Descoberto dinossauro que fica banguela na idade adulta

Encontradas bactérias velhas, mas imunes a antibióticos modernos
O que o Rio Grande do Sul diz para a Ciência? MORRE MISERÁVEL!!

Dinossauros são uma coisa maravilhosa. Eu gosto de dinossauros. Para mim eles sempre serão aqueles lagartões malvados e não o tatatataravó de uma galinha zarolha, independente do que esses tai de cientistas falem. Naqueles dentões malignos trucidavam e dilaceravam presas sem dó nem piedade. GRAAAAAAWWWWRRRRRRRR!

Infelizmente, a realidade fala mais alto e nem todo dinossauro tinha dentão. Pelo contrário, a maioria era desdentada. O curioso é que, pelo menos, uma espécie nascia dentuço e perdia os dentes com o passar da vida.

O dr. James M. Clark é professor de Biologia da Universidade George Washington. Ele estuda fósseis de vertebrados da Era dos Dinossauros, como crocodilomorfos, dinossauros, pterossauros, lepidosauros e as pegadas da sua sogra. Ele e seus colaboradores encontraram evidências do lindo e fofinho Limusaurus inextricabilis, um nome escroto mesmo para os padrões de biólogos.

O que tem de interessante no L. inextricabilis é que ele nasceu com dentes, mas perdia os mesmos na adolescência, não tendo crescido um conjunto novo depois de chegar na idade adulta. Por que? Ninguém sabe.


Clica pra ver grandão.

A equipe do dr. Clark pesquisou 19 esqueletos do Limusauro, descobertos atolados na lama. Os coitados caíram lá, ficaram presos e foram selecionados por tio Darwin. O caso aconteceu no que hoje é a província chinesa de Xinjiang. Os dinossauros variaram na idade de bebê a adulto, mostrando o padrão de perda de dente ao longo do tempo. O esqueleto do bebê tinha dentes pequenos e afiados e os esqueletos adultos eram consistentemente desdentados.

A pesquisa foi publicada no periódico Current Biology (clica lá que tá digrátis)e mostra como uma descoberta ao acaso faz com que entendamos todo um processo. Mostra inclusive a mudança de hábitos, pois, tendo dentes, o bebê Limusauro provavelmente era carnívoro ou omnívoro, enquanto os adultos eram herbívoros, pois teriam necessidade de dentes para rasgar e mastigar carne, mas não plantas. Ao examinar essa parte, os resultados apontaram que a composição química nos ossos dos fósseis suporta a teoria de uma mudança na dieta entre bebês e adultos. E, para finalizar, pode dar algumas boas explicações do por que aves não possuem dentes.

Um fóssil de ontem explica os seres vivos que temos hoje. E isso é fantástico.

Encontradas bactérias velhas, mas imunes a antibióticos modernos
O que o Rio Grande do Sul diz para a Ciência? MORRE MISERÁVEL!!

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!