jun 11

Simulações do Sistema Solar indicam um pequeno risco de colisões de outros planetas com a Terra

Um comentário
Escrito por .
Astronomia, Bibliografias, Ceticismo, Ciência, Cultura, Engenharia, Exploração espacial, Fí­sica, Geologia, História, Literatura, Mitos Desmascarados, Tecnologia
Tags: , , ,

A Terra pode colidir com Vênus. Ou Marte. Ou Mercúrio. Mas, antes que o leitor se desespere, convém esclarecer: se esses desastres ocorrerem, seria só daqui a bilhões de anos. Esse cenário catastrófico é parte de um estudo francês, que fez simulações da evolução das trajetórias desses planetas do Sistema Solar e calculou uma pequena probabilidade de elas se cruzarem no futuro.

Desenvolvido pelos astrônomos Jacques Laskar e Mickael Gastineau, do Observatório de Paris, o estudo se baseia em 2.501 simulações em computador do Sistema Solar para os próximos cinco bilhões de anos, a partir de condições iniciais bastante parecidas com as atuais.

Em apenas 1% das simulações feitas pelos astrônomos, o Sistema Solar se desestabilizaria e geraria situações de possíveis colisões entre os planetas. Em todas elas, o principal responsável por essa desestabilização é Mercúrio. Embora pequeno, o planeta representa o maior “perigo” à ordem do sistema, devido ao aumento de sua excentricidade – ou seja, o quanto sua órbita se afasta do formato circular e se torna elíptica.

No entanto, poucas simulações mostraram choques de fato entre os planetas. Em três delas, Mercúrio colidiria com o Sol e em outra, com Vênus. O caso em que a Terra correria mais risco de colisão seria daqui a aproximadamente três bilhões de anos, quando a distância entre nosso planeta e Marte seria de apenas 794 quilômetros.

“Essa aproximação seria desastrosa para a vida na Terra, com um possível estilhaçamento de Marte e subsequentes múltiplos impactos na Terra”, afirmam os cientistas no artigo que descreve o estudo, publicado na Nature desta semana.

Não satisfeitos, os astrônomos franceses foram em busca de colisões mais diretas. A partir da simulação em que os planetas Terra e Marte “passam raspando” um pelo outro, eles construíram 201 possíveis cenários que teriam início daqui a cerca de três bilhões de anos. Cento e noventa e seis simulações resultaram em colisões, das quais 49 envolviam a Terra.

O cenário mais notável, segundo Laskar e Gastineau, é uma colisão com Vênus, que aconteceria daqui a 3,3 bilhões de anos. “Essas colisões podem acontecer antes, mas jamais antes de um bilhão de anos”, explica Laskar.

O que diferencia o estudo francês de outras pesquisas – mais catastróficas – já feitas sobre a estabilidade do Sistema Solar é o fato de adotar a teoria da relatividade, em vez da física newtoniana pura, nas simulações. “Sem a relatividade, o movimento da trajetória de Mercúrio se modifica, aumentando a possibilidade de choques interplanetários”, explica Laskar.

Não por acaso, quando fizeram 201 simulações do Sistema Solar sem considerar os efeitos da relatividade ou influências lunares, a excentricidade de Mercúrio aumentava de forma significativa em 60% dos casos – número bem maior que o percentual de 1% observado no estudo final. “A relatividade era o elemento que faltava”, afirma o astrônomo. Abaixo, vocês podem ver um vídeo com essas simulações:

Os cientistas salientam que é difícil atribuir uma probabilidade de colisão envolvendo nosso planeta nos próximos cinco milhões de anos. Embora 25% das simulações tenham resultado em choques de outros planetas com a Terra, esses cenários foram gerados a partir de apenas uma das 2.501 simulações iniciais. Ou seja: apesar da pulga atrás da orelha, podemos respirar relativamente aliviados.


Fonte: Ciência Hoje Online


Uma resposta para "Simulações do Sistema Solar indicam um pequeno risco de colisões de outros planetas com a Terra"

  1. 1. Scorpion 576 disse:

    Três bilhões de anos é quase certeza que não haverá nenhum tipo de vida na terra. Os cientistas apontam que a cada 1 bilhão de anos o Sol intensifica seu brilho em -+ 10%. Com esse aumento da atividade solar é impossível existir vida na terra daqui 3 bilhões de anos. Não tem porque se preocupar com essas simulações de colisão da terra com outros planetas.

Deixe um comentário

Mas, antes, leia a nossa Política de Comentários. Obrigado por sua participação.

Você precisa estar logado para deixar um comentário.