set 19

Como alimentar seus genes

6 Comentários
Escrito por .
Bibliografias, Biologia, Ciência, Genética, Medicina, Saúde, Tecnologia
Tags: , ,

No Globo Reporter Ceticismo.net de hoje, você vai saber mais que aquele velho axioma "você é aquilo que você come" pode não ser apenas um simples axioma (mas não o leve literalmente, pois ninguém está pensando em você torradinho, crocante por fora e macio por dentro, amarelo e numa embalagem de papelão). Isto significa que você pode estar mudando o seu próprio DNA quando estiver se alimentando. Mas, o que seus genes realmente gostariam que você comesse? (de preferência, sem piadinhas machistas)

Receitinhas "saudáveis" não faltam nas internets da vida, e muito mais podemos encontrar em qualquer programa vespertino, destinada a pessoas desocupadas que esperam ver se conseguem o corpo da Gisele Bundchen colocando apenas alfacinha na boca (seguido do próprio dedo). Todo mundo – desde sua tia Anastácia até a vizinha anoréxica do 302 – tem uma receitinha mágica que lhe fará "muito bem" e deixará seu corpo tinindo e pronto (pra ir pro hospital por desnutrição).

Pesquisadores noruegueses estudam como os alimentos estabelecem íntima relação com  nossos genes. Não basta servirem de base química para reações endergônicas e exergônicas. Eles realmente afetam a expressão de genes, onde alguns genes são "ligados" e postos para funcionar e fazer o que eles sabem fazer de melhor: codificar proteínas. E proteínas bem codificadas fazem crianças felizes, alegres a cantar o sonho infantil.

Os doutores Ingerid Arbo e Hans-Richard Brattbakk da Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia (Norwegian University of Science and Technology  — NTNU) pesquisaram a ação da gordura não apenas no corpo das pessoas, mas o que acontece em nível genético. Para tanto, eles alimentaram as cobaias, digo, voluntários felizes e ligeiramente acima do peso com diferentes tipos de dietas, estudando a expressão gênica de cada um deles. Em uma dieta média norueguesa (cerca de 65% de carboidratos) um número maior de genes passam trabalhar mais. Obviamente, qualquer um pode perceber que se isso afeta os genes, afeta o mundo inteiro (acho que havia algo assim no Talmud, se não me engano). Em outras palavras, o corpo terá mais facilidade de contrair doenças cardiovasculares, demência e diabetes do tipo 2.

Antes que você, chato, diga que isso não é novidade, fique claro que estou falando que o problema é causado pela ação dos alimentos em genes que propiciam o aparecimento destas doenças (não, não é O gene que fará você ficar doente, mas o desequilíbrio bioquímico, com proteínas que são codificadas em demasia ou sequer deveriam ser codificadas).

Então a cura está na comida?

Mais ou menos. Claro que aquela palhaçada de Medicina de A a Z serve muito bem… de alguma forma ou de outra. Eu surrei um ladrão com ele, provando que aquela bosta daquele livro só serve para fazer o mal nas pessoas (mas me ajudou muito no dia). Uma dieta melhor fará seu corpo funcionar melhor, não apenas em nível fisiológico, mas molecular (e uma coisa influencia a outra e a outra influencia a uma). Segundo a pesquisa, dietas com menor quantidade de carboidrato, e isso inclui o maldito miojo que vocês, preguiçosos, adoram. Se você prefere batatinha frita do McDonald’s, também está ferrado. Dew acordo com os resultados obtidos, uma dieta tida como "saudável" não deve ser composta por mais de um terço de carboidratos — até 40 por cento das kCal (QUILOcalorias) — em cada refeição, caso contrário, nossos genes serão estimulados a iniciar atividade que poderão acarretar em inflamações e até mesmo câncer.

Sempre soubemos o quanto uma dieta desregulada — como aquela que 99,9999999% de nós costuma comer – causa problemas. Mas agora tem-se uma compreensão melhor do mecanismo e aparecimento de doenças, o que pode nos alertar em como prevenir e até mesmo tratá-las, dando preferência à prevenção do que ao remédio, obviamente.

A propósito, o que você jantou hoje?


Fonte: Press Release da NTNU

Artigos relacionados:

  1. Enzima sensivel ao oxigênio ajuda na criação de novos genes
  2. Genes do colesterol
  3. Como os corais constroem seus esqueletos?
  4. Descobertos 100 novos genes que causam câncer
  5. Grupo liga 30 genes a doenças auto-imunes


6 respostas para "Como alimentar seus genes"

  1. 1. Bill disse:

    eu não jantei. win! :roll:

  2. 2. Apocalyptica disse:

    coitados dos vegans… vão ter que parar de comer arroz, macarrão, maçã, manga, banana, queijo, batata, abacaxi, abobora…

  3. 3. leumatiello disse:

    É como eu sempre digo pra minha mulher: semana que vem eu vou começar a me alimentar melhor e fazer academia. :smile:

  4. 4. Wallacy disse:

    Acho que estou muito, mas muito ferrado…..

  5. 5. SandroCeara disse:

    Eventualmente gosto de preparar meu jantar.

    Hoje será: Dois tomates (sem sementes), duas batatas cozidas no microondas e sobrecoxa de frango cozida (sem pele).

    Legal, né?

    Só que sempre sobra uma gordurinha do frango após o cozimento e eu derramo ela sobre as batatas picadas em cubos…

    Acho que estou muito, mas muito ferrado…..(2)

  6. 6. Nihil Lemos disse:

    O que eu jantei? Vixe! Nunca ligo muito para o que como, mas como de tudo. O que deve me “matar” são os lanches do Mc. Donalds que como todo fim de semana.

    Acho que estou muito, mas muito ferrado…..(3)

Deixe um comentário

Mas, antes, leia a nossa Política de Comentários. Obrigado por sua participação.

Você precisa estar logado para deixar um comentário.