Grandes Nomes da Ciência: Beakman

O kibe nosso de cada dia
Reflexões sobre o caso Mayara Petruso

Ele é o Senhor da Ciência, o Mago do Conhecimento, o Manipulador do Saber, o Supre-Sumo de tudo que se sabe e ainda vai se saber ou jamais se saberá. Ele é o incrível, fantástico, insuperável BEAKMAN!

FATO: A TV não é só lixo (só uns 99,9999999999%). Volta e meia sempre aparece algo excelente como programas do estilo Mundo de Beakman e se você não sabe do que eu estou falando, é porque tem uns 10 anos de idade.

Eu sou André e você vai entrar agora no MUNDO DE BEAKMAN!

FATO: Mundo de Beakman foi um dos melhores programas sobre ciência voltado para o público infantil (e que era adorado por adultos com massa cinzenta) já produzidos. O programa teve início em 12de setembro de 1992 e durou 4 temporadas, tendo seu término em 15 de março de 1997. Ele se baseou numa serie em tirinhas criadas por Jok Church chamado You Can With Beakman and Jax, onde alguns conceitos científicos e experiências eram explicados. Você pode ver algumas dessas tirinhas AQUI.

FATO:  O que faz as lagartixas conseguirem subir pelas paredes são as forças intermoleculares chamadas Wan Der Waalls.

O fantástico do programa eram as explicações doidas promovidas pelo Beakman, interpretado por Paul Zaloom, suas assistentes Josie, Lisa e Phoebe (que alternaram-se ao longo do programa) e do Lester, um ator decadente que conseguiu um emprego de rato de laboratório. Aliás, para mim, ele era o melhor do programa. Até tenho vontade de comprar uma fantasia daquelas.

FATO: Baleias são monogâmicas. Se elas perderem um parceiro, ficarão solteiras pelo resto da vida.

No início de cada programa, dois pinguins conversavam entre si e ligavam a TV no programa do Beakman. Ele sempre aparecia com um fato e apresentava o início do programa. A caracterização era show, porque o Beakman se apresentava de acordo com o senso comum: um cara meio amalucado, com um cabelão todo para cima e um jaleco de cor berrante. Aliás, o jaleco era outra coisa que eu queria comprar, apesar que trabalhei numa indústria onde uma das químicas usava um jaleco num tom rosa ofuscante e nós tínhamos que usar [óculos escuros quando ela chegava perto (não, não é mentira). No decorrer de cada episódio, espectadores enviavam suas dúvidas, as quais eram respondidas pelo Beakman. As cartas eram reais, mas durante o processo de tradução, os nomes e lugares foram trocados como “Fred Fabuloso de Franca” ou “Joaquim Elétrico de Motorópolis”.

Durante as explicações, Beakman aparecia fazendo o papel de muitos cientistas falecidos, mas também aparecendo como o professor Chatoff (ou I. M. Boring, no original), que dava aquelas definições chatas e herméticas contidas nos livros.

Só para vocês terem uma ideia, abaixo o Beakman explica como funciona o método Científico:

Se seu filho de 12 anos viu isso, ele aprendeu mais sobre Método Científico que qualquer criaBURRIcionista.

A série passou aqui, no Brasil, entre 1993 e 1998, mas sempre podemos contar com as reprises nos canais por assinatura.

FATO: Durante nossa vida, cresce cerca de 560 km de cabelo em nossa cabeça.

É uma pena que a televisão (principalmente a brasileira) dê tanto espaço para coisas ridículas feitas para débeis mentais, como Fazendas, Big Brothers e Ratinhos. Mas, levando em conta a alta audiência, temos uma clara percepção de como anda a formação intelectual e mental do brasileiro médio. Por falar em brasileiro médio, dei uma olhada na referência da Wikipédia Lusófona para informações e na parte de links de referência, temos…

FATO: O Mundo de Beakman é um daqueles programas que deixam saudades e que achamos que deveriam ser eternos, mas o mundo, diferente do de Beakman, não tem resposta clara para nossas perguntas e questionamentos. O máximo que podemos é aproveitar cada migalha de programas e documentários educativos de qualidade que aparecem (aqueles do Discovery e do History Channel me dão nos nervos de tanta besteira que passam, às vezes). Por sorte, alguns canais como o Boomerang (não, não é jabá mas aceito uma Ferrari de “lembrancinha”) fazem-nos o favor de reprisar os episódios. Pois só assim poderemos contemplar o Beakman e seu jaleco verdão, sendo ele um dos Grandes Nomes da Ciência. Ba Da Bin, Ba Da Ben, Ba Da Boom!

PS. Este artigo é dedicado à memória do ator Mark Ritts, falecido em 7 de dezembro de 2009, aos 63 anos.

O kibe nosso de cada dia
Reflexões sobre o caso Mayara Petruso

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!

  • Trak Trak Trugui

    Nossa… que saudades do Beakman.
    Talvez eu tive sorte de ter acompanhado esse programa maravilhoso, lembro como se fosse ontem, eu e meu amigo Juca Bala nas aulas de Ciências da 6ª à 8ª série fazendo as experiências que o Beakman ensinava, eram momentos mágicos (mágico no sentido do entusiasmo) feito com pura ciência.

    Sds

  • Claudinei.Machado

    É cara isso foi nostálgico, porém muito bom, lembro-me de sempre assistir Beakman, e eu também curtia muito o laster muito bom.

    att.

  • Tenho 23 anos e me lembro de ter visto a figura – me lembro mais pelo rato – quando criança, mas não me lembrava de onde. Agora lembrei 🙂

    Já não fazem mais programas educativos como antigamente. Hoje em dia o melhor programa educativo é o BBB mesmo 🙁

    Maumau respondeu:

    Lembro-me muito bem do Programa. Eu estava no início de minha adolescência e adorava. Não perdia um episódio sequer. :mrgreen:

  • Aí está o que pra mim é um dos MAIORES nomes da ciência, sem exageros. Talvez eu não conhecesse nenhum outro nome da ciência não fosse Paul Zaloom no seu melhor personagem, Beakman.

    Lembro que graças a ele eu iniciei meu primeiro laboratório quando era pequeno, infernizei meus pais até ter meu primeiro kit de química, e decidi que queria ser um cientista mais que qualquer coisa. Só não sabia ainda que tipo de cientista.

    Hoje eu tenho 22 anos, e estou a um passo de me formar Cientista da Computação, e pronto para seguir carreira acadêmica como pesquisador na minha universidade (favor não confundir Ciência da Computação com Tecnologia da Informação – são coisas bem diferentes).

    Uma pena que esse site nas referências da Wikipedia não leva a lugar nenhum. Mas pra quem interessar, existem DVD’s da séria a venda no site oficial em inglês, além de falar sobre o mais “novo” projeto do Paul Zaloon na pele do cientista, o “Beakman on the Brain”: http://www.kidsentertainment.net/roster/beakman/

  • [email protected]

    Em um tempo que a tv do meu quarto ficava ligada na cultura 15 horas por dia(as outras horas ela ficava ligada em chave e picapau) Beakman era um dos melhores programas que passava, junto ao Castelo Ra-tim-bum, X-Tudo e as aventuras de Tin Tin.

  • Cara, que saudades da época que a TV era boa…
    Nota: 🙂 🙂 🙂 🙂 🙂

  • Esse programa deixou saudade. com 25 anos, me lembro de quase todos os episódios.

    Deu vontade de baixar tudo e assistir de novo, depois doar para uma mente que não teve o privilégio de ter visto esse programa maravilhoso.

    leandrosansilva respondeu:

    @Kleber,
    Eu já achei um torrent com todos os programas já dublados. Ok, sei que não é a coisa mais legal do mundo, mas para quem não tem acesso à televisão paga e nem quer ficar limitado á seguir a programação de uma emissora, a Internet é realmente uma benção de Javé. O que é preferível, que uma obra se perca para sempre no tempo por questões de copyright, ou que as pessoas a acessem livremente?

    São 11GB ao todo, e vc acha facilmente no isohunt.com. E tem bastante gente semeando!

    O cérebro é uma droga mesmo. Não me lembrava do programa mas a música da abertura estava gravada em meus neurônios de maneira que ainda não compreendo.

  • Gottklock

    Beakman (não lembro da frase exata):
    – Os 3 maiores medos da humanidade são: medo de insetos, medo de altura e medo de falar em público!

    Lester:
    – Por isso eu fui o único a falar para uma multidão de insetos no alto de um prédio.

    Hahaha

    Realmente, nostalgia, às vezes, é minha droga.

  • Mari.

    Parabéns, conseguiu transcrever o espírito Beakman no artigo.

    Administrador André respondeu:

    Enquanto isso, tem desgraçado kibando meu artigo, por pura incompetência de escrever por si só.

    Icarus respondeu:

    @André,

    Veja pelo lado bom:

    No futuro, as ferramentas vão dizer que são os criadores originais dos textos, e qual foi a relevância.

    Ai vc vai ficar mais famoso hehehehe.

    http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=ideias-mais-influentes&id=010150101101

    Administrador André respondeu:

    Calma que já tá saindo artigo sobre os malditos kibadores.

    Bill respondeu:

    @André,
    Agora fiquei curioso em saber quem foi o kibador

    Renato Kistner respondeu:

    @Bill, Acredito que seja este aqui:
    http://hodynu.blogspot.com/2010/11/mundo-de-bea.html

    Joseph K respondeu:

    @Bill,
    Eitcha, ocara-de-pau apagou os comentários: a reclamação do André e a palhaçada sobre a CC viral, e até minhas inocentes palavras. Já dá para ver o tipo de pessoa. 🙄

    Fabrício respondeu:

    Alguém tem o cache do blog pra que eu veja isso. Por puro acumulo de coisas a fazer, não pude acompanhar esse epic moment. Mil vezes Damn it!

  • JJ

    É verdade tinha o Beakman, mesmo kkk

    Era muito bom, mas tem aquilo né as emissoras comerciais querem ganhar dinheiro, e as emissoras ditas “publicas”(sic) estão mais sendo usadas como propaganda para o governo. Por essas e outras que não vejo uma grande diferença no curto prazo…

    Ou alguém ai conhece um programa acho que é novo, o nome é “Ciência nua e Crua”? Eu acho muito legal.

  • Nelson Rivaldo

    Obrigado André por relembrar esse fantástico programa que me mostrou como funciona o mundo a minha volta sem apelar para misticismo. Costumo dizer que boa parte do que sou hoje devo ao Beakman e ainda tenho guardado o caderno onde eu tomava notas das experiências e curiosidades que ele ensinava.

  • Ah, saudosa tv cultura. Aliás, tirando alguns desenhos, foi de lá que eu vi muitos dos melhores programas da nossa belíssima ( 😆 ) televisão.

    Onde mais você pode aprender a gostar de blues, bossa, musica clássica? Foi lá que eu as descobri. Ah, tinham umas animações com massinhas muito boas também.

  • Altair5

    Beakman era o máximo!! No programa da Eliane e no formigueiro eles fazem algumas experiências ao vivo,bem melhor que faustão… 😉

  • Fabrício

    O Mundo de Beakman era um dos meu principais programas de infância. Não esqueçamos também, do quadro “Por que sim, não é reposta”,do Castelo Rá-Tim-Bum, que foi onde também eu aprendi muita coisa. Acho que foi por ver esses programas, que eu cresci sendo um nerd.

    Quem não assisita esses programs, cresceu sendo esses bombados que saem metendo porrada nos outros em festas.

    Nossa juventude está completamente perdida. A mulecada só quer saber de games e coçar saco. A juventude só quer saber de copular e morrer copulando. Ainda bem que existe gente que assistiu belos programas e não nasceram com a mente limitada.

    Viva a Beakman!

  • SAULO NOGUEIRA

    Eita tempo bão!!!!!!

  • Muito bom você falar desse programa excelente que ensinava ciência de uma forma descontraída e interessante.

    Eu adorava assistir.

  • Hueber

    Fora de tópico, mas eu gostaria de saber sua opinião sobre Rupert Sheldrake, ouvi falar dele recentemente e não consigo achar muita informação sobre suas pesquisas…me parece que é um excluído da comunidade científica.Com uma hipótese que “refutaria” a seleção natural…

    Desculpe pelo incômodo e desde já agradeço pelo tempo.

    Administrador André respondeu:

    “Excluído da comunidade”. Sempre alegam isso quando se fala besteira não-comprovada. Em suma, temos: ele tem uma hipótese não-comprovada que visa derrubar uma teoria mais do que comprovada em laboratório e no mundo natural, tanto em escala micro quanto em escala macro.

    Primeiro as evidências, depois as considerações. A hora que ele trouxer as deles, a gente dá as nossas considerações.

    E, por favor, sem fugir dos temas dos artigos, sim?

  • Rafael-PE

    Saudades!!!Não perdia um programa sequer!!!
    Temos que ter mais coisas nesse estilo…e não aquelas porqueiras que aparecem em Eliana,Gugu…que servem para divertir apenas(ovo explodindo no microondas,geração de espumas e o clássico gás hélio na garganta)!!
    temos que ter programas no estilo “howstuffworks”!

  • Thiago

    Caramba, eu simplesmenta amava esse programa quando era criança. Precisamos de mais programas como esse.

  • André, seria uma heresia se você esquecesse de citar o Beakman no GNC. Felizmente você não cometeu esse pecado. 🙂
    .
    Eu simplesmente adorava assistir esse programa. Bons tempos em que a Cultura passava coisas legais e interessantes. Bem diferente de hoje em que a Cultura tá se transformando numa Bobo, SBesTeira ou Recópia.

  • alopes

    Beakman, o cientista, volta à TV

    http://info.abril.com.br/noticias/ciencia/beakman-o-cientista-volta-a-tv-04012011-46.shl

    Administrador André respondeu:

    Beakman é Deus. Ponto.

  • Nem Einstein, nem Newton, nem Darwin. Quem me fez gostar de ciência foi o Gigante, Deus, o Chuck Norris de jaleco: Beakman!

  • alopes

    http://info.abril.com.br/noticias/ciencia/entrevistamos-beakman-o-cientista-31012011-8.shl

    Administrador André respondeu:

    “O Rato Lester era com certeza um personagem muito querido do público. Pelo que você disse, imagino que tenham sido próximos também. Como foi receber a notícia de seu falecimento? (Mark Ritts, o Rato Lester, faleceu em 2009). ”

    Jornalismo brasileiro não muda…

  • Pingback: Grandes Nomes da Ciência: Martyn Poliakoff » Ceticismo.net()