jan 17

Bióloga marinha pode ir pra cadeia por filmar orcas se alimentando. Oi?

6 Comentários
Escrito por .
Biologia, Ciência, Comportamento, Cultura, Ecologia, Idiocracia, Mídia, Mitos Desmascarados, Polí­tica
Tags: , , , ,

O mundo só não é mais louco que as loucas leis à solta por aí. Leis são algo mais do que necessário para colocar os toscos na linha, já que cidadão consciente sabe que arrancar com o carro enquanto pessoas estão atravessando a rua não é algo muito legal. Entretanto, algumas leis são meio malucas e mais loucas ainda são as interpretações daquelas insanidades. Foi por isso que, por causa de uma interpretação feita nas coxas, que nem telhas antigas, poderá dar 20 anos de xilindró para uma cientista, só porque ela filmou uma orca se banqueteando na santa paz dos cetáceos éticos.

De início, vamos deixar uma coisinha clara: orcas podem não ser as FDP da natureza (eu deixo este posto para as formigas), mas também não são santinhas. Elas comem focas fofinhas e baleias perversinhas. E não promete casar com elas. Um bicho comendo outro é a coisa mais natural que existe e filmar os filhos da mãe Natureza é algo mais do que importante, como sir David Attenborough tem nos mostrado ao longo de muitos anos.

Nancy Black, é bióloga marinha. Ela promove excursões populares na Baía de Monterey, no estado da Califórnia, além de saber em qual lugar que ela deve sentar quando pega carona. Ela já teve trabalhos veiculados na PBS, a rede educativa dos EUA, na National Geographic e até no Animal Planet. Como ela nunca falou do mico-leão dourado, o Globo Repórter nunca se interessou pelo seu trabalho. Agora, ela está prestes a ver o cetáceo nascer quadrado por até 20 anos por ter infringido a lei que protege mamíferos marinhos, o Marine Mammal Protection Act, de 21 de outubro de 1972. Esta lei visava proteger golfinhos, baleias, focas entre outros animais, desde que fossem mamíferos e marinhos.

O problema em questão é que esta lei proibiu que estes animais fossem alimentados, pois (em teoria) isso poderia desacostumar o animal de caçar, já que orcas e golfinhos são predadores. Quem trabalha resgatando animais de cativeiros sabe como é difícil reintegrar o bicho ao seu habitat natural. É como pegar um leão que nasceu e sempre morou num circo e jogá-lo na savana africana. Simplesmente, ele não saberá correr atrás das deliciosas zebrinhas e ainda pode virar vítima de alguma hiena sádica, daquelas que não usam chapéu nem são depressivas. Até aí, nada demais e é facilmente compreensível. O problema começou quando Nancy foi acusada de alimentar orcas em 2005, durante uma viagem de pesquisa, onde ela filmou as orcas se deliciando com gordura de algumas baleias (orcas não são baleias. Lembrem-se disso. São golfinhos).  O Grande Juri a indiciou com base no Marine Mammal Protection Act, mas as provas foram inconclusivas mediante as fitas fornecidas por ela — e agora vem o mais insano — ela poderá pegar 20 anos e ainda ter que pagar meio milhão de dólares por ter adulterado provas.

Quando os engravatados de Satã exigiram as fitas de vídeo, Rebecca, digo, Nancy entregou suas fitas particulares, sendo que, como qualquer pode imaginar, ela já tinha editado as mesmas. Assim, ela está sendo indiciada por adulteração de provas. Os advogados dela gritaram "Objection, your Honor" e alegaram que ninguém fica com fitas em estado bruto, sem edição, e que isso fere o princípio legal que uma pessoa não pode ser acusada de um crime estando na ignorância de saber que um ato era crime antes de ser tipificado como tal junto ao réu (larga este cavalo, Fátima, que este corpo não te pertence!). Traduzindo para idiotas como eu, você não pode ser preso por algo que você não sabia (nem havia lei específica) que era crime. Seria como legisladores criassem uma lei que proibisse comer quiabo com ketchup e mostarda (odeio quiabo! Pode proibir esta porcaria que não me incomodo) e não publicassem, pois é para isso que publicações como o Diário Oficial servem: trazer ao conhecimento da população sobre as leis votadas (se a população não lê, é problema dela)

De qualquer forma, é completamente estúpido alegar que tia Black violou a Marine Mammals blábláblá porque filmou orcas comendo. Não há provas conclusivas que ela realmente tenha servido lanchinho pros mamíferos, mas o mundo jurídico tem pouco a ver com Justiça. O processo original foi arquivado, mas o segundo, meio sem sentido, ainda é uma ameaça que paira sobre a cabeça de Nancy. Quando leis são tão mal escritas, velhas, anacrônicas e/ou tão vagas, temos algo que mais servirá para punir inocentes do que manter a sociedade em ordem, e se examinarmos leis brasileiras, veremos que não estamos muito melhores.


Fonte: The Economist


6 respostas para "Bióloga marinha pode ir pra cadeia por filmar orcas se alimentando. Oi?"

  1. 1. Guz disse:

    Ahn… Oi?

    Daqui a pouco surge um dono de cavalos que foi preso por atentado ao pudor. Motivo? deixou os animais copularem fora do estábulo e o ato foi visto por uma criança. Se aconteceu, por favor, não me diga!

  2. 2. Ari dark disse:

    :shock: O quê? Ela foi PRESA só por filmar orcas se alimentando de baleias?? Afinal que “lei” é essa? Quer proteger os animais, apenas impedindo que as pessoas vejam eles sendo “comidos” por predadores? Isso não vai mudar nada, tanto que o equilíbrio do ecossistema depende da cadeia alimentar. Não entendi o porquê da tal punição.

  3. 3. SandroCeara disse:

    “…já que cidadão consciente sabe que arrancar com o carro enquanto pessoas estão atravessando a rua não é algo muito legal…”

    Meio off, mas outro dia, ao atravessar a rua olhei para o sinal e estava vermelho. Comecei á atravessar e, quando estava no meio do percurso, o sinal abriu.

    Uma Pampa arrancou e veio direto em minha direção. Parei e abrí os braços em sinal de indignação. O motorista olhou para mim e disse:

    – O sinal abriu!!!

    Um motoqueiro, que vinha logo atrás parou para que eu passasse e comentou:

    – É esse o tipo de motorista que nós “encaramos” todo dia.

    Administrador André respondeu:

    No Rio temos uma definição para milésimo de segundo: O tempo compreendido entre o sinal ficar verde e o cara atrás meter a mão na buzina dizendo “Vai logo, porra!”

  4. 4. drumyoshiki disse:

    Na minha opinião o cativeiro, se comparado aos estudos aprofundados que o mesmo possibilita, traz mais benefícios do que malefícios aos animais… E além do mais, as orcas alimentadas nem estavam em cativeiro… Foi só um petisco gordurento para um animal selvagem.

    Já pensou se a Srta. Black fosse presa? Como ela ia acordar cedinho de manhã e tomar seu delicioso cereal na tigela? Seria um desastre para o trânsito intestinal rápido da moça… (o qual é importantíssimo para felicidade ;-)http://www.contraditorium.com/2012/01/02/samba-do-history-channel-doido/ )

    Administrador André respondeu:

    Ela vai cantar: Jail! Jail! Fucked! Fucked! Fucked!

Deixe um comentário

Mas, antes, leia a nossa Política de Comentários. Obrigado por sua participação.

Você precisa estar logado para deixar um comentário.