jan 30

O sinistro poder está à espreita. O poder que não tem paixão alguma, amor ou simples complacência. Durante o reinado do imperador Justiniano, (entre 541 e 542 da Era Comum), uma verdadeira praga assolou todo o império romano oriental. O número de mortes, de acordo com o relato de Procópio de Cesareia, chegou a 10 mil pessoas e 10 mil pessoas já é muita gente hoje, ainda mais no século VI. Ela teria começado em Pelusium, perto de Suez, no Egito.

Hoje, cientistas tentam entender o que aconteceu, por que aconteceu e se pode acontecer de novo.

Clique aqui para ler o restante deste artigo »

mar 17

Os engenheiros romanos escavaram um aqueduto através de mais de cem quilômetros de pedra para levar água a cidades da antiga província da Síria. O esforço monumental levou mais de um século, diz o pesquisador alemão que descobriu o aqueduto. Clique na imagem para ampliar (o círculo vermelho mostra alguns ridículos exemplares de animais mamíferos da ordem dos Primatae).

Quando os romanos não estavam ocupados conquistando território de seus inimigos, adoravam gastar imensas quantidades de água, que gorgolejava e borbulhava por todas as suas cidades. Os engenheiros do império inventaram encanamentos padronizados, aquedutos tão altos quanto fortalezas, e canos com 15 bares (153 toneladas por metro quadrado) de pressão. Clique aqui para ler o restante deste artigo »