O Fim do Mundo em 2012

Hoje em dia, ler o jornal de manhã ou consultar as notícias pela internet pode ser uma experiência desagradável para qualquer um. Bombas terroristas no Oriente Médio, os ataques de Israel contra Gaza, as enchentes no Brasil, a recessão nos Estados Unidos, a crise econômica mundial, o genocídio em Darfur, as revoltas sociais pipocando pelo planeta. Para milhões de pessoas, esses pequenos fatos dramáticos da vida cotidiana indicam uma tragédia terrível – o fim do mundo.

A boataria sobre o fim do mundo previsto para 2012, baseado no Calendário Maia, está crescendo cada vez mais em popularidade entre as pessoas em geral, em vista da proximidade da data, e também pelo momento atual que estamos atravessando, que tem sido particularmente difícil no mundo graças à crise econômica mundial (devido às políticas irresponsáveis de Bush).

E agora muitos religiosos ficam profetizando que o fim do mundo está chegando, que estamos nos últimos dias, que logo vai ser a hora do Juízo Final, que o retorno de Jesus é iminente, e que a cada dia se vêem mais e mais sinais do Apocalipse.

Vocês mesmos já ouviram isso inúmeras vezes em conversas do dia a dia, em pregações, já leram várias vezes na Internet e em diversas mídias impressas, já assistiram reportagens e documentários sobre o assunto, e alguns de vocês já até acreditaram nessas coisas, e muitos outros nem acreditam nessas bobagens e não levam a sério.

Porém, muitos fins de mundo já foram previstos, profetizados, tiveram as suas datas marcadas, muitas pessoas acreditaram, falou-se muito sobre o assunto, criaram-se inúmeras expectativas, e os dias vieram e passaram, e nada aconteceu, para decepção geral dos que acreditavam nessas coisas. Acabam caindo em descrédito, e ainda por cima ficam amargurados com a sensação de que fizeram um papelão ridículo.

Essa será mais uma decepção futura. Podem ter certeza disso.

Mas mesmo assim, não ira parar por ai. Haverão outras datas em que predirão o fim do mundo, outras ocasiões em que pessoas irão se reunir esperando o fim (como naquele caso do profeta russo que se escondeu dentro de uma caverna por algumas semanas, até que duas pessoas morreram e tiveram de sair para que o cheiro pútrido não os envenenasse), e mais sensacionalismo movido pelo combustível da credulidade das pessoas (precisamos educar melhor as pessoas), de qualquer jeito, sempre tem pessoas que se auto-intitulam “profetas” naquelas pequenas igrejas, com as suas previsões que possuem uma elevada taxa de “sucesso” de 0,00000001% e etc.

Iremos abordar aqui essa crença que está vigente em nossa sociedade ocidental (excluindo os orientais e outras sociedades não-ocidentais), que está na mente do povo, amplamente difundida pela mídia sensacionalista, em artigos publicados em sites religiosos apocalípticos, em pregações de pastores (evangélicos, adventistas, TJs, pentecostais, etc), em revistas e jornais pseudo-científicos (que mascaram idéias religiosas com uso de linguagem científica para enganar os seus leitores e levando-os a acreditar que são reais – isso te cheira a Criacionismo?), são divulgados em conversas pessoais, rodas de amigos, fóruns da internet e do Orkut, correntes de emails, em esforços de evangelização (sob a alcunha sutil de “arrependa-se antes que seja tarde demais”), e até mesmo no próprio tecido social herdado das religiões monoteístas e abraâmicas.

Inúmeras vezes, esse tipo de coisa aconteceu nos dois milênios da Era Comum, principalmente entre os cristãos, e não iremos falar deles por ora. Isso ficará para um artigo futuro, em uma abordagem mais direta, pois reconhecemos que o tema é extenso e exige muito trabalho em pesquisa histórica e bibliográfica.

O mais estranho de tudo isso, é a mistura de apocaliptismo cristão com um calendário produzido por uma cultura totalmente diferente, que desapareceu após a chegada dos espanhóis durante os séculos XVI e XVII nas Américas. Uma das razões deste artigo estar na série GMR é justamente a fusão (uma espécie de sincretismo) entre essas duas coisas.

Enfim, vamos refutar esta tremenda bobagem de 2012, usando a lógica e a razão, e com todas as ferramentas científicas às nossas mãos, e dissecar todas as previsões cuidadosamente e mostrar o lado real das coisas. Claro que temos de admitir que, um dia, tudo o que conhecemos em nossas vidas terá o seu fim, que a sociedade como a conhecemos poderá deixar de existir, que a Humanidade será extinta, e que nada sobrará de nos. Pode acontecer hoje, amanhã ou daqui a mil anos. Falaremos disso também, das ameaças mais prováveis à nossa civilização humana. A diferença é que usaremos a lógica e a razão com serenidade, em vez do irracionalismo, credulidade e o fanatismo religioso.

O Calendário Maia

A “profecia maia” já tomou uma grande proporção na internet pelo mundo todo com milhões de adeptos acreditando firmemente que o mundo vai acabar em 2012. A profecia maia está vendendo muitos livros e rendendo muitas palestras, documentários e DVDs pelo globo. Há uma infinidade de teorias diferentes, espalhadas em diversos cantos.

Mas de onde veio a idéia de que era uma profecia ? De onde tiraram isso ? E como isso se encaixa nos dias atuais em que estamos vivendo em nosso planeta ? Primeiramente, precisamos investigar a história desse calendário, que iremos descrever aqui, usando diversas fontes.

História

Os maias se originam de uma região chamada Mesoamérica, ou América Média. A região fica entre o México e a América do Sul e era o lar de muitas outras culturas, incluindo os astecas, os olmec, os teotihuacan e os toltec. Os maias viveram onde hoje está a Guatemala, Belize, Honduras, El Salvador e o sul do México (Yucatán, Campeche, Quintana Roo Tabasco e Chiapas).

A história maia é dividida em três períodos:

  • formativa ou Pré-clássica: 2000 a.C. até 300 d.C;
  • clássica: 300 d.C. até 900 d.C;
  • pós-clássica: 900 d.C. até a Inquisição espanhola em meados de 1400.

Os mesoamericanos começaram a escrever na metade do período pré-clássico . Os maias foram os primeiros a manter um tipo de registro histórico e então, surgiram os primórdios do calendário. Os maias utilizavam os stelae, ou monumentos de pedra, para marcar os eventos civis, os calendários e o conhecimento em astronomia. Eles também registraram suas crenças religiosas e a mitologia em cerâmicas.

Os maias não foram os primeiros a usarem um calendário – existiram calendários antigos usados por civilizações do mundo todo – mas eles realmente inventaram quatro calendários diferentes. Dependendo de suas necessidades, os maias usavam diferentes calendários para registrar cada evento, sejam sozinhos ou uma combinação de dois calendários.

Veremos agora o primeiro calendário utilizado pelos maias, o calendário Tzolk’in.

O calendário tzolk’in foi o primeiro utilizado pelos maias. A maioria dos calendários utilizados na Mesoamérica eram compostos por 260 dias. O calendário tzolk’in, ou círculo sagrado, seguiu a mesma convenção. Uma teoria para essa duração de 260 dias é a duração da gravidez, e esse calendário foi baseado nisto. Outros dizem que era o tempo usado para cultivar milho. É mais correto que tenha sido baseado em números.

Os números tinham grande significado na cultura maia. Por exemplo, o número 20 significa o número de dígitos que uma pessoa possui – 10 dedos nas mãos e 10 dedos nos pés. O número 13 se refere às juntas principais do corpo humano por onde se acredita que as doenças entram para atacar – um pescoço, dois ombros, dois cotovelos, dois pulsos, dois quadris, dois joelhos e dois calcanhares. O número 13 também representava os níveis do paraíso onde os lordes sagrados reinavam sobre a Terra.

São estes números, 20 e 13, que são utilizados para fazer o calendário tzolk’in. No calendário gregoriano, nós temos sete dias da semana e, dependendo do mês, de 28 a 31 dias. O calendário tzolk’in é feito de 20 nomes de dias e 13 números. Os dias são numerados de um a 13 e os nomes também aparecem em uma seqüência. Para entender mais sobre a matemática maia, clique AQUI.

O início do calendário tzolk’in começa com o primeiro nome de dia , imix’, e o número um. Os dias continuam em seqüência até que todos os 13 números sejam usados. Então, os números começam novamente com um, mas os nomes dos dias continuam com o 14° dia. Quando chegar no 13 b’en, você deve continuar com 1 Ix, 2 men, 3 kib’, e assim por diante até 7 ajaw. Neste ponto, os nomes dos dias começam de novo, mas os números continuam: 8 Imix’, 9 Ik’, 10 ak’b'al, e assim por diante.

Pense em duas engrenagens trabalhando em conjunto. Uma possui os 20 nomes dos dias e seus hieróglifos correspondentes. A outra menor possui os números de um a 13. Se você prender essas engrenagens uma na outra no número 1 com o dia Imix’, e depois girá-las até chegar no um com Imix’ novamente, você terá 260 dias, completando todo os calendário tzolk’in.

Para saber mais detalhes sobre o assunto, clique AQUI.

É fácil perceber a importância que os maias colocavam no calendário tzolk’in. Por exemplo, eles acreditavam que a data do seu nascimento determinava as características que você demonstra em sua personalidade – quase a mesma crença que as pessoas têm sobre na astrologia atual.

Os maias também utilizavam o calendário para determinar a agenda da colheita: É preciso um ciclo de 260 dias para preparar a terra e plantar o milho, e um ciclo de 260 dias para cultivar e colher o milho.

Os homens sagrados utilizavam o calendário para determinar quando eventos aconteceriam ao longo do ano. No início de cada uinal (período de 20 dias), um xamã contaria a partir daí para determinar quando os eventos e as cerimônias religiosas aconteceriam. Então, ele ajustava as datas que seriam as mais prósperas ou mais afortunadas para a comunidade.

Enquanto estas foram algumas das utilizações do calendário tzolk’in, ele não podia ser utilizado para qualquer coisa. Por exemplo, ele não media um ano solar, o tempo necessário para que o Sol complete um ciclo. Por causa disso, os maias precisavam de um calendário mais preciso para medir o que nós conhecemos como um ano completo.

Agora veremos as próximas tentativas, o calendário haab e o ciclo do calendário.

O calendário haab e o ciclo de calendário

O calendário haab é muito parecido com o calendário gregoriano que utilizamos atualmente. Ele é baseado no ciclo do Sol, e era utilizado nas atividades de agricultura, de economia e de contabilidade. Muito parecido com o calendário tzolk’in , também era composto de uinals e cada dia tinha seu próprio hieróglifo e um número. Todavia, ao invés de usar 13 uinals para 260 dias, o calendário Haab tinha 18 uinals, resultando em 360 dias.

Os astrônomos perceberam que 360 dias não eram suficientes para que o Sol completasse o seu ciclo. Eles argumentaram que o calendário deveria seguir o ciclo o mais próximo possível a fim de se obter uma precisão. Entretanto, os matemáticos maias não percebiam dessa maneira. Eles queriam manter as coisas mais simples, em conjuntos de 20, assim como o seu sistema matemático. Os astrônomos e os matemáticos finalmente concordaram com os 18 uinals, com cinco “dias sem nomes” chamados de wayeb.

O wayeb, ou uayeb, é considerado um “mês” de cinco dias e é conhecido por ser uma época muito perigosa. Os maias acreditavam que os deuses descansavam durante esse período, deixando a Terra desprotegida. Os maias realizavam cerimônias e rituais durante o wayeb na esperança de que os deuses retornassem novamente. Mais detalhes, clique aqui.

Enquanto esse calendário era mais longo do que o tzolk’in, os maias queriam criar um outro que pudesse registrar ainda mais tempo. Por essa razão, os calendários tzolk’in e Haab foram combinados para criar o ciclo de calendário.

No ciclo de calendário, os 260 dias do calendário tzolk’in são combinados com os 360 dias e os cinco dias sem nome do calendário haab. Os dois calendários são combinados do mesmo modo dos dias e números do tzolk’in (lembre-se da ilustração das engrenagens da segunda página). Isso dá ao ciclo de calendário 18.890 dias únicos, um período de tempo de cerca de 52 anos.

Nem o calendário tzolk’in e nem o calendário haab contavam mais do que um ano. Os maias queriam registrar a história e decidiram criar um calendário que os daria um período maior do que um ano. Na época, o ciclo de calendário foi o mais longo da Mesoamérica. Os historiadores da época, entretanto, queriam registrar a história maia para as gerações futuras. Eles queriam um calendário que os levaria através de centenas ou até milhares de anos (o que nós descreveríamos como séculos e milênios). Entra o calendário de longa contagem.

O calendário de longa contagem

Infelizmente, o calendário de longa contagem não é tão simples como combinar dois calendários para se ter novas datas. É um pouco mais complicado e abstrato. A fim de entender a longa contagem, você primeiro precisa estar familiarizado com alguns termos:

  • um dia – kin
  • 20 dias – uinal
  • 360 dias – tun
  • 7.200 dias – katun
  • 144.000 dias – baktun

A duração do calendário de longa contagem é chamada de o grande ciclo, e tem aproximadamente 5.125,36 anos. Para encontrar a data do calendário de longa contagem correspondente a qualquer data gregoriana, você vai precisar contar os dias a partir do início do último grande ciclo. Mas, determinar quando o último ciclo começou e combiná-lo com uma data gregoriana é um desafio e tanto. O antropólogo inglês, Sir Eric Thompson se encarregou de determinar a data e ele pesquisou a Inquisição espanhola para auxiliá-lo.

O resultado ficou conhecido como a Correlação Thompson. Os eventos da Inquisição foram registrados no calendário maia de longa contagem e no calendário gregoriano. Os estudiosos então reuniram datas que combinavam em ambos os calendários e as compararam com o Código Dresden, um dos quatro documentos maias que sobreviveram à Inquisição. Esse código confirmou a data há muito tempo tida por Thompson como sendo o início do grande ciclo atual – 13 de agosto de 3114 a.C.

Agora que encontramos o início do grande ciclo, vamos colocar a longa contagem em prática. Nós iremos usar uma data que é familiar para muitas pessoas – 20 de julho de 1969, o dia em que a Apollo 11 pousou na Lua. No calendário de longa contagem, esta data é representada como 12.17.15.17.0. Você perceberá que existem cinco números nesta data. Lendo da esquerda para a direita, o primeiro lugar significa o número de baktuns desde o início do Grande Ciclo. Neste caso, existiram 12 baktuns, ou 1.728.000 dias (144.000 x 12) desde 13 de agosto de 3114. O segundo número está relacionado ao número de katuns que passaram. Então, ele continua à direita com o número de tuns, uinals e kins.

Agora que já explicamos como funciona o calendário, iremos proceder agora à raiz de toda essa celeuma, que é o ano de 2012.

O calendário de conta longa é apenas um entre os vários que os maias usavam. Assim como os nossos meses, anos e séculos, ele se estrutura em unidades de tempo cada vez maiores. Cada 20 dias formam um “mês”, ou uinal. Cada 18 uinals, 1 tun, ou “ano”, cada 20 tuns faziam um katun e assim sucessivamente. Enquanto o nosso sistema de contagem de séculos não leva a um fim, o calendário de conta longa maia dura cerca de 5.200 anos e se encerra na data 13.0.0.0.0, que para muitos estudiosos (infelizmente não há um consenso a respeito) corresponde ao nosso 21/12/2012 no calendário gregoriano.

Isso não significa que eles esperassem pelo fim do mundo naquele dia. Ou seja, os povos ameríndios não tinham apenas uma concepção linear de tempo, que permitisse pensar num fim absoluto. E em nenhum lugar se diz que o ciclo que estamos vivendo seria o último. A maioria dos estudiosos acredita que, após chegar à data final, o calendário se reiniciaria. Assim como, para nós, o 31 de dezembro é sucedido pelo 1 de janeiro, para eles o dia 22/12/2012 corresponderia ao dia 0.0.0.0.1.

A realidade é que a profecia maia é, do ponto de vista científico, apenas um mito. E mesmo se existisse uma profecia, porque uma cultura que fazia sacrifícios rituais humanos deveria ter qualquer credibilidade em afirmar o que aconteceria séculos depois com o planeta?

Pior ainda, nem puderam prever o próprio fim..!

Tudo começou com a divulgação das descobertas arqueológicas sobre a civilização maia, em que se desvendou a história de sua ascensão e queda, o desenvolvimento científico e tecnológico antes de sua queda pelas mãos dos espanhóis, a tradução dos escritos maias e depois divulgadas, um melhor conhecimento de sua cultura e religião.

Porém, como sempre acontece com toda e qualquer descoberta científica de relevante interesse publico, há aquelas pessoas que vivem com a cabeça cheia de bobagens, teorias conspiratórias, escritores em busca de fama e reconhecimento, aproveitadores de má-fé, religiosos fanáticos, jovens mergulhados na besteira do New Age, pseudo-cientistas obscurantistas, alem de crédulos, o legado da civilização maia foi entendido de forma errada, o seu sentido original distorcido e interpretado de maneiras não cientificas, a fim de satisfazer o apetite do público leigo e ávido por novidades pseudocientíficas que os entretenham e possam ter um assunto fútil com quem conversar com os seus amigos e colegas.

Um exemplo dessa bobagem, são as Sete Profecias Maias. Cliquem nesse link, mas advertimos que não passa de puro besteirol, o mesmo tipo de matéria que pode ser encontrado facilmente nas revistas Planeta da vida ou em jornais da imprensa marrom (que nem os tablóides ingleses, onde com freqüência noticiam aparições de OVNIs, ressurreições de Elvis Presley ou que Jesus foi visto em Jerusalém).

E quais são as profecias previstas para 2012 ?

Iremos dar uma olhada em um desses sites apocalípticos (há vários pela internet toda – basta digitar 2012, Apocalipse, Maias, Calendário Maia, etc – e você terá uma longa fila de links, tornando muito difícil encontrar um site confiável com fontes idôneas). Por exemplo, temos o site Porque 2012, que lista as seguintes profecias:

  • Inversão dos pólos da Terra
  • Tormentas solares
  • A passagem do planeta Hercolobus (ou vários outros planetas misteriosos)
  • O apocalipse cristão e o retorno de Jesus
  • Chegada de extraterrestres em discos voadores
  • Mudanca de consciência da Humanidade
  • O fim do sistema econômico

E por ai vai, com um desfile de inúmeras bobagens. Muito mais podem ser encontrados em sites religiosos, sobrenaturais, mistério, entretenimento fútil, etc. Vocês podem até mesmo encontrar inúmeros vídeos no You Tube (alegando que foram produzidos pela History Channel, Discovery, BBC, etc – para dar um ar de credibilidade e confiabilidade), ou vastas bibliotecas de livros sobre o assunto, cada qual abordando o ano de 2012 sob um aspecto diferente e misturando várias coisas (como civilizações antigas que “previam” o fim no século XXI, o momento atual pelo que estamos passando na Terra, etc) e dar a sua interpretação, para os crédulos digerirem e depois defecarem por aí, contaminando a mente de outros crédulos (teoria do meme, lembram?) e espalhar-se cada vez mais, até chegar ao seu ponto culminante, que é o ano de 2012.

Podem ter certeza de que, quanto mais próximos estivermos desse ano, maior sera a enxurrada de livros, artigos, filmes, vídeos, reportagens sensacionalistas, camisetas, canecas, kits de sobrevivência pós-2012, religiosos se escondendo em cavernas ou bunkers esperando Jesus voltar “em glória”, pregações apocalípticas, igrejas ficando cheias de pessoas com medo e se arrependendo de seus pecados, aproveitadores levando os bens das pessoas à espera do fim, etc

Onde foi que já vimos esse filme antes ?

A última vez em que isso aconteceu recentemente, foi o famoso Bug do Milênio. E como todos sabem, o mesmo drama que descrevemos acima, se repetiu, e adivinha só o que aconteceu? Isso mesmo… não aconteceu nada! No máximo uma meia dúzia de computadores deu pau, mas nada mais que isso. O mesmo acontecerá com 2012, o ano virá e passará, e o mundo irá continuar girando como sempre.

A única coisa interessante é o filme “2012″ que irá chegar ao cinema, e poderemos nos divertir um pouco, dar umas risadas e comer uma pipoca com a namorada. Só que ele vai estrear neste ano, e poderemos ter uma idéia antecipada das maluquices que pipocam na mente dos pobres crédulos. Mas não esperem uns fanáticos religiosos carregando tabuletas do lado de fora dos cinemas. Isso so existe na Igreja de Westboro (aquela mesma que vive pregando o ódio aos gays).

Mas e a refutação?

Na minha opinião, não vale a pena perder tempo refutando essas bobagens proféticas, pois basta pensar um pouco, pesquisar no Google, que poderemos encontrar diversos artigos explicando muito bem as coisas. Mas como sempre temos muitos leitores preguiçosos (e alguns até mesmo querendo saber mais sobre as profecias e acharam que nós, da Ceticismo, pudéssemos dar credibilidade e afirmar que o fim do mundo está mesmo chegando), nós iremos colocar uns resumos explicativos das profecias citadas acima.

A inversão dos pólos

Segundo um resumo fornecido pelo Observatório Nacional, não se conhece qualquer relação entre inversão dos pólos e eras glaciais (que mais tem a ver com o movimento dos oceanos). Há duas questões, aí. Falamos de inversão dos pólos magnéticos. Como se sabe, a terra possui um campo magnético e as linhas de fluxo deste campo seguem aproximadamente nossos pólos geográficos. Temos indícios que esses pólos se invertem (o norte vai para o sul e o sul para o norte, mas nada tem a ver com a rotação da terra). Não se sabe exatamente porque esses pólos se invertem. O modelo é que a terra possui um núcleo rico em metais ferro-magnéticos (ferro inclusive). O alinhamento do campo magnético se dá, provavelmente, por influência do sol. Com esse modelo, os pólos não se inverteriam. Para saber mais precisamos de informações que estão próximas ao centro da terra e ainda não temos tecnologia para alcançá-lo (a não ser em Hollywood). Outra questão é o “deslocamento” dos pólos geográficos. Regiões, hoje cobertas pelo gelo, como a Antártida, sabemos que já floresceram grandes florestas tropicais. Outras, hoje sob calor de torrar, já foram cobertas de gelo.

Explicações para isso terminam no deslocamento do pólo, coisa que também não sabemos por que e como se dá. Observamos, atualmente, deslocamentos mais ou menos caóticos, de ordem de dezenas de metros, o que, tampouco sabemos explicar.

Vale acrescentar que a revista Scientific American Brasil publicou em maio de 2005 um artigo sobre o assunto, Viagem ao Geodínamo, por Gary A. Glatzmaier e Peter Olson, onde relatam pesquisas sobre os mecanismos das inversões magnéticas.

Além do artigo você pode ver em outro site, clicando AQUI. Para detalhes bem específicos, clique AQUI.

No artigo de capa da edição de abril de 2004, os pesquisadores do INPE, Aracy Mendes da Costa e Odim Mendes Júnior, trataram da Anomalia Magnética do Atlântico Sul, que também parece estar relacionada com o que você pesquisa.

Tormentas solares

Os ciclos do sol exercem influência nos ventos solares e conseqüentemente sobre a terra no que diz respeito a formação das Auroras Boreais e Tempestades Geomagnéticas (ver organograma). Nos períodos de menor atividade solar à formação de Auroras Boreais somente em regiões próximas dos pólos. Já nos períodos de maior atividade solar, além das auroras ocorrerem próximas dos pólos elas se estendem a regiões próximas ao equador, sendo que fisicamente elas são bem mais extensas e largas que as anteriores, que ocorrem nos períodos de baixa atividade solar. Alem disso, neste mesmo período, ocorre as chamadas Tempestades Geomagnéticas. Mais detalhes, clicando aqui.

A aparente hiperatividade do Sol alimenta especulações sobre bombardeio radioativo. Mas a estrela está se comportando conforme o previsto.

Muitos dos cenários para 2012 baseiam-se na idéia de que o Sol estaria passando por um período de atividade sem precedentes. Os defensores dessa tese ressaltam o fato de que, entre 28 de outubro e 4 de novembro de 2003, ocorreram algumas das maiores explosões solares já registradas. Em 20 de janeiro de 2005, a Terra registrou o maior bombardeio de partículas de alta energia oriundas do Sol. Como 2005 foi o ano do furacão Katrina, há quem vincule os fenômenos, sugerindo que o clima é governado por variações na atividade solar. Como a previsão dos astrofísicos é de que 2012 registre um ponto de alta atividade em nossa estrela, há quem acredite que a soma de tudo isso seja uma catástrofe.

As variações na atividade solar são causadas por mudanças na configuração do campo magnético que ocorrem a cada 11 anos. Para Adriana Silva Valio, pesquisadora do Centro de Radioastronomia e Astrofísica Mackenzie, basta dar uma olhada nos dados dos últimos oito anos para ver que o Sol tem se comportado normalmente. De lá para cá, a atividade reduziu-se, e a tendência é que, nos próximos anos, volte a se intensificar, alcançando patamares elevados em 2012. Tudo isso está dentro do esperado.

O decréscimo da atividade aconteceu mesmo com as superexplosões de 2003. “O fato é que a tecnologia para acompanharmos o fenômeno é muito recente. Talvez eventos semelhantes tenham acontecido no passado”, afirma Adriana. Ela também diz que o ciclo solar de 11 anos, por si só, não parece ser capaz de afetar significativamente o clima da Terra. “No ponto de maior atividade, a quantidade de energia solar recebida pela Terra cresce apenas 0,1%.”

Porém, ela diz que fatores desconhecidos e ligados ao Sol parecem sim afetar o clima na Terra. “No século 18, o Sol não apresentou manchas por sete décadas. O mundo ficou mais frio, e os canais de Veneza congelaram. Mas parece que para que mudanças assim ocorram levam décadas ou mesmo séculos”, diz.

Veja mais sobre o assunto, clicando AQUI.

O apocalipse cristão e o retorno de Jesus

Isso já descrevemos em nosso site sobre o “retorno” de Jesus, como vocês podem conferir clicando AQUI. Não vamos perder nosso tempo reescrevendo tudo, quando já podem consultar nosso próprio acervo de artigos.

Mas porque os religiosos que são crédulos, insistem em misturar as coisas ? Nós acabamos de falar como funciona o calendário maia (que, como já vimos, não tem nada de mais, apenas mais um sistema de contagem do tempo – e observem, muito mais preciso que o calendário gregoriano) e de sua importância para a cultura do povo maia (que infelizmente foi extinta pelos espanhóis – lembrem que em relatos históricos, foi citado de que os espanhóis batizavam as crianças indígenas e depois rebentavam-lhes as cabeças com a coronha de suas espingardas para que pudessem ir ao céu).

Podemos dizer que tal coisa é ridícula, é a mesma coisa que uma cultura paleolítica inventar um sinal, um marco, ou qualquer coisa que indique que o mundo vai acabar em 2050, e la vem um grupo dizer que isso é um sinal de que Jesus está voltando, que tudo isso confirma as profecias nas Escrituras, e que todos vamos penar no inferno.

A isso damos o nome de sincretismo. Sabem o que e isso, não ? De acordo com a nossa querida Wikipedia, esta é a explicação:

Sincretismo (originalmente “coalização dos cretenses”) é uma fusão de doutrinas de diversas origens, seja na esfera das crenças religiosas, seja nas filosóficas. Na história das religiões, o sincretismo é uma fusão de concepções religiosas diferentes ou a influência exercida por uma religião nas práticas de uma outra.

Resumindo, para quem é um religioso de verdade (se e que existe algum…), o mesmo diria que é uma blasfêmia misturar crenças pagãs com a crença ortodoxa de sua religião, que esse tipo de coisa é uma heresia, punível com morte, sofrimento eterno no inferno, ou qualquer linda ameaça (e não é novidade, não…). E nos ainda veremos muito dessas coisas, muitas vezes.

Logo, qualquer alegação dos religiosos de que o fim do mundo está próximo, baseando-se em antigas profecias de culturas não-ocidentais, não passa de puro beiteirol. Sim, isso mesmo. Besteira. Da próxima vez que você escutar uma coisa dessas, mande educadamente o seu amigo ir à merda estudar e se informar melhor.

O resto das profecias

Quanto ao restante das profecias, que tratam da passagem do planeta Hercólobus, uma visita não muito amistosa de alienígenas, uma mudança de consciência na Humanidade ou até mesmo o fim do sistema econômico mundial…

Eu realmente preciso refutar essa bobagem, preciso? Fala sério, vai!

Em termos das previsões “acertadas”, lembremo-nos que as previsões são sempre bastante vagas e muitas interpretações cabem lá dentro; cabendo sempre as interpretações que nós queremos dar… após os acontecimentos! Por outro lado, a estatística explica bastante bem as previsões que até possam ter sido específicas e acertaram. Todos os dias no mundo há imensas previsões feitas e estatisticamente falando algumas têm que ser acertadas! Dar relevância às que pensamos ser certas, não percebendo que existem muitas mais que são erradas é um erro muito comum em estatística.

Em termos históricos, basta lermos alguns livros para percebemos que em todas as eras existiram pessoas a prever que o fim estava perto. Sempre foi assim e sempre será, porque isso é que fará do nosso tempo o mais importante para viver. É uma mentalidade temporalcêntrica. E é bom relembrar que todas essas pessoas, sem exceção, estavam enganadas.

Se quiserem ler mais algumas refutações, vejam AQUI e AQUI.

Enfim, você não precisará entrar para nenhuma igreja ou religião e muito menos gastará seu dinheiro com charlatões ansiosos para lhe explorar ou perder seu tempo ouvindo os “sábios e gurus” com receitas tiradas de umas porcarias quaisquer de livros de auto-ajuda encontrados em um sebo obscuro por 1 real. Não passam de bobagem, podem ter certeza disso.

Assim decretaram os deuses da ceticismo:

O fim de mundo previsto para 2012 é uma besteira ! Mas se você acreditar nessas coisas, nós teremos o maior prazer em lhe vender um kit-sobrevivência !

MITO DETONADO


Capítulo anterior Índice Próximo Capítulo

3 Pings to "O Fim do Mundo em 2012"

  1. Céu com duas Luas? Marte e Lua juntos? BOATO! » Ceticismo.net disse:

    [...] Isso encerraria o caso, mas vamos brincar mais um pouco. O texto segue falando nos Mayas. Só isso mostra que é uma tradução muito o dfa mal-feita, posto que Maias não se escreve com Y. Mas parece que as pessoas pegaram a mania do 2012 e tudo tem que ser relacionado com Maias (leiam sobre a falsa “profecia” sobre 2012 AQUI). [...]

  2. Igreja quer indenização por uso do Cristo Redentor no filme ‘2012′ » Ceticismo.net disse:

    [...] O Fim do Mundo em 2012 [...]

  3. Edileide, cancela o Apocalipse que descobriram outro calendario Maia! » Ceticismo.net disse:

    [...] O Fim do Mundo em 2012 [...]


76 respostas para "O Fim do Mundo em 2012"

  1. 1. Sorete disse:

    Simplesmente mandar os amigos crédulos à merda não adianta muito, eles acham que tu ficou sem argumentos e fugiu da discussão. O melhor mesmo nesses casos é espancá-los. Medo sempre convence essas pessoas a mudar de idéia. :twisted:

  2. 2. oliver.rush disse:

    Finalmente entendi de onde vieram esses números, e por que o calendário Maia “acaba” no ano supostamente correspondente a 2012.

    Mas o fim de verdade só deve vir em 2038,, por questões matemáticas mesmo. É o chamado “Apocalipse Unix”, e por enquanto não tem solução definida. O tempo nos sistemas Unix é contado em segundos desde 1970. Em 2038 esgotaremos o número máximo que pode ser contado em 32 bits, e um overflow ai acontecer, fazendo com que o sistema entre em pane. Como a maior parte dos backbones está implementada sobre Unix, isso pode atingir a internet de forma drástica. (Mais detalhes na wikipedia )

    Supõe-se que nos 29 anos que resta até essa data já teremos migrado os sistemas para 64 bits, ou seja, não vai ter apocalipse na internet pelos próximos 290 bilhões de anos. Mas de um jeito ou de outro, é certo afirmar que em 2038 será o fim. Pelo menos o fim dos sistemas de 32 bits.

    Administrador André respondeu:

    Até lá, os seres humanos já se mataram. :P

    Carol respondeu:

    @André, Ótimo, e seu pessimismo irá ajudar muito a humanidade… :roll:

    Administrador André respondeu:

    De repente Jesus aparece numa nuvenzinha que nem no desenho do Dragon Ball e nos salva. Queira, por favor, estudar a história da humanidade. Nossa tendência é a auto-destruição. Fato.

    Carol respondeu:

    @André, Se você pensa assim, por que diabos põe filho no mundo???? :mad:

    Administrador André respondeu:

    O que vc quer? Que eu finja que o mundo é bonzinho? Dá um tempo, né? Uma coisa não tem nada a ver com outra.
    .
    Vamos ver… O mundo está de novo caminhando para a Idiocracia, ninguém quer saber de estudo e as pérolas que eu tenho que corrigir a cada prova devem ser motivo para acabarmos de vez com as escolas? Não vejo a segurança pública melhorar. Vamos abolir as leis e partir pra anarquia generalizada, certo?
    .
    Oh, não! Eu sou malvado, o mundo é bom. Vamos nos vestir de vestidinho azul, calçarmos sapatinhos vermelhos e sair cantando “We gonna visit… the Great Wizzard os Oz lálálálálá”

    Carol respondeu:

    Claro que tem haver. Quem em sã consciência puseria filho no mundo acreditando que daqui à pouco tempo todo mundo irá se matar, nao basta os que já estão aqui e você mesmo? Quer ver matarem seus filhos? :roll:
    Eu radicalizei sim dizendo que se você vê as coisas dessa maneira então aja como se fosse acontecer mesmo, mas pra que provocar mais tumulto no mundo se ele já vai acabar?! Nada de casa própria, pra quê? Viva la vida loca! Mas você interpretou errado, a questãoé evitar uma catastrofe maior, não?
    O que você falou é que não tem nada haver,porque continuar com o que já temos é uma coisa e agir normalmente ignorando o destino no qual você crê, colocando uma penca de filhos no mundo, é outra; é hipocrisia.
    Vai ver essa discussõe é que não tem sentido… :roll:

    Administrador André respondeu:

    Quem em sã consciência puseria filho no mundo acreditando que daqui à pouco tempo todo mundo irá se matar, nao basta os que já estão aqui e você mesmo? Quer ver matarem seus filhos?
    .
    Por isso que eu ensinei aos meus como se defender. Quem poria filho no mundo pregando que somente 144 mil pessoas se salvariam e o restante iria para o fogo do inferno?
    .
    Eu radicalizei sim dizendo que se você vê as coisas dessa maneira então aja como se fosse acontecer mesmo, mas pra que provocar mais tumulto no mundo se ele já vai acabar?
    .
    Ele vai?
    .
    Mas você interpretou errado, a questãoé evitar uma catastrofe maior, não?
    .
    Por favor, me dê um exemplo de como fazer palestinos e israelenses se darem bem.
    .
    O que você falou é que não tem nada haver,porque continuar com o que já temos é uma coisa e agir normalmente ignorando o destino no qual você crê, colocando uma penca de filhos no mundo, é outra; é hipocrisia.
    .
    Desculpe, não tive uma penca de filhos e nem defendi isso. Favor voltar e ler de novo.
    .
    Vai ver essa discussõe é que não tem sentido…
    .
    pois é…

    ZzXx respondeu:

    Você é incrivelmente burra.

    ZzXx respondeu:

    PS:
    nada haver não existe, é nada a ver.
    Volte sempre

    Carol respondeu:

    ZzXx, e você está incrivelmente fora do assunto, além de ser incrivelmente puxa-saco do André!

    Fabricio_R.S respondeu:

    @André,
    De repente Jesus aparece numa nuvenzinha que nem no desenho do Dragon Ball e nos salva. Queira, por favor, estudar a história da humanidade. Nossa tendência é a auto-destruição. Fato.

    Quase caguei nas calças de tanto rir dessa porra. :lol: :lol: :lol:
    Nunca pensei que fosse rir tanto de apenas algumas poucas linhas.

    Voltando ao assunto, o que tem de gente acreditando que o mundo vai acabar em 2012… é incrivelmente impressionante! Os caras estão falando que tem um tal de planeta x que a nasa está escondendo da população, HAHAHA

    Rachel Schroeder respondeu:

    @Fabricio_R.S, Aff.. Incrível como sempre ficam inventando conspirações, que a NASA esconde isso ou aquilo outro, o ser humano adora um misterinho, incrível! As coisas são simples, não existe o sobrenatural, mas o ser humano adora o trágico, o complicado… É como eu vi por aí, vou inventar um dragãozinho na minha garagem, ou uma outra versão do Midas com a roupa transparente. É fácil disseminar besteiras, o ser humano é ótimo nisso kkk :roll:

    Carol respondeu:

    144 mil pessoa sobreviver e o restante ir pro inferno? – não sabia disso e nem sou religiosa. Que ofensa André! :grin:

    “Ele vai?” – não sei, você quem disse…

    “Por favor, me dê um exemplo de como fazer palestinos e israelenses se darem bem.” – eles nunca irão parar de brigar; o fanatismo é uma praga.
    Mas eu tenho esperança que a gente não tenha que pagar por isso. :sad:

    Administrador André respondeu:

    1) Não disse que vc era religiosa.
    .
    2) Eu não disse que o mundo ia acabar. Disse que a tendência do homem é a auto-destruição.
    .
    3) Eu tb espero que não.

    Thais respondeu:

    Concordo com vc André, o homem caminha pra destruição porque a cada dia tem se afastado do amor de Deus, do amor ao proximo, tanta gente se matando pai mata filho, irmão mata irmã,neto mata avó…isso porque muita gente hoje não crê mais em nada e em ninguém não há mais veneração nem pela propria vida quanto mais pelo próximo que pode ver ou um Deus que não se pode ver!
    Só ter fé nele!
    :!: :?:

    Administrador André respondeu:

    Concordo com vc André, o homem caminha pra destruição porque a cada dia tem se afastado do amor de Deus, do amor ao proximo

    Eu nunca falei tal besteira. O homem vem brigando entre si e matando-se mutuamente desde que colocou os pés no mundo. Não é novidade nenhuma.

    Thais respondeu:

    oi colega muito prazer,posso te dar um toque?
    Não seja religiosa, se vc acredita que um homem chamado Jesus siga a ele!
    Apesar do nome religião significar religar o homem a Deus, isto tem ficado cada vez mais longe, infelizmente as pessoas :razz: ficam brigando por coisa pouca enquanto o tempo tem passado!

    Carol respondeu:

    @Thais,
    Em primeiro lugar, eu não sou tua colega!!
    Depois, toques só do meu namorado e de médico, se ele for gatinho, claro..
    Além do mais, se eu acreditasse em Jesus, não estaria rondando por aqui e procurando respostas há tanto tempo!
    E ainda: Não seguiria nada, nem ninguém antes de ter provas de sua veracidade e “boa fé” em suas ações ou, sem sem ser por interesse, claro..
    Não procuro religião para me ligar a Deus, sei muito bem no que quero acreditar, mas sim para confirmar a mim mesma que eles são um moinho de inetresseiros e sangue-sugas que passam por cima de tudo e todos só pra ter mais e mais dinheiro e poder sobre as pessoas, muitas vezes por serem desinformadas…
    É, o tempo pode passar rápido pra quem não o sabe aproveitar e fica perdendo tempo ou o usando para o mal, como converter as pessoas ao cristianismo, o que aos olhos de um Deus bom, a meu ver, deve ser pecado!
    ps: Jesus um homem? Pra vcs ele não é O filho de Deus, o intocável e privilegiaodo? Primeira vez vejo isso…

    RodrigoTrator respondeu:

    @Carol, A meu ver, vc esta a procura da verdade, assim como eu.
    No entanto não pude deixar de achar interessante a seguinte teoria:
    http://osnefilins.tripod.com/
    Dê uma lida, e me diga o que acha!

    Rachel Schroeder respondeu:

    @Carol, Carol, quem acredita que os escolhidos são 144 mil são os Testemunhas de Jeová… Incrível, mais uma seita que chamo de separatista, pelo menos essa visãozinha é incrível. A herança cultural que o mundo sempre carregará de gerações e gerações é acreditar na figura de um “salvador”. Quero saber do que temos que ser salvos, de nós mesmos? :lol:

    Rachel Schroeder respondeu:

    @Rachel Schroeder, Com o perdão da palavra, são apenas 144. E não tudo isso como exagerei anteriormente… :oops: hehehe! Poxa vida, com essa espécie de psicoterror, eu também não gostaria que meus filhos tivessem acesso a toda essa sandice… kkk :grin:

  3. 3. Nelson Rivaldo disse:

    É pessoal, o mundo vai acabar, de novo…

    Tenho uma tia adventista (a igreja adventista foi fundada sobre professias do fim do mundo de William Miller, um cristão renascido) e um irmão mormom. Ambos encheram o saco da familia que o mundo iria acabar no ano 2000, pela minha tia Jesus desceria em uma nave e levaria as pessoas boas (sic), se ele veio mesmo deixou ela por aqui.

    Já os mormons falavam que o fim do mundo seria mais trágico com o bug do milênio lançando as ogivas nucleares.

    A história do ano 2000, ocorreu o mesmo no ano 1000, é por causa de um trecho do livro do Apocalipse (Capitulo 20) que fala que o demonio foi preso e deve ser solto a cada 1000 anos. As pessoas simplesmente não se dão conta de que se o mundo não acabou antes não vai acabar amanhã. A grande droga mesmo é que faltam 3 anos até 2012 e até lá teremos que aguentar muitos profetas autoproclamados defecando pela boca.

    Como disse um amigo meu certa vez quando ele mesmo trouxe o assunto do caledário maio: “se o mundo terminar que termine em barranco pra mim ficar escorado.”

    Abraços

    Rachel Schroeder respondeu:

    @Nelson Rivaldo, To pagando pra ver o mundo acabar, infelizmente tenho que conviver com essa do 2012, e pra uma professora de História, tenha certeza que isso não é fácil… :roll:

    Jose Paulo Soares respondeu:

    @Nelson Rivaldo, As primeiras previsões sobre o fim mundo datam de 389 a.C e associavam o término do mundo à derrocada o império romano, falharam por mais ou menos sete séculos (se não errei nas contas), não o fim do mundo, mas a queda de Roma no século V d.C. desde ai pelo menos 11 falharam, desde 1 de fevereiro de 1524 (um dilúvio previsto por astrólogos em Londres), até ao Cometa Halley em 1910 (Cientistas diziam que a cauda continha um gáz mortal e passaria muito junto da terra e continua a passar mais ou menos de 76 em 76 anos não sei se muito ou pouco próximo da terra???), etc etc etc.

  4. 4. MaikoID disse:

    Bixo até 2038 já estaremos usando computadores quânticos com 256 bits ou mais.

  5. 5. Fátima disse:

    Carol,

    Há uma grande diferença entre ser pessimista e ser realista: o primeiro só vê o lado ruim das coisas, o segundo vê os lados que elas têm e se eles são ruins, daí é outro assunto.

    Todo mundo que me conhece sabe que sou um tanto quanto…er…digamos…otimista demais (já tentaram me apelidar de Poliana Moça, eu levei na brincadeira) e, creia-me, isso também não é nada bom; acaba que vc fica despreparado para as ‘porradas da vida’; o melhor é manter os pés no chão e os olhos bem abertos.

    O mundo é feio? Eé…uma verdadeira latrina. Bancar o tolo e querer tapar o sol com a peneira não irá melhorá-lo, tampouco bancar o chapeuzinho vermelho o fará (acaba que o lobo mau te pega).Mas é o mundo que temos e a ponto final.

    O que realmente faz alguma diferença é manter os olhos críticos e a língua afiada para ‘escrachar’ com certas palhaçadas que as pessoas divulgam como se fossem verdades incontestes; isso sim tem o condão de despertar algumas mentes do torpor em que se encontram.

    Creio que é esse um dos objetivos desse site: divulgar o pensamento científico e arrastar na valeta da vergonha as imbecilidades pseudo-científicas que rolam por aí, bem como seus divulgadores e/ou criadores. Em suma: distribuir as pílulas para quem quiser sair da ‘matrix’ ou

    Carol respondeu:

    @Fátima,
    “O que realmente faz alguma diferença é manter os olhos críticos e a língua afiada para ‘escrachar’ com certas palhaçadas que as pessoas divulgam como se fossem verdades incontestes;…”
    É, procurar a verdade e duvidar sempre é muito importante e fundamental, foi o que me fez não desistir de ler nesse site :roll:
    Porém, às vezes a gente se pergunta se o mundo é só isso que nós, por enquanto, podemos provar. Nem que sejamos um átomo dentro de outra dimensão, ou seja, quase nada, mas, eu quero acreditar…
    Pelo que tenho lido, acho que você não é atéia, é o que então?

    Fátima respondeu:

    @Carol,

    O problema está na palavra ‘acreditar’

    ….ter confiança, crer; ter esperança, confiar; pensar, sem ter certeza …

    Fonte: Dicionário Houaiss, pg.13.

    O que quero dizer é que a ‘crença’ é baseada em fatos NÃO comprovados e, fazer isso, é uma suma temeridade. Prefiro basear meu pensamento em coisas factíveis. Se não se pode comprovar, não se pode afirmar como verdadeiro.

    Sou agnóstica.

    Thais respondeu:

    oi querida me desculpe entrar no assunto de vcs, mas vc disse que pra acreditar em algo ele tem de ser visível né?
    O vento vc consegue ver?
    certamente vc como uma pessoa bem esclarecida que é irá dizer não.
    Porém nós o sentimos e vemos os seus efeitos presentes em nosso redor assim como Deus.
    Não o podemos vê- lo mas sim senti-lo, claro se vc for sensível a ele!
    E podemos ver as maravilhas que ele fez, esse mundo maravilhoso pra nós desfrutarmos!

    Administrador André respondeu:

    Eu posso medir a massa de ar, sua pressão e composição química e constantes físicas. Vc tem algum desses dados de seu deus?

  6. 6. jekatotal disse:

    esta onda do fim do mundo em 2012 começou algum tempo atrás, e os espertalhões sabem que três anos são mais do que suficientes para explorar a ingenuidade das pessoas e enriquecer; nas bancas de jornal a revista “sexto sentido” deste mês já vem com a manchete sobre esta bobagem. Aliás, acho que o Brasil é campeão de publicações especializadas em pseudo-ciências: contei nove revistas sobre espiritismo e umas três que se intitulam revistas “científicas”, mas publicam absurdos como esta previsão do calendário maia; um livro muito bom sobre a história do calendário (breve história do tempo – oxford press) mostra como os calendários sempre foram, mais do que nunca, tentativas de compatibilizar os diferentes ciclos do Sol e da Lua com as superstições religiosas e também como instrumento de poder político.

  7. 7. Edson Hendrix disse:

    Essa estória de 2012 e interesante porque eles fazem uma salada com tradiçãos suméria, Maia, espiritualista e ufologia, falam em aproximação de um planeta muinto maior do que Júpiter que por algum motivo que eles não sabem explicar não pode ser detectado por nossos astrônomos apesar de estar tão perto, falam de uma transição dimensional que chamam de transição aquariana, onde haveria arrebatamento feito por extraterrestres e quem ficasse na Terra seria desintegrado durante essa transição. Engraçado que segundo o próprio calendário esotérico isso ja aconteceu em 1963, um boato muinto louco, logo os crentes também criam sua versão catastrafica de 2012.

    Thais respondeu:

    Oi amigo onde vc viu este boato que os crentes inventaram algo catastrofico para essa data de 2012 ?
    por favor me mande pra eu ver tem como?
    Ainda não chegou a mim esse boato!
    Tirando o filme 2012… nada ! :wink:

  8. 8. wilianbc disse:

    Quem viver, não verá nada disso….

    A Terra continuará girando e novas crenças idiotas surgirão…

    Existem pessoas que precisam de superstições para viver, preferem isso, do que pegar um livro, gerar conhecimento, abastecer a rede sináptica, buscar esclarecimento e auto-instrução….

  9. 9. debora disse:

    com todas essas informações,podemos ficar mais tranquilos á respeito de tudo isso…
    é apenas mais uma teoria criada por gente que tem de acreditar nisso para ter uma razão na vida. :neutral:

  10. 10. Edemilson disse:

    Peguei um filme achando que era o 2012 cujo trailer vi no cinema (que apesar do tema, é um filme que eu assistiria só pelos efeitos especiais), mas ao assistí-lo tive a desagradável surpresa de ver que tratava-se de um filme do tipo B, cheio de propaganda cristã… Ô filminho sem-vergonha! Pesquisando na Internet descobri que o nome real do tal filme é Doomsday 2012. Nunca vi um filme tão tosco como esse… É de dar ânsia de tanta bobagem e non-sense que os personagens falam… E a história parece que foi escrita por uma criança com problemas mentais… :mad:

    Thais respondeu:

    oi querido tbm cometi o mesmo erro realmente o filme é bem podre!
    Faz uma salada só… e pelo que eu conheço tá longe de ter um conteúdo cristão !

    Administrador André respondeu:

    Conteúdo cristão se fosse dizimar um povo, como os maias, né?

  11. 11. Cyro disse:

    No site da revista Sexto Sentido (www.revistasextosentido.net) está disponível um “documentário” de 90 minutos (dividido em 9 partes) com o título “Nostradamus e 2012″, que foi produzido para o “The History Channel”.
    Achei incrível a idéia de ressuscitarem as profecias de Nostradamus para reforçar as afirmações das profecias maias.
    É claro que as Centúrias de Nostradamus são tão vagas que pode-se relacioná-las com qualquer coisa, mas o público talvez não perceba isso. Lembro-me que Nostradamus foi muito citado na virada do milênio. Quem se lembra ?
    O vídeo é técnicamente muito bem feito e vale a pena ser visto, desde que você consiga controlar a irritação com a enxurrada de besteiras apresentadas com a maior seriedade.
    É totalmente parcial, e parece que foi encomendado só para “vender” a suposta catástrofe de 2012.
    Cheguei à conclusão que não é só questão de dinheiro, os débeis mentais que dão seus depoimentos parecem estar gozando com a oportunidade de divulgarem seus delírios para um público tão vulnerável aos assaltos da mídia.
    Ao acabar de assistir o vídeo fiquei com a idéia de que prender todos aqueles irresponsáveis e aplicar uma lobotomia talvez não fosse radical demais.

  12. 12. FBO CBR disse:

    UE….

    o mundo nao ia acabar em 2000?

    acho que na virada do ano na epoca quando a gente foi dormi, agente reencarnou kkkkkkk…… agora é 2012? e depois 2038,2098,3012 etc…e da-lhe profecias,pobre temerosos…

    na proxima reencarnaçao quero voltar como uma barata,porque é resistente a bomba nuclear,para as proximas apocalipce kkkkkkkk. ri alto agora!!!!!

    dessa vez eu concordo com o andre os seres humanos vao se matar,isso é fatoo!

    todos vao pagar caro pelo q tao fazendo com natureza,mudanças climaticas,groelândia derretende metros cubicos por segundos e etc…
    a natureza é um conjunto de vidas,e essas vidas se vingaram contra todos os seres humanos,so nao quero ta vivo pra ver isso kkk,fatooooo!

  13. 13. Infante disse:

    Acredita-se que tem uns caras querendo impor a NOVA ORDEM MUNDIAL/NOVA ERA. E que irão usar todos esses fenômenos geofísicos que, provavelmente, irão ocorrer na Terra para “dominar o mundo” com seus chips e blá, blá, blá… O que para os que se dizem “cristãos”, seria a besta e blá, blá, blá… :lol:
    Caro André, o que que tu achas da NOVA ORDEM MUNDIAL ou NOVA ERA???

    Administrador André respondeu:

    Babaquice.

    RodrigoTrator respondeu:

    @André, Vc pelo visto tem o censo critico bem apurado!
    Poderia pelo menos ler este artigo: http://osnefilins.tripod.com/ e depois me dizer o que vc acha?

    Administrador André respondeu:

    Posso: lixo.

    Peres respondeu:

    @Infante, Deviam implantar chips na cabeça dos crentes!

  14. 14. RodrigoTrator disse:

    @André

    Você pelo menos ja leu algo a respeito de antigas civilizações?
    A respeito da cultura Suméria por exemplo, que de acordo com provas, realmente existiu e deixou uma vasta biblioteca, com dados sobre nosso sitema solar, como por exemplo descrição do ciclo lunar completo com precisão de 0,4 segundos se comparado com os calculos atuais?
    Como vc me explica isto?

    Administrador André respondeu:

    Observação e matemática. Eratóstenes mediu a circunferência da Terra com um erro ridículo, usando apenas uma vara e geometria. So what?

    RodrigoTrator respondeu:

    @André, A é, e como eles tinham conhecimento de todas as orbitas/quantidades de planetas do sistema solar?
    Ficaram observando e deduziram simplesmente ao acaso?
    Saiba que se vc pudesse falar com seu tataravô a 150 anos atrás, que hj em dia teriamos pequenos aparelhos (celulares) que caberiam nos bolsos e com os quais se pode falar com qualquer pessoa da terra, ele provavelmente diria que só pode ser bruxaria.

    Administrador André respondeu:

    A é, e como eles tinham conhecimento de todas as orbitas/quantidades de planetas do sistema solar?
    Ficaram observando e deduziram simplesmente ao acaso?

    Não, meu pobre apedeuta. Eles marcavam as trajetórias em tábuas e depois usavam uma coisa que vc conhece como matemática.

    Supondo que algum dia tenha ido ao colégio ou brincado com aquele joguinho de “ligue os pontos”.

    ME responde uma coisa agora: Por que eles achavam que a Lua e o Sol eram planetas também, mas não conheciam Saturno, Urano, Netuno, Plutão, o Cinturão de Van Halen, o Cometa Halley e as galáxias, hein? Por que não mencionam os satélites artificiais de Júpiter? Por que a maioria não concordava com o modelo cosmológico de Aristarco, dando preferência ao sistema de Ptolomeu, com seus epiciclos e deferentes?

    Responde isso pra mim, senhor ufomerdólogo.

    Saiba que se vc pudesse falar com seu tataravô a 150 anos atrás, que hj em dia teriamos pequenos aparelhos (celulares) que caberiam nos bolsos e com os quais se pode falar com qualquer pessoa da terra, ele provavelmente diria que só pode ser bruxaria.

    Por favor, queira me dizer todos os afluentes do rio Amazonas sem procurar no Google. Seu avô saberia. :D

    Lidar com ignorante é foda. Eles acham que todos no mundo são tão ignorantes quanto…

    RodrigoTrator respondeu:

    @André, Caso vc tivesse lido pelo menos o artigo que lhe mandei, saberia que eles ja sabiam da existencia de todos estes planetas que vc mencionou, planetas os quais muitos deles, não são vistos a olho nu até hj em dia. Mas numa coisa concordo com vc, lidar com ignorante é realmente complicado. Continue se achando “esperto”, acreditando em todo lixo que a mídia vomita pra vc, e fazendo seus comentários ridículos, só não demore muito no pc, ou vc pode perder algum capítulo da novela hein!!!!Sabidão!!!

    Administrador André respondeu:

    O artigo não cita NENHUMA fonte além da merda do Sitchin. Faça o favor de trazer periódicos científicos que passaram por revisão de pares e não um livro vagabundo, escrito por um lunático.

    No aguardo.

    Icarus respondeu:

    @RodrigoTrator,

    Rodrigo,

    O artigo que vc colocou não tem nenhuma base científica. Ele cita uma descoberta da Nasa, mas é fake.

    Dá uma olhada neste link: http://www.nasa.gov/topics/earth/features/2012.html

    2012: Beginning of the End or Why the World Won’t End?

    Vou colar uma parte aqui:

    “Nibiru and other stories about wayward planets are an Internet hoax. There is no factual basis for these claims. If Nibiru or Planet X were real and headed for an encounter with the Earth in 2012, astronomers would have been tracking it for at least the past decade, and it would be visible by now to the naked eye. Obviously, it does not exist. Eris is real, but it is a dwarf planet similar to Pluto that will remain in the outer solar system; the closest it can come to Earth is about 4 billion miles. “

    Joseph K respondeu:

    @RodrigoTrator,
    saberia que eles ja sabiam da existencia de todos estes planetas que vc mencionou,
    Hum… vejamos o que temos:
    “As placas sumérias tem informações precisas sobre os planetas do sistema solar. O mais impresionante são os dados sobre Plutão (planeta que só foi descoberto em 1930). Eles sabiam o tamanho de Plutão, sua composição química e orgânica e afirmavam que Plutão era na verdade um satélite de Saturno que se “desprendeu” e ganhou uma nova órbita.”
    UAU! Cadê as provas que Plutão era conhecido? Dãããã, posso escrever que os antigos atlantes conheciam Plutão E DAÍ? Provas. Cadê?
    Cadê as provas que sabiam da “composição química” de Plutão? Cadê as provas arqueológicas que, sequer, sabiam de Plutão?
    Plutão era uma lua de Saturno? Se “desprendeu”? Minha nossa! PROVAS? Cadê?
    Um monte de lorotas não prova nada, filhote.
    Sei que você está “bem” intencionado, então apresente as provas, ou aceite o papel de bobo.

    planetas os quais muitos deles, não são vistos a olho nu até hj em dia.
    UAU! Está certo! Nem temos telescópios há séculos! Estamos todos esperando essas revelações! (Ironia, ironia)
    Os seus antigos amigos sabiam tudo sobre planetas dos quais MUITOS não são vistos (sem telescópios), hoje em dia.
    PROVAS? Quem quer provas, levante a mão!
    Estou certo que há dezenas de placas com esses dados registrados, e que, digamos, os chineses nem faziam idéia, não é mesmo?

    Mas numa coisa concordo com vc, lidar com ignorante é realmente complicado.
    Hum… estás começando a aprender auto-crítica?

    Continue se achando “esperto”,
    Melhor que ser um zé mané que acredita em “duendes”, ou que uns amiguinhos já sabiam da “composição química” de Plutão.

    acreditando em todo lixo que a mídia vomita pra vc,
    Perái. Não é você que está falando que Plutão era uma lua de Saturno?
    Que credencial você tem, para fugir do rótulo de crédulo tosco?

    e fazendo seus comentários ridículos,
    Tal como a colocação sobre os celulares? Isso foi de chorar, de rir.

    só não demore muito no pc, ou vc pode perder algum capítulo da novela hein!!!!
    Falou o zé que não perde nenhum momento das novelas dos X Files (tá eu também assistia, admito).
    Faltou só um ponto de exclamação! Só um!

    Sabidão!!!
    Trouxa.

    RodrigoTrator respondeu:

    @André, “Conhecimento válido, é conhecimento partilhado” Poderia me dar alguns exemplo de periódicos científicos em q vc acredita? Seriam os cientistas que apóiam tais periódicos tão lunáticos quanto Sitchin se defendessem teorias não aceitadas pela maioria “pensante” Quanto peso tem a mídia sobre a “opinião científica” atual? Para concluir analise a seguinte frase: Para a mente obtusa, toda a natureza é sombria. Para a mente iluminada, o mundo inteiro arde e faísca com luz.(RALPH WALDO EMERSON)

    Administrador André respondeu:

    “Conhecimento válido, é conhecimento partilhado” Poderia me dar alguns exemplo de periódicos científicos em q vc acredita?

    NAture, Science etc etc. C’mon, já apareceu maluco aqui com potncial argumentativo melhor que isso. Se esforça, vai.

    Seriam os cientistas que apóiam tais periódicos tão lunáticos quanto Sitchin se defendessem teorias não aceitadas pela maioria “pensante”

    Traduz isso para linguagem de gente.

    Quanto peso tem a mídia sobre a “opinião científica” atual?

    Nenhum.

    Para concluir analise a seguinte frase: Para a mente obtusa, toda a natureza é sombria. Para a mente iluminada, o mundo inteiro arde e faísca com luz.(RALPH WALDO EMERSON)

    Para mentes obtusas, melhor acreditar em fantasias e palhaçadas propagadas pela internet, sem embasamento científico. Vai estudar, garoto, que amanhã tem prova e a mensalidade do colégio tá cara.

    Rafael respondeu:

    @RodrigoTrator, Cabe esclarecer que não se “acredita” num periódico científico. O contrário da Bíblia ou de textos sagrados que exigem a crença para que tenham validade.

    Além disso o periódico científico é revisado pelos pares, de maneira que caso algum texto consiga ser relevante ao ponto de ser publicado, este texto certamente será revirado, contestado, pelo crivo que o método científico faz com qualquer proposição. Motivo pelo qual é muito forçado acreditar que Plutão seja uma lua desgarrada de Saturno. Não existem dados científicos que corroborem esta afirmação! Simples!

    Joseph K respondeu:

    @RodrigoTrator,
    “Conhecimento válido, é conhecimento partilhado” Poderia me dar alguns exemplo de periódicos científicos em q vc acredita?
    Você quer saber de publicações sérias? Por quê? Você vai fazer uma pesquisa na Nature? Aproveite e dê uma folheada na Science.
    Quanto a “acreditar”, nem vale a pena responder.

    Seriam os cientistas que apóiam tais periódicos tão lunáticos quanto Sitchin se defendessem teorias não aceitadas pela maioria “pensante”
    “Teoria” como a de uns caras que sabiam da composição química E biológica de Plutão?

    Quanto peso tem a mídia sobre a “opinião científica” atual?
    Zero, que é muito menos que os crentes gostariam.

    Para concluir analise a seguinte frase: Para a mente obtusa, toda a natureza é sombria. Para a mente iluminada, o mundo inteiro arde e faísca com luz.(RALPH WALDO EMERSON)
    “Obtusa” = crente.

  15. 15. fred.egito disse:

    Estaremos sempre a presenciar tais “teorias” (com aspas sim). Foi assim em 09/09/1999 (alguém ainda se lembra), e o tal Bug do Milênio, que faria os computadores acidentalmente lançar artefatos nucleares à moda caralho. Bem, que merda de engenheiro (sou graduando em engenharia, muito suspeito) iria projetar todo um sistema, que, na primeira falha, enviasse um comando para detonar um explosivo nuclear, com todas as consequências imagináveis?
    Bem, na minha visão, assim como de muitas outras pessoas, se o mundo (planeta Terra) vier a “acabar”, pode ser hoje, amanhã, ou qualquer outro dia, mesmo o tal 21/12/2012. Lembremos que o extermínio da raça humana não significa, necessariamente, o fim de todo um planeta, só para esclarecer.
    Perdoem-me os erros referentes ao uso correto da língua portuguesa.

  16. 16. RodrigoTrator disse:

    Ao Ícarus:
    Primeiramente gostaria de agradecer por pelo menos dialogar com educação e respeito, algo que parece que apenas agora nosso colega André começou a utilizar. Voltando ao assunto, acredito que “base científica” seja algo que possamos comprovar através de fatos (fisicos ou experimentais) ou matematicamente.Pode ser que toda transcrição das tábuas sumérias sejam mal interpretadas, ou simplesmente suposições, no entanto achei alguns dos argumentos bem convincentes. Realmente acredito que a NASA divulga muitos fatos comprovados em base científica, mas acredito mais fielmente ainda que a NASA não divulga tudo que sabe! Ou vc acha que se as teorias sumérias forem realmente verdadeiras a NASA iria apoiar e divulgar? Que impacto, em caso positivo, vc acha que isto teria na sociedade humana atual? Uma sociedade (apenas pra citar um exemplo nosso:Brasil) que tem visto constantemente seus líderes religiosos metidos em falcatruas(Edir Morcego FDP Jogando dinheiro pro alto e falando”é so pedir que o povo trouxa dá”em rede nacional) engordando cada vez mais as doações pra igreja?

    Administrador André respondeu:

    .Pode ser que toda transcrição das tábuas sumérias sejam mal interpretadas, ou simplesmente suposições, no entanto achei alguns dos argumentos bem convincentes.

    Sua opinião e NADA para a Ciência, é a mesma coisa. Pode me mostrar os artigos indexados que mostram esta tradução?

    Realmente acredito que a NASA divulga muitos fatos comprovados em base científica, mas acredito mais fielmente ainda que a NASA não divulga tudo que sabe!

    Ah, sim… CLARO que a NASA está pressionando milhares de historiadores para que estes digam que o pessoal da Antiguidade jamais ouviram falar de Nibiru e outras tosqueiras.

    Ou vc acha que se as teorias sumérias forem realmente verdadeiras a NASA iria apoiar e divulgar?

    QUAIS teorias sumérias? Fontes indexadas, por gentileza.

    Que impacto, em caso positivo, vc acha que isto teria na sociedade humana atual?

    Nenhum, a bem da verdade.

    Uma sociedade (apenas pra citar um exemplo nosso:Brasil) que tem visto constantemente seus líderes religiosos metidos em falcatruas(Edir Morcego FDP Jogando dinheiro pro alto e falando”é so pedir que o povo trouxa dá”em rede nacional) engordando cada vez mais as doações pra igreja?

    Excelente exemplo. E por mais que prove-se que são um bando de ladrões, um bando de acéfalos ainda acreditarão que aquela quadrilha são enviados de Deus. É a mesma coisa com suas plaquinhas sumérias.

    Joseph K respondeu:

    @RodrigoTrator,
    Voltando ao assunto, acredito que “base científica” seja algo que possamos comprovar através de fatos (fisicos ou experimentais) ou matematicamente.
    Hum? E a comprovação dos “fatos” que você estava dizendo?

    Pode ser que toda transcrição das tábuas sumérias sejam mal interpretadas, ou simplesmente suposições,
    Que conversa mole é essa, agora? Você chegou aqui arrotando isso como FATO!
    “cultura Suméria (…) deixou uma vasta biblioteca, com dados sobre nosso sitema solar, como por exemplo descrição do ciclo lunar completo com precisão de 0,4 segundos”
    “tinham conhecimento de TODAS as orbitas/quantidades de planetas do sistema solar” (grifo meu)

    Agora, falando sério: como você poderia dizer que está mal traduzido, ou mal interpretado, e dizer que tem “precisão de 0,4 segundos”?

    no entanto achei alguns dos argumentos bem convincentes.
    Irrelevante: cadê as evidências?

    mas acredito mais fielmente ainda que a NASA não divulga tudo que sabe!
    Provas? Citação do Mulder não vale.

    Ou vc acha que se as teorias sumérias forem realmente verdadeiras a NASA iria apoiar e divulgar?
    Tem razão, a NASA, a JAXA e a ESA estão subornando, pressionando, raptando e calando milhares de historiadores e astrônomos amadores, pelo mundo todo OU nenhum historiador ou astrônomo amador quer ter fama.

    Que impacto, em caso positivo, vc acha que isto teria na sociedade humana atual?
    Hum… impacto.. sociedade… atual…
    Nenhum?

    Uma sociedade (apenas pra citar um exemplo nosso:Brasil) que tem visto constantemente seus líderes religiosos metidos em falcatruas(Edir Morcego FDP Jogando dinheiro pro alto e falando”é so pedir que o povo trouxa dá”em rede nacional) engordando cada vez mais as doações pra igreja
    Tem razão, tudo isso mudaria se fosse descoberto que uns caras antigos sabiam a composição BIOLÓGICA de Plutão.

    Icarus respondeu:

    @RodrigoTrator,

    Rodrigo,

    Hoje em dia, os grandes projetos são desenvolvidos, por conta de custo e outros motivos, através de cooperação científica entre os países. Nem o Hubble foi desenvolvido com 100% de capital americano. O CERN é o melhor exemplo disso.

    Seria muito difícil uma agencia como a NASA conseguir esconder algo desta importância, pois outros cientistas de outros países [quem tem objetivos divergentes dos EUA] não concordariam em esconder os fatos. Lembre-se que temos bons astrônomos brasileiros atuando neste ramo.

    Para refutar a idéia do planeta Nibiru é muito fácil e não requer habilidade: :wink:

    Para este suposto planeta ter a suposta órbita ele deve estar sob o efeito gravitacional do nosso Sol. Isso de cara já criam 2 problemas:

    1) Este planeta estaria muito longe do nosso Sol e seria um planeta gelado, mais até que o planetóide Plutão, não permitindo o desenvolvimento da vida da forma como a conhecemos. Uma estrela anã marrom realmente poderia estar próxima do nosso sistema Solar, mas ela não geraria calor suficiente para aquecer um planeta nestas condições.

    2) O planeta está próximo da Terra o suficiente para que a gente receba as ondas eletromagnéticas das “civilizações superiores”. Porem, apesar dos bilhões gastos, ninguém nunca encontrou nada até o momento.

    Joseph K respondeu:

    @Icarus,
    Isso, sem mencionar a legião de astrônomos amadores, do tipo que constrói os próprios telescópios :wink:
    Se estivesse “perto” da Terra, já teria sido avistado há tempos, e teríamos algum “Ícarus” postando a descoberta na internet, não é mesmo?

    Icarus respondeu:

    @Joseph K,

    :wink:

    Só o grupo de ATM que eu faço parte hoje tem hoje 886 associados.
    A maioria mora no Brasil, e os “mais tarados” passam meses fazendo observações do céu noturno. Ninguem nunca viu nada :mrgreen:

    Este número aumenta muito em outros países onde bons telescópios custam uma merreca e o nível escolar é infelizmente melhor que o nosso. Também nunca tive notícias de um astrônomo amador de outro país que tenha visto algo neste sentido.

  17. 17. neemias disse:

    Ok, mas como se explica a analogia existente entre as culturas antigas e suas ciencias?

    Da onde é que saiu a ideia de povos antigos estudarem tanto as estrelas e usar este conhecimento para fazer professias?

    Se fosse uma coisa isolada tudo bem, mas não é.

    Parece que tem a mesma origem, como os sumerios por exemplo, seria um processo inerente ao desenvolvimento do cerebro humano?

    É como que este processo tivesse origem na religiosidade do povos e as sua técnicas e ciências fossem evoluindo paralelamente.

    Acho que é por isso que tem tanto crédito.

    Administrador André respondeu:

    Ok, mas como se explica a analogia existente entre as culturas antigas e suas ciencias?

    Como quais? a hebreuzada achava que o firmamento era sólido, enquanto que os gregos achavam que era cheio de buracos, por onde podíamos ver o fogo que circulava o universo.

    Da onde é que saiu a ideia de povos antigos estudarem tanto as estrelas e usar este conhecimento para fazer professias?

    Era o que eles tinham à mão. Celtas usavam tb entranhas de pássaros. tal existe em outras culturas? Vc está pegando UM exemplo em comum, mas o restante não é comum. Aliás,. a hebreuzada nunca fez profeCia (com C, ô coisa!) por dois motivos: eram ridículos sem nenhum conhecimento de astronomia, e seu livrinho mágico proibia adivinhações.

    Parece que tem a mesma origem, como os sumerios por exemplo, seria um processo inerente ao desenvolvimento do cerebro humano?

    O que os sumérios têm a ver com 2012, Zé Ruela?

    É como que este processo tivesse origem na religiosidade do povos e as sua técnicas e ciências fossem evoluindo paralelamente.

    Muitos regrediram.

    Acho que é por isso que tem tanto crédito.

    Uma reles e ridícula opinião particular, diga-se de passagem.

  18. 18. neemias disse:

    matéria de um site da UFRGS.

    As especulações sobre a natureza do Universo devem remontar aos tempos pré-históricos, por isso a astronomia é frequentemente considerada a mais antiga das ciências. Desde a antiguidade, o céu vem sendo usado como mapa, calendário e relógio. Os registros astronômicos mais antigos datam de aproximadamente 3000 a.C. e se devem aos chineses, babilônios, assírios e egípcios. Naquela época, os astros eram estudados com objetivos práticos, como medir a passagem do tempo (fazer calendários) para prever a melhor época para o plantio e a colheita, ou com objetivos mais relacionados à astrologia, como fazer previsões do futuro, já que, não tendo qualquer conhecimento das leis da natureza (física), acreditavam que os deuses do céu tinham o poder da colheita, da chuva e mesmo da vida.
    Vários séculos antes de Cristo, os chineses sabiam a duração do ano e usavam um calendário de 365 dias. Deixaram registros de anotações precisas de cometas, meteoros e meteoritos desde 700 a.C. Mais tarde, também observaram as estrelas que agora chamamos de novas.

    Os babilônios, assírios e egípcios também sabiam a duração do ano desde épocas pré-cristãs. Em outras partes do mundo, evidências de conhecimentos astronômicos muito antigos foram deixadas na forma de monumentos, como o de Newgrange, construído em 3200 a.C. (no solstício de inverno o sol ilumina o corredor e a câmara central) e Stonehenge, na Inglaterra, que data de 3000 a 1500 a.C.
    Em Stonehenge, cada pedra pesa em média 26 ton. A avenida principal que parte do centro da monumento aponta para o local no horizonte em que o Sol nasce no dia mais longo do verão (solstício).
    Nessa estrutura, algumas pedras estão alinhadas com o nascer e o pôr do Sol no início do verão e do inverno. Os maias, na América Central, também tinham conhecimentos de calendário e de fenômenos celestes, e os polinésios aprenderam a navegar por meio de observações celestes.
    Nas Américas, o observatório mais antigo descoberto é o de Chankillo, no Peru, construído entre 200 e 300 a.C. (Iván Ghezzi e Clive Ruggles, Science, 2007, 315, 1239).

    O ápice da ciência antiga se deu na Grécia, de 600 a.C. a 400 d.C., a níveis só ultrapassados no século XVI. Do esforço dos gregos em conhecer a natureza do cosmos, e com o conhecimento herdado dos povos mais antigos, surgiram os primeiros conceitos de Esfera Celeste, uma esfera de material cristalino, incrustada de estrelas, tendo a Terra no centro. Desconhecedores da rotação da Terra, os gregos imaginaram que a esfera celeste girava em torno de um eixo passando pela Terra. Observaram que todas as estrelas giram em torno de um ponto fixo no céu e consideraram esse ponto como uma das extremidades do eixo de rotação da esfera celeste.

    Há milhares de anos, os astrônomos sabem que o Sol muda sua posição no céu ao longo do ano, se movendo aproximadamente um grau para leste por dia. O tempo para o Sol completar uma volta na esfera celeste define um ano. O caminho aparente do Sol no céu durante o ano define a eclíptica (assim chamada porque os eclipses ocorrem somente quando a Lua está próxima da eclíptica).

    Como a Lua e os planetas percorrem o céu em uma região de dezoito graus centrada na eclíptica, essa região é definida como o Zodíaco, dividida em doze constelações, várias com formas de animais (atualmente as constelações do Zodíaco são treze: Áries, Touro, Gêmeos, Cancer, Leão, Virgem, Escorpião, Ofiúco, Sagitário, Capricórnio, Aquário e Peixes).

    As constelações são grupos aparentes de estrelas. Os antigos gregos, e os chineses e egípcios antes deles, já tinham dividido o céu em constelações.

    Os astrônomos da Grécia antiga

    Tales de Mileto (624 – 546 a.C.) introduziu na Grécia os fundamentos da geometria e da astronomia, trazidos do Egito. Pensava que a Terra era um disco plano em uma vasta extensão de água.

    Pitágoras de Samos (572 – 497 a.C.) acreditava na esfericidade da Terra, da Lua e de outros corpos celestes. Achava que os planetas, o Sol, e a Lua eram transportados por esferas separadas da que carregava as estrelas. Foi o primeiro a chamar o céu de cosmos.

    Aristóteles de Estagira (384-322 a.C.) explicou que as fases da Lua1 dependem de quanto da parte da face da Lua iluminada pelo Sol está voltada para a Terra. Explicou, também, os eclipses: um eclipse do Sol ocorre quando a Lua passa entre a Terra e o Sol; um eclipse da Lua ocorre quando a Lua entra na sombra da Terra. Aristóteles argumentou a favor da esfericidade da Terra, já que a sombra da Terra na Lua durante um eclipse lunar é sempre arredondada. Afirmava que o Universo é esférico e finito. Aperfeiçoou a teoria das esferas concêntricas de Eudoxus de Cnidus (408-355 a.C.), propondo eu seu livro De Cælo, que “o Universo é finito e esférico, ou não terá centro e não pode se mover.”
    Heraclides de Pontus (388-315 a.C.) propôs que a Terra gira diariamente sobre seu próprio eixo, que Vênus e Mercúrio orbitam o Sol, e a existência de epiciclos.

    Aristarco de Samos (310-230 a.C.) foi o primeiro a propor a Terra se movia em volta do Sol, antecipando Copérnico em quase 2000 anos. Entre outras coisas, desenvolveu um método para determinar as distâncias relativas do Sol e da Lua à Terra e mediu os tamanhos relativos da Terra, do Sol e da Lua.

    Eratóstenes de Cirênia (276-194 a.C.), bibliotecário e diretor da Biblioteca Alexandrina de 240 a.C. a 194 a.C., foi o primeiro a medir o diâmetro da Terra.

    Ele notou que, na cidade egípcia de Siena (atualmente chamada de Aswân), no primeiro dia do verão, ao meio-dia, a luz solar atingia o fundo de um grande poço, ou seja, o Sol estava incidindo perpendicularmente à Terra em Siena. Já em Alexandria, situada ao norte de Siena, isso não ocorria; medindo o tamanho da sombra de um bastão na vertical, Eratóstenes observou que em Alexandria, no mesmo dia e hora, o Sol estava aproximadamente sete graus mais ao sul. A distância entre Alexandria e Siena era conhecida como de 5000 estádios. Um estádio era uma unidade de distância usada na Grécia antiga.

    Um camelo atravessa 100 estádios em um dia, e viaja a cerca de 16 km/dia. Como 7 graus corresponde a 1/50 de um círculo (360 graus), Alexandria deveria estar a 1/50 da circunferência da Terra ao norte de Siena e a circunferência da Terra deveria ser 50×5000 estádios. Infelizmente, não é possível se ter certeza do valor do estádio usado por Eratóstenes, já que os gregos usavam diferentes tipos de estádios. Se ele utilizou um estádio equivalente a 1/6 km, o valor está a 1% do valor correto de 40000 km. O diâmetro da Terra é obtido dividindo-se a circunferência por ?.
    Hiparco de Nicéia (c.190-c.120 a.C.), considerado o maior astrônomo da era pré-cristã, construiu um observatório na ilha de Rodes, onde fez observações durante o período de 147 a 127 a.C. Como resultado, ele compilou um catálogo com a posição no céu e a magnitude de 850 estrelas. A magnitude, que especificava o brilho da estrela, era dividida em seis categorias, de 1 a 6, sendo 1 a mais brilhante, e 6 a mais fraca visível a olho nu. Hiparco deduziu corretamente a direção dos pólos celestes, e até mesmo a precessão, que é a variação da direção do eixo de rotação da Terra devido à influência gravitacional da Lua e do Sol, que leva 26000 anos para completar um ciclo.2Para deduzir a precessão, ele comparou as posições de várias estrelas com aquelas catalogadas por Timocharis de Alexandria e Aristyllus de Alexandria 150 anos antes (cerca de 283 a.C. 260 a.C.). Estes eram membros da Escola Alexandrina do século III a.C. e foram os primeiros a medir as distâncias das estrelas de pontos fixos no céu (coordenadas eclípticas). Foram, também, dos primeiros a trabalhar na Biblioteca de Alexandria, que se chamava Museu, fundada pelo rei do Egito, Ptolémée Sôter Ier, em 305 a.C..

    Hiparco também deduziu o valor correto de 8/3 para a razão entre o tamanho da sombra da Terra e o tamanho da Lua e também que a Lua estava a 59 vezes o raio da Terra de distância; o valor correto é 60. Ele determinou a duração do ano com uma margem de erro de 6 minutos.

    Ptolomeu (85 d.C. – 165 d.C.) (Claudius Ptolemaeus) foi o último astrônomo importante da antiguidade. Não se sabe se ele era egípcio ou romano. Ele compilou uma série de treze volumes sobre astronomia, conhecida como o Almagesto, que é a maior fonte de conhecimento sobre a astronomia na Grécia.

    Reprodução de parte do Almagesto, de Claudius Ptolomaeus, escrito entre 127 e 151 d.C. O termo Almagesto é uma corruptela do árabe Al Majisti; em grego, o livro ficou conhecido como a Mathematike syntaxis (Compilação matemática) ou He Megiste Syntaxis (A maior compilação).1
    A contribuição mais importante de Ptolomeu foi uma representação geométrica do sistema solar, geocêntrica, com círculos e epiciclos, que permitia predizer o movimento dos planetas com considerável precisão e que foi usado até o Renascimento, no século XVI.

    por exemplo cita a evolução das tecnicas que os antigos tinham disponiveis, a sua relação com a sua religiosidade e os diversos povos do planeta em varios continentes.

    Seu zezão manezão.

    Administrador André respondeu:

    Cláudio Ptolomeu, que não era romano, defendeu no Almagesto as teorias de Aristóteles e Platão, que por sinal vc não citou. Vc leu sobre Zenão e a disputa entre a tartaruga e Aquiles? Leu sobre eleáticos? Leu sobre as ideias de Eudóxio e sobre ciclos, epiciclos, equantes etc? Não, não estudou. Não leu nem a aberração da frase: “eu seu livro De Cælo, que “o Universo é finito e esférico, ou não terá centro e não pode se mover”

    Algo esférico não tem centro? Pode me explicar como uma esfera NÃO TEM CENTRO, animal? Outrossim, Aristóteles defendeu cobre o fogo circundante do Universo, coisa que vc esqueceu de referenciar, mas óbvio não esperava que o fizesse. E sobre a hebreuzada? Nenhuma palavra.

    Na própria parte sobre Ptolomeu vem: “A contribuição mais importante de Ptolomeu foi uma representação geométrica do sistema solar, geocêntrica, com círculos e epiciclos, que permitia predizer o movimento dos planetas com considerável precisão e que foi usado até o Renascimento, no século XVI.”

    Não, não permitia definir com precisão, conforme Kepler bem demonstrou, por causa da salada que Ptolomeu usou para tentar defender miseravelmente o geocentrismo. Coisa que Aristarco tinha refutado anteriormente,mas ninguém deu bola. Assim, os gregos nunca concordaram entre si, destruindo TOTALMENTE o monte de merda que vc escreveu, crentinho.

    Conta encerrada. NO TROLLS ALLOWED!

    Administrador André respondeu:

    Lá vem mais um asno me xingar no e-mail. Aguardem.

  19. 19. Bill disse:

    Meio que nada a ver com o artigo, mas me lembro de quando estudei a história das colonizações das américas (por conta própria, não o que “ensinam” nas escolas).

    Quando li o que fizeram com toda a cultura e registros dos Maias, Astecas e cia, foi meu primeiro choque com a capacidade da ignorância humana, neste caso, dos cristãos, que queimaram MUITOS livros e destruiram quase tudo que encontraram. A gente perdeu muita coisa, muito conhecimento. O mesmo aconteceu em Alexandria. Sei lá, isso é meio patológico de religioso, destruir conhecimento, queimar livros etc.

  20. 20. ade500 disse:

    :neutral: tem algumas coisas que esta que eu contordo plenamente

    teve uma matéria que esses dois caras do myth busted cagaram no pal
    foi sobre respeito do da maquina de fazer terremótos de nikols tesla

    tentaram provar com maquinas avansadas nos dias de hoje que é possivel
    recriar tal feito…
    colocaram uma maquina que nunca existia a 100 anos atras, e colocaram
    em uma ponte de férro para vibrar e causar abalos sismícos, no outro lado da ponte.
    conceguiram o feito mas só dava para perceber com sismógrafos

    pelo que eu andei pesquisando, a tal maquina de fazer terrotos de nicolas tesla
    tinha o tamanho de uma caixa de sapáto,e essa maquina que estava em um prédio que assim como a ponte tinha estruturas de férro mas o prédio
    tinha muito concreto foi abalado todos os andares asustando os moradores
    que chamaram a policia para ver oq estava acontecendo no apartamento
    de nikola tesla…

    em fim…esses dois farsantes dos tempos modernos,tentaram provar
    com explicassoes futeis e duvidosas a misteriosa maquina de fazer terrremóto
    de meu conterraneo nikola tesla

    Grifos adicionados pela administração.

  21. 21. jrasteka disse:

    e ae galera, pra ver Deus, ñ basta morrer, então pra q o medo e que venha 2012. depois veremos. hehe

  22. 22. slipknot disse:

    estamo quase la que venha essa porra. Se for para morrer que eu morra com estilo.

    Administrador André respondeu:

    Meu caro Vinicius Oliveira Spricigo, modere o linguajar. Aqui não é a sua casa.

Deixe um comentário

Mas, antes, leia a nossa Política de Comentários. Obrigado por sua participação.

Você precisa estar logado para deixar um comentário.