Vulcão Etna ajuda a vida a dar um jeitinho

SOS tem uma torta solta no Espaço
Médica sem-noção culpa vítima de estupro por causa de vidas passadas

O Etna é um vulcão boladão que volta e meia dá uma sacudidela na Itália. Situado na Sicília e é um dos vulcões mais ativos do mundo, além de ser um dos mais altos, com 3322 metros de altura. Você não quer morar perto do Etna; ainda mais que em 2012 aquela bagaça entrou em erupção no dia 18 de março de 2012, liberando uma bela duma coluna de cinzas, que chegou a cerca de 7 mil metros acima do nível do mar. Hefestos não estava de bom humor nesse dia.

Mas nem tudo é cenário de destruição. Natureza está pouco se lixando para você, seu macaco pelado! A vida sempre está em eterna competição, e por increça que parível, as toneladas de cinzas vulcânicas expelidas pelo Etna, somado ao frio extremo do inverno anterior no local, criaram um autêntico paraíso na bacia de Ierapetra, com 4.430 metros de profundidade). O que antes era um dos ambientes marinhos menos produtivos do Mar Mediterrâneo Oriental, mudou radicalmente seu destino.

O dr. Nikolaos Lampadarious é grego, e de mar ele entende, como seus ancestrais que cruzavam os mares da Europa até a Ásia, seja guerreando, comercializando ou indo buscar rainhas periguetes que ralavam peito para outro reino por causa de um Zé Ruela. No caso do dr. Lampadarious, ele é pesquisador do Centro Helênico de Pesquisa Marinha.

Junto com outros pesquisadores, Lampadarious estuda o que aconteceu nas cercanias da bacia de Ierapetra, nome que também batiza a cidade na parte oriental da ilha de Creta. Para vocês terem uma ideia, taqui um mapinha referenciando os dois locais.

Os pesquisadores trabalharam em uma linha de 4.300 metros de profundidade em Ierapetra, o que não é brincadeira! Fizeram várias medições e coletaram amostras, apresentando dados inéditos sobre a origem, quantidade e variabilidade da estação e fluxo interanual da matéria orgânica no mar Mediterrâneo, entre as águas superficiais e profundas.

Traduzindo, eles pegaram água, pedra, mais pedras, solos, mais água, e examinaram tudo. Perceberam o grande acúmulo de matéria orgânica, e sendo aquele local um tantinho inóspito para a vida, algo teve que fazer o diferencial. Como análises anteriores mostraram que tinham muito pouca matéria orgânica, mas depois das erupções vulcânicas começou esse afloramento, a conclusão é óbvia.

Mas, espere! Não é só isso! Etna volta e meia está lá de TPM. Por que não apareceu antes? A resposta parece ser que em fins de 2011 e início de 2012, houve um inverno muito rigoroso na região. Somando 2 + 2, parece que essas duas ocorrências combinadas foram responsáveis pelo afloramento e crescimento súbito e maciço de fitoplâncton (uma gama de seres vivos, como as algas azuis e diatomáceas).

A explicação parece ser que cinzas são ricas em sais minerais. E, caso não saibam, plantas, algas etc. não se alimentam diretamente de matéria orgânica. Agentes decompositores atuam na matéria orgânica degradando-a até substâncias químicas inorgânicas. Cianofíceas, as chamadas algas azuis, fazem fotossíntese, e quando misturam um ambiente rico com nutrientes, ficam muito felizes e começam a se reproduzir.

Tudo muito lindo, tudo muito legal, mas a bacia lá tem mais de 4 mil metros de profundidade. Como, pelo poder de Netuno, as cinzas conseguiram parar lá?

Por causa do inverno anterior, a superfície da água ficou mais fria e densa. Sendo assim, começou a haver fluxo de convecção, quando água fria desce e a mais quente sobe. À medida que a água bem fria, dado o inverno rigoroso, descia, carregava consigo as cinzas que estavam próximas à superfície. Chegando lá embaixo – ó que maravilha! – os fitoplânctons ficaram pululantes de contentamento.

Como nessa profundidade a intensidade de luz que chega é muito, muito baixa, ficando bem escuro mesmo, algas fotossintetizantes não estavam entre a vida mais abundante. Diatomáceas, sim, e essas que foram encontradas em maior quantidade, cuja foto é a que abre o artigo.

A pesquisa foi publicada no periódico Geophysical Research Letters.

SOS tem uma torta solta no Espaço
Médica sem-noção culpa vítima de estupro por causa de vidas passadas

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!