mai 28

Entrevista de Emprego 2.0

8 Comentários
Escrito por .
Ceticismo, Ciência, Comportamento, Comunicações, Cultura, Economia, Filosofia, História, Humor, Idiocracia, Informática, Pseudociência, Psicologia, Tecnologia

entrevistadeemprego.jpgAlguns anos atrás, alguém da Microsoft percebeu que eles tinham um pequeno probleminha de recursos. Recursos humanos para ser específico. Eles tinham um monte de vagas abertas (milhares, para ser exato ;-) e um monte de aplicações em desenvolvimento (centenas de milhares). Não era fácil designar o programador certo para a aplicação certa. Então eles decidiram reinventar a Entrevista de Emprego.

Tradicionalmente, as entrevistas de emprego eram usadas para verificar dois pontos: quão competente o candidado era e como sua personalidade poderia ser aproveitada pela empresa. Com a introdução da Entrevista de Emprego 2.0, a Microsoft incluiu além destes dois pontos, um terceiro ponto: como o candidato responderia quando confrontado com enigmas sem sentido e completamente ridículos.

O senso comum nos diz que um candidado que gosta de resolver enigmas gostará também de resolver enigmas em uma entrevista de emprego. Porém, o mesmo se aplica a uma pizza de peperone: se o candidato gosta de comer pizza de peporone é bastante provável que gostará de comer pizza de peperone durante a entrevista. Embora divertidos (você não gosta de pizza de peperone?), ambos são paradigmas irrelevantes para determinar se uma pessoa é ou não um bom programador.

Se você ainda não viu nenhuma questão da Entrevista de Emprego 2.0 da Microsoft, aqui estão algumas:

  • Como você determinaria o comprimento de um Boing 747?
  • Dado uma caixa opaca com três lâmpadas dentro e três interruptores do lado de fora, como determinar qual interruptor está ligado a qual lâmpada se você só pode abrir a caixa uma vez e somente após ter determinado a posição dos interruptores.
  • Você está na beira de um rio com três outras pessoas e precisam atravessar um rio a noite. Você pode atravessar ele em um minuto, os três outros podem atravessar em dois, cinco e dez minutos, respectivamente. Uma lanterna (somente uma para o grupo) é sempre necessária para atravessar e somente duas pessoas podem atravessar de cada vez. Como você faria para atravessar o mais rápido possível?

Naturalmente, neste tipo de enigmas nenhum senso comum ou praticidade é requerida. E é precisamente por isso que os entrevistados falhavam miseravelmente neste ponto da entrevista:

  • – Eu iria perguntar a Boing… Não posso perguntar a Boing? Hm, ligaria para a biblioteca… Claro que a biblioteca deve ter esse dado, eles iriam procurar saber, é o trabalho deles!
  • – Qual foi o estúpido que construiu essa caixa quebrada? Eu poderia consertá-la? Eu nem vi essa caixa idiota! Como você sabe que não posso consertá-la?
  • – Obviamente, nós deixaríamos o cara mais lento para trás. Ele está claramente no lugar errado, na hora errada e nós não temos tempo para esse gordo ficar nos retardando. Isso é sobrevivência!

Infelizmente a Microsoft percebeu isso muito tarde: toda uma mini indústria surgiu em torno do conceito de Entrevista de Emprego 2.0. Se a Microsoft fez isso, é porque funciona, certo? Existem livros descrevendo enigmas para serem usados em entrevistas, consultores que podem ajudar a empresa a castigar o entrevistado com enigmas personalizados, e agora, qualquer um em qualquer pequena empresa de softwares tem que se submeter a estes questionários estúpidos.

Elas vão eventualmente perceber o quão inútil essa prática é. E eventualmente vão descartá-la. Neste meio tempo você — programador em busca de oportunidades — terá que lidar com isso.

Ou não. Um leitor compartilhou comigo um interessante história de uma dessas entrevistas de emprego com charadas.

Durante uma entrevista, me perguntaram como eu desenharia uma bicicleta para pessoas com problemas de visão. Eu respondi algo assim: “Como assim? Para pessoas cegas?”, e a entrevistadora respondeu que sim.

Eu pensei por um momento e respondi, “Bem… Uma pessoa cega dirigindo uma bicicleta não me parece uma idéia segura, então eu faria uma bicicleta fixa, e talvez colocaria um ventilador na frente para dar a sensação de movimento. A pessoa provavelmente não sentirá a diferença.”

Ela ficou sem palavras.

Eu garanto, ele não conseguiu o emprego. Tirando o completo absurdo desse pedido de design e a completa praticidade da resposta, o emprego irá para um candidado que responderá a pergunta com uma solução extremamente complexa para um problema que nem existe no mundo real. E este candidato é a mesma pessoa que desenvolverá os seus softwares.

Traduzido de Worse Than Failure

Artigos relacionados:

  1. AF-447: Mais informações e uma entrevista com um piloto sobre o acidente
  2. Jornalista é condenada a 60 chibatadas por causa de entrevista sobre sexo
  3. Entrevista com Drake: Certamente não estamos sozinhos no universo
  4. Agora Ceticismo.net possui seu próprio Twitter
  5. Comemoração: Artigo nº 1500

Um Ping to "Entrevista de Emprego 2.0"

  1. Entrevistadores, empregos e jornalistas. Essa mistura nao da boa coisa » Ceticismo.net disse:

    [...] o monte de merda que entrevistadores falam pra você. Nós tínhamos publicado um artigo sobre a Entrevista de Emprego 2.0, que avalia pessoas através de perguntas estúpidas, sem o menor senso de [...]


7 respostas para "Entrevista de Emprego 2.0"

  1. 1. -BoRiS- disse:

    UAU :o

  2. 2. dree disse:

    lol… relativamente às perguntas, penso qe todos os Boings 747 têm o mesmo cumprimento… então para qê qerer medi-lo? 70,7 metros. e até lhe dizia qe tem 19,4 metros de altura ! mas se não soubesse, o mais provavel era ir ao encontro de um boing, pegar numa fita métrica e medir aos poucos e poucos… qe estupidez ! a outra então, é estupidamente estupida… se as lampadas já estao ligadas aos interruptores, o qeq m interessa posicioná-los ? abro a caixa e vejo qe interruptor liga a cada lampada. depois é só numerar as lampadas de 1 a 3 e os interruptores respectivamente e pronto ! já s sab qal lampada pertence a qal interruptor… e a última é facil… ia sozinho, assim demoraria o mínimo de tempo possível. os outros qe se desenrascassem. A pergunta não diz para levarmos os outros connosco. lol. mas supondo qe sim, então primeiro iria o sujeito qe demoraria 10 minutos com o de 5 minutos. assim demorariam 10 minutos a lá chegar. porqe antes de acabar os 10 minutos o de 5 já lá tinha chegado. se é qe m faço entender. depois iria eu, qe demoro 1 minuto e o outro qe demora 2 minutos, assim demorariamos 2 minutos. 10+2=12 minutos. o minimo.

    JCFerranti respondeu:

    @dree, 1 – medir o Boing pra quê? Pegue as especificações dele. Tenho certeza que a informação está acessível em algum lugar facilmente.
    2 – Não entendi o problema direito. Só posso abrir a caixa depois de dar a resposta, é isso?
    3 – a) A questão diz que vocês precisam atravessar o rio, então não dá para deixar todos. b) Sua conta está errada, pois o grupo só tem uma lanterna e a mesma precisa ir e voltar, assim a melhor resposta seria: você e o cara de 2min vão primeiro, você volta sozinho, vão o de 5min e 10 min, volta sozinho o de 2min e vocês atravessam novamente. tempo? 2+1+10+2+2=17 minutos de travessia.

  3. 3. André disse:

    Com um português como o seu, dificilmente você passaria na entrevista.

    “CUMPRIMENTO” foi de doer… :-(

  4. 4. JCFerranti disse:

    hehehe, sei que o asunto já é antigo, mas vim parar aqui por causa daqui: http://ceticismo.net/2013/02/24/entrevistadores-empregos-e-jornalistas-essa-mistura-nao-da-boa-coisa/
    Por falar nesses testes absurdos, meu favorito é o mais clássico:
    “Um avião sai do Brasil em direção ao Peru. Infelizmente o avião cai e se espatifa quando passava pela Bolivia. Onde devem ser enterrados os sobreviventes?”
    MInha resposta na época? O avião se espatifou e não houve sobreviventes, hahahahahahahahaha!

  5. 5. Mecenas disse:

    Como eu determinaria o comprimento de um Boing?
    Em metros.

    Como eu desenharia uma bicicleta para cegos?
    Com um lápis!

  6. 6. JCFerranti disse:

    Ah, da bicicleta para cegos! Já existem aquelas bicicletas para duas pessoas. Pronto!

Deixe um comentário

Mas, antes, leia a nossa Política de Comentários. Obrigado por sua participação.

Você precisa estar logado para deixar um comentário.