de forma a trazer à luz a desonestidade para tentar lhe fazer parar de pensar e simplesmente aceitar o que querem que você pense. Mais »

Caderno dos Professores

Para quem quer ensinar e muitas vezes se pergunta como abordar um tema. Como deixar a aula interessante, como levar conhecimento aos seus alunos por meios que pedagogos lhe odiarão, mas serão amados pelos estudantes. Mais »

 

Veganismo Desmascarado

vegan_desmascarado.jpgTalvez, vocês tenham presenciado uma cena semelhante: Você vem andando pela calçada e é abordado por uma moça. Ela pede um minuto de sua atenção e você, como todo bom idiota, para para (maldito acordo ortográfico!) dar atenção – e depois lamentar de não ter continuado andando. Ela diz que quer falar com você e lhe entrega um panfleto. Ela, com seu sorrisinho, fala pra você mudar de postura, pois a mesma é errada, que você deveria ver o mundo com outros olhos, ser mais ético. Que, assim que mudar, sua vida melhorará e ajudará a fazer um mundo sem sofrimento.

Você deve estar pensando em alguma Testemunha de Jeová, com sua revista Sentinela, mas não. Estou falando de uma das novas religiões que apareceram nos últimos tempos: o Veganismo. Sim, pois a onda Vegan está mais parecida com religião do que qualquer outra coisa, e aqui eu demonstrarei o porquê.

panfleto_vegan.jpg

Primeiro de tudo, vamos entender o que é veganismo e, para isso, vamos ver sua origem: o vegetarianismo. Não, os dois não são a mesma coisa.

O vegetarianismo não tem nada de complicado: A pessoa não gosta de comer carne e prefere alimentar-se apenas de vegetais. Simples assim. Há alguns que se alimentam de ovos, leite e derivados (seja de vaca, cabra ou outro animal qualquer), ovas (de peixe, claro) etc. Não é muito diferente se eu não quiser comer ovos mexidos, por exemplo (detesto ovos mexidos), ou quiabo (odeio quiabo!). A pessoa come o que quiser e pronto! Fim da história. É mais ou menos como acontecem nas religiões: Um camarada cisma que existe um deus (chamemos Coxarrebolante). Ele faz umas preces a Coxarrebolante, venera Coxarrebolante e continua a sua vidinha. Outros acham que isso deve ser seguido com maior rigor, daí constroem um templo para Coxarrebolante, fazem “UUUUUUhhhhh” para Coxarrebolante, dedicam oferendas e assim tem início a religião do Coxarrebolantismo. Todos TÊM que ser coxarrebolantistas, pois caso contrário serão considerados hereges e atirados no inferno.

Com o Veganismo não é diferente. Em 1944, Donald Watson (1910 – 2005) fundou a Vegan Society, por ter se indisposto com a Vegetarian Society por diferenças ideológicas – coisa que não ficou muito bem explicada, mas isso nós vemos acontecer em qualquer religiões. Assim, Watson (que não é aquele Watson) se juntou a mais 6 pessoas, e decidiram criar uma nova sociedade, criando até mesmo um novo nome. Watson foi criado numa fazenda quando garoto e resolveu ser vegetariano quando ele viu o que acontecia com os porcos, de modo a virarem o amado bacon nosso de cada dia. Ele (Watson e não o bacon) surtou com pena dos animais e achou que a humanidade era boba, feia e chata; e essa humanidade boba, feia e chata tinha que defender os animais.

Sinceramente, não acho nada de errado defender os animais. Mas há algo sinistro que governa os destinos dos seres vivos. Há algo malévolo, pérfido, indiferente a qualquer coisa que nasce, vive e morre. Essa coisa, como já falei várias vezes, é a Seleção Natural. Ela é quem comanda a sua vida, seu mortal idiota! Antes de prosseguir, demonstrando porque o veganismo está caindo para as raias do absurdo (se é que não começou lá), vamos dar uma repassadinha básica em certos detalhes do mundo biológico.

Nós, seres humanos, somos apenas uma ridícula e insignificante porção da biodiversidade. Somos tão ridículos que só há uma única espécie do gênero Homo. Nenhum dos outros sobreviveu. Apesar de sermos ridiculamente insignificantes, a Seleção Natural demonstrou que somos vencedores, dados os milhares de anos que o Homo sapiens anda por aí. Todos os demais indivíduos do gênero Homo não sobreviveram para contar a história, pois foram extintos. Se algo contribuiu para isso foi a nossa dieta onívora (comemos qualquer coisa, ou quase) Antes, éramos caçadores-coletores, isto é, vivíamos exclusivamente da caça e da coleta de víveres que estavam facilmente ao alcance das mãos. Isso perdurou até que inventamos a agricultura. Nosso cérebro era pequeno e não muito bom para formar o que poderíamos chamar de civilização tecnológica (emprego “tecnologia” como o conhecimento de usar ferramentas, mesmo as mais rudimentares). Alguma coisa fez a diferença, e essa diferença foi a ingestão de proteínas de origem animal.

Esse é o ponto que o vegan fica estarrecido, arregala os olhos e diz: NOOOOOOOOO!!! Mas, esperem! As plantas também produzem proteínas, logo o que há de diferente entre elas?

Vegans, como costumam ser os religiosos fanáticos, não leem nada que divirja de sua opinião pré-concebida e preconceituosa, isto é, eles costumam não entender NADA de bioquímica. Façam um teste: peguem um livro de bioquímica e tomem um capítulo. Escolham um vegan e peça para ele explicar. Digamos, ciclo de Krebbs. Se você estiver num debate online, o co-debatedor correrá pro Google, acessará a Wikipédia e dará copy/paste. Peça para ele explicar o que está escrito ali. Ele não saberá. No máximo, recorrerá a sites como o Go Vegan, o Answer in Genesis do Veganismo.

Muito bem, a maioria das plantas sintetizam seu próprio alimento através da fotossíntese, como qualquer criança de Ensino Fundamental sabe. Mas é um processo MUITO complexo. A planta sintetiza também proteínas – que nada mais são que junção de vários aminoácidos – além de enzimas que possibilitam muitas reações químicas no organismos (às vezes elas participam da reação, às vezes só agem como catalisadores, acelerando – mas não participando – da reação). Os animais sintetizam proteínas de forma diferente. Eles montam e desmontam proteínas, absorvem e reciclam os nutrientes absorvidos, até produzirem as proteínas necessárias ao seu funcionamento.

Os animais não produzem todas as proteínas igualmente. Alguns animais produzem uma determinada proteína, outros não. Por causa disso, e de nossa dieta onívora, os seres humanos que desenvolveram a capacidade de metabolizar quase todos os tipos de proteínas tiveram melhor chance na corrida evolutiva, pois a população que apresentou esta capacidade ficou em vantagem nos tempos de escassez. Assim, o que REALMENTE interessa aos animais são os aminoácidos provenientes das proteínas, pois eles serão usados para suprir o organismo de forma que o metabolismo faça a síntese do que for necessário. Dessa forma, o que importa não é a proteína em si e sim de quais aminoácidos ela é constituída.

Um detalhezinho que os fanáticos religiosos vegans – também chamados Talibãs da Couve-Flor – não sabem (ou não querem saber): as proteínas animais são mais facilmente metabolizadas do que as proteínas vegetais, pois as proteínas vegetais são formadas por outros aminoácidos que seriam necessários para o nosso organismo, mas não todos. Se determinados aminoácidos estiverem presentes, não servirão, pois cada proteína é formada por uma série de aminoácidos característicos. E eu ainda nem entrei na questão das vitaminas e complexos vitamínicos. Logo, não basta ser proteína, tem que ser formada pelos aminoácidos certos.

O que isso significa? Significa que bioquimicamente, não há sentido ser apenas (notem o “apenas”) vegetariano. Basta considerar que nem todas as proteínas vegetais possuem os aminoácidos que nós, seres humanos, precisamos. De onde iríamos conseguir estes aminácidos? Comprando no Mercado Livre? Hoje é fácil, há 20 anos era difícil, há 50 anos era praticamente impossível e de 100 anos para trás era COMPLETAMENTE impossível.

Mas… mas… mas, e os estudos que as carnes fazem mal? Simples: Não fazem.

As carnes, enquanto fonte de proteínas, não fazem mal; o que faz mal é a taxa de gordura associada a ela. Escolhendo carnes mais magras, o problema diminui substancialmente. E aí vamos para outro ponto em que o veganismo é semelhante às religiões: Desonestidade.

Sites como o Go Vegan, como todo antro de fanatismo religioso, omite certas informações. Costumam tecer comparações entre as dietas onívoras e as vegetarianas, dando (é claro) vantagem para a dieta vegetariana. O que eles “esquecem” de mencionar é que comparam uma dieta onívora desbalanceada com uma dieta vegetariana balanceada. Trapaça pouca é bobagem! “Esquecem” também de mencionar que, embora os vegetais também apresentem proteínas, a maior parte da planta é composta por celulose, um carboidrato (e não proteína) que não é absorvido pelo organismo humano; se fosse você poderia comer algodão ou mesmo papel, mas você sabe que não é assim que a banda toca. Por certo, nem mesmo o sistema digestório de animais herbívoros, como os boizinhos lindos, estão completamente adaptados para isso. O que eles têm que nós não temos são micro-organismos que atacam a celulose, quebrando-a em moléculas menores que podem ser absorvida pelo organismo dos distintos herbívoros.

No caso dos animais, digerimos a sacarose e o amido (dois outros exemplos de carboidratos) porque eles são “quebrados” em partes menores. Nossa saliva contém uma enzima camada amilase, responsável por quebrar o amido em unidades menores, facilitando sua absorção. No tocante à proteína animal, o fato é que sua ingestão nos propiciou o desenvolvimento do encéfalo [1] [2] [3] . Da mesma maneira, houve um aumento de estatura considerável no povo japonês depois da Segunda Grande Guerra. Com a chegada de norte-americanos nas ilhas do Pacífico, começou a haver uma mudança de hábitos alimentares, com a introdução de mais proteína animal na dieta dos que lá viviam. Isso acarretou um aumento na estatura média do povo japonês [4] [5] , somando-se também um melhor estilo de vida [6] ; e é óbvio que apenas a ingestão de proteína animal não acarretaria isso, mas também é um fator a ser levado em conta. Se fosse nociva, tal desenvolvimento não seria observado, ou seria em menor grau. Em uma reportagem da revista Época (edição de 24 de agosto de 1998), é demonstrado como os tanques japoneses possuíam cabines pequenas, adequadas à estatua média do soldado japonês. Atualmente, entrar numa cabine assim é muito, muito complicado para um adulto. Ainda no tocante à população japonesa, estudos sugerem que o consumo de proteínas animais – em comparação com os povos ocidentais – não está relacionada com casos de Acidente Vascular Cerebral ou infartos. Credita-se então à ingestão de altas percentagens de gordura animal e colesterol. Fica claro que o problema não é a carne em si, e sim a gordura, como banha de porco etc.

Ao lermos sobre os efeitos de uma alimentação pobre em proteínas, encontramos um artigo que relata (grifos meus):

A suplementação, com proteínas, de uma dieta na qual esse nutriente era deficiente, tanto em quantidade quanto em qualidade, levou a resultados diversos, dependendo da qualidade da proteína usada na suplementação. Quando se suplementou a dieta carente com uma proteína de baixa qualidade (de origem vegetal), os efeitos sobre a DA [depressão alastrante da atividade elétrica cerebral] não foram revertidos. A reversão só foi conseguida quando a proteína usada na suplementação era a caseína, a proteína animal de excelência para os mamíferos. Com base nessas observações pode-se concluir que os efeitos da desnutrição no início da vida sobre o desenvolvimento e as funções cerebrais não podem ser completamente evitados, se a alimentação deficiente for suplementada apenas com proteínas de baixo valor biológico, isto é, de baixa qualidade, definida pela falta de alguns aminoácidos essenciais.

Guedes, Rubem Carlos Araújo, Rocha-de-Melo, Ana Paula Rocha-de-Melo e Teodósio, Naíde Regueira Teodósio – NUTRIÇÃO ADEQUADA: A BASE DO FUNCIONAMENTO CEREBRAL, Ciência e Cultura vol.56 no.1 São Paulo Jan./Mar. 2004

Em (pseudo)refutação a isso, costumam linkar o artigo da American Dietetics Association como prova que a dieta vegetariana é mais saudável. Ou não sabem ler em inglês, não sabem usar o Google translator ou são carentes de honestidade (mais provável, uma soma dos três). O abstract (resumo) do artigo começa com:

It is the position of the American Dietetic Association and Dietitians of Canada that appropriately planned vegetarian diets are healthful, nutritionally adequate, and provide health benefits in the prevention and treatment of certain diseases. Approximately 2.5% of adults in the United States and 4% of adults in Canada follow vegetarian diets. A vegetarian diet is defined as one that does not include meat, fish, or fowl. Interest in vegetarianism appears to be increasing, with many restaurants and college foodservices offering vegetarian meals routinely. Substantial growth in sales of foods attractive to vegetarians has occurred and these foods appear in many supermarkets. This position paper reviews the current scientific data related to key nutrients for vegetarians including protein, iron, zinc, calcium, vitamin D, riboflavin, vitamin B-12, vitamin A, n-3 fatty acids, and iodine.

É a posição da Associação Dietética Americana e Nutricionistas do Canadá, que dietas vegetarianas apropriadamente planejadas são saudáveis, nutricionalmente adequadas e fornecem benefícios de saúde na prevenção e no tratamento de certas doenças. Aproximadamente 2,5% dos adultos nos Estados Unidos e 4% dos adultos no Canadá seguem dietas vegetarianas. A dieta vegetariana é definida como aquela que não inclui carne, peixe ou ave. O interesse pelo vegetarianismo parece estar aumentando, com muitos restaurantes que oferecem refeições vegetarianas rotineiramente. O crescimento substancial nas vendas de alimentos atraentes para os vegetarianos ocorreu e estes alimentos aparecem em muitos supermercados. Este artigo analisa a posição atual de dados científicos relacionados aos nutrientes essenciais para os vegetarianos, incluindo proteínas, ferro, zinco, cálcio, vitamina D, riboflavina, vitamina B-12, vitamina A, ácidos graxos n-3, e iodo.

Com o detalhe que as vitaminas do complexo B são majoritariamente (e no caso da vitamina B12, exclusivamente) pertencente a alimentos de origem animal, isto é, carnes. Vegetais não apresentam vitamina B12, a qual é essencial ao nosso organismo [7] . Qualquer um que estude um pouquinho de fisiologia sabe que além da vitamina B12, o ferro é muito importante, principalmente sob a forma heme, que é essencial para nós, devido ao seu trabalho junto à hemoglobina. Esta forma de ferro é muito mais fácil de ser absorvida pelo nosso organismo do que o ferro não-heme. Alimentos de origem animal contém não só ferro sob a forma heme, como a não-heme. Os vegetais normalmente só possuem a segunda [8] [9] [10] .

Nisso, cabe repor os nutrientes e vitaminas essenciais com o uso de suplementos alimentares. Mas que diabo de dieta perfeitamente saudável é essa que precisa de suplementos? Isso faz sentido? Na mente vegan, faz..

Sim, eu concordo que a obesidade é um caso grave na saúde norte-americana, mas precisamos guardar as medidas. Já publicamos uma pesquisa que informa que a obesidade infantil tem origem genética também. Ademais, o que o norte-americano médio come? Um monte de porcarias industrializadas ou nos fast-food da vida. Compre um imenso Big Mac com fritas e preste atenção no quanto de gordura animal você estará ingerindo. Batatas são vegetais e o óleo onde elas são fritas (e saem deliciosamente crocantes) também são de origem vegetal. Assim, o problema não está na carne em si (frita na chapa e não na fritadeira, imersa em óleo) e sim no percentual de gordura ingerido, que pode ser tanto de origem animal, como vegetal. Dessa forma, se eu tirar o hambúrguer e o queijo, eu poderei comer o Big Macapado e ficar tranquilo, já que não estou comendo nada de origem animal? Assim é fácil!

O Go Veg é um site tão escroto, tão mentiroso e sem-vergonha, que não se importa em estuprar o conhecimento científico que temos hoje, publicando um monte de sandices despropositadas sobre a fisiologia humana. Eles tiveram a pachorra de dizer que a formação dos dentes e do trato digestivo foi selecionado biologicamente para se alimentar apenas de vegetais. Só alguém completamente ignorante nesse assunto vai acreditar nisso. E eu falo ignorante na pureza do significado, isto é, de realmente não saber nada sobre o assunto.

Lá, afirma-se que o pH normal do estômago está entre 4 a 5. Mentira! O ácido produzido no estômago é o ácido clorídrico, que junto com a pepsina age fortemente contra o alimento que você ingere. O HCl é um ácido inorgânico com alto grau de ionização (Química de 1º ano de Ensino Médio). À medida que o pH do estômago vai aumentando (como quando você bebe leite de magnésia), o corpo produz mais HCl. A ação do HCl possui um rendimento otimizado entre o pH 1 e 2, isto é, se o pH começar a subir, o corpo corre em corrigir isso. Eu já fiz este teste em laboratório, com solução de HCl e solução de pepsina, e comprovei isso. Mas tal coisa não foi feita pelos “gênios” do Go Vegan.

E sobre atacar o estômago? O HCl não ataca as paredes do seu estômago por duas razões. A primeira é que o HCl possui o cloro no seu estado de redução máximo, logo, ele não pode oxidar nada (também é ensinado isso em Química do 1º ano do EM). O ácido clorídrico NÃO É um agente oxidante. A segunda é que em conjunto com a pepsina ele não ataca o estômago por causa de uma grossa camada de muco estomacal. Este muco – que normalmente se regenera competamente a cada 3 dias – contém, entre outras coisas uma substância chamada “bórax”, que ajuda a neutralizar a alta concentração de íons H+. Úlceras têm diversos fatores e um deles é a presença da Helicobacter pylori, que ataca o muco. Com menor camada de muco, o ácido clorídrico começa a atacar o tecido estomacal.

Outra besteirada na versão verde da Montfort é dizer que o intestino delgado tem cerca de 10 a 11 vezes o tamanho do ser humano. Considerando que tal tamanho está entre 3 e 7 metros de comprimento, então o corpo deveria ter entre 30 e 70 cm de altura. Ou o pessoal do GoVegan é completamente analfabeto em matemática ou, então, eles examinaram algum gnomo de jardim.

Chegaram, inclusive, a me mandar este artigo da Scielo para fundamentar a argumentação em prol do veganismo. Infelizmente, a própria conclusão do artigo desmonta o castelo de cartas:

CONCLUSÃO: A alimentação onívora desbalanceada, com EXCESSO de proteínas e gorduras de origem animal, pode estar implicada, em grande parte, no desencadeamento de doenças e agravos não-transmissíveis, especialmente no risco cardiovascular (grifo meu).

Qualquer dieta desbalanceada é danosa à nossa saúde, na linha do “tudo o que é demais faz mal”. Mas e os vegetais? Eles não seriam mais saudáveis? Dificilmente. A maioria sequer entraria em nosso cardápio se não fosse o nosso desenvolvimento e aprendizado na prática culinária, o que desmonta a tese absurda que o homem nasceu pra ser vegetariano. Muitos vegetais JAMAIS poderiam ter sido consumidos por nossos ancestrais, como é o caso do feijão que é altamente tóxico, pois possui inibidores de tripsina, uma enzima que ajuda no ataque a fibras musculares que foram ingeridas, além de agir nas fezes impedindo que haja prisão de ventre (e muitas vezes causando diarreia, quando em altas concentrações). Como se resolve? Através de tratamento térmico (cozinhando, em outras palavras). Claro que podem alegar que hoje ninguém como feijão cru, mas nossos antepassados não apareceram na terra com uma cozinha completa. Caçadores-coletores comiam o que viam pela frente (muitas vezes o que viam pela frente os comiam também, mas faz parte).

Ainda sobre o feijãozinho nosso de cada dia, convém que ele fique “de molho”, pois não conseguimos digerir uma substância chamada rafinose, um trissacarídeo também presente na soja, que só faz bem na mente vegan, mas não é essa maravilha que apregoam. Os fitatos contidos nela agem como fatores anti-nutricionais, já que reduzem a biodisponibilidade no organismo de minerais divalentes como: cálcio, ferro, magnésio, manganês, cobre e zinco, principalmente. Alguns estudos mostram que estes fitatos são importantes na mesma medida, mas deve-se ressaltar que ao se ingerir soja é preciso ingerir mais dos íons acima descritos. E tome suplemento alimentar! Isso soa plausível numa dieta tida como “melhor”? Bem, vegans continuarão achando que sim. Comer mandioca crua, alguém se arrisca? A mandioca consumida comumente, não nos traria problemas, mas o preparo original da mandioca brava é todo um ritual, por causa dos glicosídeos cianogênicos. Não, você não leu errado. É quase como comer cianetos (quase; e embora não seja a mesma coisa, pode ser fatal também).

Antes de terminar esta parte do artigo, deixem-me dizer-lhes uma coisa, afim de acabar com um mito: vegetais também se defendem.

Analisem. A Seleção Natural favorece quem estiver mais apto a gerar descendentes. Uma espécie não duraria muito tempo se não puder se reproduzir suficientemente para garantir a sobrevivência. Logo, se muitos herbivoros comessem vegetais direto, sem que esses pudessem ter tempo para se reproduzirem, não haveria vegetais, não haveria herbívoros e não haveria carnívoros. Os vegetais, contudo, desenvolveram táticas de defesa, muitas vezes mais cruéis que muitos animais. Alguns são extremamente venenosos, outros trapaceiam, mimetizando pequenos insetos para que os maiores possam ser atraídos. Outros exalam cheiro de carne podre, para que moscas pousem neles ávidas por um lanchinho, acabem se sujando com o pólen e indo para outra flor semelhante, perfazendo a polinização.

Mas que é sacanagem, é. A Natureza não se importa em manipular os seres.

Ainda mascarando informações, os membros da Seita Vegan parte para falácias de apelo à misericórdia e apelo ao mundo, dizendo que “o grão que alimenta o gado é o grão que faz falta na mesa das pessoas”. Mais uma alteração da verdade! Já começa que o gado não é tratado de forma intensiva, só no caso do gado leiteiro. Isso por que ele criaria capas de gordura, e ninguém quer comprar apenas gordura. De acordo com a EMBRAPA, a dieta completa do gado leiteiro “é uma mistura de volumosos ( silagem, feno, capim verde picado ) com concentrados (energéticos e proteicos), minerais e vitaminas. A mistura dos ingredientes é feita em vagão misturador próprio, com balança eletrônica para pesar os ingredientes. Muito usada em confinamento total, tem a vantagem de evitar que as vacas possam consumir uma quantidade muito grande de concentrado de uma única vez, o que pode causar problemas de acidose nos animais. Além disso, recomenda-se a inclusão de 0,8 a 1% de bicarbonato de sódio e 0,5% de óxido de magnésio na dieta total, para evitar problemas com acidose.”

O gado bovino de corte, é tratado com base de cana-de-açúcar como volumoso (cerca de 40 kg/dia) e apenas 3 kg de concentrado (milho + farelo de soja). E obviamente, depois do que os ingleses fizeram, só se alimenta gado de corte com constituinte vegetal (mesmo porque, são herbívoros). Para quem não se lembra, foram alimentar gado com farinha de carcaça de carneiros e resultou no chamado “Mal da Vaca Louca”.

Argumentar que isso faz com que haja falta de alimentos é uma falácia gritante. Qualquer um que vá no CEASA ou no CEAGESP pode ver o tanto de comida que é desperdiçado. ESTE é o problema! Desperdício! Em reportagem da Folha de São Paulo, fica demonstrado que 30% dos alimentos que o Brasil produz são desperdiçados. O desperdício pode acontecer até mesmo em unidades de saúde, como no Hospital das Clínicas. Além disso, há o caso que o mundo está se tornando superpopuloso, e o que seria realmente efetivo seria um controle de natalidade mais sério. Só que com mais gente no mundo, existem mais eleitores, mais gente que servirá de “decoração” para as campanhas eleitorais, mais massa de manobra, mais formas de haver doações, as quais poderão ser desviadas, enriquecendo o bolso de muita gente.

Em resumo: podem plantar o quanto quiserem, ainda haverá falta de alimentos na mesa das pessoas, pois o problema não é a existência do alimento, e sim na chegada até a casa das pessoas. Não há nenhum motivo político ara resolver isso, pois a fome é uma grande arma na mão de ditadores, como podemos comprovar nos países africanos, onde a ONU despeja toneladas e mais toneladas de alimento, e nem um grama chega à boca dos famintos. Se os campos são destruídos para fazer pastagens, segundo a visão vegan, eles seriam destruídos para transformá-los em produção agrícola. Fazem ideia da logística por trás disso? Bem, com certeza, eles não sabem.

Lógico que eu não diria que seres humanos não devem comer vegetais. Devem! Mas também não podem deixar de ingerir carnes, ou então estaremos todos condenados a viver de suplementos alimentícios pelo reso da vida. Reitero a pergunta: Que dieta saudável é essa que não supre nossas necessidades nutricionais?

Na próxima página destruiremos outra falácia vegan: a preocupação com os animais.

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Pages: 1 2 3

  • O pai dela matou muito mais aos 13 anos 😀

    Borba respondeu:

    @André, LOL!!!

  • Apocalyptica

    Se os vegans não apoiam o uso de produtos que foram testados em animais, então eles não aplicam vacinas contra a raiva, febre aftosa, e tantas outras nos seus bichos, correto?

    Lucho respondeu:

    @Apocalyptica, Se for seguir a “lógica” vegana, correto.

  • Brunoromio9

    Olá, gosto muito do blog e acompanho sempre…

    Não me alimento de carne animal, CONSUMO produtos de origem animal
    (ovos,leites,etc) e SOU A FAVOR do uso de animais em pesquisas (médicas).
    Adotei essa posição após pesquisar estudos? científicos (vou citar as fontes no final) sobre a dieta vegan e vegetariana.
    Vou citar uma parte da conclusão já traduzida que contribuiu para minha visão atual sobre o assunto:

    “Enquanto a dieta ovolactovegetariana (ou lactovegetariana) pode ser adoptada sem risco significativo, a dieta vegetariana
    pura parece muito restritiva, com risco real de deficiência nutricional específica e, dificilmente, o seu eventual benefício ultrapassará o risco que representa.”

    Eu tiro a vida de um animal se isso for necessário para minha sobrevivência e das pessoas que eu amo (afinal duvido que se alguém tivesse que escolher entre a vida da mãe ou do um cão de um estranho escolheria a mãe).
    Mas não contribuo para a morte um animal pelo puro prazer de comer carne ou para comprar um produto estético que realize testes com animais.

    E no caso das crianças e gestantes acho que o mais sensato a se fazer é seguir uma dieta recomendada por um bom nutricionista (mesmo que a dieta inclua carne).

    Fontes: Clinical Research Center, Massachusetts? Institute of Technology, Cambridge 02142.
    http://www.ajcn.org/content/59/5/1203S.full.pdf+­html

    Brunoromio9 respondeu:

    @Brunoromio9, Desculpem os erros de digitação…

    Administrador André respondeu:

    Mas não contribuo para a morte um animal pelo puro prazer de comer carne ou para comprar um produto estético que realize testes com animais.

    Qual é a diferença entre matar um boi e um mosquito? Qual é a diferença entre usar um cosmético testado num coelho e usar um cinto de couro?

    Brunoromio9 respondeu:

    @André, Olá André.
    Eu costumo ser mais empatico com criaturas mais próximas a minha espécie e sinceramente não sei o porque disso. Acho que a maioria das pessoas são assim, qual seria o resultado de uma enquete com a pergunta :” Você mataria um chimpanzé ou um rato ?ou”besouro ou suricati?””. Acho que as pessoas tendem a valorizar mais a vida das espécies mais próximas a elas. Mesmo sem saber porque eu faço isso. E você ?

    Administrador André respondeu:

    Eu costumo ser mais empatico com criaturas mais próximas a minha espécie e sinceramente não sei o porque disso

    Se vc tivesse lido o texto todo, saberia. 🙂

    Brunoromio9 respondeu:

    @André, E acho que você não entendeu, eu NÃO sou a favor de pesquisa em uso de cosméticos…

    Brunoromio9 respondeu:

    E também NÃO sou a favor do uso de animais em roupas, artigos, etc.

    Administrador André respondeu:

    Matar bichos em lavouras pode, né?

    Brunoromio9 respondeu:

    @André,
    O alimento gerado nas lavouras é necessário para minha saúde, então pode matar.

    Administrador André respondeu:

    O alimento gerado pelos bois, vacas, porcos, galinhas, peixes etc são necessários para qualquer saúde.; Passemos o cerol então.

    Ah, sim. Sua preocupação com cosméticos tornou-se algo hipócrita.

    Administrador André respondeu:

    Um de nós dois tem problemas de interpretação de texto, e não sou eu.

    Brunoromio9 respondeu:

    @André,
    O alimento gerado pelos bois, vacas, porcos, galinhas, peixes etc são necessários para qualquer saúde.; Passemos o cerol então.

    Ah, sim. Sua preocupação com cosméticos tornou-se algo hipócrita.

    Porque se tornou hipócrita ?

    O alimentos gerado pelos porcos, bois e peixes não são necessários para qualquer saúde ( salvo no caso de gestantes,crianças e alguns outros grupos com necessidades especiais). Os ovos das galinhas e o leite das vacas sim são necessários para qualquer saúde.

    Não vejo como a necessidade de consumir produtos animais para manter a minha integridade física pode tornar o fato de não usar produtos animais por vaidade em algo hipócrita.

    Administrador André respondeu:

    Porque se tornou hipócrita ?

    Somente trolls não são capazes de entender.

    O alimentos gerado pelos porcos, bois e peixes não são necessários para qualquer saúde

    Provei no artigo (que vc não leu, troll) que sim. prove que estou errado, com artigos de publicações indexadas.

    Vai um suplementozinho alimentar aí?

    salvo no caso de gestantes,crianças e alguns outros grupos com necessidades especiais

    Esse vai ganhar uma medalha por não ter frequentado colégio.

    Os ovos das galinhas e o leite das vacas sim são necessários para qualquer saúde.

    Quanto de vitamina B12 tem num ovo, senhor desinformado?

    Não vejo como a necessidade de consumir produtos animais para manter a minha integridade física pode tornar o fato de não usar produtos animais por vaidade em algo hipócrita.

    O que vc vê ou deixa de ver é totalmente irrelevante. Procure um colégio com urgência.

  • Brunoromio9

    Desculpa cara não precisa ser rude, eu sei que você deve estar acostumado a falar com religiosos e vegetarianos religiosos e por isso assumiu uma postura meio aversiva, mas eu não sou nenhum bitolado e gostaria de conversar sobre isso numa boa. Como cético estou aberto a sugestões e posso mudar meu ponto de vista ,que pode realmente estar equivocado, desculpe minha interpretação de texto. Então agora explicando, eu tento manter meu consumo animal o mais próximo possível do essencial. Eu mato sim vários animais de várias formas, mas como eu disse, se for para manter a integridade da minha saúde e das pessoas que eu convivo, foda-se os animais.

    Administrador André respondeu:

    Desculpa cara não precisa ser rude, eu sei que você deve estar acostumado a falar com religiosos e vegetarianos religiosos e por isso assumiu uma postura meio aversiva

    Acredite, filhote, eu AINDA não fui nada rude com vc.

    mas eu não sou nenhum bitolado e gostaria de conversar sobre isso numa boa.

    Se vc insiste.

    Então agora explicando, eu tento manter meu consumo animal o mais próximo possível do essencial. Eu mato sim vários animais de várias formas, mas como eu disse, se for para manter a integridade da minha saúde e das pessoas que eu convivo, foda-se os animais.

    Como coisa que outro vegan/vegetariano pensasse diferente.

    Brunoromio9 respondeu:

    @André,
    Os vegans/vegetarianos pensam isso mesmo, mas no geral são hipócritas demais para admitir.

    Mas sinceramente, você discorda da minha aitude de manter o meu consumo animal o mais próximo do essencial para minha saúde ?

    Administrador André respondeu:

    Eu sinceramente estou pouco me lixando pro que vc come ou deixa de comer.

  • Brunoromio9

    A argumentação foi deixada de lado por não existir maneira de desencorajar um consumo consciente ?

    Administrador André respondeu:

    Defina “consumo consciente”. Eu chamo de palhaçada. Matar aranha malvada pode, boizinho bonitinho, não. Sei.

    Brunoromio9 respondeu:

    @André,
    Exatamente, eu faço uma distinção entre espécies sim, e todo mundo faz (mesmo os vegans/vegetarianos hipócritas que dizem que não).
    Se eu tiver que escolher entre matar um yorkshire ou uma galinha, é claro que vou matar a galinha. Mas isso não quer dizer que eu não possa evitar de matar galinhas quando tiver oportunidades para fazer isso.

    Brunoromio9 respondeu:

    @Brunoromio9, E eu só mataria a aranha se ela estivesse colocando minha integridade em risco (da mesma forma que mataria um boi ou um cachorro se esses também estivessem).

    Administrador André respondeu:

    BLÁBLÁBLÁBLÁBLÁ.

    Brunoromio9 respondeu:

    @André,
    Sinceramente não pensei que em um site sobre ceticismo me depararia com esse tipo de argumentação.

  • Brunoromio9

    Imagine seu comentário em um contexto diferente:

    Opinião sensata :
    O criacionismo não deveria ser ensinado em escolas.

    Resposta insensata:
    Eu sinceramente estou me lixando para o que você acha que deveria ser ensinado nas escolas.

    Você pode usar esse tipo de respostas para se esquivar de qualquer discussão, mesmo sem ter fornecido argumentos suficientes para refuta-la.

    Administrador André respondeu:

    Nah, nah, troll. O que o imbeciloide disse foi

    você discorda da MINHA aitude de manter o MEU consumo animal o mais próximo do essencial para minha saúde ?

    Vc não disse

    Você discorda de não ensinarmos criaBURRIcionismo nas escolas?

    Eu tenho muito pouca paciência com trolls, gente idiota e imbecis falaciosos. Se vc é um desses 3 (e está me dando plena conviccção que sim), seu lugar não é aqui, troll.

    Brunoromio9 respondeu:

    @André,
    Tudo bem eu acabei me equivocando no exemplo (se acalme por favor).

    Mas de todo modo sua resposta “estou pouco me lixando…” pode ser usada para se esquivar de qualquer discussão, mesmo sem ter fornecido argumentos suficientes para refuta-la.

    Administrador André respondeu:

    Sua arrogância acha mesmo que eu quero alguma espécie de discussão? Tudo o que eu tinha pra falar está no artigo que vc NÃO LEU, TROLL!

    Brunoromio9 respondeu:

    @André, Eu arrogante ?
    Desde o começo da conversa disse que como cético sou aberto a novas idéias, mas tudo o que você fez foi me agredir verbalmente e terminar a discussão pedindo para que eu concordasse com o que está escrito em um texto (parece familiar pra você ?).

    Se eu estiver errado me aponte, mas não existe nada em seu texto que refute a importância de um consumo animal consciente.

    Brunoromio9 respondeu:

    @Brunoromio9,
    Sua arrogância acha mesmo que eu quero alguma espécie de discussão?
    Então porque respondeu meu comentário no início ? Afinal, ele foi um início de discussão.
    Se não quer nenhuma espécie de discussão desabilite a opção de postar comentários (se é que isso é possível), ou não os responda.

    Administrador André respondeu:

    Vamos fazer então da seguinte forma, troll. Vc agora está impedido de postar, assim não atura minha má educação, Ok? Bem-vindo ao Tártaro.

  • mariana

    ERRO! VIOLAÇÃO DA POLÍTICA DE COMENTÁRIOS QUE PROÍBE COMENTÁRIOS IMENSOS.

    ESTE COMENTÁRIO PODERÁ SER VISTO NESTE ENDEREÇO: http://pastebin.com/zj0ynk5g

    –A DIREÇÃO.

    Administrador André respondeu:

    Olhem o texto dela, substituam “veganos” por “cristãos” (ou qualquer seguidor de uma religião qualquer) e vejam que engraçado.

    Alguns detalhes comentados:

    Vc frequentemente registra como era o ser humano em sua origem, que se alimentava de animais, mas não cita que ele caçava, sofria nisso, não comia todos os dias e que comia carne bem menos do que hoje em dia se come.

    A expectativa de vida era de menos de 30 anos. Até que inventamos o supermercado.

    Concorda que, atualmente, o ser humano é uma praga sob a face da terra, destruindo-a além da sua capacidade de regeneração?

    Se eu achasse, me mataria. Vc acha isso?

    Assim sendo, no que é que matar mais bichos vai resolver a situação?

    Todo mundo ama bacon.

    ainda não entendeu que deixar de comer carne é um ato político também, contra o absurdo capitalista que está aí

    Vender seu computador e ir morar em Cuba não quer, né?

    E suplementos já participam de nossa vida, ativamente, até mesmo para quem come carne, pois, como vc mesmo disse, existem dietas balanceadas, vegetarianas ou não.

    Esta mula acha que carne é suplemento alimentar.

    Vc não parece ser um cara espiritualizado, mas, se fosse, saberia que há uma idéia que diz que o ser humano é capaz de, pelo pensamento, alterar, inclusive suas células. A maioria das pessoas que fazem a opção por não comer carne são mais evoluídas espiritualmente e não estou falando aqui de religião, que é uma palavra gasta e insuficiente.

    Preciso comentar?

    As pessoas vegetarianas e veganas são firmes em seu propósito não porque são fanáticas religiosas, como vc quis dizer, mas porque são pessoas que tem um propósito, só isso.

    Os terroristas islâmicos são firmes em seu propósito não porque são fanáticos religiosos, como vc quis dizer, mas porque são pessoas que tem um propósito, só isso.

    um propósito de respeito a todos os seres vivos, na medida do possível (sim, erramos, e quem é perfeito?)

    E matando pobres plantinhas indefesas. Maldita! Não jogue desinfetante no ralo, hein?

    O mundo tem tentado as vias da guerra e no que isso deu? Vc está contente com o resultado? Se não está, deveria propor algo alternativo ao que aí está ou colaborar com quem já está tentando.

    O mundo está em guerra. Parem de comer carne e todos viveremos bem cantando música do Mágico de Oz.

    E sim, os vegetarianos e veganos estão bem, saudáveis (os de dieta balanceada, é claro), têm filhos, vencem competições, etc.

    Se enchendo de suplementos alimentares para compensar a falta da carne, que dizem não fazer falta.

    Então, o mesmo vale para o feijão! Considerar que os veganos e vegetarianos deveriam comer um alimento cru ou que deveriam comer grama como os ruminantes fazem é desconsiderar a natureza do ser humano, sua genialidade que aprendeu, com a experiência, a processar os alimentos para melhor digerí-los.

    Só que carne bovina crua não tem venenos. Só se ela estragar. 😀

    A diferença entre comer um vegetal ou um animal é que os animais sentem dor, e isso podemos claramente afirmar (nada se sabe sobre os vegetais); os animais nos olham e a dor está lá no seu olhar.

    Minha picanha não tinha os olhinhos do gato do Shreck. Vc devia de parar de tentar fazer churrasquinho de gato.

  • AntonioMatienzo

    Bobagem 1:”A pessoa não gosta de comer carne e prefere alimentar-se apenas de vegetais. Simples assim.”
    Refutação 1 – Sempre gostei de comer carne e achei melhor parar por entender que essa atitude não era mais cabível ética e ambientalmente (devido à hiperpopulação humana) e o veganismo possível pelos atuais conhecimentos nutricionais. Já ouvi críticas à dieta vegana por parte de vários curiosos que adoram “achar” coisas sobre as quais não tem conhecimento. Já dos profissionais pertinentes (os nu-tri-cio-nis-tas) nada ouço contra. Não que eles tenham pena dos animais, só não podem sucumbir ao ridículo: os dois órgãos alimentares mais repeitados do mundo, a FDA (Food and Drug Administration) e a ADA (American Dietetic Association ) aprovam a dieta vegana (sem restrições exceto a suplementação de B12) desde 1987 e 1993 respectivamente. O British Medical Journal já dava esse parecer em um artigo científico de 1962 (http://www.bmj.com/highwire/filestream/226939/field_highwire_article_pdf/0). Pergunte ao seu nutricionista.

    Bobagem 2:”(…)daí constroem um templo (…) dedicam oferendas e assim tem início a religião(…)Todos TÊM que ser(…) pois caso contrário serão considerados hereges e atirados no inferno. Com o Veganismo não é diferente.”
    Refutação 2 – Veganos não tem templo, nem oferendas, nem inferno. Exceto por reorientar seus hábitos com seriedade, o veganismo nada tem a ver com uma religião (do latim re-ligare) pois não “re-liga” o homem a nada, nem presta culto a qualquer divindade, nem qualquer doutrina de auto-salvação, terrena ou ultraterrena. Alinha-se justamente com os movimento ambientalistas e pacifistas de uma era pós-religião, de espiritualidade laica. E antes que você reclame, falo de “espírito” irreligiosamente, no sentido das nossas disposições psíquicas, éticas, etc.

    Bom, já dá para parar por aqui. Não vou até a Bobagem 117 ou 141, (provavelmente “os veganos não entendem nada disso ou daquilo”… QUE veganos, homem? Veganos tem conhecimento padronizado??) Sua saraivada de achismos atira para tantas disciplinas que não vale o esforço. Desculpe, seu “cientificismo” seria vergonhoso até em conversa de bar. O nível dos seus anuidores aí acima fala por si. Tudo bem, você pode ter tido boas notas em biologia no 1º colegial, mas está longe, looonge da profundidade que o assunto requer. Você quer refutar os panfletos veganos… por que não refuta catedráticos como Gary Francione ou Peter Singer? Sr. André, um ataque “cético” ao veganismo não procede. O veganismo é proveniente do de uma das mais racionais vertentes filosóficas (o utilitarismo, ou se quiser, a fina-flor do ceticismo). Seu post caberia melhor num site que se chamasse reacionarismosemargumento.net ou algo do tipo. Não queime o filme dos céticos. Vai, confessa aí: você só quer continuar comendo carne. Pode comer, camarada: a inquisição não irá bater à sua porta.

    Administrador André respondeu:

    Sempre gostei de comer carne e achei melhor parar por entender que essa atitude não era mais cabível ética e ambientalmente

    Previamente refutada na parte da ética, que é subjetiva. Ambientalmente? Claaaaaaaaaro, pois agricultura é feita plataformas flutuantes e não interagem com o ambiente.

    o veganismo possível pelos atuais conhecimentos nutricionais

    Suplementos alimentares é o que há!

    Já dos profissionais pertinentes (os nu-tri-cio-nis-tas) nada ouço contra.

    Já médicos, químicos e farmacêuticos que REALMENTE entendem de bioquímica…

    os dois órgãos alimentares mais repeitados do mundo, a FDA (Food and Drug Administration) e a ADA (American Dietetic Association ) aprovam a dieta vegana (sem restrições exceto a suplementação de B12) desde 1987 e 1993 respectivamente

    Sopa de pedra tb é muito nutritiva e ecologicamente correta. Afinal, existem suplementos…

    ritish Medical Journal já dava esse parecer em um artigo científico de 1962

    Claro, 50 anos é muit[íssimo pouco tempo. Acho que vou ali fazer uma sangria e cheirar vinagre para me livrar dos “humores”.

    Veganos não tem templo, nem oferendas, nem inferno

    Nem capacidade de interpretação de textos.

    Exceto por reorientar seus hábitos com seriedade, o veganismo nada tem a ver com uma religião

    Testemunhas de Jeová aplaudem a iiciativa.

    falo de “espírito” irreligiosamente, no sentido das nossas disposições psíquicas, éticas, etc.

    Canso de ler que acreditar em Deus e em Jesus tb não é religião. Enfim. Alguma prova que dieta vegan é saudável (se encher de suplementos alimentares não entra na dieta vegana).

    i. Não vou até a Bobagem 117 ou 141

    Pode ir. Garanto que está tudo previamente refutado. :mrgreen:

    QUE veganos, homem? Veganos tem conhecimento padronizado?

    Deveriam. Pelo menos em bioquímica. Mas se tivessem, veganos não seriam. 😉

    Sua saraivada de achismos atira para tantas disciplinas que não vale o esforço.

    Porque não pode, porque EU tenho conhecimento sobre todas elas (com fontes I-N-D-E-X-A-D-A-S), vc só pode ficar estrebuchando, veganzinho.

    Tudo bem, você pode ter tido boas notas em biologia no 1º colegial, mas está longe, looonge da profundidade que o assunto requer

    Er… eu estava escrevendo sobre bioquímica também. Vc sabe, aquilo que vc não sabe patavinas, veganzinho.

    Sr. André, um ataque “cético” ao veganismo não procede. O veganismo é proveniente do de uma das mais racionais vertentes filosóficas

    Filosofia é procurar um gato preto que não existe no escuro. Afinal, é muito racional optar por uma alimentação mais saudável, mas ter que se encher de suplementos, pois a dieta mais saudável não fornece os nutrientes adequados. Bem, filosofia só serve para isso, mesmo. Pode chorar, que eu não vou ligar.

    Vai, confessa aí: você só quer continuar comendo carne. Pode comer, camarada: a inquisição não irá bater à sua porta.

    Beleza, e vc pode ter suas conjunções com talos, tubérculos e vegetais de duplo sentido. Ok? Té mais,m veganzinho. Tava sentindo falta de fanáticos da sua linhagem.

    AntonioMatienzo respondeu:

    @André, Por que EU sou fanático? Eu te disse que só é necessário suplementar B12 e você fala em me ENCHER de suplementos?

    Administrador André respondeu:

    Se a princesa tivesse lido TODO o texto, saeria que vitamina B12 não é a única coisa que só tem nos alimentos de origem animal. Mas quem se consulta com nutricionista, não pode ter maiores conhecimentos, mesmo.

  • AntonioMatienzo

    Veganos também precisam destruir o meio ambiente para se alimentar, certo?

    Então vamos fazer algumas contas e pensar só um pouquinho?

    Eis apenas três safras agrícolas de 2011:

    Milho 868 milhões / ton
    Trigo 681 milhões / ton
    Soja 263 milhões / ton

    (Fonte: Site da EMBRAPA)

    Esses números referem-se aos grãos beneficiados. Vamos descartar as 150 milhões de toneladas de milho usadas pelos EUA anualmente para fabricar etanol. Então temos um nutritivo “mix” de cereais integrais superior a 1,6 trilhão de quilos aos ano. Sobre esse restante, vamos colocar um desperdício-monstro de 30% (supondo que estrague, vá ao lixo, etc.). Sobrou 1,1 trilhão de quilos grãos. Corresponde a uma cota anual de 157 quilos de grãos para cada um dos 7 bilhões de humanos. 430 gramas de grãos crus por dia. Hidratados, dá mais de um quilo de alimento para cada humano, por dia. Pensando unicamente em aminoácidos essenciais, carboidratos, fibras e boa parte dos minerais, só essas 3 safras já alimentam a humanidade inteira.

    Mas… existe toda uma sorte de vegetais não computados, a começar pelos demais grãos (arroz, sorgo, cevada e todas as leguminosas), os tubérculos (batatas, mandiocas), raízes, todas as castanhas, frutas, legumes e verduras que a agricultura mundial produz. Segundo relatório da Earth Save Foundation apresentado na Rio+20, a agricultura mundial produz 3,6 vezes mais alimentos do que a humanidade precisaria para se alimentar. E o desperdício (desculpe desapontá-lo, caro André) não está no lixo do CEASA. Segundo a FAOSTAT (faostat.fao.org), 71% da produção mundial de milho e 79% da produção mundial de soja são destinados aos rebanhos. Deu pra entender? DEU PRA ENTENDER? Se numa utopia máxima a humanidade inteira fosse vegana (comesse vegetais diretamente, ao invés de via animais criados) seria necessário menos de 1/3 da área atualmente agricultada. E que tal falarmos nesse superfluozinho chamado água? Segundo o Aquastats (Em relatório da FAO-ONU de 2003) 69% da água potável do mundo é utilizada em irrigação. Uma última lembrança: quase toda devastação da Amazônia, nos últimos 20 anos, virou pastagem. O que não virou pastagem virou soja para alimentar rebanhos no hemisfério norte.

    Fale-me seu ponto de vista sobre a fome mundial.
    Fale-me seu ponto de vista sobre a escassez de água.
    Fale-me seu ponto de vista sobre a destruição das florestas.

    Nada disso acima é religião, são fatos nus e crus. O seu recionarismo é que está desmascarado aqui. Se (eventualmente) você acha o Nazismo uma perversão e uma “fábrica de frangos” uma coisa normal, existe um nome para isso: antropocentrismo. E a “seleção natural”, meu caro, já acabou há séculos. O homo-sapiens já se apodera de mais de metade do tecido vivo do planeta. Somos parasitas sem precedentes.

    Aproveitando: eu me importo com os animais sim, dedico parte do meu tempo a eles, etc, primeiramente por uma motivação empática, que aparentemente você não tem. E segundamente, por um respaldo CIENTÍFICO (a rede neural que processa a dor não difere muito entre os vertebrados) e ÉTICO (evitar sofrimento desnecessário).

    Seu post é reacionário, é o grito dos privilegiados ante uma improvável revolução. A primeira onde os revolucionários advogam por terceiros.

    A supremacia do direito humano já era alardeada no Gênesis bíblico. Seja um pouco cético, André.

    Administrador André respondeu:

    Veganos também precisam destruir o meio ambiente para se alimentar, certo?

    Claro que não. Tratores e colheitadeiras são movidos a lágrimas de unicórnios.

    Esses números referem-se aos grãos beneficiados blábláblá

    Não suprem necessidades nutricionais. Fim.

    Pensando unicamente em aminoácidos essenciais, carboidratos, fibras e boa parte dos minerais, só essas 3 safras já alimentam a humanidade inteira.

    E o ferro heme e aminoácidos que se encontram APENAS em animais vc pde para Oompa Loompas produzirem sob a supervisão de fadinhas.

    existe toda uma sorte de vegetais não computados, a começar pelos demais grãos (arroz, sorgo, cevada e todas as leguminosas)

    Leguminosa é grão, agora. Ok. Arroz: fontes de proteínas (animais) e vitaminas. Show. Crianças do Fundamental 1 sabem mais que vc.

    71% da produção mundial de milho e 79% da produção mundial de soja são destinados aos rebanhos

    Sim, porque precisamos ter este rebanho, princesa. 😉

    Se numa utopia máxima a humanidade inteira fosse vegana (comesse vegetais diretamente, ao invés de via animais criados) seria necessário menos de 1/3 da área atualmente agricultada

    E nunca teríamos o desenvolvimento cerebral que temos hoje. Deve ser por isso que quando éramos coletores, a humanidade vivia menos, e com capacidade cognitiva ridiculamente pequena.

    Bem, vegans não comem carne. Isso deve explicar muita coisa.

    E que tal falarmos nesse superfluozinho chamado água? Segundo o Aquastats (Em relatório da FAO-ONU de 2003) 69% da água potável do mundo é utilizada em irrigação.

    Vc tem os links de tudo isso, claro. Então temos que produzir cereais gasta água. Ok, gênio, me fala o que eu não sei? Isso faz o ser humano não ser dependente de nutrientes de origem animal? Estou esperando os links que suportem isso. Ah, bem, uma ida à farmácia e estamos resolvidos, né?

    Fale-me seu ponto de vista sobre a fome mundial.
    Fale-me seu ponto de vista sobre a escassez de água.
    Fale-me seu ponto de vista sobre a destruição das florestas.

    Péssima política, cntrolada por pessoas inescrupulosas, eleitas por gente idiota. A ONU despeja toneladas de alimentos na África. Vc já usou a sua notocorda pra se perguntar por que as pessoas lá ainda têm fome? Ou vai dizer que é pra alimentar os rebanhos imensos que tem na Tanzânia?

    Nada disso acima é religião, são fatos nus e crus.

    Realmente. Nus e desprovidos do simples fato que o ser humano não pode viver sem alimentos de origem animal. Vá na África e dê sulfato ferroso pra todo mundo lá, sim?

    O seu recionarismo é que está desmascarado aqui. Se (eventualmente) você acha o Nazismo uma perversão e uma “fábrica de frangos” uma coisa normal, existe um nome para isso: antropocentrismo.

    Achar que tem a origação de salvar o planeta, as espécies e ter dó dos boizinhos é caridade. Ok.

    Toda vez que alguém cai na Lei de Godwin registra seu desespero e fim de qualquer debate civilizado. E, a propósito, adoro frango à passarinha.

    O homo-sapiens já se apodera de mais de metade do tecido vivo do planeta. Somos parasitas sem precedentes.

    Mate-se e não contribua com isso, ué. O mundo é tão ético:

    http://ceticismo.net/2012/07/11/mundo-etico-plantas-usam-fungos-para-devorar-insetos/

    http://ceticismo.net/2012/06/16/flor-defunta-rouba-genes-de-seu-hospedeiro/

    http://ceticismo.net/2012/05/06/funginception-o-fungo-que-ataca-o-fungo-que-ataca-a-formiga-zumbi/

    http://ceticismo.net/2011/12/16/batalha-aerea-formigas-atacam-cupins-em-pleno-voo-sem-sair-chao/

    http://ceticismo.net/2011/12/06/formigas-de-fogo-guerreiras-escravagistas-e-destruidoras-de-imperios/

    eu me importo com os animais sim, dedico parte do meu tempo a eles, etc, primeiramente por uma motivação empática, que aparentemente você não tem.

    Mas tem inseticida em casa e mata a primeira barata que chegar aí. Oh, os pobres ursinhos, cachorrinhos, gatinhos… We are the Woooooooooorld!

    E segundamente, por um respaldo CIENTÍFICO (a rede neural que processa a dor não difere muito entre os vertebrados)

    E se encontrar a dona aranha subindo pela parede, ele vai pegar com carinho, colocá-la na mesa e convidar para o chá das 5 (esse pessoal é hilário! Acham que o mundo é o desenho do Meu Querido Pônei.)

    e ÉTICO (evitar sofrimento desnecessário).

    Ética não existe. Os princípios variam mediante as sociedades. E vc não fará o teste do cachorrinho e do bebê em casas em chamas. Vc salvará o bebê e não perderá uma noite de sono por causa disso. A não ser que ética tenha virado sinônimo de hipocrisia.

    Seu post é reacionário, é o grito dos privilegiados ante uma improvável revolução. A primeira onde os revolucionários advogam por terceiros.

    Passou do proselitismo religioso agora vem a ser o arauto da esquerdinha de papel. Show, cada linha é uma piada à parte. Continue assim.

    A supremacia do direito humano já era alardeada no Gênesis bíblico.

    Nós mandamos uma sonda a Marte. O que o seu cachorrinho fofinho fez além de comer o próprio cocô? Nós dominamos o fogo, inventamos a escrita, construímos civilizações. Seus queridos animais são assassinos, escravagistas, psicóticos, machistas e xenófobos. A Ciência venceu a barbárie. Se vc gosta tanto dela, destrua seu computador e vá viver na floresta com os ursinhos carinhosos. Fique sem nenhuma arma na frente de um urso cinzento, chame-o de Zé Colmeia e convide-o para comer uns sanduíches, por que só sendo sarcástico para ter uma conversa com alguém de mente tão obtusa.

    Enquanto isso, milhões de roedores, insetos e répteis são mortos todos os dias durante as colheitas de seus amados cereais. Embora todos os animais sejam iguais, alguns são mais iguais que os outros, veganzinho. Obrigado por não ter refutado UMA LINHA do que escrevi. Minhas fontes indexadas ainda estão lá. Com licença, sairei agora para almoçar o bom filé. Passa aqui e eu lhe pago um almoço de verdade. Vc estará melhor nutrido hoje, pelo menos. 😉

  • AntonioMatienzo

    “Vegetais não suprem necessidades nutricionais. Fim”.
    Que fim? Você entende de nutrição humana mais que o ADA e o FDA juntos?

    Leguminosa é grão. Grão de soja, grão de feijão… Falando em feijão, junto com o arroz faz a dupla completa dos aminoácidos essenciais ao homem. Essa nem precisa de fontes, dá um Google aí e escolhe um dos 10 primeiros links.

    Aliás, sr. Nutrólogo, podia citar UM aminoácido essencial não presente nas dietas vegetais? Se citar, juro que vou almoçar filé com você ainda hoje. E me rematriculo no Fundamental1.

    Tenho muito ferro heme, eu o produzo. O ferro não-heme é menos absorvido, mas veganos como eu ingerem quilos dele na alimentação. Há 10 anos vegano tenho exames de sangue impecáveis. (Já sei, você vai dizer que eu fraudei os exames, sou míope, etc).

    Essa é a mais fácil: NÃO precisamos dos rebanhos. Exceto para saciar nossa relevante e ancestral opinião gastronômica. E/ou para provar sua “ética” de que se podemos então devemos.

    A ciência venceu a barbárie. Concordo, desde que estejas falando da barbárie não-humana, eliminada pelo massacre e escravidão das espécies bárbaras.

    EU TENHO inseticida em casa??? ATÉ ISSO você “sabe”! Pra ganhar um 10, vai: de qual marca?

    Sonda a Marte. É a glória nerd.

    Sim, os animais não-humanos são machistas, xenófobos, precoceituosos. Mas estamos saindo disso, é só se esforçar um pouco para largar esse antropocentrismo judaico-cristão.

    Não falei em eliminar todas as mortes, apenas as evidentemente desnecessárias. Não leu? Veganos matam menos de 1/3 de animais nas colheitas, porque utilizam menos de 1/3 de área agricultada. Custa aceitar o que suas palavras transbordam? As causas que te movem são o filé e o frango a passarinha(sic)!

    Administrador André respondeu:

    Que fim? Você entende de nutrição humana mais que o ADA e o FDA juntos?

    Apelo à Autoridade. Eu coloquei links de publicações indexadas provando que seres humanos precisam de nutrientes de origem animal. Ou vc vai tirar ferro heme dum pé de jabuticaba, veganzinho?

    Leguminosa é grão. Grão de soja, grão de feijão… Falando em feijão, junto com o arroz faz a dupla completa dos aminoácidos essenciais ao homem.

    Dá feijão com arroz pro seu filho apenas e depois me diz o esporro que vc vai levar do pediatra quando vc tiver que correr com a criança pro hospital.

    Aliás, sr. Nutrólogo

    Não me ofenda. Tenho doutorado em Química. Não sou nutrólogo, que está no mesmo pedestal que homeopata.

    podia citar UM aminoácido essencial não presente nas dietas vegetais?

    Leucina, Lisina e Triptofano, encontrado em quantidades ridículas em vegetais, sendo sua maior quantidades encontrada em produtos de origem animal. Com oagrvante que a soja é tóxica por causa dos fitatos (explicado no texto).

    Lembrando que temos um problema de isomeria geométrica, pois L-Leucina é diferente de D-Leucina. Pergunta à sua nutricionista a diferença. 😉

    Tenho muito ferro heme, eu o produzo. O ferro não-heme é menos absorvido, mas veganos como eu ingerem quilos dele na alimentação.

    Claro. Vc comeu minério de ferro e ganhou-os de presente. OK, temos a farmácia ao lado.

    Essa é a mais fácil: NÃO precisamos dos rebanhos. Exceto para saciar nossa relevante e ancestral opinião gastronômica. E/ou para provar sua “ética” de que se podemos então devemos.

    Não precisamos dos rebanhos. A carne que consumimos são entregues por elfos.

    A ciência venceu a barbárie. Concordo, desde que estejas falando da barbárie não-humana, eliminada pelo massacre e escravidão das espécies bárbaras.

    Viram, crianças? Baixa qualidade de alimentação faz com que vcs percam a capacidade de raciocinar e construir frases. Afinal, peixes desencvolveram tecnologia DSV.

    EU TENHO inseticida em casa??? ATÉ ISSO você “sabe”! Pra ganhar um 10, vai: de qual marca?

    Corre mesmo, filha. Corre, mesmo que vc só pode sapatear por não consegui me refutar ou as minhas fontes.

    Sonda a Marte. É a glória nerd.

    Comer soja, glória de pessoas que não terminaram o primário. Jogue fora seu computador, telefone, televisão etc. Foram conquistas dos nerds.

    Sim, os animais não-humanos são machistas, xenófobos, precoceituosos.

    Então pronto. Pra panela com eles!

    Não falei em eliminar todas as mortes, apenas as evidentemente desnecessárias. Não leu?

    Vi. Alimentação é necessária. Simples. E vc ainda não refutou minhas informações dadas nos artigos e nos comentários. Sapateia, mona. Sapateia!

    Veganos matam menos de 1/3 de animais nas colheitas, porque utilizam menos de 1/3 de área agricultada.

    Irrelevante. É o mesmo que dizer que aquele maluco que matou 12 pessoas no cinema não é assassino, pois o IRA matou muito mais. Vegan, teu nome é Falácia!

    Custa aceitar o que suas palavras transbordam? As causas que te movem são o filé e o frango a passarinha(sic)!

    E não te dou um pedacinho sequer! Vai ficar na porta do restaurante com olhos vidrados e um fio de baba escorrendo, que não me importo. Afinal, sou um especista e me acho melhor que outras formas de vida.

    Como me divirto com esse pessoal! :mrgreen:

    AntonioMatienzo respondeu:

    @André, Você está de férias?

    Administrador André respondeu:

    Minha vida não é da sua conta, troll. Meta-se com a sua, que já anda bem ruim.

    AntonioMatienzo respondeu:

    @André, Calma, Doutor. É porque EU estou de férias, e ia sugerir para conversarmos ao vivo. Queria ver como argumenta ao vivo.

    Administrador André respondeu:

    Lamento, vai ter que catar homem em outro canto.

  • AntonioMatienzo

    Se me tornei vegano devido ao meu ceticismo, o que uma página de ceticismo falaria contra o veganismo? Foi por essa curiosidade que cheguei aqui. Logo percebi o nível chulo, mas ainda assim intuí que insistir essa conversa me traria algo. E trouxe – vem a ser: o ceticismo precisa deixar uma porta de segurança: a desconfiança de si próprio, senão vira esquizofrenia moral. E não é que os crentes nem são os piores? Estava percebendo algo familiar no teu papo. A adoração (de ti próprio), a Bíblia (teu doutorado). Devia ter desconfiado: o título “desmascarado” já te entrega. Já pensou em publicar este brilhante artigo? Talvez te desse alguma chance no mercado, Doutor.

    Estou me retirando. Espaço aberto para suas apelações finais!

    Administrador André respondeu:

    Se me tornei vegano devido ao meu ceticismo, o que uma página de ceticismo falaria contra o veganismo? Foi por essa curiosidade que cheguei aqui.

    Solo de violinos.

    Logo percebi o nível chulo, mas ainda assim intuí que insistir essa conversa me traria algo.

    Nível chulo… tradução: “não encontrei nada aqui que corrobore com minhas opiniões”.

    o ceticismo precisa deixar uma porta de segurança: a desconfiança de si próprio, senão vira esquizofrenia moral.

    Não estamos falando de ceticismo. Estamos falando de bioquímica e aspectos éticos (que não tem muito o que falar). Seu conhecimento em bioquímica é nulo, daí a necessidade de mudar o foco do assunto.

    E não é que os crentes nem são os piores? Estava percebendo algo familiar no teu papo. A adoração (de ti próprio), a Bíblia (teu doutorado).

    Não tenho culpa se eu estudei e vc não.

    Devia ter desconfiado: o título “desmascarado” já te entrega.

    E não fui refutado.

    Já pensou em publicar este brilhante artigo? Talvez te desse alguma chance no mercado, Doutor.

    Eu já tenho um bom emprego. Publicar? Mas eu peguei todas as informações de artigos publicados em periódicos cinetíficos, coisa que nenhum vegan fez.

    Estou me retirando.

    Vai com a Nossa Senhora Soja.