abr 15

Um dos grandes problemas envolvendo ligas metálicas – e o terror dos engenheiros – é a corrosão. Além de muitos fatores químicos, físicos e ambientais, ainda existe o fator biológico, já que algumas espécies de bactérias também podem ser responsáveis pelo aparecimento de pontos corrosivos. As bactérias redutoras de sulfato compreendem vários grupos de bactérias que utilizam o sulfato como agente oxidante, reduzindo-o a sulfeto e podem gerar ácido sulfídrico (H2S). Elas são responsáveis por atacar muitas ligas metálicas, principalmente as baseadas em alumínio.

O alumínio possui alto potencial de oxidação e, com isso, ele tem uma grande tendência a se oxidar. No entanto, em presença de oxigênio, ocorre a formação de óxido de alumínio (Al2O3). Este óxido pode ser atacado tanto por bases quanto por ácidos, já que é um óxido anfótero. Assim, em presença de H2S, o óxido de alumínio se desfaz, deixando o metal à mostra e este, em presença de um ambiente ácido, começa a sofrer oxidação. Clique aqui para ler o restante deste artigo »

fev 25

Eletroquímica

Escrito por .

pilhas.jpgAtualmente, em cada parte que se olhe, a eletroquímica se faz presente. Desde a rede elétrica que abastece as nossas casas, até as pilhas usadas em lanternas. Desde a bateria de celulares, passando por processos de galvanização, produção industrial de alumínio, notebooks etc. O mundo precisa da energia elétrica e mais ainda de produzi-la.

Como a energia elétrica é produzida? Como podemos usá-la na química?

Continue lendo ››